2012 - os números academistas

Jogos: 35

Vitórias: 17

Empates: 10

Derrotas: 8

Golos marcados: 52

Golos sofridos: 32



Marcadores


Hélder Rodrigues - 10

Luisinho - 6

Doumbouya - 5

João Paulo - 5

Ricardo Ferreira - 5

Bacari - 4

Bruno Loureiro - 3

Luís Cardoso - 3

Rui Santos - 3

Marco Almeida - 2

Zé Rui - 2

Calico - 1

Campinho - 1

David Nunez - 1

Kifuta - 1




Ler Texto Completo

Resultados e marcadores dos jogos de 2012


Janeiro

Jogador do mês: Bacari

Nogueirense 1-1 Ac. Viseu
(Zé Francisco 67) (Bacari 79)

Ac. Viseu 2-1 Sampedrense
(Luisinho 69, Bacari 90) (Guilherme 86)

Sanjoanense 0-0 Ac. Viseu

Ac. Viseu 2-1 Avanca
(Doumbouya 75, João Paulo 90) (Carlos Pesquina 62)


Fevereiro

Jogador do mês: Marco Almeida


Valecambrense 1-3 Ac. Viseu
(Rui Pedro 85 gp) (Bacari 5, 10, Doumbouya 30)

Ac. Viseu 1-3 O. Hospital
(Doumbouya 86) (Bruno Cardoso 5, Geovane 52, Carlos Almeida 90+5)

Oliveira de Frades 2-0 Ac. Viseu
(João Paulo 28, Gilberto 59)

Ac. Viseu 1-1 Alba
(Rui Santos 75 gp) (Praga 57)


Março 

Jogador do mês: João Paulo


Ac. Viseu 3-0 Penalva do Castelo
(João Paulo 60, Hélder Rodrigues 70, Doumbouya 88)

Bustelo 4-1 Ac. Viseu
(Filipe 30 pb, Inverno 60, Aguiar 75, Gonzaga 90+4 gp) (João Paulo 40)

Nogueirense 1-1 Ac. Viseu
(Zé Francisco 88 gp) (Ricardo Ferreira gp)


Abril

Jogador do mês: Hélder Rodrigues

Ac. Viseu 4-0 Bustelo
(Ricardo Ferreira 21 gp, Luisinho 29, Hélder Rodrigues 65, Doumbouya 81)

Ac. Viseu 3-1 Avanca
(João Paulo, Ricardo Ferreira e Hélder Rodrigues) (Carlos Pesquina)

Alba 0-2 Ac. Viseu
(Hélder Rodrigues, João Paulo)

Ac. Viseu 1-1 Sampedrense
(Ricardo Ferreira 62 gp) (Guilherme 88)

Ac. Viseu 0-0 Nogueirense

Maio

Jogador do mês: Calico

Bustelo 1-0 Ac. Viseu
(Careca 83)

Avanca 1-2 Ac. Viseu
(Carlos Pesquina 60 gp) (Ricardo Ferreira 31 gp, Calico 78)

Ac. Viseu 1-0 Alba
(Luisinho 52)

Sampedrense 0-1 Ac. Viseu
 (Hélder Rodrigues 72)


Agosto

Ac. Viseu 6-0 Prainha
(Luís Cardoso 6, 29 e 43, Luisinho 26 e 60, Bruno Loureiro 88)


Setembro

Jogador do mês: Luisinho

Ac. Viseu 1-1 Cesarense
(Luisinho 71) (Bruno Anciães 29)

Ac. Viseu 0-2 Portimonense
(Simmy 32, Márcio Madeira 45)

Ac. Viseu 5-1 Lusitânia
(David Nunez 9, Hélder Rodrigues 14, 28 e 76, Zé Rui 85)


Outubro

Jogador do mês: Hélder Rodrigues

Nogueirense 1-0 Ac. Viseu
(Hugo Amado 80)

Ac. Viseu 3-1 Pampilhosa
(Rui Santos 50 e 55, Hélder Rodrigues 66)

BC Branco 0-0 Ac. Viseu


Novembro

Jogador do mês: Bruno Loureiro

Operário 4-0 Ac. Viseu
(Dani 24, Forbes 54 e 80, Edi 76)

Ac. Viseu 1-0 Sousense
(Bruno Loureiro 39)

Bustelo 0-0 Ac. Viseu

Ac. Viseu 2-0 Tourizense
(Hélder Rodrigues 34 e Zé Rui 60)

Dezembro

Jogador do mês: Marco Almeida

Cinfães 1-0 Ac. Viseu
(Serra 55)

Ac. Viseu 2-1 Coimbrões
(Marco Almeida 55 gp, 90+4 gp) (Nuno Pinto 65)

Tocha 0-1 Ac. Viseu
(Bruno Loureiro, 61)

Sp. Espinho 2-2 Ac. Viseu
(Miguel Silva 46, Ricardo Correia 59) (Kifuta 87, Campinho 90+1)
Ler Texto Completo

Jogador do mês: Marco Almeida

Nome: Marco António Mendes de Almeida
Data de nascimento: 11/04/1979
Naturalidade: Coimbra
Posição: Defesa/Médio
Estreia: Arouca 1-0 Ac. Viseu (15/11/2009)
Primeiro golo: Oliveira do Bairro 2-1 Ac. Viseu (14/02/2010)
Jogos: 90
Golos: 8
Épocas no Ac. Viseu: 09/13

Números da época:

Jogos: 15
Golos: 2
Foto: Viseu Desportivo

No último mês do ano o jogador academista mais pontuado foi Marco Almeida. O defesa direito academista terminou o mês com 13 pontos deixando na segunda posição Nuno Ricardo com doze pontos e na terceira posição com 11,5 pontos o duo composto por Bruno Loureiro e Campinho. Recorde-se que foi neste mês que Marco Almeida apontou dois golos, ambos de grande penalidade, no mesmo jogo valendo a vitória por 2-1 sobre o Coimbrões.
Marco Almeida jogador do mês - Dezembro de 2012!
Ler Texto Completo

David Nunez sai do Académico

Nome: David Nunez Keto
Data de nascimento: 11/11/1984
Naturalidade: Senegal
Posição: Avançado
Estreia: Ac. Viseu 6-0 Prainha (25/08/2012)
Primeiro golo: Ac. Viseu 5-1 Lusitânia (30/09/2012)
Jogos: 13
Golos: 1
Épocas no Ac. Viseu: 12/13

Continua a reestruturação no plantel do Académico de Viseu. David Nunez já não é jogador do Académico juntando-se assim a Álvaro, Luís Cardoso, Rui Santos, João Ricardo e Pedro Ribeiro. Como entradas registem-se as de Johnny, Kifuta e Mauro Antunes. Outros reforços estarão a caminho de Viseu, embora os nomes estejam em segredo.
A MAGIA DO FUTEBOL agradece o empenho de David Nunez enquanto foi atleta do nosso clube. Boa sorte!
Ler Texto Completo

Sp. Espinho 2-2 Ac. Viseu : Notas aos jogadores


NUNO RICARDO – 4 – Quando teve que defender, foram ocasiões flagrantes do Espinho. E em todas teve um papel decisivo, desviando duas vezes a bola para a barra ou defendendo os remates “à queima” dos avançados; Na parte final ouviam-se os seus gritos de incentivo e para não deixar adormecer a equipa, mesmo com 2-0;
CALICO – 4 – Sempre muito atento e não me lembro de o ver perder alguma disputa de bola. Quer como central como depois como lateral direito, foi dos melhores e tentou sempre levar a equipa para a frente.
CAMPINHO – 3,5 – Com algumas hesitações e com parte de responsabilidade nos golos do Espinho, Campinho estava a ser criticado pelos adeptos. Depois, falhou uma oportunidade em cima da linha de golo que fez desesperar ainda mais. Notava-se algum nervosismo talvez pela nova tática, mas no final aquele pontapé de garra e de força, fora da área, foi o êxtase total.
TIAGO GONÇALVES – 3,5 – Bom regresso à titularidade do Tiago. Talvez pelos 3 centrais, a defesa na primeira parte não pareceu muito pressionante  e os avançados do Espinho entravam com alguma facilidade. Mas aos poucos o Tiago foi melhorando e sempre muito bom a sair a jogar.
RODOLFO SIMÕES – 3 – Um pé esquerdo com muita qualidade. Procura combinações para ir avançando no terreno. Melhorou bastante na parte final com a entrada de Luisinho. Na primeira parte esteve mais distante do jogo.
MARCO ALMEIDA – 3 – Começou a todo o gás, praticamente todos os ataques do Académico foram pelo seu lado e criou várias situações de perigo junto da área do Espinho. Na 2ª parte, teve pouco tempo em campo , foi o 1º sacrificado nas substituições.
BRUNO LOUREIRO – 2,5 – Jogo com várias recuperações de bola do Bruno, mas com pouca presença no meio campo ofensivo. Talvez pelo amarelo que levou ainda na 1ª parte, pareceu algo retraído;
IBRAIMA – 3 – Alguns bons passes em profundidade e também boas recuperações de bola. Por outro lado, teve alguns passes errados que evitaram a saída para o ataque mais vezes;
MAURO ANTUNES – 2,5 – Bastante rápido e dinâmico com a bola, o “baixinho” Mauro dinamizou o pouco ataque que tivemos na 1ª parte. A rever em próximos jogos.
HÉLDER RODRIGUES – 3,5 – Combativo, teve a 1ª grande ocasião com um pontapé de moinho que quase deu golo. No entanto, esteve muito sozinho enquanto a equipa não teve os reforços da 2ª parte.
ZÉ RUI – 3 – Rematou várias vezes. Mérito para essas tentativas. Não conseguiu dar profundidade à equipa e antes de sair já parecia um pouco em esforço e a não tomar as melhores decisões.

Suplentes:
KIFUTA – 3 – Movimentou-se bem entre os defesas, e desmarcou-se algumas vezes. Numa dela, muito bem rematou para o fundo da baliza e fez o 2-1. Fisicamente é forte e podemos tirar proveito disso em próximos jogos.
JOHNNY – 4 – O mais influente no desfecho do resultado, pela nossa ótica claro. Ia atrás buscar jogo, queria a bola nos pés, foi o n.10 que criou vários lances de perigo, bons passes de desmarcação para Kifuta e Hélder. É dele a assistência para o 1º golo do Académico. Tentou também o golo, mas o GR do Espinho defendeu. Muito dinâmico e com qualidade na posse de bola, promete este reforço.
LUISINHO – 3,5 – A sua entrada, abriu o ataque e deu maior rapidez e profundidade ao ataque. Esteve pouco mais de 20 minutos em campo, mas notou-se bem a sua presença, com incursões pela ala esquerda, remates e alguns centros para a área, perigosos.




Ler Texto Completo

Sp. Espinho 2-2 Ac. Viseu FC - Reportagem

Agora sim, com ficha de jogo, crónica, fotos e vídeos!

Sp. Espinho 2-2 Ac. Viseu FC
Estádio Comendador Manuel Violas, 29 de dezembro de 2012
13ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Sp. Espinho: Rafael Grácio; Fábio Ferreira, Ricardo Correia, Miguel Vieira, Caetano e Machado (Hugo Silva , 46m); Fábio Vieira, Valença, Pedro Couto (João Dias, 82m), Capela e Peixe (Jonatas, 56m)

Ac. Viseu: Nuno Ricardo; Marco Almeida (Kifuta, 55m), Calico, Campinho, Tiago Gonçalves e Rodolfo Simões; Ibraima, Bruno Loureiro, Mauro Antunes (Johnny, 60m); Hélder Rodrigues, Zé Rui (Luisinho, 65)
Treinador: Filipe Moreira (na ausência do mister por castigo, ficou o adjunto Joaquim Rodrigues como principal)

Golos:

Sp. Espinho 1-0 Ac. Viseu, Miguel Vieira aos 46m; Ver vídeo aqui:

Sp. Espinho 2-0 Ac. Viseu, Ricardo Correia aos 60m;
Sp. Espinho 2-1 Ac. Viseu, Kifuta aos 88m;
Sp. Espinho 2-2 Ac. Viseu, Campinho aos 92m;

Outro Video - Perdida de Campinho:


Fotos:









Em primeiro lugar começo por falar do estádio… O último jogo que fui ver Sp. Espinho – Ac. Viseu, data de 1991, há mais de 11 anos. Na altura estávamos na II Liga e empatámos a 0-0. O estádio estava praticamente cheio, e era um estádio normal, mas já com algumas dificuldades de acesso e de saída (em caso de fuga de emergência não dá hipótese, a porta de saída é para 1 pessoa de cada vez). O Espinho nesse ano subiu, foi campeão da II Divisão Honra com Quinito como treinador, o “nosso” Paulo Freitas na baliza e alguns jogadores históricos do clube espinhense. O Académico, pelo contrário, desceu de divisão para a II B.
Hoje quando entrei novamente fiquei com imensa pena das condições do estádio. Parece que caiu ali alguma bomba e destruiu as bancadas, a cobertura, tudo! Na casa de banho nem água havia.. É ver as fotos mais abaixo.
Enfim, boa sorte para o Espinho e para o seu futuro, já que é um histórico que  merece melhores condições.
Passemos ao jogo:
O Académico entrou com 3 centrais, e com os 2 laterais subidos, sendo por isso um 3-5-2. O jogo começou até controlado por nós no meio campo, com Ibraima e Bruno Loureiro ativos na recuperação e Mauro Antunes com Marco Almeida a tentar lançar os ataques. Mas Hélder Rodrigues e Zé Rui estavam bastante desacompanhados e não se conseguia fazer aquele passe de ruptura, e criar ocasiões de golo.
O Espinho por sua vez, talvez aproveitando a nova tática do Académico e talvez um menor entrosamento dos jogadores, conseguia entrar na área com aparente facilidade.
Por isso, criou 2 situações de muito perigo. Na primeira Nuno Ricardo defendeu com os pés um remate em cima da pequena área. Na 2ª a bola foi à trave e saiu.
Hélder continuava muito combativo na frente, mas perdeu algumas bolas ou tinha logo 2 ou 3 adversários que lhe faziam frente.
Bruno Loureiro estava bastante ativo na recuperação de bola, tentando entregar a Mauro Antunes que parecia ser o n.10.
No entanto, Bruno vê um amarelo ainda cedo, o que parece ter condicionado a exibição.
Na 1ª parte, houve 2 lances de perigo por parte do Académico. Num , Zè Rui remata, a bola bate num defesa e por pouco não entra na baliza do Espinho . Noutro lance, uma boa incursão de Marco Almeida pela direita, a bola é centrada, chega a Hélder Rodrigues que faz um belo pontapé de moinho, com o remate a sair a poucos centímetros do poste. Era um bonito golo, mas não resultou.
Na 2ª parte, sem alterações, logo aos 2 minutos, falta de Tiago Gonçalves que dá origem a um livre. Nesse livre, a bola é centrada para a área e o defesa Miguel cabeceia sem hipótese para Nuno Ricardo. De certa forma injusta, mas o certo é que o Espinho ia pouco á nossa baliza mas quando ia era com perigo.
A equipa do Académico “sentiu” um pouco o golo mas ainda assim partiu para a ofensiva, com Zé Rui a rematar 2 vezes para as mãos do Guarda Redes do Sp. Espinho que estava algo intranquilo, deixou cair várias bolas. Foi algo que devíamos ter explorado mais durante o jogo
Entretanto, Kifuta entra para o lugar do Marco Almeida. O 3-5-2 desfaz-se e passa-se a jogar com 4 defesas com habitualmente.
O jogo mantém aquela característica de várias recuperações do Académico mas sem eficiência no último passe e por isso sem criar perigo verdadeiro.
Johnny entrou também para o meio campo, no lugar do Mauro Antunes. Este é o momento do jogo, porque Johnny traz segurança, ultimo passe, e controlo de bola ao nosso meio campo.
Hélder Rodrigues tem ainda uma ocasião para o Redes defende.
Johnny ia combinando cada vez mais, principalmente com a ala esquerda, que entretanto é refrescada com Luisinho que entrou muto bem no jogo. Rodolfo Simões dá também um bom apoio e o Académico começa a acercar-se da baliza.
Só que o Espinho, na sequência de um canto, chega ao 2-0. Alguma passividade e o Espinho parece matar o jogo.
Só que os jogadores acreditaram e foram carregando, carregando.. com Johnny a tentar desmarcações de Kifuta cada vez mais.
A 10 minutos do fim, na sequência de um canto, Campinho falha incrivelmente com a baliza à sua frente, mas rematou para as mãos do GRedes (ver vídeo em cima)
Luisinho começa também a encostar a defesa do Sp. Espinho, com as arrancadas, a posse de bola e a profundidade que dá ao jogo.
Luisinho, Johnny e Hélder voltam a rematar para defesa do Guarda Redes contrário.
O Espinho entretanto podia ter feito o 3-0, mas Nuno Ricardo defende e a bola bate ainda na trave.
Até que aos 88 minutos, Johnny desmarca muito bem Kifuta, que entra na área, e à saída do Guarda redes, remata a bola para dentro da baliza: GOOOOOOOOOOOOOLOOOOOOOOOOOOOOO
A equipa parece ter acreditado ainda mais e o Espinho já não se “aguentava” das pernas. Por isso, fomos para cima deles, com Johnny, Kifuta, Hélder e Luisinho a criaram perigo, com a ajuda de Ibraima e de Rodolfo , ativos no ataque.
Aos 92 minutos, há um canto para o Académico e na sequência do mesmo, à entrada da área, Campinho lembra-se de tentar a sua sorte e chuta para a baliza. Pois é.. foi GOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLOOOOOOOOO ACADÉÉÉÉÉMICO!
Golo muito muito festejado por todos, adeptos, jogadores, banco.. soube a vitória este golo. E que golaço. O redes nem se mexeu
Desta vez a equipa é que acreditou e deu a volta, não baixou nunca os braços, como nós próprio adeptos já o fazíamos. Esta é uma prova de que é sempre possível reviravoltas, tem que se acreditar e procurar soluções.
Por último, os adeptos do Académico. Estavam algumas dezenas, o que nesta altura de festas, da família, e ainda com um campeonato por decidir, é um bom sinal.

2-2, OBRIGADO EQUIPA! VONTADE , QUERER, PROCURAR SOLUÇÕES E...MOSTRAR QUEM É O MAIS FORTE! Força Académico!!

Ler Texto Completo

S.C.Espinho 2-2 Ac.Viseu FC

O Académico empatou na deslocação a Espinho a duas bolas. Depois de ter estado a perder 2-0, os academistas conseguiram chegar à igualdade já nos instantes finais da partida com golos de Kifuta e Campinho.
A Magia do Futebol esteve em Espinho e fará a crónica assim que possível.

Força Académico!
Ler Texto Completo

Antevisão 13ªjornada: S.C.Espinho x Ac.Viseu FC




Depois da vitória no terreno do Tocha, nova deslocação, ao terreno do candidato Sp.Espinho. Um jogo que reviverá a memórias de muitos academistas, dado que era vivido como um autentico “derby”. O último jogo entre ambos no Estádio Comendador Manuel Violas realizou-se em 2004, e culminou com a vitória do Espinho por 5-1. De resto, e segundo o site zerozero, dos últimos 9 desafios, o Académico arrecadou 4 empates na condição de forasteiro, e 5 derrotas. Nunca venceu. Nós acreditamos que pode ser desta!

O Sp.Espinho é 3º na tabela classificativa com 22 pontos, mais um que o Académico de Viseu, pelo que se torna importante pontuar nesta difícil deslocação. A equipa orientada por Fernando Valente, é a menos batida desta 2ª Divisão Nacional, apenas com 6 golos consentidos em 12 desafios, o que demonstra uma solidez defensiva apreciável, onde Ricardo Correia é o comandante. No ataque, o avançado Capela é a referência da equipa com 6 golos marcados até ao momento. Força Académico!

Árbitro do encontro vem da A.F. Porto e é o Sr. João Santos.

Sábado, 29 de Dezembro, 15h
Estádio Comendador Manuel Violas
Ler Texto Completo

UD Tocha 0-1 Ac. Viseu FC

Complexo Desportivo da Tocha, 22 de dezembro de 2012
12ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Árbitro: António Costa (Aveiro)

Tocha: Marcos; Curto, Nicolas, Fernando e Rôla (Miguel Cá, int); Ricardo (Russo, 80), Marco  e Gonçalo; Michael, Hugo Seixas (Eric, 60) e André Grou. Treinador: Cláudio Nuno.

Ac. Viseu: Nuno Ricardo; Marco Almeida, Calico, Campinho e Rodolfo Simões; Ibraima, Bruno Loureiro e Luisinho (David Nunez, 39); Hélder Rodrigues (Tiago Gonçalves, 70), Zé Rui e Kifuta (Johnny). Treinador: Filipe Moreira.

Expulsão: Marco 80

Golo: Bruno Loureiro 61 (0-1)

O Académico de Viseu esteve 511 minutos sem marcar qualquer golo fora de casa, mas hoje ao minuto 61, Bruno Loureiro, do meio da rua, acabou com a "maldição". Um golo e três importantes pontos para o nosso clube, num jogo em que o Académico foi muito superior ao seu opositor. Parabéns equipa!


Notas aos jogadores:

4 - Bruno Loureiro

3 – Nuno Ricardo, Marco Almeida, Calico, Campinho, Rodolfo Simões, Ibraima, Hélder Rodrigues, Zé Rui e Kifuta

2,5 – David Nunez

2 – Luisinho

1,5 – Tiago Gonçalves e Johnny.
Ler Texto Completo

Antevisão 12ª jornada: UD Tocha x Ac.Viseu FC





A 12ª jornada ficará marcada pela deslocação do Académico à Tocha, para defrontar a equipa local, atual ultimo classificado desta 2ª Divisão (Zona Centro). A formação da AF Coimbra iniciou o campeonato de forma empolgante, com 5 pontos nas 3 primeiras jornadas (empates a uma bola frente ao Operário e Lusitânia; e vitória frente ao Nogueirense 3-0). Desde então seguiram-se 8 derrotas consecutivas. Contudo, e avaliando o seu plantel, parece-nos uma equipa com alguns valores, como é o caso de experientíssimo central Fernando (muitos anos ao serviço da Naval); Hugo Seixas e André Grou (2 golos cada um na competição) - dois jovens atacantes com valor.

Do lado academista, inicia-se um conjunto de jogos importantes, ou seja, dos próximo 5 desafios, 4 serão fora do Fontelo, metendo-se pelo meio a receção à equipa de S.J.Ver. Sem dúvida, um teste à ambição da equipa, que tem tido nos jogos fora de Viseu, a grande brecha da temporada. Esperemos que já amanhã na Tocha, a formação comandada por Filipe Moreira, passe com distinção este desafio.

Sábado, 22 de Dezembro, 15h
Complexo Desportivo da Tocha
Ler Texto Completo

Pedro Ribeiro "abandona" Académico

Nome: Pedro Miguel Marques Ribeiro
Data de nascimento: 24/05/1988
Naturalidade: Figueira da Foz
Posição: Avançado
Estreia: Ac. Viseu 6-0 Prainha (25/08/2012)
Jogos: 9
Épocas no Ac. Viseu: 12/13

Pedro Ribeiro já não é jogador do Académico de Viseu. De momento desconhecemos em que clube continuará a sua carreira. A MAGIA DO FUTEBOL agradece ao Pedro Ribeiro a forma como defendeu o nosso clube e deseja-lhe boa sorte!
Ler Texto Completo

Ac. Viseu FC 2-1 SC Coimbrões

Estádio do Fontelo, 16 de dezembro de 2012
11ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Árbitro: Jorge Faustino (Leiria)

Ac. Viseu: Nuno Ricardo; Marco Almeida, Calico, Campinho e Rodolfo Simões; Ibraima, Bruno Loureiro (Johnny, 72) e Zé Rui (Kifuta, 70); Hélder Rodrigues (Mauro Antunes, 74), Luisinho e David Nunez. Treinador: Filipe Moreira.

Coimbrões: Ivo; Brandão, Flávio, Nando e Huguinho; Carlos Sousa, Nuno Sousa, Rola; Paulinho (Dany, 57), Penantes (Diogo Costa, 82) e Nuno Pinto. Treinador: Paulo Lima.

Expulsão: Nuno Sousa 55

Golos: Marco Almeida 55 gp (1-0), Nuno Pinto 65 (1-1), Marco Almeida 90+4 gp (2-1)



Vitória importantíssima (são todas) numa altura em que os 3 pontos nos colocam a olhar para cima, de mais perto, e em que a estabilidade emocional da equipa pode ganhar uma nova alma com este resultado conseguido nas condições muito difíceis em que o jogo se disputou.

Começou bem o Académico com o mesmo onze do último jogo, Nuno, na Baliza, Rodolfo, Calico, Campinho e Marco Almeida na Defesa, Ibraima, Bruno Loureiro, Zé Rui, no meio campo e Hélder, Luizinho e Nuñes na frente. 

As jogadas de ataque fluíam com boa qualidade, e em grande número, mas o último passe, o tal último passe, ou o centro para a área, não saía como Filipe Moreira pretendia, e todos nós na bancada, e desta forma, apesar de jogar bem o Académico não conseguia chegar ao golo. O terreno com muita água, é verdade, ainda assim, a permitir jogar futebol, isto durante a primeira parte.

Nos primeiros 30 minutos, a equipa do Coimbrões dava ar de quem não poderia de forma alguma aspirar a algo mais do que retardar o zero-zero, pois me termos ofensivos não criava o mínimo perigo. Mas o futebol tem esta coisa de apenas as que entram contam, e apesar do bom futebol produzido, as oportunidades de golo não abundaram como no último jogo no Fontelo, e o nulo perdurava.

O Fulgor dos primeiros 30 minutos foi desaparecendo e com o terreno cada vez mais encharcado, embora com bom aspeto, o Académico foi deixando de se acercar com tanto perigo da baliza adversária, chegando o intervalo com 0-0.
Começa a 2ª parte, o Académico não faz qualquer alteração e o futebol praticado, também muito por culpa do estado do terreno e da muita chuva que caía sobre o Fontelo, diminui bastante de qualidade, embora a atitude e empenho dos jogadores fosse de louvar perante condições tão adversas.

O jogo estava difícil, mas o Académico acaba por chegar ao golo, perto dos 15/20 minutos, num penalti indiscutível, superiormente marcado por Marco Almeida. Do penalti resulta a expulsão do defesa central do Coimbrões, passando, portanto, o Académico a jogar contra 10. Pensava-se que o jogo estava decidido em termos de vencedor, mas o futebol é um jogo único, e de resultado imprevisível, daí ser tão apaixonante. 

O Coimbrões reage de imediato e mesmo com menos um homem, consegue acercar-se com perigo da área Academista. Contudo, num lance de profunda distração da nossa equipa, 2 jogadores do Coimbrões surgem completamente soltos, na grande área, tendo um deles apenas que escolher para onde queria atirar para fazer golo. Falha muito comprometedora de toda a equipa do Académico e não apenas da sua defesa. 

O Académico acusou muito o golo, era cada vez mais difícil jogar, dada a quantidade de água no campo, e apesar de faltar, ainda, muito tempo, temia-se o pior, pois não era fácil criar oportunidades de golo. 

O Académico, no entanto, nunca desistiu, os jogadores foram buscar foras onde elas já não existiam e acabaram por ser premiados, já no último minuto dos descontos, quando num remate que se encaminhava para a baliza, a bola é interceptada com mão por um defesa do Coimbrões. Marco Almeida, uma vez mais, marcou de forma superior e deu a vitória, justa mas difícil, ao Académico.

Na 2ª parte entraram no Académico Kifuta, Jonnhy e Mauro, e embora nenhum deles se tenha destacado particularmente, o que também não era fácil, dado o estado do terreno, a verdade é que foi devido ao facto de estarem muitos homens na área que o Académico acaba por criar o lance do 2º penalti, que acabou por dar a vitória.

A equipa do Coimbrões que liderou o campeonato nas primeiras jornadas, mostrou na 2ª parte ser uma boa equipa, muito competitiva e que sabe jogar à bola. Na 1ª parte, e em especial na 1ª meia hora deu uma pálida imagem do seu futebol, talvez temendo a superioridade do Académico que foi evidente. É uma equipa que irá conseguir a manutenção sem dificuldades.

A equipa de arbitragem excelente do ponto de vista técnico, mais uma excelente arbitragem, tal como já tinha acontecido em Cinfães, acabou por ter alguns lapsos que se calhar, nem são culpa sua, nomeadamente:

A cor do equipamento do Coimbrões (verde escuro e preto) e do Académico, calção branco e camisola preta dava azo a alguma confusão, isto também porque o tempo estava muito escuro. Na 2ª parte, e bem, o Académico entrou todo de branco, mas o árbitro que deveria entrar de amarelo, por exemplo, veio vestido de preto, o que conjuntamente com o escuro que estava devido ao tempo, dava para confundir com o equipamento do Coimbrões. Não houve qualquer problema, mas poderia ter havido e bastava a equipa de arbitragem ter equipado de amarelo, por exemplo.

Em termos disciplinares algumas falhas, sendo que deu ordem de saída do banco, a Filipe Moreira, por indicação do árbitro auxiliar, naquilo que julgo ter-se-á tratado de um excesso de zelo e de uma precipitação do árbitro auxiliar, pois Filipe Moreira, nada fez (que se visse) que justificasse tal decisão. Filipe Moreira ficou muito chateado e ainda foi dizer ao árbitro auxiliar que não compreendia a sua decisão, mas é também uma lição para Filipe Moreira, ou seja, não dar o mínimo azo aos árbitros para que decidam de forma tão drástica, pois apesar do comportamento exemplar de Filipe Moreira, em todos os Clubes por onde tem passado, parece que há árbitros que gostam de arranjar “complicações”, onde elas parecem, claramente, não existir.

O Académico, na última jornada, em Cinfães acaba por não ter a sorte do jogo, hoje, o Académico vence com justiça, é verdade, mas com alguma sorte, há também que dizê-lo, pois o golo aparece numa altura em que já poucos o julgavam possível, devido ao mau estado do terreno, ao cansaço acumulado, à dificuldade em construir jogadas com verdadeiro perigo e ao adiantado da hora, mas os campeões também se fazem com vitórias conseguidas desta forma.
Os 2 penaltis assinalados são indiscutíveis, apesar de muito contestado o 2º por parte de jogadores e treinador do Coimbrões, o que se compreende, pois custa sempre muito perder um jogo no último minuto dos descontos, mas apenas isso justifica a contestação, pois o penalti existiu mesmo, houve mão do jogador do Coimbrões a impedir que a bola fosse para a baliza.

Tal como eu dizia, uma vitória colocava-nos de novo a olhar para cima mais de perto, e agora há que dar sequência, vencendo o próximo jogo, ele também muito difícil, na TOCHA.

Vamos pensar num jogo de cada vez, trabalhar bem durante a semana, e esperar que sábado o relvado da Tocha esteja em boas condições para que o Académico faça um bom jogo e consiga um bom resultado, a vitória, obviamente!
Joaquim Oliveira, o adjunto de Filipe Moreira assumiu sem qualquer problema o destino do Académico na 2ª parte e acabou por ser premiado na sua ousadia de ter colocado tantos homens na frente!

Há que renovar o cartão livre trânsito que dá entrada em todos os jogos do Académico, no Fontelo, livre do Vento, do Sol e da Chuva. Na Banda Central coberta, são apenas 60 Euros por ANO, para todos os jogos do campeonato nacional da 2ª divisão!
Na Superior são apenas 45 Euros /ano, pouco mais que o preço de um café por semana!

Sê Sócio e traz um amigo!
Força Académico!

Carlos Silva

* texto escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico *


Notas aos jogadores (responsabilidade dos editores do blogue):

5 – Marco Almeida

3 – Nuno Ricardo, Calico, Campinho, Rodolfo Simões, Ibraima, Bruno Loureiro, Luisinho David Nunez

2,5 – Zé Rui, Hélder Rodrigues

2 – Johnny, Mauro Antunes, Kifuta
Ler Texto Completo

Antevisão 11ª jornada: Ac.Viseu FC x SC Coimbrões


Depois da derrota no terreno do líder Cinfães, os academistas quererão regressar aos triunfos já este domingo na receção ao Coimbrões. A equipa forasteira, vem dum jogo a meio da semana frente ao D.Aves a contar para a Taça de Portugal, onde saiu derrotado por 2-1, mas segundo as crónicas do desafio, realizou uma excelente partida. Para o campeonato, a equipa de VNGaia, ocupa a 5ª posição, com 16 pontos, fruto de 4 vitórias e 4 empates. Foi apenas derrotada em duas ocasiões (nas deslocações a Cinfães e Espinho). É uma equipa que marca bastante, 17 tentos em 10 jornadas, com destaque para o centrocampista Carlos Sousa (5 golos na prova). Contudo, defensivamente, é das equipas mais batidas na competição com 16 golos sofridos. Algo a explorar, certamente, pela nossa equipa academista! Paulinho (Nº10 da equipa de Coimbrões) expulso frente ao D.Aves não poderá dar o seu contributo à equipa.
Do lado do Ac.Viseu, Mauro Antunes já se encontra inscrito no site da FPF e poderá eventualmente fazer a sua estreia, caso o técnico Filipe Moreira assim o entenda. Força académico!

Árbitro do encontro: Jorge Faustino AF Leiria
Vem apoiar o teu clube!
Domingo, dia 16 de Dezembro, às 15 horas
Estádio do Fontelo
Bilhetes: Bancada Lateral – 8 euros; Superior Central – 6 euros; Cartão Jovem – 4 euros; ENTRADA GRATUITA a ESTUDANTES até 18 anos
Ler Texto Completo

CD Cinfães 1-0 Ac. Viseu FC

Estádio Municipal Cerveira Pinto, 9 de dezembro de 2012
10ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Árbitro: Rui Fernandes (Viana do Castelo)

Cinfães: Pedro Trigueira; Eduardo, Hélio, Joel e Luís Carvalho; Miguel Moreira, Rúben e Serra (Fabrício, 90+3); Gomes (Carlitos, 83), Diogo Torres e Luís Carlos (Vítor Silva, 66). Treinador: Flávio das Neves.

Ac. Viseu: Nuno Ricardo; Marco Almeida, Calico (Tiago Gonçalves, 66), Campinho e Rodolfo Simões; Ibraima, Bruno Loureiro e Luisinho (Kifuta, 59); Hélder Rodrigues, Zé Rui e David Nunez (Johnny, 73). Treinador: Filipe Moreira.

Golo: Serra 55 (1-0)

"Havia uma grande expectativa em torno deste embate, com as equipas muito empenhadas em conseguir a vitória.
Entraram melhor os visitantes que, por duas vezes, estiveram perto de chegar à vantagem. Porém, a equipa da casa acordou, puxou pelos galões de líder e também poderia ter chegado ao golo.
Na etapa complementar, os donos da casa assumiram o comando das operações e chegaram ao golo da vitória, por Serra, através de um lance de bola parada.
O Académico tentou reagir e chegar ao empate, mas a coesão defensiva do Cinfães anulou as intenções do adversário.
A vitória assenta bem aos locais num jogo com boa arbitragem."

L.V. in A Bola


Notas aos jogadores:

2 – Nuno Ricardo, Marco Almeida, Calico, Campinho, Rodolfo Simões, Ibraima, Bruno Loureiro, Luisinho, Hélder Rodrigues, Zé Rui, David Nunez e Kifuta.

1,5 – Johnny e Tiago Gonçalves
Ler Texto Completo