Em Fátima, com muita Fé...

Foto: Sporting.pt
Fátima 2 Sporting 3: O Sporting teve hoje em Fátima a sorte que faltou em Roma.
Depois de ter feito a vida negra ao Sporting do jogo da primeira mão, jogada no Restelo, a equipa do Fátima, voltou a impressionar, e demonstrar porque tinha sido até aqui, a equipa sensação desta Taça da Liga.
O Sporting deu mais uma vez a iniciativa de jogo ao adversário, e mais uma vez sofre um golo bastante madrugador, com a curiosidade desta vez ter sido marcado por um jogador emprestado pelo clube de Alvalade. Carlos Saleiro apareceu no coração da área a atirar a bola para o fundo das redes. Logo a seguir o Fátima dispõem de mais uma excelente oportunidade de ampliar a vantagem mas Marinho atira á base do poste esquerdo da baliza de Stojkovic. O Sporting ainda conseguiu empatar o jogo antes do intervalo num cruzamento de Miguel Veloso direitinho á cabeça do Levezinho.
Logo no reatar da segunda parte e após nova confusão no centro da área leonina, Fajardo, remata colocado junto á meia lua da área fazendo o 2-1.
Paulo Bento mexe na equipa e lança Purovic e Pereirinha em troca de Ronny e Yannick. E foi através dos "reforços" da segunda parte que surge o golo da igualdade, Pereirinha ganha a linha de fundo e cruza para cabeçada oportuna de Purovic.
No quarto de hora final, retorna a emoção, Cicero atira uma bomba á barra de Stojkovic, e Marinho, falha a recarga.
Aos 83m de jogo vem ao cimo aquilo que faz de Liedson um jogador de eleição. O levezinho aproveita um desentendimento do defesa esquerdo e o guarda redes do Fátima, ultrapassa os dois e remata para o fundo das redes desempatando a eliminatória a favor dos leões.
O Fátima marcou quatro golos ao Sporting, jogou o suficiente para passar a eliminatória, não demonstrou ser de um escalão inferior, mas a história estava escrita... O Sporting passaria á fase de grupo da Taça da Liga.

Curioso,

O Fátima, demonstrou que apesar de estar na 10ª posição da Liga Vitalis, é uma equipa com muita juventude, e com três elementos de grande qualidade: Saleiro, Cicero e Marinho.
Vendeu cara a derrota, lutou taco a taco com a equipa do Sporting.
O Sporting apresentou a equipa principal, e teve bastantes dificuldades em segurar os endiabrados jogadores do Fátima. A raça o querer e a disponibilidade dos jogadores da casa foi sempre superior á dos visitantes.

A rever,

Como é possível a equipa leonina ter crise de avançados, quando pomos ao dipôr dos adversários um jogador como Saleiro? Será que acautelaram o seu regresso á origem na reabertura do mercado? Parece-me que neste momento, Saleiro seria mais importante que Yannick.

A sugestão:

Existe para os lados de Setúbal um jogador de seu nome Matheus, que fez a vida negra ao Sporting em Alvalade, e que hoje ajudou a derrotar o Benfica. Talvez o Setúbal até esteja disposto a vender porque a capacidade financeira do clube do Sado, anda em baixo de forma. Será concerteza um jogador mais mexidinho que Yannick, e Purovic.
Ler Texto Completo

As Garras de Liedson...

Liedson -4- O levezinho enfrenta sempre os jogos com a mesma garra e vontade de ganhar, seja para a liga dos campeões, ou para a Carlsberg Cup. O Sporting bem lhe pode agradecer a vitória. Tem atravessado um mau bocado porque este ano tem tido poucas oportunidades de brilhar.

Stojkovic -3- Começou algo nervoso e desconcentrado, tal como os seus colegas da defesa. Ficou mal na fotografia do primeiro golo, porque saiu da baliza como se andebol se tratasse. Com o tempo foi melhorando, mas ainda assistiu a uma bola no poste e quase a acabar, outra na barra.

Abel -2- Não esteve nos seus dias... Subiu pouco no terreno, e fica marcado pelo 1º golo.

Ronny -2- Teve muitas dificuldades em segurar os adversários, e já não se consegue mostar nos livres directos.

Tonel -3- Melhora significativamente com Polga ao lado, mas ainda é um jogador inconstante.

Polga -3- Mesmo não fazendo um grande jogo nota-se logo a sua presença. Polga voltou, o Sporting ganhou.

Miguel Veloso -3- Rende bem mais nesta posição, mas ainda não chega... Quem o viu e quem o vê. Transfigurou-se para pior da época passada para este ano. A fama nem sempre trás beneficios.

Moutinho -3- O esforço continua a ser a sua imagem de marca, e só por isso está perdoado pelas exibições menos conseguidas. Os sportinguistas esperam que o "velho" Moutinho, volte rápido.

Vukcevic -2- Tem técnica, tem garra, mas as jogadas não saiem. Não traz emoção, não arranca jogadas mágicas, não é o lateral que o Sporting precisa. Não faz esquecer "Nani".

Romagnoli -3- Começou a época, com o gás todo, mas tem vindo a desaparecer. Ora faz um bom jogo, ora se esconde no jogo seguinte. Não foi uma exibição muito conseguida, mas tem o mérito de trazer sempre adversários atentos ás suas movimentações.

Yannick -2- Tem de ir á bruxa. Não acerta uma, e levanta cada vez mais vozes criticas á sua presença na equipa. Tivesse o treinador mais opções, e já tinha saído da equipa.

Pereirinha -3- Entrou bem no jogo, e deu outra vida ao lado direito leonino. Está a crescer, e pode ter ganho espaço na equipa principal.

Purovic -3- Marcou o segundo golo do Sporting em antecipação ao guarda redes adversário. Marcou, e é golos que se pedem a um ponta de lança.

Izmailov -2- É um caso semelhante a Vukcevic. Tem técnica, mas não desenvolve... Ainda, não percebi se Izmailov, apenas rende o que se tem visto ultimamente, ou se é capaz de repetir jogadas iguais aquela que permitiu ganhar a supertaça ao Porto.
Ler Texto Completo

Palavras dos outros X

Este ex-árbitro é um caso impar no futebol português. José Guímaro é o único árbitro (até agora) a ser condenado por corrupção num tribunal judicial. Os 500 contos que recebeu em troca do favorecimento num célebre Leça FC vs Académico de Viseu não foram compensação suficiente para o que se seguiu…

Em 7 de Junho de 1993 o Leça FC recebia o Académico de Viseu, e em caso de vitória festejaria o título da 2ª. Divisão B. José Guímaro era o árbitro e o Leça FC ganhou por 3-0, acrescentando uma taça ao seu palmarés. Contudo, em Junho de 1994, a Polícia Judiciária detém o árbitro após uma diligente investigação, com conversas telefónicas comprometedoras com “Manecas” (Presidente do Leça FC), Manuel Rodrigues (pai do Presidente do Leça FC), António Ramos e Joaquim Pinheiro (intermediários, sendo este último irmão de Reinaldo Teles, vice-presidente do FC Porto), e a fotocópia de um cheque de 500 contos assinado pelo “Manecas” e endossado a José Guímaro. Pela primeira vez um tribunal judicial julgava e condenava por corrupção desportiva! Os 500 contos (sempre referidos nas gravações como os “quinhentinhos”) não eram mais do que o pagamento da primeira prestação pelos “serviços” prestados por José Guímaro.


No final o Leça desceu da Primeira Divisão para a Divisão de Honra pela via administrativa na época de 1996/97, José Guímaro foi condenado a 15 meses de prisão e “Manecas” a 12 meses (sendo entretanto amnistiado) e Manuel Rodrigues e António Ramos a 8 meses de pena suspensa. Joaquim Pinheiro, sempre que confrontado com datas e as suas gravações telefónicas exclamava sempre “não me recordo”, evitando o envolvimento de seu irmão, várias vezes citado nas conversas, e evitando ser condenado. Em todo este processo, a única pessoa que cumpriu pena foi o corrompido, sendo que todos os corruptores passaram incólumes…

Se isto fosse verdade...

Fonte (foto incluída):
Blogue:
Se isto fosse verdade
Post: Futebol – Os “quinhentinhos”
Ler Texto Completo

Neste dia

A 31 de Outubro de 1962, passaram 45 anos, o Sporting deslocou-se à Escócia para defrontar o Dundee para a 2ª mão da 2ª eliminatória da Taça dos Campeões Europeus. O Sporting trazia uma vantagem de 1-0 mas não seria suficiente. Resultado final: 4-1.


Dundee: Slater, Hamilton, Cox (c), Seith, Ure, Wishart, Smith, Penman, Cousin, Gilzean e Robertson. Treinador: Bob Shankly.


Sporting: Carvalho; Lino e Hilário (c); José Carlos, Lúcio e David Júlio; Figueiredo, Osvaldo Silva, Mascarenhas, Geo e João Morais. Treinador: Juca

Golos: Gilzean 15 (1-0), Cousin 45 (2-0), Gilzean 48 (3-0), Cousin 59 (4-0), Figueiredo 66 (4-1).

Outros resultados europeus da época 62/63:
Shelbourne 0 Sporting 2
Sporting 5 Shelbourne 1
Sporting 1 Dundee 0

Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

O Outubro academista

O Académico de Viseu disputou 4 jogos em Outubro. Foi um mês quase perfeito onde o Académico alcançou 3 vitórias (Arouca, Valonguense e Valecambrense) e um empate com o Social Lamas neste último domingo. Marcou 5 golos e sofreu apenas 2.

No mês passado tinha referido aqui no blogue que o Académico parecia padecer do “síndroma da segunda parte”, ou seja, o Académico caía sempre de produção na segunda parte. Em Outubro tudo mudou radicalmente: os 3 jogos ganhos estavam empatados ao intervalo apenas com o Social de Lamas se voltou ao passado.

No mês passado Idalino de Almeida fazia verdadeiras revoluções de partida para partida e consequência disso era o facto de apenas dois jogadores terem sido totalistas. Em Outubro as coisas também mudaram e os totalistas são 4, ou seja, Manuel Fernandes, Marcos, Negrete e Mégane. Calico e Beuad não fazem parte deste lote porque foram substituídos por lesão - Calico em Vale de Cambra e Beuad no Fontelo frente ao Social de Lamas. Álvaro e Cardoso completam o lote dos jogadores com mais de 300 minutos disputados. Estará isto ligado à subida de produção academista?

18 cartões amarelos e um vermelho (por acumulação) foram vistos pelos jogadores do Académico de Viseu durante o mês de Setembro um número que coincide com os de Setembro. Calico e Zé Bastos viram o cartão por 3 vezes, o Zé viu dois no mesmo jogo e o consequente vermelho. Manuel Fernandes, Negrete e Álvaro viram dois cada. Os restantes “galardoados” foram Filipe Figueiredo, Eduardo, Valério, Beaud, Cardoso e Zé Pedro.

O Académico de Viseu marcou 5 golos em Setembro. 5 golos para 5 marcadores: Santos, Álvaro, Negrete, Filipe Figueiredo e Marcos. Em Setembro apenas um dos golos apontados tinha sido por elementos da época passada. Até nisto Outubro foi diferente já que todos os golos foram apontados por campeões distritais da época 2006/2007.
Ler Texto Completo

Jogador do mês: Manuel Fernandes

Foto: Jornal do Centro
Se em Agosto e Setembro a escolha para jogador do mês foi fácil porque houve um jogador, Zé Bastos de seu nome, que se destacou claramente dos restantes a escolha para jogador do mês de Outubro foi bem mais difícil. Dos quatro jogos disputados 3 foram presenciados por elementos da Magia do Futebol e neste campo há empates: Beaud foi o melhor em Arouca (escolha do Pedro Simões), Álvaro frente ao Valonguense (escolha minha) e Manuel Fernandes frente ao Social de Lamas (escolha do João). A nossa escolha para jogador do mês recaiu sobre o “guardião do templo”. Manuel Fernandes foi, no nosso entender, o jogador academista em destaque no mês de Outubro mas fica aqui também uma referência muito especial para Negrete, Marcos, Beaud, Mégane e Calico pois a defesa academista esteve em grande neste mês.
Voltando ao Manel: em Arouca fez defesas decisivas, olhando para o que foi escrito na comunicação social, e aqui na Magia, facto que permitiu levar o jogo empatado até ao golão do “nosso mágico” que valeu os 3 pontos. Frente ao Valonguense numa tarde em que não teve um grande rol de trabalho acabou por ser decisivo ao fazer uma excelente defesa num remate que veio do meio da rua. Em Vale de Cambra pouco se sabe da sua exibição mas frente ao Social de Lamas voltou a ser decisivo sendo inclusive o melhor academista em campo. Posto isto penso que é inteiramente justa a sua nomeação como JOGADOR DO MÊS.
Ler Texto Completo

Neste dia

A 30 de Outubro de 1968, passaram 39 anos, o Sporting recebia em Alvalade o Newcastle para a 1ª mão da 2º eliminatória da Taça das Cidades com Feira. Resultado final: 1-1.

Sporting: Damas; Celestino, Armando Manhiça, José Carlos (c) e Hilário; Gonçalves (Marinho 45) E José Morais; Chico Faria, Ernesto, Lourenço e Pedras. Treinador: Fernando Caiado.

Newcastle: McFaul, Craig, Winstandley, Moncur (c), Clark, Gibb, Burton, Robson, Scott, Davies e Foggon (Dyson 72). Treinador: Dave Smith.

Golos: Scott 31 (0-1), José Morais 88 (1-1)

Outros resultados europeus da época 68/69:
Sporting 4 Valência 0
Valência 4 Sporting 1

Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Grande Manel !

Manuel Fernandes - Foi o herói academista. Fez três defesas impossíveis, transmitindo sempre muita confiança aos colegas. Parece um guarda redes á antiga portuguesa, entra aos lances sem medo, e com uma garra impressionante. Os avançados chegam a temer o contacto com este gigante. Valeu meio ponto ontem á tarde.

Calico - Teve pela frente aquele que foi o homem do jogo Manu. O extremo esquerdo do Lamas não deixou Calico descansar um segundo.

Negrete - Teve mais trabalho que noutros jogos. A segunda parte do Social de Lamas colocou em sentido toda a defesa academista.

Marcos - Marcou o golo do Académico num excelente cabeceamento, na marcação de um pontapé de canto. Na segunda parte teve de trabalhar muito para parar os adversários.

Mégane - Foi o mais esclarecido dos defesas academistas. Na primeira parte ainda ajudou o meio campo em acções ofensivas, na segunda teve de recuar como toda a defesa, para suster as iniciativas adversárias.

Beaud - Enquanto durou, comandou sempre o meio campo academista, nos melhores momentos da equipa. Quando Nando( Ex-atleta academista), o lesionou com alguma maldade, o meio campo ressentiu-se bastante. Não merecia o "castigo" de continuar 20m em campo lesionado.

Álvaro - Esteve muito discreto, como todos os seus colegas do meio campo. Não teve as iniciativas do costume, notou bastante a ausência do seu colega Beaud.

Cardoso - Apenas se notou que estava em campo, porque bate bem as bolas paradas. Esteve bastante ausente do jogo.

Carlos Santos - Faltou a Magia , do capitão. Encostado á direita, teve sempre poucas iniciativas atacantes. Não pôde contar com a ajuda de Calico porque este estava "preso" pelo Manu.

Filipe Figueiredo - Não fez aquilo a que estamos habituados. Jogou muito no miolo do ataque, e nunca vimos os seus fantásticos cruzamentos para a área. Esteve escondido o jogo todo entre os defesas centrais adversários.

José Bastos - O pior elogio que se pode fazer a este jogador é que não brilhou. Não teve ontem um colega á sua altura para poder brilhar. O meio campo não lhe fez chegar as bolas, e andou perdido na defesa adversária. Á imagem do que aconteceu em Arouca, onde foi expulso, reclama muito as decisões dos árbitros, e envolve-se muito com os defesas adversários. Tem de moderar o seu temperamento o Zé Bastos, porque a qualidade está lá.

José Pedro - Entrou no pior momento da equipa, e nunca foi capaz de inverter o sentido de jogo. Não trouxe nada de novo ao jogo academista.

Barra - Tem presença e boa estrutura física, uma técnica acima da média, mas perde-se em lances inconsequentes, pela mania que tem de fintar, fintar, e não passar a bola aos colegas. Foi chamado a atenção duas ou três vezes pelos colegas, em outras tantas jogadas em que perde a bola infantilmente. Tem de melhorar o aspecto colectivo, porque o futebol é um jogo de equipa.

Lopes - Entrou em campo, para puxar a equipa para a frente, mas restava pouco tempo de jogo, e a equipa estava recuada no terreno.
Ler Texto Completo

Neste dia

A 29 de Outubro de 1996, passaram 11 anos, o Sporting recebia em Alvalade o Metz para a 2ª mão da 2º eliminatória da Taça UEFA. Em França o Sporting tinha perdido por 2-0 e não consegui dar a volta à situação. Resultado final: 2-1.

Sporting: De Wilde; Gil Baiano, Marco Aurélio, Beto (Iordanov 45) e Pedrosa; Oceano (c) e Afonso Martins (Amunike 45); Hadji; Sá Pinto, Paulo Alves (Ouatara 45) e Dominguez. Treinador: Robert Waseige.


Metz: Letizi, Pierre, Song, Kastendeuch (c), Gaillot, Serredszum, Blanchard, Lang, Arpinon (Strasser 85), Traoré e Robert Pires (Terrier 89). Treinador : Joel Muller.

Golos : Arpinon 17 (0-1), Sá Pinto 67 (1-1), Sá Pinto 82 (2-1)

Outros resultados europeus da época 96/97:
Montpellier 1 Sporting 1
Sporting 1 Montpellier 0
Metz 2 Sporting 0


Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Neste dia

A 29 de Outubro de 1969, passaram 38 anos, o Sporting recebeu em Alvalade o Arsenal para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça das Cidades com Feira. Resultado final: 0-0.


Sporting: Damas; Pedro Gomes, Caló, José Carlos (c) e Hilário; José Morais (Celestino 45), Gonçalves e Peres; Nélson, Lourenço (Dani 67) e Marinho. Treinador: Fernando Vaz.

Arsenal: Barnet, Storey, Neill (c), Simpson, McNab, Court, Samuels, Graham, Robertson, Radford e Armstrong. Treinador: Bob Mee.

Outros resultados europeus da época 69/70:
Sporting 4 Linzer ASK 0
Linzer ASK 2 Sporting 2

Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Neste dia

A 29 de Outubro de 1958, passaram 49 anos, o Sporting recebia em Alvalade o Standard Liége para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça dos Campeões Europeus. Resultado final: 2-3.

Sporting: Octávio de Sá; Caldeira e Pacheco; David Júlio, Galaz e Fernando Mendes; Hugo, Caraballo, Ivson, Diego e Martins. Treinador: Enrique Fernandez.



Standard Liége: Nicolay, Happart, Thellin, Bolzée (c), Marnette, Mathonet, Piters, Houf, Mallants, Paeschen e Jadot. Treinador: Géza Kalocsay.

Golos: Paeschen 13 (0-1), Bolzée 23 p.b. (1-1), Jadot 69 (1-2), Mallants 70 (1-3), Fernando Mendes 80 (2-3).

Outros resultados europeus da época 58/59:
DOS Utrecht 3 Sporting 4
Sporting 2 DOS Utrecht 1
Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Força Vasquinho...




Quem ontem esteve atento á rádio de Viseu que acompanha o Académico, ficou a saber que o Sr.António Vasco Anjos de Almeida ( Vasquinho ), foi internado no hospital de Viseu, e o seu estado de saúde inspira alguns cuidados.
A Magia do futebol, aproveita este momento para prestar a devida homenagem ao "dono do Fontelo", como assim é conhecido.



Artigo retirado do Diário Regional de Viseu, em homenagem ao Vasquinho, aquando da sua retirada de funções:
«O "Vasquinho" vai deixar o Complexo do Fontelo. Dizer-se que não há ninguém insubstituível não é tão verdade assim. Há pessoas que pelo seu carisma, pela sua personalidade e o exemplo que transmitem no dia a dia, dificilmente têm alguém que as possam substituir, ainda mais quando é necessário contactar com crianças, adolescentes e adultos, coma mesma sensibilidade e disponibilidade. Em 1957 António Vasco Anjos de Almeida foi admitido pela Câmara Municipal de Viseu como vigilante da Mata do Fontelo, sendo-lhe entregue a função de vigiar, mais assiduamente, as estruturas desportivas de então. Desde o início que o "Vasquinho", como é carinhosamente tratado por todos os que utilizam o parque do Fontelo, seja ao nível de estruturas desportivas, seja ao nível do atendimento social e cultural, mostrou ser uma pessoa comunicativa e disposta a atender todos os que o procuravam, da mesma forma, mas sempre com a disponibilidade, para dar solução a algum problema que fosse necessário resolver. O Complexo Desportivo foi crescendo e exigindo novas responsabilidades, mas António Vasco soube sempre acompanhar essa evolução e arranjando também soluções para responder a todas as solicitações. Pela sua enorme capacidade de trabalho e responsabilidade, foi nomeado Encarregado Principal de toda aquela área desportiva que durante todos os dias da semana recebe centenas de desportistas para treinarem ou disputarem provas de competição. A procura acentua-se, e de que maneira, aos fins-de-semana, como é óbvio. Só que o "Vasquinho", apesar dos anos correrem muito rapidamente, soube integrar-se em pleno com as novas exigências. Dirigentes de clubes, treinadores, jogadores, atletas das várias modalidades ou, simplesmente jovens e adultos à procura de ocupar os seus tempos de lazer, encontraram sempre naquele homem um sorriso e a confiança de quem estava ali para os ajudar. Um homem que viveu muitas alegrias. Quem não se lembra dos tempos áureos do Académico de Viseu (CAF), principalmente quando chegou ao escalão maior do futebol português, e do Viseu e Benfica que chegou à 2.ª Divisão Nacional ?. «Foram tempos muito felizes para mim, principalmente, quando o Académico subiu à 1.ª Divisão. Mas também tive momentos de muita tristeza quando os clubes que utilizavam o Fontelo, perdiam e desciam de Divisão», lembra António Vasco. Foi necessária muita paciência, muito trabalho e, principalmente, muita capacidade de organização para que as necessidades de todos fossem mínimas. É evidente que só não aceitava as recomendações e as chamadas de atenção do "Vasquinho" quem não gostava de salvar o ambiente e era avesso à organização. Se calhar por isso, ainda havia quem não gostasse dele. «Como em tudo na vida, não se pode agradar a toda a gente, mas tenho a consciência de que nunca discriminei ninguém no meu trabalho», diz quem sente que cumpriu o seu dever com humildade e respeito e que, por isso, granjeou a amizade de todos os viseenses e não só. «Felizmente passou por aqui gente muito importante, ligada a grandes clubes e organizações culturais e sociais, que ainda hoje, quando vêm a Viseu, me procuram para me cumprimentarem», diz com orgulho, o "Vasquinho", que muita gente o considerava em termos de comparação, com alguma graça, e também muito carinho, "o governador civil do Fontelo", tendo em conta que tinha sempre à mão a forma de solucionar este ou aquele problema.«Os outros não têm culpa das nossas indisposições» Mas o homem que durante quase meio século esteve ao serviço do Fontelo e que mostrou sempre boa disposição porque «a vida são dois dias e há que levá-la a rir e com alegria e mesmo que às vezes as coisas não nos corram de feição, não podemos explodir as nossas indisposições em cima de quem não tem culpa nenhuma», reitera. Não tem dúvidas em dizer que «se não fossem os outros trabalhadores que ali prestaram e prestam serviço para a comunidade que procura o Complexo Desportivo e a Mata do Fontelo, não era possível fazer o que fiz». Deste modo, António Vasco Anjos, deixa o agradecimento público: - «Na hora da minha despedida quero agradecer a todos os que me ajudaram na manutenção e na organização do serviço no Fontelo, desejando-lhes as maiores felicidades no futuro e que, pelo menos, sejam felizes como eu sou, apesar de também ter tido os meus momentos maus, como toda a gente. Peço desculpa a todos aqueles a quem eu, eventualmente, não tenha correspondido por este ou aquele motivo, mas se aconteceu não foi com toda a certeza com falta de vontade, mas sim de eventuais meios».Demonstrando ainda uma jovialidade que chega a impressionar, e uma incrível boa disposição, o "Vasquinho" o homem que todos os dias fazia muitos km a "treinar" no Fontelo, percorrendo as estruturas desportivas, sempre em passo de corrida, é, neste momento, uma das figuras mais conhecidas no meio desportivo e social, não só em Viseu e região, mas também em muitos outros pontos do país. Tem muitas histórias, boas e menos boas, que protagonizou durante quase meio século no Fontelo, sendo, portanto, uma das "enciclopédias" vivas sobre os últimos cinquenta nos da Mata e do Complexo Desportivo viseense. Henriques Almeida vai substituí-lo. O "Vasquinho" vai fazer 70 anos dentro de pouco mais de três meses, mas aposentou-se antes (neste mês), o que quer dizer que não pretendeu sair de forma forçada pela idade, sabendo que terá de dar lugar a outros para continuarem a sua obra. Como já acima dissemos, arranjar outra pessoa como o "Vasquinho" será muito difícil, mas ao que conseguimos apurar, a pessoa que o vai substituir nas mesmas funções é Henrique Almeida, precisamente uma pessoa que tem um perfil, praticamente, igual. De facto, e porque houve sempre a preocupação dos responsáveis pela Câmara Municipal de conseguir um funcionário que estivesse à altura do António Vasco, dadas as responsabilidades exigidas para o cargo, indicou para assumir provisoriamente para já o lugar de Encarregado Henrique Almeida, o filho do "Vasquinho" que, diga-se, desde muito novo ajudou o pai nas tarefas da manutenção e de organização do Complexo Desportivo. Pessoalmente, podemos comprovar que o Complexo Desportivo do Fontelo continua a ter à frente um homem que conhece os "cantos à casa" e que demonstra inteligência suficiente para, da mesma forma, dar resposta às exigências de todos os que procuram um dos espaços mais concorridos da cidade. Foi, quanto a nós e enquanto não for deliberada a sua escolha ou não, uma decisão acertada. O crescimento e a renovação de estruturas desportivas do Complexo Desportivo, não se compadece com ter alguém à frente que não conheça bem o chão que pisa. Henrique Almeida sabe onde põe os pés e tem personalidade adequada para atender todo o tipo de pessoas que demandam aquele espaço e que diferem, como se sabe, em termos de sensibilidade. Tem, também, a consciência de que terá de fazer tudo para preservar, como o seu antecessor, o maior pulmão da cidade e também o melhor espaço para o desporto e o lazer. »
Ler Texto Completo

8ª Jornada da 3ª divisão série C

Uniao Lamas 1 1 Arouca
Ginasio Figueirense 5 0 Dragoes Sandinenses
Tocha 1 0 Oliveira Hospital
SJ Ver 1 2 Sanjoanense
Milheiroense 1 1 Tondela
Academico Viseu 1 1 Lamas
Valonguense 1 0 Valecambrense
Ler Texto Completo

Deu empate

Académico de Viseu: Manuel Fernandes, Calico, Negrete, Marcos, Mégane, Beaud (Zé Pedro 57), Álvaro, Cardoso (Lopes 81),Carlos Santos (André Barra 63), Filipe Figueiredo e Zé Bastos. Treinador: Idalino de Almeida.



Social de Lamas: Careca, Xinoca, Pedro, Telmo, Hugo (Oceano 89), Celso, Manu, Pedro´s (Meireles 81), Jusko, João Pedro e Nando (Zé Carlos 56). Treinador: Zé Tó.

Cartões amarelos: Cardoso, Álvaro, Zé Pedro, Negrete e Zé Bastos (Académico de Viseu); Nando (Social de Lamas)

Golos: Marcos 37 (1-0), Manu 69 (1-1)
Era um jogo do qual as expectativas estavam elevadas porque se encontravam o Lider Social de Lamas com 14 pontos e o Ac. de Viseu no grupo dos segundos classificados com 13 pontos.
O Académico de Viseu começou muito bem o jogo, dominando os primeiros minutos, com excelentes jogadas de entendimento na zona do meio campo. Sem Eduardo de fora por lesão, o treinador academista apostou em Santos para a equipa inicial, mantendo a a mesma estrutura táctica que permitiu a vitória em Vale de Cambra.
Aos 39m surge com naturalidade o primeiro golo da partida, canto do lado direito do ataque academista, depois de alguma confusão a bola chega á cabeça de Marcos que cabeceia para o fundo da baliza, colocando alguma justiça no resultado em face do domínio academista. Logo a seguir acontece o lance que marca o jogo: A lesão de Beaud.
Beaud cai no chão tocado por uma entrada feia de um adversário, e volta ao jogo em inferioridade fisica, estávamos perto do intervalo.
O Social de Lamas começa a pressionar nos últimos minutos da 1ª parte, valendo a atenção de Manuel Fernandes.
O Académico surge na segunda parte com o mesmo onze inicial, com Beaud claramente a "puxar" pela perna, sem conseguir disputar os lances nas condições físicas ideais.
Entretanto o Social de Lamas surge na segunda parte com vontade de inverter o resultado, e anula por completo um meio campo do Académico, que nesta altura ainda contava com um elemento a menos.
Cerca dos dez minutos da segunda parte, Beaud pede "encarecidamente" ao treinador para o substituir, mas permanece ainda mais uns minutos em campo com alguns atletas do Académico, prontinhos para entrar.
O Social de Lamas já merece o empate, porque encostou o Académico ás cordas e está a vulgarizar a equipa da casa. Adivinhava-se o golo...
O ridículo acontece, numa bola lançada para fora, Beaud deita-se ao chão como pedindo a Deus para o fazer descansar. O Banco acordou, e finalmente aos 15m da 2ª parte, lança Zé Pedro para o lugar de Bead. O Académico esteve 20m privado de um elemento que ficou em campo a agravar a lesão.
Entra Barra para o lugar de Carlos Santos que teve um jogo muito apagado, esteve sempre muito encostado á linha do lado direito, e nunca teve o auxilio de nenhum colega.
O Académico mesmo depois das substituições, perdeu completamente o meio campo, e o Social de Lamas troca a bola a seu belo prazer, tem uma excelente equipa, com alguns jogadores, que já vestiram a camisola academista.
Perto da meia hora de jogo da segunda parte, Manu, surge no lado esq. do ataque do Lamas e faz um centro remate, que Manuel Fernandes não conseguiu defender. Um grande golo do excelente extremo lamecense.
O Académico esboçou uma pequena reacção, mas o meio campo hoje estava "encravado".
Idalino lança Lopes para os últimos minutos do encontro em troca com Cardoso, com o intuito de segurar o meio campo adversário que está cada vez mais perigoso.
O Social de Lamas dispõe nos últimos minutos do encontro de duas excelentes oportunidades de se adiantar no marcador, uma na cobrança de um livre directo superiormente executado por Manu, que leva a bola a esbarrar com estrondo na barra, e outro remate de fora da área onde valeu a excelente defesa, mais uma, de Manuel Fernandes.
O empate aceita-se pelo que o Académico fez na 1ª parte, e pelo excelente desempenho do Social de Lamas na segunda parte.
A haver um vencedor, seria concerteza a equipa de Castro Daire, pela ousadia que colocou em campo e pelas excelentes oportunidades de marcar.



A Rever...


Os jogadores do AVFC, continuam sem saber qual é a sensação de entrar em campo ao som do hino "Viseu Senhora da Beira".
Vamos ver quanto tempo vai parar Beaud, uma vez que no final do jogo, saiu para os balneários apoiado no massagista.
Já não é a primeira vez que falo da falta de macas e bombeiros no estádio do Fontelo. Já no final do jogo há a lesão de um jogador forasteiro, e tiveram de ser os colegas a transportá-lo para fora do relvado. Indecente...
Ler Texto Completo

Quo Vadis, Sporting?

Há cerca de um ano atrás, um famoso vendedor de relógios madeirense, que por sinal também é advogado, proferia a seguinte expressão: " O Nacional luta pelos mesmos objectivos que o Sporting". E não é que ele devia ter dito isto ontem, que hoje todos acreditariam?
Pois é verdade, a equipa leonina, deu hoje uma péssima imagem de uma equipa de futebol. Aprendi que é fácil fazer um grupo de pessoas, mas não é fácil transformar esse mesmo grupo, em equipa. Numa equipa todos lutam para atingir um ou vários objectivos, sem nunca virar a cara ás adversidades.
Paulo Bento, fez algumas alterações em relação ao jogo de Roma, entrou Marian Had, para a esquerda da defesa, e Stojkovic, voltou á baliza. O Sporting, fez uma primeira parte desastrosa, sem qualquer ligação entre a defesa e o desacompanhado Liedson. Está confirmado que Paulo Bento não confia em Gladstone, e quem sofre é o meio campo leonino, que se vê órfão da sua pedra fundamental, Miguel Veloso. Moutinho, Vukcevic, e Izmailov, não se viram, e Romagnoli, não esteve nos seus dias, não esboçando sequer um ar da sua graça. Na frente, continuamos a ver um esforçado Liedson, e um Yannick completamente desintegrado, e trapalhão.
Na segunda parte o Sporting, ainda esboçou uma reacção, mas tímida e sem grandes consequências, restava esperar que a equipa tivesse capacidade para segurar o empate.
em todo o jogo o Sporting teve apenas quatro oportunidades de marcar: Yannick a cabecear para a baliza com excelente defesa do guardião do Nacional quase ao terminar a primeira parte, Liedson na área adversária a deixar "pregado" um defesa e a rematar ás malhas laterais, um excelente remate de fora da área de Abel para nova excelente defesa de Benaglio, e no ultimo lance do encontro excelente remate de fora da área desta vez por Moutinho, a fazer brilhar Benaglio novamente.
Resultado justo, num mau jogo de futebol.
Boa arbitragem.

Estádio da Madeira, na Choupana
Árbitro: Lucílio Baptista (AF Setúbal)
NACIONAL – Diego; Patacas, Ávalos, Ricardo Fernandes e Igor Pita; Cléber, Bruno Amaro, Juninho e Fellype Gabriel (Edu Sales, 80 m); Cássio (Rodrigo, 67 m) e Lipatin (José Vítor, 76 m).

SPORTING – Stojkovic; Abel, Tonel, Miguel Veloso e Marian Had (Ronny, 46 m); Izmailov (Purovic, 67 m), João Moutinho, Vukcevic (Pereirinha, 67 m) e Romagnoli; Liedson e Yannick.

Cartão amarelo a Patacas e Vukcevic.

Para refletir...

O Sporting está a viver um momento conturbado, e sem fim á vista.
A equipa que levou a decisão do Campeonato passado até ao ultimo minuto, foi desmantelada com o final da temporada. A coesão defensiva perdeu os seus pilares base: Ricardo, Caneira e Tello. Os reforços contratados para estas posições ainda não mostraram ser alternativas( Had, Gladstone), Miguel Veloso joga quanto baste, e ainda não demonstrou um terço do que o tornou o ano passado um valor seguro do nosso futebol. Dizem as más línguas que está a ser difícil conviver com o mundo da moda, com as pseudo namoradas, e com as capas das revistas côr de rosa.
Moutinho e Yannick, tardam em aparecer, Izmailov, e Vukcevic, ainda não convencem, nem nunca vão fazer esquecer Nani.

Derlei era a esperança de mudança no ataque leonino, mas á semelhança de Pedro Silva, têm lesões de prolongada recuperação.
Purovic, está a anos luz de Alecsandro, e consegue ser menos influente que Carlos Bueno.

O Futuro é já amanhã...

Quarta feira o Sporting começa um novo ciclo bastante complicado: desloca-se a Fátima onde só uma vitória por dois golos de diferença carimba a passagem á próxima eliminatória da estreante Taça da Liga. Depois tem mais uma jornada da 1ªLiga, e dia 7 de Novembro decide em casa frente á Roma, o seu futuro na Liga dos Campeões, onde só a vitória interessa para conseguir seguir em frente nesta competição. Em ultimo caso resta a luta pela taça UEFA.
Todas estas situações darão que pensar aos dirigentes leoninos, e dependerá desses resultados a ida ao mercado em Dezembro/Janeiro, na tentativa de equilibrar o plantel.
Felipe Soares Franco, veio hoje negar a possibilidade de negociar o passe de Miguel Veloso antes do fim da temporada, o que de certa forma deixa mais descansado Paulo Bento, mas o Sporting tem de ambicionar mais... Está na altura de segurar as pérolas da formação, porque os adeptos estão fartos de ver Futres, Figos, Sabrosas, Ronaldos, e Nanis, brilharem com outras camisolas.
Os adeptos estão fartos de ver as camisolas que gostam, a desiludir nos nossos campos de futebol.
Ler Texto Completo

Stojkovic garante um ponto

Stojkovic -3- se é verdade que o Sporting esteve à beira da vitória com os remates finais não é menos verdade que foi o guarda-redes que impediu que o Nacional se adiantasse no marcador com uma defesa assombrosa. Tudo o que fez fê-lo bem e é por isso o melhor do Sporting. Ainda vai calar muita boa gente.
Abel –3- bem a defender tentou com um remate de longe fazer golo mas não conseguiu.

Tonel -3- a defesa é a menos culpada do sucedido e a defender esteve bem.

Miguel Veloso -3- a central, por teimosia de Paulo Bento, não comprometeu mas a equipa subiu de produção quando passou para meio campo. Era tarde para toda a gente menos para Paulo Bento.

Had -2- um dia Paulo Bento há-de lhe dar uma oportunidade a sério. Não era por ele que o Sporting estava a jogar mal e Paulo Bento queimou uma substituição.

João Moutinho -3- ele não sabe jogar mal mas a trinco apenas desenrasca. Subiu de produção nos últimos minutos e quase marcava.

Izmailov -1- uma nulidade no jogo de hoje.

Vukcevic -1- outra nulidade no jogo no jogo de hoje.

Romagnoli -2- deixou-se embrenhar na monotonia.

Yannick -3- por vezes mais pareceu um central mas rematou duas vezes para grandes intervenções de Benaglio coisa que Liedson não fez.

Liedson -2- já na parte final teve uma grande intervenção mas depois atirou ao lado. Muito pouco.

Ronny -2- mais interventivo que Had mas o Sporting não melhorou por aí além.

Pereirinha -1- pouco tempo em campo.

Purovic -1- ainda fez um remate.
Ler Texto Completo

Antevisão da 8ª jornada


Académico de Viseu – Social Lamas: é o jogo grande da jornada. A equipa da casa apenas voltará a jogar fora do distrito de Viseu em Dezembro e apesar de não perder desde a 2ª jornada começa aqui um ciclo difícil onde terá que enfrentar – além do Lamas – o Tondela, Sanjoanense e Oliveira do Hospital, ou seja, tudo equipas que estão nos lugares cimeiros da tabela classificativa. Se é verdade que os academistas estão a crescer - são os números que o dizem – o Social Lamas parece estar a perder gás e não tem muitas saudades da sua última saída de casa pois foi goleado em São João de Ver. É um dérbi e nos dérbis não há favoritos. Será que o Académico vai entrar em campo ao som do “Viseu Senhora da Beira”?

Milheironse – Tondela: não terá tarefa fácil o Tondela uma vez que em Milheirós de Poiares está uma equipa que ainda não perdeu em casa conseguindo mesmo uma reviravolta épica -0-3,3-3-, frente ao Académico de Viseu. No entanto os tondelenses chegam a este jogo com a moral elevada, fruto da goleada imposta frente ao São João de Ver, até porque já não perdem há 3 jogos e a liderança está ali mesmo “à mão de semear”. Nas duas últimas épocas o Tondela venceu sempre no terreno do seu adversário – 1-3 e 0-1 respectivamente.

São João de Ver – Sanjoanense: que São João de Ver é este que é capaz de golear o líder em casa (4-0) e logo de seguida é goleado pelo Tondela (6-0)? Parece inegável que há dois tipos de SJV: em casa é intratável e fora é cordeirinho. A Sanjoanense é a única equipa do campeonato que ainda não perdeu e fora de portas tem mais pontos conquistados do que em casa. Dará empate? Na época passada venceram os da casa (3-1)

União de Lamas – Arouca: depois de um péssimo início de época o Arouca vem de duas vitórias consecutivas e parece em ascensão. O União de Lamas em casa já conheceu todos os resultados possíveis – empapou com o Valecambrense, venceu o Tondela e perdeu com o Oliveira do Hospital. Será o factor casa decisivo, ou Arouca está mesmo a crescer?

Tocha – Oliveira do Hospital: este é o dérbi coimbrão da Série C da III Divisão. Olhando apenas e só para a tabela classificativa dar-se-á o favoritismo à equipa de Oliveira do Hospital mas convém recordar que o Tocha ainda não perdeu em casa. Por sua vez, o Oliveira do Hospital, fora de casa já conheceu todos os resultados possíveis (1v,1e,1d). Na época passada, na Tocha, venceu o Oliveira do Hospital (1-2)

Valonguense – Valecambrense: depois de duas derrotas consecutivas fora do seu terreno – as primeiras da época – o Valonguense regressa aos seus aposentos local onde costuma ser intratável. O adversário aparentemente não parece ser capaz de contrariar o favoritismo dos da casa, até porque ainda não venceu neste campeonato mas todos sabemos que a lógica tem sido uma batata neste início de época. Na época de 2005/2006 para esta mesma competição estas equipas empataram 0-0 e fizeram o mesmo na época passada, desta vez 1-1.

Ginásio Figueirense – Dragões Sandinenses: a equipa forasteira andará de derrota em derrota até quando? O facto de a equipa de Sandim acumular derrotas atrás de derrotas quererá dizer que a vitória da equipa de Figueira de Castelo Rodrigo é mais do que certa? O quem é certo é que a equipa da casa tem aqui uma grande oportunidade de vencer pela primeira vez em casa e de regressar às vitórias pois a última vez que o conseguiu foi ainda em Agosto no Estádio do Fontelo frente ao Académico de Viseu.
Ler Texto Completo

Recordar o CAF.

Alguém se lembra do nome destes ex-atletas do Clube Académico de Futebol ?

Cima: Dirigente Marques, Moita, Telechea, Xico, Eurico, P. Gomes e Monteiro.
Baixo: Zé Miguel, Pipa, Helder, Póvoas e Zeca Tavares

E do Fontelo super lotado ?

A Magia do Futebol, desvenda estas e muito mais novidades, brevemente no site Recordar o Caf.

Ler Texto Completo

O Nacional Sporting da época passada


Nacional (4x4x2): Benaglio; Patacas (c), Cardozo, Ávalos e Alonso; Cléber, Chainho (Luciano 65), Juliano e Bruno (Chilikov 45); Rodrigo e Cássio (Bruno Amaro 45). Treinador: Carlos Brito.



Sporting (4x4x2): Ricardo (c); Miguel Garcia, Tonel, Polga e Ronny; Miguel Veloso, João Moutinho (João Alves 90+2), Nani e Romagnoli (Tello 62); Bueno (Alecsandro 70) e Liedson. Treinador: Paulo Bento.

Cartões amarelos: Bruno, Cássio e Juliano (Macional) Romagnoli, João Moutinho, Ronny, Miguel Garcia, Liedson e Miguel Veloso (Sporting)

Cartões vermelhos: Cardozo por acumulação aos 84 minutos.

Golo: Nani 11 (0-1)



O Sporting deslocou-se à Madeira na época passada para defrontar o Nacional a 9 de Setembro de 2006 em jogo a contar para a 2ª jornada da Liga Bwin 06/07 e veio de lá com uma vitória (0-1).
Foi um jogo muito equilibrado: o Sporting efectuou 14 remates (8+6) mais dois que o Nacional (6+6), teve 4 cantos (3+1) contra 3 dos visitados (1+2), foi apanhado 7 vezes em fora de jogo (3+4) – o Nacional neste aspecto teve zero -, e cometeu mais faltas 18 (9+9) contra 14 (6+8).
Paulo Bento no final considerou o triunfo como justo, apesar de ter sido uma vitória muito sofrida, apontado como falhas no jogo leonino o facto de não simplificarem as transições defesa/ataque. Por sua vez Carlos Brito – hoje no Leixões- lamentou o resultado negativo, salientando que na primeira parte as coisas tinha sido muito equilibradas mas que na segunda parte o Sporting podia ter feito mais um ou outro golo. Sobre o lance que deu o golo ao Sporting – possível falta no centro do campo – apesar de dizer que continua com impressão positiva sobre Paulo Paraty disse também que o seu erro influenciou o desenrolar do jogo.
Nos jornais: O Jogo mostrava uma foto de Nani – a preparar o mortal – e tinha como título “Nani matou o Borrego”. O Record também mostrava o marcador do golo e dizia “Nani está na moda” salientando que o seu golo, de chapéu, quebrou o enguiço leonino na Choupana.

Ligações:
Crónica da Magia
Análise individual (Moutinho o melhor)
Vídeo do golo

Ler Texto Completo

Neste dia

A 26 de Outubro de 1988, já lá vão 19 anos, o Sporting recebia em Alvalade a Real Sociedad para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça UEFA. Resultado final: 1-2.


Sporting: Damas; João Luís, Morato (c), Venâncio e Mário Jorge; Oceano, Silas, Carlos Manuel e Litos (Maside 62); Paulinho Cascavel (Eskilson 72) e Forbs. Treinador: Pedro Rocha.

Real Sociedad: Arconada (c), Larrañaga, Gorriz, Gajate, Zuñiga, Bakero, Bengoechea, Iturriño, Zamora, Goicoechea (Mujika 74) e Loren (Fuentes 85). Treinador: John Toschak

Golos: Iturriño 17 (0-1), Paulinho Cascavel 30 g.p. (1-1), Loren 50 (1-2)

Outros resultados europeus da época 88/89:
Sporting 4 Ajax 2
Ajax 1 Sporting 2
Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Recordações.

A Magia do Futebol, tem vindo a fazer a rubrica "Neste Dia", que recorda a história do Sporting nas competições europeias. Fui ao "baú das recordações" e trouxe de lá memórias que guardei desses dias.

No post "Neste Dia" temos toda a história do jogo, e o comentário que fiz. Apenas me equivoquei no resultado em Itália porque se fosse verdade que o Sporting tivesse empatado esse jogo a 1 bola, não haveria lugar a desempate por grandes penalidades. Mas não me enganei quando disse que o meu pai fez um grande sacrifício financeiro para assistirmos ao jogo. Não foi fácil pagar em 1989, 7.600 escudos por dois bilhetes, para ver um jogo de futebol, mas valeu a pena. Vi Maradona a jogar ao vivo.

Em 9 de Agosto de 2000, marquei presença no jogo de apresentação da equipa do Sporting aos seus adeptos, frente ao poderosíssimo, Real Madrid. O resultado foi 2-1 a favor da equipa leonina. Um mês depois, neste jogo, o Real Madrid conseguiu empatar , desta vez para a antiga Liga dos Campeões.

Em 10 de Agosto de 1993, o Sporting fazia a sua apresentação em Alvalade, desta vez frente ao Ajax de Amesterdão, em que o resultado foi de 2-0 favorável ao Sporting. Este bilhete foi oferecido por um amigo o Sr. Carlos, funcionário do Sporting Clube de Portugal.
Ler Texto Completo

Golão do "mágico"

Já lá vão uns dias desde a vitória do Académico de Viseu em Arouca. O Pedro Simões esteve lá em "serviço" para A MAGIA DO FUTEBOL e como se devem lembrar fez um excelente trabalho que foi elogiado por quem nos visita. O que provavelmente não sabe é que ele filmou o golo academista!

Ler Texto Completo

Palavras dos outros IX

Achar que este sueco não tem qualidade é a melhor ilustração possível da falta de inteligência de quem fala de futebol. O mais parvo é que, embora não hesitem em falar mal dele, se lhes perguntarem que atributos maus tem ele para que não seja bom jogador, não sabem responder. Não é um jogador de choque; não é agressivo; o seu futebol não tem muita intensidade. Tudo isto é verdade. Mas nada disto é importante. Quase não falha um passe. E muitos deles verticais. Compensa defensivamente como poucos; é inteligentíssimo a posicionar-se; circula a bola com toda a segurança do mundo. A qualidade de passe é excelente; as opções, as melhores em cada lance. Dá à equipa um equilíbrio inigualável, gere os ritmos como mais ninguém, mas como não arrisca no um para um, como não faz passes a rasgar, como não disputa os lances como um rapaz esfomeado, acham que ele é mau. Esquecem-se, contudo, que em muitas fases de construção, é muito melhor ter jogadores que passam curto, que são discretos mas cumpridores, etc. Na primeira fase de construção, aquela que lhe compete, é excelente. Não perceber isto não é só estúpido; é criminoso.

Fonte:
Blogue: Entre 10.
Post: Os mal amados

Foto: UEFA.COM

Ler Texto Completo

Neste dia

A 24 de Outubro de 2000, passaram 7 anos, o Sporting deslocou-se a Madrid para defrontar o Real para a 5ª jornada da Liga dos Campeões. Resultado final: 4-0.

Real Madrid: César, Geremi, Helguera, Ivan Campo (c), Roberto Carlos (Solari 68), Celades, Makelele, Figo (McManaman 51), Munitis (Morientes 60), Guti e Sávio. Treinador: Vicente Del Bosque


Sporting: Nélson; César Prates, Beto (c), André Cruz e Dimas; Hugo (Pedro Barbosa 70), Delfim (Bino 45) e Mpenza; João Pinto, Mahon (Acosta 45) e Sá Pinto: Treinador: Augusto Inácio.

Golos: Guti 11 (1-0), Sávio 41 (2-0), Morientes 61 (3-0), Morientes 69 (4-0)

Outros resultados europeus da época 00/01:
Sporting 2 Real Madrid 2
Bayer Leverkusen 3 Sporting 2
Spartak 3 Sporting 1
Sporting 0 Spartak 3



Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Retorno das Camadas jovens

Este é o retorno das Camadas ao nosso blog. A partir desta semana teremos sempre as novidades do nosso futuro em termos clubísticos.

Os Juniores do Académico deslocaram-se ao terreno do Sanjoanense, equipa que se mantinha até ao momento invicta e tudo fez para ser a primeira a tirar-lhe pontos. Todavia alguns erros defensivos, bem como de erros da arbitragem levaram que a sua melhor exibição não fosse premiada com a obtenção de pontos. Foi de forma inglória que este grupo regressou a terras de Viriato com uma derrota por 3-1, resultado esse que não mostra aquilo que este grupo jogou.

Os Iniciados deslocaram-se a terras de Anadia e conseguiram uma brilhante vitória que os catapulta para lugar cimeiros. O Académico dominou por completo a partida e foi avolumando a sua vantagem até ao carimbo final de 3-0 a seu favor.

Finalmente, os miúdos infantis do Académico defrontaram o Estrela de Mondego e pondo em prática os ensinamentos dos treinos, mais não fizeram que aproveitar a maioria das oportunidades que foram criando e desta forma carimbaram um resultado dilatado de 26-0 que mostra a diferença notória entre as duas equipas. Com este resultado estes jovens continuam no primeiro posto da sua série.
Ler Texto Completo

Neste dia

A 24 de Outubro de 1990, passaram 17 anos, o Sporting recebeu em Alvalade o Timisoara da Roménia para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça UEFA. Resultado final: 7-0.

Sporting: Ivkovic; Carlos Xavier, Luisinho, Venâncio (c) (Bozinoski 78) e Leal; Litos, Oceano, Careca e Filipe; Fernando Gomes e Cadete (Lima 78). Treinador: Marinho Peres.

Timisoara: Jipa, Graciu (c), Andreas, Lonut, Stoicov, Barbosu, Bungau, Rosenblum (Olosutean 49), Vlaicu, Timofte e Popesu (Varga 49). Treinador: Constantin Radulescu.

Golos: Cadete 32 (1-0), Fernando Gomes 36 (2-0), Cadete 49 (3-0), Fernando Gomes 60 (4-0), Cadete 63 (5-0), Careca 78 (6-0), Bozinoski 89 (7-0).

Outros resultados europeus da época 90/91:
Sporting 1 Malines 0
Malines 2 Sporting 2
Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Neste dia

A 24 de Outubro de 1984, foi há 23 anos, o Sporting recebeu em Alvalade o Dínamo Minsk para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça UEFA. Resultado final: 2-0.


Sporting: Damas; Zezinho, Carlos Xavier, Oceano, Venâncio e Mário Jorge; Lito (Litos 71), Jaime Pacheco e Sousa; Manuel Fernandes (c) e Jordão (Eldon 61). Treinador: John Toschak


Dínamo Minsk: Jekiu, Borovski (c), Yanuchevski, Trukhan, Chinchkin, Gotsmanov, Zigmanov (Metilinski 78), Aleinikov, Rumbutis (Chalino 64), Sokol e Konchatiev. Treinador: Veniamin Arzamastev.

Golos: Borovski 46 p.b. (1-0), Manuel Fernandes 89 (2-0)

Outros resultados europeus da época 84/85:
Sporting 2 Auxerre 0
Auxerre 2 Sporting 2

Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Neste dia

A 24 de Outubro de Outubro de 1979, passaram 28 anos, o Sporting recebeu em Alvalade os alemães do Kaiserlautern para a 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça UEFA. Resultado final: 1-1.

Sporting: Fidalgo; Meneses, Barão (Freire 61), Bastos e Inácio; Eurico, Marinho (Helinho 69) e Ademar; Manuel Fernandes (c), Manoel e Jordão. Treinador: Rodrigues Dias.

Kaiserlautern: Hellstrom, Neues (c), W. Wolf, Briegl, Groh, Melzer, Geye, Bongartz, Pirrung (A. Wolf 84), Kawinke (Schwarz 84) e Wendt. Treinador: Karl-Heins Feldkampf.

Golos: Manoel 48 (1-0), Bongartz 56 (1-1)

Outros resultados europeus da época 79/80:
Sporting 2 Bohemians 0
Bohemians 0 Sporting 0

Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Neste dia

A 24 de Outubro de 1973, passaram 34 anos, o Sporting deslocou-se a Inglaterra para defrontar o Sunderland para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça das Taças. Resultado final: 2-1.

Sunderland: Montgomery; Malone, Watson, Young, Bolton, Horswill, Kerr (c), Poterfield, Hughes, Halorn e Tueart. Treinador: Bobby Storkoe.


Sporting: Damas (c); Manaca, Laranjeira, Alhinho e Carlos Pereira; Fraguito, Vagner e Nélson; Chico Faria, Yazalde e Nando (Tomé 72). Treinador: Mário Lino.

Golos: Kerr 32 (1-0), Horswill 62 (2-0), Yazalde 85 (2-1).

Outros resultados europeus da época 73/74:
Cardiff 0 Sporting 0
Sporting 2 Cardiff 1

FONTE: 50 ANOS A RUGIR NA EUROPA (PRIME BOOKS)
Ler Texto Completo

Neste dia

A 24 de Outubro de 1962, passaram 45 anos, o Sporting recebeu em Alvalade o Dundee (Escócia) para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça dos campeões Europeus. Resultado final: 1-0.


Sporting: Carvalho; José Carlos e Hilário (c); Péridis, Lúcio e David Júlio, Hugo, Osvaldo Silva, Mascarenhas, Geo e João Morais. Treinador: Juca.

Dundee: Slater, Hamilton, Cox (c), Seith, Ure, Wishart, Smith, Penman, Cousin, Gilzean e Houston. Treinador: BOB Shankly.

Golos: Geo 89 (1-0)

Outros resultados europeus da época 62/63:

Shelbourne 0 Sporting 2
Sporting 5 Shelbourne 1

Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo

Órfãos de Polga


Roma 2 Sporting 1: Se há coisa de que os sportinguistas se podem orgulhar desde que Paulo Bento entrou no clube, fez hoje dois anos em que se estreou num jogo pelos leões, é que o Sporting joga sempre da mesma forma seja em Roma ou frente ao Pinhalnovense, ou seja, é uma equipa personalizada e que sabe o que quer, longe vão os tempos em que a equipa ia jogar no terreno dos grandes colossos do futebol e tremia como “varas verdes” e não raras vezes saí de lá não só vergados a derrota como também por exibições pouco honrosas.
A lesão de Polga vem colocar a nu as deficiências do plantel. A verdade é que depois de uma pré-época em que Gladstone mostrou aptidões para central, ainda que errada era essa a minha convicção, nas duas vezes que foi chamado o brasileiro fez de tudo para que Paulo Bento não voltasse a confiar nele. Resultado: foi “obrigado” a recuar Veloso e a entregar o lugar do jogador/modelo ao capitão, mas como já o disse nem assim o Sporting perdeu identidade.
No entanto o Sporting de hoje voltou à fase do quase. Sofreu o golo cedo e rapidamente respondeu. Depois na segunda parte começou por mandar no jogo, colocou o Roma em sentido mas faltou sempre o “clique”, ou o quase, que pudesse desequilibrar o jogo a favor do Sporting. E depois lá veio o golo: numa defesa órfã de Polga, e por consequência a equipa, que foi acumulando muitos erros teria mesmo que ser de um erro, Abel assumiu a “culpa”, o nascimento do golo da vitória – justa diga-se - dos romanos.
Com a derrota do Dinamo de Kiev, em casa frente ao Manchester United, o Sporting ao não pontuar perdeu a oportunidade de quiçá garantir desde já a presença na Taça UEFA. Quanto à presença na fase seguinte da Liga dos Campeões a derrota de hoje complica as contas – perder nunca é bom - mas não as hipoteca pelo que os próximos capítulos seguem dentro de momentos.

Foto: Reuters
Ler Texto Completo

Romagnoli: Suficiente+

ROMAGNOLI – 3- Excelente a combinação com Abel no lance que o lateral leonino levou até à cabeça do levezinho. Esse lance foi o espelho de todo o jogo do argentino, o suficiente para o poder considerar como o melhor do Sporting no jogo de hoje. Foi uma exibição suficiente+, só foi pena não ter tirado mais “coelhos da cartola”.
Tiago -3- A sua saída dos postes no 1º golo adversário é inadmissível numa Liga dos Campeões. Limpou a imagem ao defender a grande penalidade.

Abel -2- A maneira como foi “papado” no lance do segundo golo spfrido arruinou-lhe tudo de bom que tinha feito na primeira parte.

Tonel -2- nota negativa também devido ao segundo golo: em vez da “dar” a linha do fundo ao italiano deu-lhe o meio e foi fatal.


Miguel Veloso -3- faz mais falta ao Sporting como médio defensivo. Tentou ele próprio pegar na bola e levar o Sporting para a frente.

Ronny -2- fechou ao meio mas mal e nem as bolas paradas lhe saíram bem.

João Moutinho -3- o capitão trabalhou sempre muito e foi importante no jogo dos leões. Se houvesse mais “Moutinhos”….

Vukcevic -2- Exibição poço conseguida do montenegrino que começa a ser conhecido como o jogador que só jogam bem quando entra como suplente.

Izmailov -3- mais em jogo do que Simon mas também ele não foi capaz do “clique”.

Liedson -3- Um golo à Liedson. Como foi só primeiro pode ser que agora os outros venham atrás.

Yannick -2- Longe dos assobios de Alvalade e longe das boas exibições.

Paredes -1- Coincidência, ou não, o Sporting praticamente desapareceu depois da sua entrada.

Celsinho -1- A entrada de Celsinho veio mostrar que atacar com muitos não é sinónimo de atacar bem.

Purovic -1- Amorteceu uma bola para um remate de Liedson
Ler Texto Completo

Versões

Ainda sobre o Valecambrense 1 Académico de Viseu 2 fique com as versões "oficias": a deles e a nossa. Na nossa versão destaque para uma foto "mágica".
Ler Texto Completo

Neste dia

A 23 de Outubro de 1985, passaram 22 anos, o Sporting deslocou-se à Albânia para defrontar o Dínamo de Tirana para a 1ª mão da 2ª eliminatória da Taça UEFA. Resultado final: 0-0.

Dínamo de Tirana: Luarabi, Stafa, Ndren, Targay (c), Kuji, Canay, Imami, Marko, Demollari, Abazi e Villa (Topcin 30). Treinador: Fatmir Frashéri.


Sporting: Damas; Gabriel, Morato, Venâncio e Fernando Mendes; Litos (Oceano 67), Jaime Pacheco, Sousa e Mário Jorge; Manuel Fernandes (c) e Jordão (Saucedo 67). Treinador: Manuel José

Outros resultados europeus da época 85/86:
Sporting 3 Feyenoord 1
Feyenoord 2 Sporting 1


Fonte: 50 anos a rugir na Europa (Prime Books)
Ler Texto Completo