"Primeiro é preciso estabilizar o clube"

Nome: Augusto Miguel Cardoso Rodrigues
Data de nascimento: 11 de Fevereiro de 1974
Local de nascimento: Santa Maria - Viseu
Altura: 1.90
Peso: 90
Posição: guarda-redes
Ídolo: Victor Baía
Clube de futebol: Benfica
Morada: Viseu



Depois de algumas épocas voltaste ao Académico de Viseu. Quando saíste a realidade era CAF quando voltaste era AVFC. É o mesmo clube ou são clubes diferentes? Que diferenças encontraste?
Claro que existem diferenças, mas o que sinto é que continua a ser o Clube de todos os Viseense e de todos os Beirões.

Ainda te lembras do teu primeiro jogo pelo CAF? Quem era o treinador?
O primeiro jogo como sénior foi em Portimão, no ano em que o Académico subiu à Segunda Liga, foi um jogo em que já estava tudo decidido, quanto ao apuramento de Campeão da Segunda B. No entanto o jogo, em que considero que fiz a minha estreia foi em Vila das Aves, quando entrei a substituir o Zé Miguel, já na segunda liga, logo nas primeiras Jornadas.

(JRA) Como reagiste ao facto do João Ricardo te ter tirado o lugar nas épocas em que o Académico jogava na Divisão de Honra?
Como qualquer jogador, o objectivo era jogar, mas no futebol temos que saber esperar a nossa oportunidade. Tive que trabalhar e esperar. Como só joga um GR, e o João fez grandes épocas cá em Viseu, esperei que fosse chamado e tentei dar sempre meu melhor.

(JRA) Como recordas João Cavaleiro? Achas que ainda dava um bom treinador para o Académico?
O Mister João Cavaleiro foi um treinador que deixou marcas no Académico de Viseu, seguindo sempre o seu estilo e personalidade.

Qual foi o treinador academista que mais te marcou? Porquê?
O treinador com que mais gostei de trabalhar foi o Mister José Morais. Ensinou-me e demonstrou-me uma maneira diferente de trabalhar e de ver o futebol, isto sem desprimor para outros com quem gostei muito de trabalhar.

(JRA) A certa altura da tua carreira falou-se do interesse do FC Porto e do Sporting. Foram só rumores ou houve mesmo hipóteses concretas?
O meu conhecimento foi só através dos jornais, mas quem saberia mais desse assunto seria a direcção da altura.

(JRA) Ainda te recordas do jogo nas Antas frente ao FC Porto? Como é que foi viver as emoções daquele jogo em que fizeste uma exibição memorável?
Foi uma experiencia óptima, e uma realização de sonhos de qualquer rapaz de 19 anos, que pretende ser jogador profissional de futebol. È muito bom e diferente viver por dentro o mundo do futebol dos melhores, e teres a oportunidade de jogar contra um dos teus Ídolos.

Ao longo destes anos passaste por outros dois clubes, fala-nos um pouco de cada experiência:
Sporting da Covilhã – Foi a uma experiência que tinha tudo para correr bem, mas que acabou por dar errado. De lá trago a lembrança dos muitos amigos que deixei.
Tondela – É um clube que passou por dificuldades nos passado, mas que o período que lá passei mostrou-me que já foram ultrapassadas. È um Clube com a ambição de andar por Campeonatos mas altos e que este ano conseguiu. Deixei lá bons amigos


Muitos foram os guarda-redes que dividiram a baliza academista contigo. Fala-nos um pouco de alguns deles:
Paulo Renato – Trabalhei com ele, enquanto júnior, foi dos primeiros a avisar-me que ser GR não é fácil.
João Ricardo Trabalhei com ele vários anos, primeiro jogava eu, depois começou a jogar ele, por fim jogava-mos os dois. Demonstrou em Viseu, na 1ª Liga e no Mundial de Futebol que era um Grande GR.
Nuno ClaroTrabalhou comigo, vindo dos juniores, no inicio da carreira dele, onde já demonstrava ter futuro. Teve a sorte e o valor de passar pela 1ª Liga, e de Jogar na Liga dos Campeões.
Feijão – GR com escola, e valor.
Zé Tó – Pouco comunicativo.
Babá Brincalhão.
Hélder Godinho – Bom GR.


(JRA) Como vês a saída do Rui Lage e do Sérgio jogadores que partilharam contigo muitos anos de Académico?
Penso que saíram duas das referências do Académico, porque para além de serem meus amigos, são dois homens que gostam muito do académico e que fazem falta, pelo que são como jogadores e pelo que são com pessoas. Desejo-lhes muita sorte, porque as equipas para onde forem ficarão de certeza a ganhar com estes dois senhores.

Com as saídas deles estás preparado para ser a voz de comando da equipa?
As pessoas que me conhecem sabem que não necessito de cargos para dizer o que sinto e o que penso. Tentarei servir o clube naquilo que me for solicitado.

(JRA) Na minha opinião sempre tiveste algumas dificuldades a jogar com os pés. No entanto esta época acho que estiveste melhor nesse aspecto. Concordas com esta observação? O que fizeste para melhorar esse aspecto?
Em relação a jogar com os pés, penso que não fiz nada esta época, que não tenha feito no passado, só que por vezes sai melhor, e também tem a ver com o que me é pedido pelo Mister.

(Carlos Silva) Na minha opinião esta foi a tua melhor época no Académico. Concordas?
Esta época foi muito boa tanto a nível pessoal como para a equipa. Quando os objectivos são alcançados, fica mais facilmente na retina os aspectos positivos.

Iniciaste a época como suplente do Paulo Freitas. A boa exibição frente ao Vizela foi o único factor a “desequilibrar a balança” a teu favor?
Em relação a isso não sei, a pessoa indicada para responder é o Mister Miguel Borges.

Há dois lances nesta época que ninguém esquece tendo-te como protagonista: o penalty defendido em Cinfães e a defesa a um livre no último jogo frente ao Anadia. Recorda-nos esses lances:
Tanto um lance com o outro é muito rápido.
Um penalty tem um bocado a ver com o acreditar que é possível defender, e ter a sorte de acertar no lado da bola, que foi o que aconteceu em Cinfães.
Em relação ao livre contra o Anadia, consegui chegar a uma bola bem batida e forte em que só a comecei a ver bem perto de mim.

Como era o ambiente no balneário depois do jogo, em casa na segunda fase, frente ao Cinfães? Onde foram buscar forças para os dois últimos jogos?
Foi um dos momentos difíceis da época, mas sabíamos que independentemente do que dali para a frente se passasse até ao fim do campeonato tínhamos uma camisola para dignificar.

Estavam à espera de ver o Fontelo tão bem composto no jogo com o Anadia? O que sentiste ao veres o Rui Santos fazer o 2-0?
Foi um golo marcado na altura certa.
Em relação às pessoas no fontelo, já se sabe que quando é para decidir alguma coisa os academistas dizem presente.

Além de teres sido eleito por nós por 4 vezes como o melhor academista em campo e duas vezes como jogador do mês foste também considerado, pelos editores de A MAGIA DO FUTEBOL, como o melhor jogador do ano. Estas distinções dizem-te alguma coisa?
È sempre bom ser reconhecido pelo nosso trabalho.

Sendo tu “um produto” da formação academista o que achas do aproveitamento dessa mesma formação para alimentar os seniores? Que achas da formação academista?
A formação nos clubes é importante, e a do académico poderá sê-la no futuro, logo que estejam reunidas certas condições. Mas não se pode querer que saiam cinco ou seis jogadores para a equipa sénior todos os anos, porque as realidades são muito diferentes. Tem de haver um tempo de aprendizagem para que os jogadores não se percam, e cinco ou seis a aprender num plantel é incomportável.


Quais as ambições pessoais para esta nova época? Quando renovaste pelo Académico quais foram os objectivos apresentados?
Os objectivos são andar nos lugares cimeiros, partindo do tentar ganhar jogo a jogo.


Descreve-nos os treinadores que orientaram o Académico esta época:
José Miguel Borges – é um treinador com grande futuro, pois faz e fala daquilo que gosta que é futebol.
Luís Almeida – Tem um estilo próprio.


Qual a tua opinião sobre mudanças de equipa técnica a meio da época? O que mudou no Académico com a “chicotada psicológica”?
Sendo pessoas diferentes, pensam e vêm o futebol de maneira diferente.

Estás contente com as contratações “anunciadas”? Muitos adeptos já sonham com nova subida. Acha possível?
Primeiro é necessário estabilizar o Clube, não descartando a hipótese de trabalhar sempre para o melhor.

No final da época terás 36 anos. Até quando “vai durar” o Augusto?
Também não sei, as épocas falam por nós, logo se vê.

És sócio do Académico de Viseu Futebol Clube?
Sim

Por fim deixa uma mensagem aos adeptos do Académico de Viseu:
Que esta época o Académico consiga que todos nós estejamos satisfeitos com os resultados alcançados. Apareçam no Fontelo…..
Ler Texto Completo

Augusto em entrevista

Hoje pelas 14H00 não perca, em A MAGIA DO FUTEBOL, a entrevista a Augusto!
Ler Texto Completo

Notícias dos adversários

Bruno, Xavier, Fábio, Marco, Galvão, Cátio, Cepeda, Canê, Neio, Tomané e Aguinaldo foram estes os jogadores do Tourizense que iniciaram o jogo com a Académica. Os estudantes venceram por 6 a 0. Saiba mais aqui.

O Pampilhosa já tem o plantel definido. Veja aqui.
Ler Texto Completo

Sporting 0 - 0 Twente

Sporting: Rui Patrício; Pedro Silva (Rochemback, 76), Caneira (Pereirinha, 57), Polga e Daniel Carriço; Miguel Veloso, João Moutinho, Vukcevic (Yannick, 68) e Matías Fernández; Hélder Postiga e Liedson. Treinador: Paulo Bento.

Twente: Boschker, Stam, Peter Wisgerhof, Douglas, Rajkovic, Brama, Janssen, Stoch (Tioté, 74), Perez (Mihaylov, 66), Ruiz (Rukavytsya, 60) e Nkufo. Treinador: Steve McClaren.
Foto: EPA

Mais do mesmo

Mais do mesmo porque o Sporting iniciou o encontro em “palpos de aranha” quase encaixando um golo no minuto inicial isto no primeiro jogo europeu após o desastre de Munique.
Mais do mesmo porque Caneira nunca pode ser o defesa esquerdo de um sistema em que o lateral tem que subir no terreno.
Mais do mesmo porque o melhor defesa esquerdo do plantel – Veloso – é ao mesmo tempo o melhor trinco do plantel.
Mais do mesmo porque João Moutinho continua a falhar grandes penalidades. Mais do mesmo porque o Sporting não tem (e Matías?) um marcador de grandes penalidades.
Mais do mesmo porque para virar o resultado a favor do Sporting o treinador “só” tinha no banco o “diesel” Rochemback e Yannick para encostar este ao lado esquerdo do meio campo.
Nada está perdido mas não é a jogar assim que o Sporting vai à Liga dos Campeões. Nem o merece!

Ler Texto Completo

Um novo Veloso?

Foto: EPA/Andre Kosters


Miguel Veloso – 3,5 – não começou bem muito por culpa do que deixou Perez fazer mas foi o primeiro a mostrar como se atirava á baliza. Após a expulsão e com a saída de Perez subiu de produção mostrando-se sempre o mais esclarecido dos leões. Quando foi para a lateral esquerda, mesmo que abanado a cabeça – devem querer caso os senhores da Sportv -, mostrou ao Caneira como deve ser um lateral esquerdo do Sporting. É o melhor trinco e o melhor defesa esquerdo do Sporting. E foi o melhor sportinguista no jogo de hoje. Um novo Veloso?

Rui Patrício -3- duas defesas. A segunda foi esquisita!

Pedro Silva -1- teve vontade, é inegável, mas até passes de um metro falhava. Complicativo.

Caneira -1- logo no primeiro minuto meteu água.

Polga -3- tirando um ou outro lapso quando saía com a bola jogável, cumpriu.

Daniel Carriço -3,5- cortes providenciais a salvar o desastrado Pedro Silva. Exibição adulta e personalizada.

João Moutinho -1,5- falhou uma graande penalidade e rematou uma vez com perigo à baliza. Pouco.

Vukcevic -1,5- até uma bola tirou do caminho da baliza holandesa. Pouco para tanto talento.

Matias Fernandez -2,5- estreia oficial com a camisola leonina. Bons pormenores, faltou pulmão.

Hélder Postiga -1,5- ganhou uma grande penalidade e “arrancou” um vermelho.

Liedson -1,5- só se viu em pormenores defensivos.

Pereirinha -1,5- melhor que Pedro Silva mas pouco.

Yannick -1- encostado á esquerda do meio campo…

Rochemback -1- devagar, devagarinho e parado.
Ler Texto Completo

Notícias dos adversários

A equipa da Marinha Grande, o Marinhense, descontente com a Câmara Municipal “ameaça” não utilizar o estádio municipal. A direcção exige ao plantel a manutenção no escalão. José Petana é o treinador e fique também a conhecer novidades sobre o plantel. Tudo aqui.

O Sertanense, antiga equipa de Milford, apenas manteve no seu plantel seis jogadores da época passada. A equipa da Sertã pretende manter-se na II Divisão e tem como treinador Joaquim Mendes (Madalena) que substituiu Eduardo Húngaro o brasileiro que colocou o Sertanense no mapa futebolístico nacional. Conheça estas e outras informações
aqui.

Em baixo já disponibilizamos a apresentação do Operário em vídeo. O Açoriano Oriental dá-nos a conhecer as expectativas de um jogador que já sabe o que é defrontar o Académico de Viseu. João Paulo, ex Tondela, ambiciona subir de divisão com o Operário. Saiba mais aqui.

Fase do treino do Operário. Foto do Açoriano Oriental.

Ler Texto Completo

Notícia de interesse academista

Foto: Diário de Viseu

O relvado sintético do Campo 1º de Maio foi o palco do primeiro treino da temporada para o Académico de Viseu que, este ano, irá participar na 2ª Divisão Nacional

Com três jogadores à experiência e outros tantos indisponíveis, o grupo de trabalho do novo Académico de Viseu para a época 2009/2010 já evoluiu no relvado às ordens da equipa técnica comandada por Luís Almeida.
O primeiro treino desta fase de preparação decorreu no Campo 1.º de Maio tendo sido dada especial atenção por parte dos técnicos à componente física. A habitual peladinha marcou o final do treino onde Luís Almeida já pôde verificar a forma actual dos jogadores depois de mais de um mês de paragem. Olhar atento mereceram três jovens provenientes do Batuque Futebol Clube, emblema cabo-verdiano, que estão à experiência no Fontelo. Dois médios e um defesa-central tentam convencer os responsáveis academistas a incluírem-nos no plantel da próxima época.
Fora do apronto matinal estiveram os médios Álvaro e Luís Costa assim como o avançado Zé António que, por motivos profissionais, não puderam apresentar-se no primeiro treino da temporada.


Em declarações o técnico Luís Almeida mostrou-se, ao Diário de Viseu, satisfeito com as indicações dadas pelos jogadores neste regresso ao trabalho.
"O primeiro treino é sempre para nos conhecermos melhor e para trabalhar a resistência física dos jogadores. Só trabalhando a resistência primeiro é que o trabalho dará frutos. Tudo o que se pediu aos jogadores eles cumpriram, foram aplicados. O primeiro dia tem um balanço positivo mas vamos pensar no resto da preparação porque a guerra vai ser grande ao longo do campeonato".
O treinador academista afirmou ainda que o modelo de dois treinos por dia é para continuar sendo que, durante a época, decorrerão de uma forma mais 'leve', não se repetindo, obviamente, todos os dias. Para já, e ao longo desta semana, o Académico treinará todos os dias da parte da manhã e ao final da tarde, sendo o palco dos treinos alvo de alterações devido às obras no relvado do Municipal do Fontelo. Por exemplo, no dia de ontem, se o treino matinal decorreu no 1.º de Maio, o da tarde realizou-se no relvado do Instituto Politécnico, em Repeses. Plano que será para continuar todos os dias desta semana.
Recorde-se que o Académico inicia os jogos de pré-temporada apenas no próximo dia 8 de Agosto num particular diante do Benfica de Castelo Branco, em casa deste, às 18 horas.

Vitor Ramos in Diário de Viseu
Ler Texto Completo

Notícias dos adversários



Ler Texto Completo

Notícias dos adversários

O Tondela também já começou os trabalhos da pré época. Leia aqui

O Pampilhosa apresentou-se no dia 24 de Julho. Leia aqui.
Ler Texto Completo

Notícia de interesse academista

Foto: Diário de Viseu


O Académico de Viseu apresentou-se na passada sexta-feira de forma inédita. O Palácio do Gelo, que será agora o novo patrocinador do clube, foi também o palco da apresentação academista.


Com a brilhante prestação da Infantuna, a cerimónia de apresentação do Académico marcou, talvez, uma nova era para este 'novo' Académico que pretende regressar aos escalões do futebol profissional. Para tal, é necessário o apoio dos viseenses para que mais vezes se repitam boas assistências como a registada no jogo crucial diante do Anadia. De resto, os convidados presentes deixaram a mensagem de que só com rigor financeiro e estabilidade se conseguirá recolocar o Académico de Viseu entre os grandes do futebol nacional. Para tal, servirá certamente de exemplo o período 'negro' que inevitavelmente ficará na história do clube como aquele que levou à extinção do histórico Clube Académico de Futebol.


A cerimónia realizada no piso 3 do Palácio do Gelo, e conduzida por Fernando Correia, do Grupo Visabeira, contou com a presença de mais de cem pessoas que seguiram atentamente a actuação da Infantuna e a apresentação do plantel academista.


Entretanto, na fase de discursos, o vereador de desporto da CM Viseu, Guilherme Almeida, reivindicou o apoio ao clube. "A Câmara sente e sabe que o Académico é uma instituição que leva o nome de Viseu bem longe e a equipa pode contar com o apoio da autarquia, proporcionando-lhe as condições para que possa efectuar o seu trabalho e chegar ao mais alto patamar do futebol. Quem está atento ao que vem de dentro da Direcção, sabe que há gente que tem um projecto sustentado para servir o clube, a cidade e a região e não o contrário, ou seja, servir-se do Académico de Viseu em seu benefício pessoal". Face à ausência do presidente António Albino no estrangeiro, o dirigente Luís Caetano falou em nome da direcção, apelando ao apoio dos viseenses e agradecendo a ajuda das entidades. "É um dia importante para o Académico. Agradeço ao Palácio do Gelo e à Câmara Municipal e, ainda, à massa associativa, o apoio que têm dado ao clube e que sem ele não era possível estar agora a viver-se o momento alto da apresentação. Lanço o desafio aos sócios e a todos os viseenses para apoiarem ainda mais os jogadores e a equipa técnica, bem como o trabalho da Direcção, para que Viseu possa ter orgulho no seu representante."Já José Alberto Ferreira, presidente da AF Viseu, deu os parabéns pela forma original encontrada para apresentar a equipa."Dou os parabéns à forma como foi feita a apresentação dos jogadores e esperamos que estes consigam os seus objectivos para a época. O Académico é uma referência do futebol viseense e do distrito e é necessário que volte a atingir os patamares que atingiu há muitos anos".

Vitor Ramos in Diário Regional

No final da apresentação do plantel do Académico aos sócios e adeptos, Luís Almeida deu uma conferência de imprensa, deixando algumas ideias do que quer da equipa para a época e a forma como pretende chegaraos primeiros lugares da sua Série, na 2.ª Divisão Nacional.


“Uma apresentação diferente, uma forma excelente de receber os jogadores, pelo que estamos muito satisfeitos por isso. É também um sinal de mudança, de que as pessoas estão mais atentas ao clube" , começou por dizer, satisfeito, o treinador.


Sobre a questão se o plantel que tem ao seu dispor pode corresponder ao que pretende ao patrocinador, respondeu: - "Ainda não falei com ninguém, mas a verdade é que com a sua anuência para apoiar o clube, as minhas esperanças são muito mais e fortes. A equipa técnica e a Direcção, quando se sentaram à mesa foi no sentido de contratar os jogadores capazes de fortalecer o grupo e estar à altura de corresponder a todos os que apostam no Académico. Os jogadores estão conscientes que o objectivo são os primeiros lugares".


Feita a comparação entre o passado e o que se pretende para o futuro, Luis Almeida, disse: - "É muito diferente do que acontecia antigamente. Antes o treinador queria e não tinha. Hoje as pessoas estão mais concentradas no clube, estão mais sensibilizadas e dedicadas. O treinador fala e eles ouvem. Quando assim é, as coisas podem fortalecer-se”.


Colocada a questão se o treinador teve os jogadores que pediu, o técnico lembrou que "o pedido de novos atletas também não foi exagero. O presidente e os restantes elementos da Direcção tem os pés assentes na terra. Com o treinador também se passa o mesmo e todos nós reflectimos bem sobre isso, sempre na perspectiva de termos um Académico forte, mas não um Académico louco. O clube tem quatro anos e já subiu duas vezes e, portanto, não se pode entrar na loucuras de querer tudo de uma só vez".


Jogadores aptos para o trabalho"Os jogadores chegaram com grande disposição de trabalhar. Só podem esperar isso e penso que eles estão dispostos a darem o seu melhor, para em cada domingo, com sacrifício, conquistar os três pontos que é esse o objectivo", garantiu.


No que diz respeito ao futuro, Luís Almeida, quer que o “clube volte a ter aquela mística que já existiu há alguns atrás. Portanto, há que reconquistá-la novamente, já que ela foi desaparecendo. São os jogadores que irão fazer com que tal aconteça, ganhando os jogos e conquistando pontos".


Dar o primeiro passo. "A adesão só vem com os resultados positivos. Não podemos exigir aos sócios e simpatizantes que permaneçam logo, de imediato, no apoio à equipa, ao clube, mas sim sermos nós, domingo após domingo, a fazer ver ao público que, de facto, o Académico está mais forte, ganhou mística e quer voltar a tempos antigos, o mais rápido possível. Certamente, com as vitórias, com entusiasmo, as pessoas vão juntar-se a nós. Tem de ser o grupo de trabalho a dar o primeiro passo. Penso que ele já começou a ser dado na época passada, mas há que continuar para concretizar a meta de atrair ao Fontelo os sócios que já foram muitos e dizer-lhes que devem regressar para apoiar a equipa", reiterou Luis Almeida.

Silvino Cardoso in Diário Regional
Ler Texto Completo

Cavernães apoia o Académico!

Em Cavernães também se apoia o Académico de Viseu! Clique aqui e veja mais fotos da festa!
Ler Texto Completo

André Valente - 26

André Valente Duarte, o André Valente do Académico de Viseu, nasceu a 26 de Julho de 1983 e comemora hoje 26 anos. Parabéns!
Ler Texto Completo

Notícias dos adversários

A estreia, no campeonato da II Divisão, para o Académico de Viseu Futebol Clube está apenas marcada para Setembro. Entretanto A MAGIA DO FUTEBOL começa a partir de hoje a ficar atenta aos nossos possíveis adversários e dará aqui a conhecer todas as notícias que vão surgindo sobre os mesmos.

Eléctrico de Ponte de Sor inicia os trabalhos a 1 de Agosto (veja aqui)

Clube Operário Desportivo apresenta o plantel a 26 de Julho (veja aqui)

O Sertanense apresenta também amanhã a sua equipa para 09/10 (veja aqui)

Carlos Ferreira é o presidente do Oliveira do Bairro (veja aqui)
Ler Texto Completo

Apresentação da equipa para a època 2009/10

Ler Texto Completo

Palavra de Presidente

O treinador Luís Almeida quando chegou ao Académico disse que encontrou um plantel desequilibrado. Este ano, considera que isso já não acontece?
Entendemos que sim, mas só o futuro o dirá. Temos 22 jogadores no plantel e com dois jogadores para cada posição.

O plantel está fechado?
Em princípio está fechado.

Um plantel feito a pensar em que objectivos?
Penso que são conhecidos. Queremos andar pelos primeiros lugar, sempre à espreita dos lugares de subida.

Alguma justificação para as dispensas?
O Sérgio foi-lhe feita uma proposta mas não quis assinar.

E as outras? Rui Lage, Casal, e todos os outros?
Foram meras opções técnicas. Dos jogadores, do treinador e da direcção.

No caso do Everson, considerado um dos melhores jogadores da última época. A sua não continuidade foi também uma opção técnica?
Everson quando foi de férias para o Brasil foi com tudo pago e com uma proposta para continuar. O que se passou foi que ele "esticou muito a corda". Valores que não tínhamos condição de lhe pagar. Se ele reconsiderar e apresentar uma proposta com valores dentro daquilo que o clube tem condições de pagar, logo se verá.

Qual o orçamento para esta temporada?
Posso dizer que aumentou 40% em relação ao ano anterior.

Como é que o Académico cobre este orçamento? Só com subsídios da autarquia e publicidades?
Grande parte sim.

E quotizações? Quantos sócios, pagantes, tem o Académico de Viseu?
Cerca de 700, mas queremos angariar muitos mais.

Com alguma campanha específica?
Na sequência de outras que temos feito. Temos aumentado, pouco, mas temos aumentado. O objectivo é chegar aos 1500 sócios. Em breve, em pontos estratégicos da cidade, será visível essa campanha de angariação de sócios para o Académico de Viseu. Este clube não pode viver sem sócios. Tem sido a nossa maior luta agora, não me peçam para os arrastar à força para que sejam sócios e paguem cinco euros por mês. Queremos que as pessoas venham para sócios porque o queiram ser e por acreditarem neste clube, e gostarem deste clube.

Uma equipa de futebol forte não pode motivar os adeptos?
Temos consciência disso, e por isso acreditamos nesta equipa e neste plantel para motivar os adeptos a apoiar o clube e a fazerem-se sócios do Académico de Viseu. Acreditamos que esta equipa vai mobilizar os adeptos em torno deste projecto que é ambicioso. Já o disse, e reafirmo, que gostaria que os ex sócios do Clube Académico de Futebol voltassem e se fizessem sócios deste Académico de Viseu, porque, queiramos ou não, é este Académico que temos, não é o outro. Sem, pelo menos, 1500 sócios, o clube não pode ir para a frente. As pessoas que não pensem que está aqui um mecenas que vai resolver todos os problemas do Académico, porque eu não os vou resolver todos.

Um discurso de subida não poderia mobilizar mais adeptos?
No primeiro ano, assumimos a subida à terceira, e subimos. Na última época também subimos, Agora é tempo de pensar e ter os pés bem assentes na terra para saber que clube os viseenses querem e em que patamar competitivo. Se numa divisão maior ou numa segunda B.

Quer com isso dizer que, nesta altura, o Académico não tem condições de ir para as competições profissionais?
Neste momento, e com os sócios que temos, analisem e vejam. Acho que não é preciso dizer mais nada. O que é preciso é trabalhar, e muito, para no final do mês termos dinheiro para pagar aos jogadores, e é isso que temos feito. Mas não é fácil, por isso queremos, cada vez mais, que apareçam mais sócios e mais gente a acreditar neste projecto e a investir neste clube.

Gil Peres In Jornal do Centro
Ler Texto Completo

Apresentação no Palácio do Gelo !

( Clicar na imagem para ampliar )
Ler Texto Completo

Novas regras

A MAGIA DO FUTEBOL tem novas regras para os comentários. A partir de hoje para comentar tem que estar registado. Se não tiver nenhuma conta Google, ou outra conta blogger, clique aqui. Qualquer dúvida, reclamação ou sugestão que tenha poderá enviá-la para o nosso mail a.magia.do.futebol@gmail.com.

Nota: por unanimidade entre os editores de A MAGIA DO FUTEBOL esta decisão passa a definitiva.
Ler Texto Completo

"A subida é muito possível"

Nome: Álvaro Loureiro Faria Dias
Data de nascimento: 15/02/1985
Local de nascimento: São Paulo – Brasil
Posição: médio
Altura: 1.77
Peso: 80
Ídolo: Luís Figo
Clube de futebol: Sporting Clube de Portugal
Morada: Mosteiro de Silgueiros

Fizeste toda a formação no Académico? Qual o treinador da tua formação que mais te marcou?
Sim. Foram três: O Mister Pina, porque que me iniciou como jogador, o Mister Raposo porque me acompanhou durante quatro anos e fez com que eu me desenvolvesse como jogador e como homem e por fim o Mister Pipo que me lançou para uma época formidável de juniores e fez com que pudesse ter uma hipótese na equipa sénior no ano seguinte.


Depois da saída do CAF voltaste uma época depois desta vez ao AVFC. É o mesmo Académico de sempre ou é um Académico diferente?
Para mim é igual, vejo-o da mesma maneira.

Ainda te lembras do teu primeiro jogo pelo CAF? Como foi trabalhar com Rui Bento?
O meu primeiro jogo foi em Fátima onde infelizmente perdemos 1-0. O Mister Rui é um bom treinador a quem eu devo o facto de ter apostado em mim numa época difícil onde a única saída era a subida de divisão.

Em 2005/2006 actuaste no Penalva do Castelo. Como decorreu a experiência?
Não correu muito bem, joguei poucos jogos como titular e os que entrava também não me correram da melhor forma.

Esta época marcaste dois golos recorda-nos esses lances:
Inauguraste o marcador frente ao Águeda – estava no banco e entrei, pouco depois houve um livre a nosso favor e tentei a minha sorte felizmente entrou
Inauguraste o marcador na vitória no Fontelo com o Sátão – acompanhei a jogada em que o Bastos cruzou e o Everson desviou de cabeça e eu estava sozinho no segundo poste e foi só encostar


Foste por duas vezes distinguido por nós como o melhor academista em campo: na vitória no Fontelo com o Águeda e na derrota por 3-2 em Anadia. Recordas-te desses jogos? Concordas que te correram bem? Queres destacar outros jogos onde aches que estiveste bem?
Sim, recordo-me perfeitamente, com o Águeda acho que entrei bem e consegui ajudar a equipa a conquistar a vitória que foi o mais importante e com o Anadia joguei de inicio mas infelizmente não conseguimos a vitória nem pontos. Em relação a outros jogos eu tento sempre dar o meu máximo e ajudar a equipa.


Em Setembro foste considerado por nós como o jogador do mês. Que importância tem para ti este tipo de distinções?
É sempre bom vermos o nosso trabalho reconhecido seja por quem for.


Esta época saíram do Académico de Viseu o Sérgio e o Rui Lage. Qual a importância deles dentro do balneário? Com a saída deles e tendo em conta que eras um dos capitães estás preparado para ser a voz de comando da equipa?
O Sérgio e o Lage são duas pessoas e dois jogadores fabulosos. Começando pelo Sérgio ele é um verdadeiro líder que sabe dar na cabeça de um colega quando tem que dar e que puxa para cima quando tem de puxar, o Lage é aquele velhinho amigo, brincalhão e … resumindo foram e serão sempre dois velhinhos por quem terei uma admiração, um carinho , e agradecimento muito especial. Quanto ao resto de ser a voz de comando da equipa não quero pensar nisso ainda, porque não sei se serei novamente um dos capitães.


Como era o ambiente no balneário depois do jogo, em casa na segunda fase, frente ao Cinfães? Onde foram buscar forças para os dois últimos jogos?
O Ambiente era pesado, porque podíamos ter deitado tudo a perder, mas felizmente conseguimos dar a volta por cima e acho que sobre tudo a experiência dos mais velhinhos foi muito importante para conseguirmos subir.


Estavam à espera de ver o Fontelo tão bem composto no jogo com o Anadia? O que sentiste ao veres o Rui Santos fazer o 2-0?
É uma resposta que ainda hoje procuro, é um sentimento fantástico que não tem como ser descrito, do Rui pode-se esperar tudo de bom que há no futebol porque tem uma qualidade fantástica, e os golos que ele fez na parte final da época são o espelho dessa qualidade, há muitos jogadores na 1ª liga que gostavam de ter aqueles pés, Quanto a moldura humana foi bom ver a equipa ser apoiada daquela maneira.

Qual o principal problema e a principal virtude da época que agora terminou?
Problema penso que foi a irregularidade a virtude a união de grupo.

A nível individual qual foi o melhor e pior momento da época?
O pior foi quando perdemos 5-1 em casa com o Anadia senti-me envergonhado, melhor o dia 6 de Junho de 2009.

Em três épocas de AVFC conseguiste duas subidas de divisão. Qual a mais saborosa?
As duas. a primeira pelo regresso aos nacionais e a segunda por colocar o Académico na divisão em que o encontrei quando cheguei a sénior.

Depois de três anos no AVFC diz-nos, o apoio à equipa tem subido de ano para ano?
Sim, penso que um bocadinho, infelizmente não é da maneira que precisávamos mas é melhor um bocadinho do que nada.

Fala-nos um pouco do ambiente que se vivia no balneário nas 3 épocas de AVFC:
2006/2007
– Fantástico
2007/2008 – Melhor ainda
2008/2009 – Fantástico


Sendo tu “um produto” da formação academista o que achas do aproveitamento dessa mesma formação para alimentar os seniores? Que achas da formação academista?
Acho que como na maioria dos casos do futebol português a formação não é bem aproveitada.

Em 2009/2010 o Académico terá no seu plantel o Gamarra que foi teu colega no Penalva do Castelo. O que nos podes contar sobre ele?
Grande maluco … Mas um grande reforço para o Académico espero que tenha sorte e que consiga uma boa época.

Quais as ambições pessoais para esta nova época? Quando renovaste pelo Académico quais foram os objectivos apresentados?
É fazer um campeonato tranquilo nos primeiros lugares e se a oportunidade de subirmos surgir agarrá-la.

Sendo tu um símbolo de garra, entrega, deixando sempre tudo em campo pelo nosso Académico, até onde vai a tua ambição pessoal?
Os meus objectivos pessoais passam por ajudar o Académico até eles contarem comigo.


Depois de regressares ao Académico de Viseu já foste treinado por 3 treinadores diferentes. Descreve-nos cada um deles:
Idalino de Almeida – Um Homem com H grande e um bom treinador (Grande abraço Mister)
José Miguel Borges – Apesar de as coisas não me correrem muito bem com ele não posso deixar de dizer que é um treinador com um potencial enorme.
Luís de Almeida - Como disse o Calico, que dizer de um treinador que sobe de divisão?

Qual a tua opinião sobre mudanças de equipa técnica a meio da época? O que mudou no Académico com a “chicotada psicológica”?
A mudança deu frutos e não há mais nada a dizer.

Estás contente com as contratações “anunciadas”? Muitos adeptos já sonham com nova subida. Acha possível?
Eu estou contente por o mister contar comigo e a direcção também, quanto à subida é muito possível.

Extra futebol, quem é o Álvaro?
O Álvaro é uma pessoa calma, divertida, que para além do futebol trabalha durante o dia, e o resto do tempo é para estar com a Mulher e com o Filho, e se der com os amigos.

Por fim deixa uma mensagem aos adeptos do Académico de Viseu:
Quero dizer-lhes para que apoiem o Académico para que todos juntos possamos levar o Académico a 2ªliga se não for este ano daqui a dois anos. Se me permitem quero deixar um abraço especial a todos os que não continuam na nova época e desejar-lhes toda a sorte do mundo.
Ler Texto Completo

Álvaro em entrevista

Amanhã, às 14H00, A MAGIA DO FUTEBOL publica mais uma entrevista desta feita é Álvaro o convidado!
Ler Texto Completo

Camisola 09/10


Saiba mais aqui.
Ler Texto Completo

"Espero voltar um dia"

Nome: Paulo Jorge Moreira Ferreira "Parma"
Data de nascimento: 17 de Setembro de 1989
Local de nascimento: Viseu
Posição: avançado
Estreia pelo AVFC: Académico de Viseu 1 Anadia 5
Primeiro golo pelo AVFC: Cinfães 1 Académico de Viseu 2
Jogos: 6
Golos: 1
Altura: 1,78 m
Peso: 74 kg
Ídolo: Admiro bastante “Thienry Henry”
Clube de futebol: Sporting C.P
Morada: Queiriga -Vila Nova de Paiva


Para que todos possamos conhecer um pouco mais sobre a tua carreira diz-nos: como foi o teu trajecto até aos seniores do Académico de Viseu?
Comecei a praticar futebol federado aos 11 anos de idade nos infantis do S.C.Paivense, e aí fiz grande parte da minha formação até ao meu 1º ano de júnior. No meu último ano de júnior, vim para o Académico de Viseu e foi também aí que me estreei como jogador sénior, tendo permanecido até à época transacta.

Quem é o Parma “extra futebol”?
Fora das 4 linhas é um jovem como muitos outros, que frequenta o ensino superior. Estou no 2ºano de Eng. Civil no Instituto Politécnico de Viseu e como tal pretendo concluir os estudos tentando conciliá-los sempre que possível com o futebol.
Sou também uma pessoa que gosta bastante de sair com os amigos, e tento sempre ajudar o próximo. E claro…grande fanático de “POKER”…

De onde vem a alcunha Parma?
É engraçado porque é uma alcunha que já vem do meu irmão. E surgiu há já alguns anos, quando ele era ainda miúdo e ia para a escola com uma camisola do Benfica… na frente estava escrito “Parmalat” (patrocinador oficial da época em questão) …e a partir daí começaram sempre a tratá-lo assim. Depois mais tarde quando jogávamos os dois no S.C.Paivense os meus colegas começaram também a chamar-me assim.
Também o meu irmão mais novo é chamado pela mesma alcunha…



O teu irmão, o outro Parma, foi o melhor marcador da Liga de Honra ao serviço do Moimenta da Beira. Apesar disso continuará pelos distritais. Porque é que isso acontece? Revês-te no seu futebol?
Sinceramente não sei. Admito que tem qualidades para jogar em divisões nacionais, mas por vezes tem que se tomar decisões; mas não gostaria de estar a falar deste assunto pois são situações que só a ele lhe diz respeito…e para o futuro…que seja feito ainda de mais golos…


Estreaste-te com José Miguel Borges mas foi Luís de Almeida que mais te utilizou. Fala-nos um pouco de cada um deles.
Sim é verdade. Na parte final da época, com o mister Luís Almeida fui mais utilizado, também devido ao elevado número de indisponíveis que a nossa equipa passava durante essa fase. Sabia que iria ser difícil jogar regularmente, e, a mim, cabia-me treinar para ao domingo ser mais uma opção do treinador.
Sou uma pessoa que não gosta muito de falar das outras pessoas. Mas posso afirmar que ambos são grandes seres humanos que durante a minha época de transição me ensinaram muito. Tem métodos muito diferentes de trabalhar. Em poucas palavras considero o mister José Miguel Borges um excelente treinador e com métodos de treino e jogo muitos específicos. Com Luís almeida chegou uma nova maneira de trabalhar, sendo muito exigente sempre naquilo que faz.
Diferentes treinadores, diferentes métodos de trabalho, mas o objectivo em comum…”a subida de divisão”…


Qual a tua opinião sobre mudanças de treinador a meio da época? O que ganhou o Académico com a “chicotada psicológica”?
Estas questões são única e exclusivamente tomadas pela direcção do clube… a nós grupo de trabalho passa-nos ao lado, apenas temos que trabalhar seja quem for a pessoa que esteja a frente da equipe.
Com a chegada do mister Luís Almeida chegou uma maneira diferente de trabalhar, a que o grupo não estava habituado mas depressa se adaptou.
Às vezes as “chicotadas psicológicas” podem afectar uma equipa, mas quem tinha um grupo de trabalho como o que eu tive era impossível este ir a baixo. Nos momentos mais difíceis a união e a voz de quem manda no balneário conseguia elevar a moral dos colegas para continuarmos a nossa caminhada… pois “as contas fazem-se apenas no fim”.


Na época que terminou conviveste no balneário com jogadores que fazem parte da história do Académico, que são a “mobília” da casa. Fala-nos um pouco deles:
Sérgio – um grande “LIDER”;
Rui Laje – Grande jogador e amigo, sempre pronto a ajudar o colega do lado;
Augusto – Guarda-redes de alto nível… e apenas só com 20 anos (risos) … não parece mas é verdade.
São 3 jogadores que para além da grande qualidade que têm, são grandes líderes dentro do balneário. Fazem com que o balneário nunca vá a baixo… e isso para um grupo é importante.


No jogo frente ao Cinfães, na segunda fase, as hipóteses de subida baixaram muito. Como decorreram os treinos após esse jogo? Onde é que foram buscar forças para os dois jogos que restavam?
Após o jogo com o Cinfães, o ambiente que invadia o balneário era um ambiente de tristeza… e lembro-me perfeitamente de ver alguns colegas a chorar por pensarem que o objectivo não iria ser atingido. Eu, “no meu cantinho”, sempre acreditei que era possível. A semana que sucedeu este jogo foi uma semana normal. Tínhamos em mente que já não dependíamos apenas de nós, e apenas tínhamos que vencer o jogo na Tocha e esperar que do outro encontro nos saísse um resultado favorável. Para o derradeiro jogo, sabíamos a nossa Missão (difícil), mas não Impossível...e todo o esforço de uma época estava apenas num jogo… Aí a equipa galvanizou-se e durante 90 minutos mostrou por que razão mereceu a subida de divisão.
Para além de todo o trabalho imposto dentro das 4 linhas, penso que a união e entreajuda do grupo de trabalho foi um dos factores que contribuiu para o sucesso da equipa.

Estavas à espera de ver o Fontelo tão bem composto no jogo frente ao Anadia?
Sinceramente estava à espera de ver o Fontelo com uma moldura humana maior. Mas o que é certo é que as condições climatéricas que antecederam o encontro também não eram as mais desejáveis. Ao longo da semana tinha-se comentado no balneário que viria muita gente de Anadia, o que depois não se veio a confirmar.
Mas os muitos que lá estavam foram aqueles que sempre acreditaram que ainda era possível a subida de divisão. E a esses o nosso obrigado por acreditarem que “o sonho” ainda estava vivo… e claro que sem a vossa ajuda ao longo da época seria mais difícil a conquista do objectivo.
Futuramente… que o apoio á equipe se mantenha… pois vocês são o 12º jogador.

Nesse último jogo entraste para o lugar do Sérgio com o resultado em 1-0. Como viveste, dentro do relvado, aqueles momentos até ao 2-0 do Rui Santos?
Foi um jogo de futebol atípico em termos de emoções vividas, e que durante a partida me passou tudo pela cabeça. Digo isto porque o Tondela encontrando-se em desvantagem por 2-0, a nossa tarefa ficava um pouco facilitada…faltava um golo… O qual acabou logo por aparecer. Passado alguns minutos sou chamado a entrar e soube nessa altura que o Tondela já ganhava… e aí a nossa equipa tinha que marcar apenas mais um golo. Na nossa cabeça o objectivo não saía de lá. Mesmo só quando faltava um minuto tínhamos que acreditar que era possível… e foi ai que surgiu aquele “GOLAÇO” do Rui… Passei por momentos muitos bonitos, as emoções estavam ao rubro no fontelo e o publico não merecia outro desfecho senão este.
Muitos dizem que foi “sorte”… eu não acredito… Acredito sim que foi a força de vontade do grupo que superou tudo e todos, e claro a ajuda incondicional dos adeptos.


Contigo, dos juniores, veio o Rafael. Ele acabou por não jogar. Como é ele tanto como jogador como com colega?
Sim, é verdade que acabou por não jogar, mas não podemos deduzir que é jogador com poucas qualidades, antes pelo contrário é um jogador que tem imensas qualidades. Qualquer indivíduo que o conheça pode dizê-lo…”tem um pé esquerdo de fazer inveja a muitos”... Também é verdade que não teve qualquer oportunidade para mostrar o seu potencial, mas como o futuro é ainda um longo caminho a percorrer, penso que tem todas as possibilidades para poder singrar no futebol. Fora das 4 linhas é um grande amigo com quem partilho alguma amizade e que está sempre pronto ajudar o colega.

Sendo tu um “produto” da Formação Academista o que achas do aproveitamento dessa mesma formação para alimentar os seniores? Sentes que do “teu” plantel de juniores havia mais jogadores que mereciam a subida aos seniores?
Penso que sim, que no ano passado havia jogadores com qualidades para poderem ficar no plantel sénior. Apenas fiquei eu e o Rafa, mas se ficasse qualquer um deles não era de estranhar, pois todos eles tinham bastantes qualidades.
Penso também que o clube ano após ano tem vindo cada vez mais a aproveitar jovens oriundos da formação, e a prova disso está à vista de todos, pois na época transacta eram mais de 10 os jogadores formados no clube que actuavam no plantel sénior.


Estreaste-te pelo Académico de Viseu na derrota caseira (1-5) frente ao Anadia. Recorda-nos esse jogo:
Recordo-me perfeitamente desse jogo (“mas preferia em parte não me recordar”). Foi um jogo em que a nossa equipa não esteve nada bem e eu fui lançado em jogo perto do final já com o resultado muito desfavorável no intuito de ser mais um a ajudar. Mas como em tudo na vida há dias maus, esse foi um deles…
Mas quando afirmo que “preferia em parte não me recordar”, faço referência não só à minha estreia na época 08/09 mas também como o 1ºjogo realizado como jogador sénior. Um dia mais tarde será recordado………….assim…….


Já que estamos numa “onda” de recordações conta-nos como foi o teu golo em Cinfães. Consideras que esse golo foi importantíssimo para a subida?
Todos os golos são importantes, sem dúvida uns mais que outros…seja de quem for a sua autoria. É claro que todo o jogador pensa sempre em fazer golo, sendo esse um dos objectivos principais desta modalidade.
Em relação ao jogo de Cinfães lembro-me perfeitamente. A nossa equipa perdia por 1-0 e eu entro em campo a 30 minutos do final. Passado 5 minutos da minha entrada na sequência de um livre e num ressalto dentro de área a bola sobra para os meus pés e eu sem tempo para fixar a baliza disparo um remate que felizmente deu golo. No final acabaríamos por vencer a partida com uma reviravolta fantástica por 2-1. Foi uma vitória importantíssima porque em caso de derrota aumentaríamos ainda mais a distancia que tínhamos para os 2 primeiros classificados…e sendo o Cinfães um dos líderes do campeonato conseguimos encurtar alguma distância.


Para o ano o teu destino é o Canas de Senhorim. Sais a título definitivo ou emprestado? Contas voltar um dia? Quais os teus objectivos pessoais e os do Canas para 2009/2010?
“Tal como saí…assim espero voltar...um dia…”
É verdade que vou deixar o Académico mas apenas a título de empréstimo por uma temporada.
Na temporada que se avizinha vou ingressar num outro clube, o Canas de Senhorim, que disputa a Divisão de Honra, e tal como me foi proposto vou tentar ajudar a equipe a alcançar os seus principais objectivos, que passam por ficar nos lugares cimeiros da tabela classificativa.
Pessoalmente os meus objectivos passam sempre pelos objectivos da equipa…se colectivamente alcançar os objectivos…então é claro que pessoalmente estes também foram atingidos e só assim poderei ficar feliz comigo próprio.


Achas que tinhas capacidades para integrar o plantel 2009/2010?
É uma pergunta à qual eu sou alheio, e como “jogador humilde” que sou, tenho de acatar a decisão. O clube tem pessoas claramente responsáveis para tomar essas decisões. Se tinha capacidades? Eu sei daquilo que sou capaz…. E como em tudo na vida cabe-me aceitar a decisão, e esperar que um dia surja a oportunidade de regressar.


Ao veres no actual plantel jogadores que actuaram em menos jogos que tu não te sentes “traído”?
De maneira nenhuma. Claro que gostava de permanecer mas como não foi possível. Espero por outra oportunidade. Mas sobretudo fico feliz pela continuidade deles e que esta época lhes sejam dadas mais oportunidades do que aquelas que lhes foram proporcionadas, pois eles têm bastantes qualidades para ajudar o grupo. Espero que desfrutem da oportunidade de actuar numa 2ªdivisao, pois nem todo o jogador consegue atingir esse patamar.
Ler Texto Completo

Luizinho - 30

Luizinho Lopes, o Luizinho do Académico de Viseu, nasceu a 15 de Julho de 1979 e comemora hoje 30 anos. Parabéns!
Ler Texto Completo

A época de Liedson

E ao terceiro ano de existência de Top Leonino João Moutinho foi finalmente destronado do trono de melhor do ano. Quem mais do que Liedson podia fazer isso? O levezinho havia sido o 2º melhor na época anterior época em que marcou menos um golo do que na de 2008/2009 apesar dos 9 jogos a menos.
Fez ao longo da época 35 jogos e por 11 vezes foi considerado o melhor em campo: 1- na vitória
em Leiria em jogo da Taça de Portugal; 2 - na vitória frente ao vencedor da Taça UEFA em jogo da Liga dos Campeões; 3 - no empate a zero em Paços de Ferreira; 4 - na vitória em Vila do Conde em jogo do campeonato (0-1); 5 - na vitória leonina em casa com o Marítimo (2-0); 6 - na goleada caseira (5-1) frente ao Paços em jogo da Taça da Liga; 7 - nota máxima na vitória frente ao Benfica; 8 - na vitória frente à Naval (3-1) em Alvalade; 9 - na vitória caseira com o Estrela (2-1); 10 - na vitória em Alvalade com o Setúbal (3-1); 11 - finalmente foi novamente o melhor frente ao Marítimo no Funchal na penúltima jornada (1-2).
Foi 4 vezes o jogador do mês: Outubro, Janeiro, Abril e Maio.
Uma época fantástica!

Sporting 08/09:

Jogos: 35
Titular: 33
Titular substituído: 6
Suplente utilizado: 2
Golos: 25

Liga Sagres 08/09:

Jogos: 26
Titular: 24
Titular substituído: 4
Suplente utilizado: 2
Golos: 17

Liga dos Campeões 08/09:

Jogos: 4
Titular: 4
Titular substituído: 1
Suplente não utilizado: 1
Golos: 2

Taça de Portugal 08/09:

Jogos: 2
Titular: 2
Golos: 2


Taça da Liga 08/09:

Jogos: 3
Titular: 3
Titular substituído: 1
Golos: 4

Ler Texto Completo

Parma a entrevista

Provando que A MAGIA DO FUTEBOL continuará a trabalhar em prol dos seus leitores temos a honra de vos comunicar que amanhã às 14H00 publicaremos a entrevista ao Parma, futuro jogador do Canas de Senhorim. Aproveitamos para informar que aguardamos a resposta à entrevista por parte do Augusto e que ainda hoje seguirão para o mail do Álvaro as nossas/vossas questões.
Ler Texto Completo

Luís Costa - 23

Luís Carlos Mendes Costa, o Costa do Académico de Viseu, nasceu a 14/07/1986, e comemora hoje 23 anos. Parabéns Costa!
Ler Texto Completo

Estrelas do passado: Derlei

Nome: Vanderlei Fernandes da Silva “Derlei
Data de nascimento: 14/07/1975
Posição: avançado
Estreia pelo Sporting: Sporting 1 FC Porto 0 (11/08/07)
Primeiro golo pelo Sporting: Sporting 4 Académica 1 (17/08/07)
Último jogo pelo Sporting: Sporting 3 Nacional 1 (24/05/09)
Último golo pelo Sporting: Sporting 3 Nacional 1 (24/05/09)
Jogos: 42
Golos: 13
Títulos: 2 supertaças (2007 e 2008), 1 Taça de Portugal (07/08)


No FCP ganhou tudo o que havia para ganhar. Depois de um retiro na Rússia chegou na segunda parte da época de 2006/2007 para actuar no Benfica e desiludiu. Foi neste contexto que o “Ninja” aterrou em Alvalade. Ficou tudo incrédulo e houve críticas atrás de críticas. Como era possível tal coisa!
Logo no seu primeiro jogo juntou uma supertaça ao seu currículo graças ao golo de Izmailov em Leiria frente ao FC Porto. No jogo de estreia para o campeonato de 2007/2008, em Alvalade inaugurou o marcador na vitória leonina frente à Académica (4-1). Em Setembro de 2007 lesionou-se e só voltou a jogar a 16 de Abril de 2008. Foi nesse dia que Derlei conquistou de vez o coração dos adeptos do Sporting. Em Alvalade o Sporting defrontava o Benfica nas meias-finais da Taça de Portugal, Derlei estava sentado no banco e assistia à vitória parcial do Benfica por dois a zero, até que ao minuto 61 entrou no relvado e o Sporting como que por magia viraava o resultado a seu favor com o 3-2 a ser de autoria de Derlei, o Sporting venceu por 5-3 e nascia a lenda Derlei. No final da época mais uma Taça de Portugal para o seu palmarés – 2 a 0 ao FC Porto.
A época 2008/2009 tem início com mais uma conquista, a segunda supertaça ao serviço do Sporting Clube de Portugal. Lá na frente de ataque Derlei fazia questão de mostrar que foi até hoje o melhor companheiro de ataque de Liedson o levezinho. Abandonou no final da época o Sporting mas fê-lo em grande estilo, vitória frente ao Nacional (3-1) com dois golos da sua autoria.
No dia do seu 34º aniversário é mais do que justo recordarmo-nos desta Estrela do Passado. Parabéns Derlei!
Ler Texto Completo

A época de João Moutinho

Mais 44 jogos a juntar ao seu currículo. Ele que havia vencido as duas primeiras edições do Top Leonino, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, terminou esta época na 2ª posição com 136 pontos a 21 de Liedson. Dos 44 jogos em que alinhou fê-lo sempre na condição de titular e só por uma vez foi substituído precisamente no jogo da Taça da Liga frente ao Paços de Ferreira (5-1). Foi por 4 vezes considerado o melhor sportinguista em campo, na derrota caseira frente ao FC Porto (1-2), em ambas derrotas frente ao Bayern em casa e fora e na vitória no terreno do Leixões (0-1). Em Março foi o jogador do mês.

Sporting 08/09:

Jogos: 44
Titular: 44
Titular substituído: 1
Golos: 4

Liga Sagres 08/09:

Jogos: 27
Titular: 27
Golos: 3

Liga dos Campeões 08/09:

Jogos: 8
Titular: 8
Golos: 1

Taça de Portugal 08/09:
Jogos: 2
Titular: 2


Taça da Liga 08/09:

Jogos: 5
Titular: 5
Titular substituído: 1

Supertaça 2008:

Jogos: 1
Titular: 1


Amanhã: A época de Liedson
Ler Texto Completo

A época de Augusto

Nome: Augusto Miguel Cardoso Rodrigues
Data de nascimento: 11 de Fevereiro de 1974
Posição: guarda-redes


Números da época:

Jogos: 35
Titular: 35
Suplente não utilizado: 2

De regresso a casa, no início da sua 13ª época no Académico de Viseu, as coisas começaram por não lhe correr bem em termos individuais uma vez que nos dois primeiros jogos foi suplente de Paulo Freitas. No jogo da Taça de Portugal José Miguel Borges deu-lhe a titularidade e após uma magnífica exibição não mais perdeu a titularidade. De todas as excelentes defesas que fez os academistas recordarão para sempre duas, um penalty em Cinfães – venceu o Académico por 1-2 – e uma defesa a livre de um jogador do Anadia no último jogo da temporada e que valeu a subida de divisão.
Foi por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, considerado quatro vezes o melhor academista em campo: no empate em Avanca (0-0) onde esteve seguríssimo, na derrota viseense em Santa Maria de Lamas onde foi adiando até onde pode o golo unionista, em Tondela na segunda fase onde apesar da derrota (3-0) e de um dos golos, o terceiro, partir de um erro do nº 1 foi o melhor porque com o resultado a zero fez magníficas defesas e finalmente em Cinfães onde teve a nota máxima (5) o tal jogo onde defendeu uma grande penalidade que fez com que o Académico saísse de lá com os 3 pontos.
Foi por duas vezes o melhor do mês: Dezembro e Abril.
É o Jogador do Ano para A MAGIA DO FUTEBOL terminado o Top Academista, no 1º lugar com 126 pontos!
Ler Texto Completo

Notícia de interesse academista

O futebol em Viseu começa a 'ferver'.

Com o aproximar dos trabalhos da pré-época, muito por culpa do Académico de Viseu ter subido à 2.ª Divisão Nacional, os amantes da modalidade começam a movimentar-se e a deixar perceber a ânsia do começo do Campeonato. Na conferência de imprensa que a Direcção academista promoveu na passada quarta-feira, o presidente deixou o apelo para que os viseenses e amigos do Académico se fizessem sócios do clube, para assim se poder sonhar com um patamarmais alto no futebol nacional.A verdade é que a 'saudade' de ver o Acad´émico de Viseu na prova sénior mais importante organizada pela a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), está a fazer-se sentir, deixando a ideia de que com uma campanha mais 'agressiva' e concertada, o objectivo de aumentar o número de sócios até aos 1 500, pode ser atingido.Como foi referido no final da reunião entre os dirigentes academistas, a imprensa e alguns populares que quiseram saber, em primeira mão, quem eram os novos jogadores que iriam fazer parte do plantel, "Viseu já é uma cidade de média dimensão europeia, necessita e pode comporta uma equipa na Liga Sagres".

Apresentação às 19h00

A anteceder o início dos trabalhos de pré-época, os jogadores vão apresentar-se aos sócios e viseenses em geral, em festa que está a ser programada para o Palácio do Gelo.Aquando da conferência de imprensa, tinha sido anunciado que a apresentação seria pelas 21h00, precisamente, no Palácio do Gelo. Posteriormente e depois de acertados todos os pormenores, a Direcção academista e o Gabinete de Comunicação da Visabeira, chegaram à conclusão que a apresentação deveria ser antecipada em duas horas, de modo a que fosse possível cumprir o programa que está a ser elaborado em conjunto.

Autógrafos para os jovens

Um dos motivos que levam a referida antecipação, prende-se com o facto de haver muitos jovens que também querem assistir à festa, não só para conhecerem os atletas mas, igualmente, para que possam obter os habituais autógrafos.


Assembleia-Geral



Depois de eleita a Direcção, liderada por António Albino que se recandidatou ao cargo, no passado mês de Junho, chega agora a altura de dar a conhecer aos sócios as contas da gestão da época passada. Assim, na próxima sexta-feira, pelas 21h00, na Sede Social do clube, vai ter lugar uma Assembleia Geral do Académico para discussão e aprovação do Relatório e Contas. Aliás, este é o ponto único dos trabalhos que se iniciarão meia hora depois, com qualquer número de sócios presentes se à hora agendada não estiver o número de associados estipulados pelo Regulamento.Recorde-se que na aprovação dos Estatutos do clube ficou estabelecido que nenhuma Direcção poderá deixar dívidas para a Direcção que lhe suceder. Esta cláusula era reivindicada há já bastante tempo por todos os que apoiam as boas gestões, evitando assim o acumular de dívidas que 'afogam' fatalmente as colectividades. António Albino é um defensor das boas gestões e foi ele um dos grandes lutadores para que os Estatutos fossem claros nesse aspecto, "acabando com os aventureiros"."Normalmente os que dão um passo maior que as pernas, acabam por escorregar e cair. Entendo que só se pode ir até onde é possível e nunca além disso, pois só dessa forma estamos a contribuir para a credibilidade das instituições e, neste caso, dos clubes. Há que evitar o que se verificou no passado e que levou ao fecho das portas do Clube Académico de Futebol (CAF)", afirmou então o líder da nau academista.A grande maioria dos academistas apoiou a posição de António Albino e seus pares.

Início dos trabalhos

Relembre-se que no dia 27 deste mês vão ter início os trabalhos de preparação da equipa para a próxima época.Os interessados em observar a primeira sessão de treinos poderão deslocar-se, ao final da tarde, ao Estádio Municipal do Fontelo, onde vão ver evoluir os jogadores que vão defender as cores academistas e da região de Viseu no futebol nacional.

Silvino Cardoso in Diário de Viseu
Ler Texto Completo

A época de Polga

Pelo segundo ano consecutivo Andersson Polga não ficou nenhuma vez sentado no banco, sempre que chamado foi titular e nunca foi substituído. Foi apenas uma vez considerado por A MAGIA DO FUTEBOL como o melhor em campo, foi na Figueira da Foz onde o Sporting venceu a Naval por um a zero. Terminou o Top Leonino na 3ª posição com 122 pontos

Sporting 08/09:

Jogos: 42
Titular: 42

Liga Sagres 08/09:

Jogos: 28
Titular: 28

Liga dos Campeões 08/09:

Jogos: 8
Titular: 8

Taça de Portugal 08/09:
Jogos: 2
Titular: 2



Taça da Liga 08/09:

Jogos: 3
Titular: 3

Supertaça 2008:

Jogos: 1
Titular: 1


Amanhã: A época de João Moutinho
Ler Texto Completo

A época de Sérgio

Nome: Carlos Sérgio dos Santos Fonseca
Data de nascimento: 22 de Julho de 1972
Posição defesa central


Números da época:

Jogos: 31
Titular: 31
Titular substituído: 2
Suplente não utilizado: 2
Golos: 2


“Santa Casa da Misericórdia”.”Há muitos jogadores que são demasiado velhos para as posições que ocupam”. “Há jogadores contratados que nem sequer estão aptos para jogar”. “Equipa muito idosa”. “Uma equipa jurássica com vários dinossauros”. “O Sérgio tem uma lesão impeditiva, o que o torna inapto a jogar futebol…”.
Estas palavras aqui em cima não foram proferidas por mim. Foram-no por alguns dos nossos leitores no início da época passada na apresentação dos jogadores. Não inventei nada, está tudo aqui. A época entretanto acabou e a todos eles o capitão mostrou que estavam errados!
Foi por 4 vezes eleito por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, como o melhor em campo. Com o Cinfães, fora, na 1ª fase; em Águeda o Académico venceu (0-3) e Sérgio foi a voz de comando; no terreno do Milheiorense o Académico venceu (1-2) e o capitão mostrou o caminho da vitória; finalmente no empate caseiro frente ao Cinfães onde o Sérgio foi um verdadeiro gigante!
Marcou dois golos. Abriu o marcador em Águeda (0-3) e em Milheirós de Poiares fez o golo do empate na vitória viseense (1-2).
Liderou o Top Academista mas um espectacular fim de época de Augusto fez com que terminasse na segunda posição com 120 pontos.
Por certo não voltará a envergar a camisola academista. Fica para sempre na memória dos adeptos.
OBRIGADO CAPITÃO!


Amanhã: A época de Augusto
Ler Texto Completo

A época de Izmailov

Cresceu a importância deste russo no colectivo do Sporting em relação à época passada apesar de não ter sido tão espectacular. O fim abrupto da temporada, por lesão, levaram-no a cair algumas posições no Top Leonino, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, terminando na 4ª posição com 117 pontos. Teve 4 distinções como melhor do Sporting, a saber, em casa frente ao Shakhtar no jogo que valeu a presença histórica nos oitavos de final da Liga dos Campeões, em Alvalade frente ao FC Porto em jogo a contar para a Taça de Portugal, na vitória leonina na Reboleira (1-3) e finalmente em Alvalade frente ao Braga onde, apesar da derrota, foi o mais esclarecido. Como consequência da sua época foi duas vezes eleito jogador do mês, em Novembro e em Fevereiro.


Sporting 08/09:

Jogos: 34
Titular: 30
Titular substituído: 13
Suplente utilizado: 4
Golos: 4

Liga Sagres 08/09:

Jogos: 22
Titular: 20
Titular substituído: 9
Suplente utilizado: 2
Golos: 3

Liga dos Campeões 08/09:

Jogos: 5
Titular: 5
Titular substituído: 3
Suplente utilizado: 1
Golos: 1


Taça da Liga 08/09:

Jogos: 4
Titular: 3
Suplente utilizado: 1

Supertaça 2008:

Jogos: 1
Titular: 1


Amanhã: A época de Polga
Ler Texto Completo

A época de Tiago Gonçalves

Nome: Tiago Filipe Martins Gonçalves
Data de nascimento: 3 de Setembro de 1986 em Viseu
Estreia pelo AVFC: Académico de Viseu 1 União de Lamas 2
Primeiro golo pelo AVFC: Sátão 0 Académico de Viseu 2


Números da época:

Jogos: 35
Titular: 35
Titular substituído: 2
Golos: 4


Um bom filho volta sempre a casa! Não foi fácil o seu início de época – ele mesmo o reconheceu em entrevista – e as duas expulsões – primeiro em Fiães e depois com o Águeda – levaram a que muitos levantassem dúvidas quanto ao seu real valor. Aos poucos foi crescendo a ponto de ter sido um dos mais influbetes jogadores academistas.
Marcou 4 golos: o primeiro no Sátão (Vitória 0-2), o segundo em Anadia (derrota, 3-2), novamente ao Sátão mas desta vez no Fontelo (4-0) e por fim marcou na Tocha (1-4).
Quanto a distinções individuais A MAGIA DO FUTEBOL considerou que ele foi o melhor academista em 3 ocasiões, no Sátão quando o Académico venceu por duas bolas a zero e Tiago inaugurou o marcador, em São João de Ver no empate a zero e na derrota por um a zero em Anadia. Em Fevereiro foi eleito o jogador do mês.
Terminou a época de estreia nos seniores do Académico de Viseu na 3ª posição do Top Academista com 119 pontos.


Amanhã: A época de Sérgio
Ler Texto Completo

A época de Derlei

Depois de na época anterior uma lesão o ter obrigado a ficar longe dos relvados por muito tempo Derlei acabou por ser deveras importante na época que agora terminou ao ponto de a sua partida deixar nostalgia nos adeptos leoninos. Foi o melhor complemento para Liedson desde que o “levezinho” está no Sporting. Foi por três vezes considerado o melhor sportinguista em campo. Em casa em jogo a contar para a Liga dos Campeões frente ao Basileia; em Guimarães onde o Sporting virou o jogo nos minutos finais (1-2) e onde Derlei mostrou muita garra e no último jogo ao serviço do Sporting marcando dois golos da vitória leonina frente ao Nacional (3-1). Terminou o Top Leonino, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, na 4ª posição com 104 pontos.


Sporting 08/09:

Jogos: 35
Titular: 26
Titular substituído: 12
Suplente utilizado: 9
Suplente não utilizado: 2
Golos: 11

Liga Sagres 08/09:

Jogos: 23
Titular: 18
Titular substituído: 9
Suplente utilizado: 5
Suplente não utilizado: 2
Golos: 7

Liga dos Campeões 08/09:

Jogos: 8
Titular: 6
Titular substituído: 2
Suplente utilizado: 2
Golos: 2

Taça de Portugal 08/09:

Jogos: 1

Suplente Utilizado: 1




Taça da Liga 08/09:

Jogos: 2
Titular: 1
Suplente utilizado: 1
Golos: 2

Supertaça 2008:

Jogos: 1
Titular: 1
Titular substituído: 1


Amanhã: A época de Izmailov
Ler Texto Completo

A época de Rui Santos

Nome: Rui Manuel Pereira Santos
Data de nascimento: 22 de Fevereiro de 1980
Posição: médio/avançado


Números da época:
Jogos: 28
Titular: 23
Titular substituído: 6
Suplente utilizado: 5
Golos: 11


Rui Santos terminou o Top Academista na 4ª posição com 115 pontos mas a certa altura da época parecia mesmo que iria vencer a votação. No entanto as lesões “obrigaram-no” a estar nove jogos longe dos relvados.
Marcou 11 golos durante a época sendo assim o 2º melhor marcador da equipa logo atrás de Zé Bastos. Bisou frente ao Tocha (1-4, fora, na 1ª fase), Valecambrense (2-4, fora) e novamente Tocha (1-4, fora, segunda fase). Marcou ainda a Tondela (1-2, fora, 1ª fase), Águeda (0-3, fora), Tocha (1-4, casa, 1ª fase), Tondela (2-0, casa, 2ª fase) e finalmente o golo que valeu a subida ao Académico de Viseu (2-0, Anadia, casa, segunda fase). Da leitura dos números resulta que marcou mais fora de casa (8-3) e que o seu melhor cliente foi o Tocha com 5 golos, seguido do Tondela com 2.
Por 7 vezes foi por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, considerado o melhor academista em campo: vitória na Tocha (1-4) na 1ª fase; em casa frente ao Anadia na 1ª fase (1-5); no Fontelo frente ao Fiães na 1ª fase (0-1); em casa frente ao Tocha (1-4) na 1ª fase; em casa frente ao Tondela (2-0) na segunda fase; na Tocha na segunda fase (1-4) e, finalmente, frente ao Anadia (2-0) no jogo da subida!
Por 5 vezes foi por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, considerado o jogador do mês: Outubro, Novembro, Janeiro, Maio e Junho!
Uma época fantástica!


Amanhã: A época de Tiago Gonçalves
Ler Texto Completo