Recordar: João Paulo Correia

NOME COMPLETO
João Paulo Nascimento Correia
NOME
João Paulo Correia
DATA DE NASCIMENTO
22/10/1966
NATURALIDADE
Viseu
POSIÇÃO
Treinador
ESTREIA
Crato 0-1 Ac. Viseu (05/09/2010)
ÚLTIMO JOGO
Ac. Viseu 1-1 Nogueirense (24/10/2010)
JOGOS
7
VITÓRIAS
4
EMPATES
1
DERROTAS
2
GOLOS MARCADOS
12
GOLOS SOFRIDOS
6
ÉPOCAS
10/11
 Foto retirada do Facebook (desconhecemos o autor)

João Paulo Correia fez parte de diversas equipas técnicas do CAF como adjunto, mas é sobre a sua passagem pelo comando da equipa técnica que nos vamos debruçar.

Foi na época 2010/2011 e João Paulo Correia “só” durou sete jogos, com o Académico, recorde-se, de regresso à III Divisão depois de uma descida no mínimo incompreensível. O presidente academista apresentou-o como “primeiríssima escolha” e houve elogios à sua “qualidade técnica e organizacional”.

Iniciou a época no Alentejo, em jogo a contar para a Taça de Portugal onde venceu o Crato (0-1) e foi no Alentejo que saiu da taça caindo aos pés do então mais experiente Juventude de Évora (1-0).

No campeonato estreou-se com três vitórias consecutivas, venceu fora o Vigor Mocidade (0-2) e Gândara (0-4) e conseguiu uma vitória no Fontelo, arrancada a ferros, sobre o Águias do Moradal (2-1). Depois seguiam-se dois jogos em casa, mas as coisas não correram bem. Com o Benfica de castelo Branco ao minuto 27 já perdia por três bolas e o melhor que conseguiu foi reduzir (2-3), e com o Nogueirense – a “besta negra” do AVFC – “apenas” empatou (1-1).

À 5ª jornada, a apenas três pontos da liderança, foi com incredulidade que os adeptos assistiram ao seu pedido de demissão. O comum dos mortais não percebeu, mas ele lá terá tido as suas razões. Diga-se, como curiosidade, que dos 34 treinadores analisados até ao momento, João Paulo Correia tem a terceira melhor percentagem de vitórias 57,1% (Mariano Amaro e António Caetano fizeram melhor). Mas foram só 7 jogos...
Ler Texto Completo

Recordar: Luís

NOME COMPLETO
Luís Miguel Marques Costa Lopes Coelho
NOME
Luís
DATA DE NASCIMENTO
22/10/1968
NATURALIDADE
Viseu
POSIÇÃO
Médio
ESTREIA
Marinhense 1-1 Ac. Viseu (01/03/1987)
PRIMEIRO GOLO
Águeda 2-1 Ac. Viseu (27/12/1987)
JOGOS
7
GOLOS
1
ÉPOCAS
86/88, 89/90
 
Jogador com formação no Académico de Viseu, estreou-se logo no seu primeiro ano de sénior, lançado por Carlos Alhinho na 21ª jornada da época 86/87. Nessa primeira época fez 5 jogos.

Na época seguinte, a de 87/88, época de subida à I Divisão, foi utilizado em 2 jogos, tendo marcado um golos. Saiu para o Viseu e Benfica (88/89) e regressou ao Académico em 89/90, embora não tenha feito qualquer jogo. Em 90/91 jogou no satélite academista – Viseu Futebol Clube.


Outros clubes: Peniche (91/92), Mangualde (92/93), Sernancelhe (93/94), Fornos de Algodres (94/98, 99/00), Gouveia (98/99), Oliveira de Frades (99/00), Vouzelenses (00/01), Nelas (01/02), Social Lamas (02/03), Carvalhais (03/04) e Abraveses (04/05).
Ler Texto Completo

Recordar: Bruno Ribeiro

NOME COMPLETO
Bruno Miguel Fernandes Ribeiro
NOME
Bruno Ribeiro
DATA DE NASCIMENTO
22/10/1975
NATURALIDADE
Setúbal
POSIÇÃO
Treinador
ESTREIA
Freamunde 0-0 Ac. Viseu (17/02/2016)
ÚLTIMO JOGO
Varzim 2-1 Ac. Viseu (09/03/2016)
JOGOS
5
VITÓRIAS
0
EMPATES
2
DERROTAS
3
GOLOS MARCADOS
2
GOLOS SOFRIDOS
6
ÉPOCAS
15/16
Foto: Diário de Coimbra

Depois de Ricardo Chéu ter sido despedido na época 15/16, muitos foram os nomes dados como possíveis para a sua substituição, mas era o nome de João Eusébio que parecia certo como futuro treinador academista. Esteve inclusive no Fontelo a assistir ao empate caseiro com o Benfica B (2-2), numa partida em que a equipa foi orientada por Tony.

Foi por isso com enorme surpresa que surgiu a apresentação de Bruno Ribeiro. Considerou que vir para Viseu “não era um passo atrás na carreira”, ele que tinha orientado o Ludogorets da Bulgária, e que lhe tinha agradado o projeto do Académico. Chegou em algumas entrevistas em falar em subida de divisão, não na época em questão, mas no futuro.

O projeto, que tanto lhe agradava, durou 5 jogos. Conseguiu um “feito” no Académico que nenhum treinador se pode orgulhar, ou seja, o único treinador, não interino, da história academista, que não venceu qualquer jogo.

No Fontelo perdeu os dois jogos que disputou, e a equipa academista nem um golo marcou (Famalicão 0-1, e Penafiel 0-2). Fora de casa empatou com Freamunde (0-0) e Atlético (1-1) e perdeu com o Varzim (2-1).
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 3-2 AD Valecambrense

Estádio do Fontelo, 22 de Outubro de 2011
6ª Jornada da III Divisão, Série C
Árbitro: João Martins (Coimbra)

Ac. Viseu: Nuno; Calico, Tiago Gonçalves e Canelas (Tiago, int); Filipe (Zito, 78), Álvaro (c) (João Paulo, int), Ricardo Ferreira e Marco Almeida; Hélder Rodrigues, Baio e Bacari. Treinador: António Lima Pereira.

Valecambrense: Nuno Filipe, Sérgio Bruno, Caxana, Garrincha (Tiago Oliveira, 62), Porto, Bento, Marcelo Oliveira, Bruno Fogaça, Rui Pedro (Brinca, 90+2), Ricardo Pina (Mosca, 88) e Paulinho. Treinador: Tijó

Golos: Ricardo Pina 14 (0-1), Marco Almeida 51 (1-1), João Paulo 56 (2-1), Rui Pedro 66 gp (2-2), Bacari 90+1 (3-2)

Ligações:

Ler Texto Completo

Recordar: FC Famalicão 0-1 Ac. Viseu FC


Foto: Record

Estádio Municipal 22 de junho, 21 de outubro de 2017
10ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa)

Famalicão: Gabriel; Joel (Michael Thuique, 79), Nuno Diogo, João Faria e Jorge Miguel; Fred (Willian, 57), Vítor Lima, Hocko e Feliz; Anderson (Rui Costa, 57) e Jaime Poulson. Treinador: Dito

Ac. Viseu: Peçanha; Joel, Bura, Pica e Kiko; Fernando Ferreira, Paná e Zé Paulo; Erivaldo (Fábio Santos, 86), Avto (Yuri, 90+2) e Sandro Lima (Barry, 81). Treinador: Francisco Chaló.

Golo: Avto 34 (0-1)

Ligações:



Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 4-2 Varzim SC

Estádio do Fontelo, 21 de outubro de 2015
11ª Jornada da Liga 2
Árbitro: João Mendes (Santarém)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tomé (c), Mathaus, Bura e Tiago Costa; Capela, Romeu Ribeiro e Clayton; Bruno Carvalho (Carlos Eduardo, int), Tiago Borges (João Ricardo, 76) e Diogo Fonseca (Forbes, int). Treinador: Ricardo Chéu.

Varzim: Kadu, Tiago Lopes, Pedro Santos, Sandro e João Carneiro; Rodrigo Dantas (Vítor Hugo, 64), Pedro Sá e Nelsinho; Adilson (Hernâni, 76), Rui Coentrão e Stanley. Treinador: Quim Berto.

Golos: Tiago Borges 10 (1-0), Diogo Fonseca 30 (2-0), Stanley 44 (2-1), Forbes 55 (3-1), Stanley 66 (3-2), Mathaus 75 (4-2)

Ligação:


Ler Texto Completo

Recordar: AD Valecambrense 1-2 Ac. Viseu FC

Estádio Municipal das Dairas, 21 de Outubro de 2007
7ª Jornada da III Divisão Série C 07/08

Valecambrense: Carlos Filipe, Peixe (Rogério 63), Américo, Nuno Mota, Rui Pedro, Charuto (Hélder Almeida 85), Marquinhos, Ruizinho (Tiago Pina 68), Marcão, Nuno Preto e Douglas. Treinador: Rui Correia.

Ac. Viseu: Manuel Fernandes, Calico (Zé Pedro 87), Negrete, Marcos, Mégane, Beaud, Álvaro, Valério (Zé Teixeira 73), Cardoso, Filipe Figueiredo (Márcio 78) e Zé Bastos. Treinador: Idalino Almeida.

Golos: Negrete 58 (0-1), Filipe Figueiredo 60 (0-2), Rui Pedro 89 (1-2)


Ligações:

Crónica do jogo 
Ler Texto Completo

SC Espinho 3-3 Ac. Viseu FC, 11-10 gp


Este jogo entre dois "históricos" de Portugal foi dos mais emocionantes dos últimos anos, no que toca ao nosso clube. Infelizmente para o Académico, saímos da prova de forma dramática, mesmo na ponta final do desempate.
Tentando descrever o mais possível o filme do jogo, para quem não assistiu, segue uma pequena crónica.

Estádio recheado de adeptos do Espinho, com uma claque ativa do início do ao fim, a apoiar, a cantar, divertida, um excelente exemplo. Falta ao Académico uma claque assim. Do lado do Académico, talvez 30 adeptos.

Em relação ao jogo, o onze do Académico foi : Jonas - Tomé - Lucas - Kevin Medina - Pica - Fábio Santos - Latyr Fall - Paná - Luisinho - Barry - Kwame NSor. 
Ou seja, um claro 3-5-2, com Luisinho a nº10.
Desde cedo se notou duas características do jogo: O Académico apostava em demasia nas bolas longas para NSor , que alem do desgaste que causou, não dava mais do que isso porque não gerava combinações nem jogadas de ataque. A 2ª bola era sistemática do Espinho.
A outra característica era que o lado esquerdo do Ataque do Espinho aproveitou alguns buracos e chegavam à área facilmente.
Foi assim que nasceu o 1º golo. Uma arrancada do lado esquerdo, centro e golo do Espinho. 1-0, grande festa local. 
O Académico continuava igual, sem fio de jogo, sem ideias, sem ligação entre setores e dificuldades visíveis no ataque. Oportunidades zero. Faltava profundidade ao jogo e com Luisinho a 10 e bolas constantemente aéreas pior ainda.
O primeiro remate foi de Paná, aos 15 minutos, ao lado.
A única forma de criar algum frissom foi com cantos e livres mas que eram afastados pela defesa do Espinho 
Manuel Cajuda percebeu isso e mexeu na equipa antes do intervalo.
Saiu Pica e entrou Gabriel. Não demorou muito a dar golo. Jogada de Lucas do lado esquerdo, mete para dentro, fora da área cruza e na pequena área NSor desvia subtilmente a bola para o fundo das redes. Um golo com eficácia porque foi de facto o único remate à baliza. 

2ª parte 

Na 2a parte, não houve alterações. O Académico tentou o jogo mais pelo pé, não apostou tanto nas bolas aéreas mas não criou perigo. Não havia passes de rutura, profundidade e a pressão do Espinho era forte também.
Entretanto, Jaime Poulson tira um coelho da cartola do lado esquerdo, entra na área , centra ao 2º poste e um avançado do Espinho cabeceia para o outro poste, sem hipótese para Jonas. 2-1 e a festa do Espinho aos 72 minutos.

Entram de imediato Gasilin e João Mário no jogo para ainda abrir mais o ataque. A partir daí, sim, o Académico mostrou algo mais. João Mário e Gabriel combinaram bem na direita centram e Gasilin recebe a bola à meia volta e dispara para golo. 2-2, festa dos viseenses no estádio.
Até final nada mais de registo e tínhamos prolongamento.

PROLONGAMENTO


Ao contrário do esperado, o prolongamento não foi um arrastar das duas equipas. O jogo ficou mais partido e houve mais ocasiões para ambos. O Espinho sempre mais por cima, mais perigoso e  com 2 remates perigosos anunciava-se o 3-2. Pois foi do lado esquerdo que Carlitos , experiente jogador da II Liga, faz um golaço, com um remate  de fora da área do lado esquerdo, a entrar no ângulo da baliza de Jonas que ainda tocou  mas não evitou. Pensou-se que o jogo estava acabado.

Só que Manuel Cajuda faz uma substituição que mudou bastante o rumo do prolongamento e dos últimos 15 minutos. Tira Barry e põe Rui Miguel.
A partir daí o nosso 10 pegou no jogo, aproveitou os espaços e em combinações com Gabriel e Luisinho foi criando ocasiões. Foi assim que surgiu o 3-3. Jogada do lado direito, centro e aparece Rui Miguel à boca da baliza a fazer o 3-3. Golooooooooooooooooooo do Académico!! Grande festa, grande festejo do Rui. É bom ter jogadores assim no plantel, com verdadeiro amor à camisola.
Perto do final, jogada com Gasilin bem a antecipar-se ao redes numa atraso do jogador espinhense, a baliza fica desguarnecida, Gasilin centra e NSor com a baliza em frente… manda para a bancada. Foi o desespero dos academistas, porque teria sido uma reviravolta épica e passaríamos de eliminatória.

Eis então que surge um lance polémico no final do prolongamento. Um avançado do Espinho entra na área, Medina faz carrinho, parece-nos que toca na bola e depois é que se dá o contacto, mas o árbitro (que sofreu muita pressão dos adeptos durante todo o jogo, marca penalty. O jogador do Espinho parte para a bola, mas Jonas fez uma grande defesa e evita o 4-3 a sentença final no jogo. Foi uma boa defesa e que augurava uma motivação extra para o guardião nos penalties

PENALTIES

Muito sofrimento em todos os adeptos. Rui Miguel marca o primeiro (ver vídeo abaixo, Latyr Fall falha o segundo. A partir daí nunca mais houve falhas dos jogadores do Académico e do Espinho. Foram 11 penaltys seguidos, incluindo os guarda redes. Por isso voltou ao início da rodada e aí Rui Miguel atirou por cima e o Espinho marcou. Vitória para o Espinho, uma passagem merecida.


Ler Texto Completo

Recordar: COL Oriental 1-1 Ac. Viseu FC (3-5 GP)

Campo Engenheiro Carlos Salema, 20 de outubro de 2013
3ª Eliminatória da Taça de Portugal
Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria)

Oriental: Botelho, Carlos Alves, João Amorim, Daniel Almeida, Hugo Grilo, Tom, Jaime Seidi, Tiago Mota (Pedro Lopo, 76), Ballack (Pedro Alves, 73), Mauro Bastos e Sebastião Nogueira (Anderson, 84). Treinador: João Barbosa.

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tiago Rosa, Tiago Gonçalves, Paulo Monteiro e Leonel (Cafú, 68); Capela (Marco Lança, int), João Martins e Bruno Loureiro; Luisinho, Ouattara (Zé Rui, int) e Diogo Alves. Treinador: Filipe Moreira.

Expulsões: Carlos Alves 90+4 e Zé Rui 93

Golos: Sebastião Nogueira 38 (1-0), Cafú 90+4 (1-1)

Grandes penalidades: 0-1 Diogo Alves, 0-1 Pedro Alves (poste), 0-2 Marco Lança, 1-2 Mauro Bastos, 1-3 Cafú, 2-3 Pedro Lopo, 2-4 Paulo Monteiro, 3-4 Anderson, 3-5 João Martins.


Ligação: Crónica do jogo
Ler Texto Completo

Recordar: Kaíca

NOME COMPLETO
Carlos Eduardo Pereira Alhinho
NOME
Kaíca
DATA DE NASCIMENTO
20/10/1971
POSIÇÃO
Avançado
ESTREIA
Ac. Viseu 2-0 Feirense (22/03/1992)
PRIMEIRO GOLO
Ac. Viseu 2-0 Feirense (22/03/1992)
JOGOS
10
GOLOS
1
ÉPOCAS
91/92


Filho de um saudoso treinador academista – Carlos Alhinho que foi o treinador que o lançou no CAF – alinhou no Académico de Viseu em 10 jogos tendo marcado 1 golo. 

Marcou logo na sua estreia mas as boas indicações que deu desvaneceram-se com o passar do tempo. 

Silves (90/91), Barreirense (92/93), Penafiel (93/94) e Rayyan (Qatar em 95/96) são outros dos clubes por onde passou Kaíca. 
Ler Texto Completo

Apresentação do adversário: SC Espinho


Nome: Sporting Clube de Espinho
Data de Fundação: 11/11/1914
Cidade: Espinho
Associação: Aveiro
Estádio: Estádio do Bolhão - Fiães
Equipamento: camisola preta e branca listada verticalmente, calções pretos, meias pretas


Como se apurou

Na primeira eliminatória eliminou o CD Cinfães (0-0) após grandes penalidades fora de casa e na segunda eliminatória o SU Sintrense (0-0) desta feita em casa e nos penaltys.

Passado na Taça de Portugal

41/42 – Eliminado pelo Vitória SC (4-1) depois de ter eliminado o Carcavelinhos (4-2);
54/55 – Eliminado pelo CF «Os Belenenses» (5-0);
55/56 – Eliminado pelo FC Tirsense (3-2);
56/57 – Eliminado pelo Gil Vicente FC (3-8 nas duas mãos);
58/59 – Fase de grupos com Leixões SC, FC Tirsense e AD Sanjoanense, terminado em último;
59/60 – Eliminado pelo Sporting CP (2-9 nas duas mãos), depois de eliminar o Lusitano FC (vrsa) por 7-0 nas duas mãos;
61/62 – Eliminado pelo FC Porto (4-11 nas duas mãos);
62/63 – Eliminado pela CUF (2-5 nas duas mãos);
63/64 – Eliminado pelo AC Marinhense (1-2 nas duas mãos);
64/65 – Eliminado pelo Sporting CP (0-9 nas duas mãos), depois de ter eliminado o CF União de Lamas ao terceiro jogo (1-0);
65/66- Eliminado pelo Portimonense SC (0-1);
66/67 – Eliminado pelo SC Braga (1-8 nas duas mãos);
67/68 – Eliminado pelo Varzim SC ao terceiro jogo (3-1);
68/69 – Eliminado pelo SC Olhanense (2-0);
69/70 – Eliminado pelo AD Fafe (1-0);
70/71 – Eliminado pelo SC Salgueiros (1-2);
71/72 – Eliminado pelo SU Sintrense (3-1), depois de ter eliminado UC Eirense (0-3) e Varzim SC (2-0):
72/73 – Eliminado pelo Leça FC (2-1), depois de ter eliminado o GD Mangualde (2-0) e GD Valpaços (0-1);
73/74 – Eliminado pelo FC Famalicão (2-0), depois de ter eliminado o CF União de Coimbra (3-4);
74/75 – Eliminado pelo Boavista FC (3-0);
75/76 – Eliminou Leça FC (9-0) e SC Covilhã (2-0), eliminado por Almada AC (3-2);
76/77 – Eliminou AD «Os Limianos» (4-0 no desempate), Luso FC (4-0 no desempate) e Marítimo SC (0-4), eliminado pelo SL Benfica B (5-1);
77/78 – Eliminado pelo Sporting CP (3-1);
78/79 – Eliminou SC Vianense (1-2), Silves FC (3-1), FC Vizela (2-3) e CD Paços de Brandão (3-1), eliminado pelo Académico de Viseu (2-1, Joaquim Rocha e Orivaldo);
79/80 – Eliminou CD Amiense (8-0), eliminado pelo Sporting CP (4-1);
80/81 – Eliminou CD Pataiense (0-2), eliminado pelo Vasco da Gama AC (2-0 no desempate);
81/82 – Eliminou FC Marco (2-0), SL Marinha (3-0), Leça FC (1-0 no desempate), eliminado pelo FC Porto (5-1);
82/83 – Eliminou Juventude SC (2-1), CD Aves (3-0), Lusitano GC (1-0 no desempate), eliminado pelo FC Porto (3-1);
83/84 – Eliminou FC Lixa (1-2), eliminado pelo GD Estoril Praia (2-1);
84/85 – Eliminou UD Leiria (2-19, eliminado pelo Portimonense SC (3-1);
85/86 – Eliminou UD Leiria (0-2), eliminado pelo FC Penafiel (0-2 no desempate);
86/87 – Eliminado pelo UR Mirense (2-1);
87/88 – Eliminou UFC Almeirim (2-0), UR Mirense (1-4) e COL-Oriental (1-2), eliminado pelo FC Porto (3-1);
88/89 – Eliminou o GD Santacombadense (7-0 no desempate), CSD Câmara de Lobos (1-4), Boavista (2-1) e CF Estrela da Amadora (1-0), eliminado pelo CF «Os Belenenses» nos quartos-de-final;
89/90 – Eliminou Moura AC (4-0) e AD Ovarense (7-1), eliminado pelo CF «Os Belenenses»;
90/91 – Eliminou o CD Aves (1-0), eliminado pelo Vitória FC (0-1 no desempate);
91/92 – Eliminou União FCI Tomar (1-2 no desempate), UD Leiria (3-1), Vitória SC (2-0) e GD Chaves, eliminado pelo SL Benfica (6-0);
92/93 – Eliminado pelo FC Penafiel (3-1);
93/94 – Eliminou Amora FC (2-0), FC Paços de Ferreira (2-1) e CS Marítimo (0-1), eliminado pelo Rio Ave FC (2-1);
94/95 – Eliminou pelo Gondomar SC (1-4), eliminado pelo Sporting CP (1-0);
95/96 – Eliminou Seixal FC (0-5), eliminado pela AAC-Académica (1-0);
96/97 – Eliminou o SC Lamego (1-0), eliminado pelo  SC «Os Dragões Sandinenses» (0-1 no desempate);
97/98 – Eliminado pelo SC Beira-Mar (1-0);
98/99 – Eliminado pelo CD Santa Clara (1-2 no desempate);
99/00 – Eliminado pelo SC Freamunde (2-0);
00/01 – Eliminado pelo FC Penafiel (1-3);
01/02 – Eliminou o GD Sourense (4-0), eliminado pelo SC Salgueiros (0-1 no desempate);
02/03 – Eliminou SC Maria da Fonte (3-1), UD Vilafranquense (3-0), CD Santa Clara (grandes penalidades). Eliminado pelo ANM-Naval (grandes penalidades);
03/04 – Eliminou SC Pombal (1-0), eliminado pelo FC Penafiel (2-0);
04/05 – Eliminou Almada AC (3-1), CD Santa Clara (1-0), eliminado pelo SC Beira Mar (grandes penalidades);
05/06 – Eliminou o Fiães SC (1-0), eliminado pelo AD Oeiras (1-2);
06/07 – Eliminou o JD Carregosense (2-1), Eléctrico (2-1), eliminado pelo Louletano DC (1-0);
07/08 – Eliminou o FC Pedras Rubras (2-0), eliminado pelo Abrantes (4-2);
08/09 – Eliminado pelo Lusitânia de Lourosa FC (1-2);
09/10 – Eliminou GD Bragança (5-0), eliminado pelo CF União (3-2);
10/11 – Eliminou GD Sesimbra (1-0), GUS de Montemor (1-2), AD Pontassolense (4-1), eliminado pelo Leixões SC (1-2);
11/12 – Eliminou FC Madalena (1-3), CSD Câmara de Lobos (4-0), eliminado pelo SC São João de Ver (em casa nas grandes penalidades);
12/13 – Eliminou URD Tires (1-0) e AA Avanca (0-3), eliminado pelo CD Nacional (4-0);
13/14 – Eliminou GD Águias do Moradal (0-2), eliminado pelo Varzim SC (3-0);
14/15 – Eliminou AD Camacha (grandes penalidades), AD Sanjoanense (1-0) e CF Serzedo (grandes penalidades), eliminado pelo Sporting CP (0-5);
16/17 – Eliminado pelo CD Cinfães (4-0);
17/18 – Eliminou Aliança FC de Gândara (grandes penalidades), LGC Moncarapachense (1-0), eliminado pelo UD Leiria (2-0).


O jogo será em Fiães

Passado em Comum:

Académico e Espinho encontraram-se 51 vezes, sendo um dos adversários que o Académico mais vezes defrontou. Nesse período o Académico venceu 16 jogos, empatou 13, perdeu 22, marcou 72 golos e sofreu 90. A saber:

36/37 (II) – Espinho 1-4 Ac. Viseu (desconhece-se marcadores); Ac. Viseu 1-2 Espinho (desconhece-se marcadores);
42/43 (II) - Ac. Viseu 6-0 Espinho (desconhece-se marcadores); Espinho 2-3 Ac. Viseu (desconhece-se marcadores);
46/47 (II) – Ac. Viseu 2-1 Espinho (Esteves, Ferreira); Espinho 10-1 Ac. Viseu (Esteves);
53/54 (II) – Ac. Viseu 2-1 Espinho (Delfim, Pedro), Espinho 4-1 Ac. Viseu (Raul Silva);
54/55 (II) – Ac. Viseu 3-3 Espinho (Rodrigues, Pedro, Ângelo); Espinho 5-1 Ac. Viseu (Pipa);
55/56 (II) – Espinho 4-1 Ac. Viseu (Avelino), Ac. Viseu 4-2 Espinho (Avelino, Santiago 2, Esteves);
59/60 (II) – Espinho 2-2 Ac. Viseu (Vasques, Ramiro), Ac. Viseu 4-0 Espinho (Ortega, Orlando, Amadeu, Raul);
62/63 (II) – Espinho 2-1 Ac. Viseu (José Manuel), Ac. Viseu 1-0 Espinho (João Pereira);
66/67 (II) – Espinho 1-1 Ac. Viseu (Basto), Ac. Viseu 1-0 Espinho (Vasconcelos);
66/67 (Taça Ribeiro dos Reis) – Ac. Viseu 3-4 Espinho (Óscar, Basto 2);
67/68 (II) – Espinho 2-2 Ac. Viseu (Basto, Rodrigo), Ac. Viseu 1-2 Espinho (Inácio);
67/68 (Taça Ribeiro dos Reis) – Ac. Viseu 3-0 Espinho (Basto, Óscar, Rodrigo);
68/69 – Ac. Viseu 1-0 Espinho (Basto), Espinho 1-0 Ac Viseu;
69/70 – Espinho 1-0 Ac. Viseu, Ac. Viseu 0-3 Espinho;
69/70 (Taça Ribeiro dos Reis) – Espinho 5-0 Ac. Viseu;
78/79 (Taça de Portugal) – Ac. Viseu 2-1 Espinho (Joaquim Rocha, Orivaldo);
80/81 (I) – Espinho 0-0 Ac. Viseu, Ac. Viseu 0-0 Espinho;
81/82 (I) – Espinho 4-1 Ac. Viseu (Joel), Ac. Viseu 0-0 Espinho;
88/89 (I) – Espinho 1-0 Ac. Viseu, Ac. Viseu 0-2 Espinho;
89/90 (II) – Espinho 4-1 Ac. Viseu (Quim), Ac. Viseu 2-0 Espinho (Fanfali, Abel);
90/91 (H) – Ac. Viseu 0-0 Espinho, Espinho 0-0 Ac. Viseu;
91/92 (H) – Ac. Viseu 1-2 Espinho (Albuquerque), Espinho 0-0 Ac. Viseu;
93/94 (H) – Ac. Viseu 3-0 Espinho (José Luís, Marcelo Sofia 2), Espinho 2-1 Ac. Viseu (Zé de Angola);
95/96 (H) – Espinho 1-0 Ac. Viseu, Ac. Viseu 0-0 Espinho;
97/98 (H) – Ac. Viseu 1-2 Espinho (Sérgio), Espinho 1-1 Ac. Viseu (Pinha);
03/04 (II) – Ac. Viseu 1-3 Espinho (Paulo Listra), Espinho 5-1 Ac. Viseu (Lemos);
12/13 (II) – Espinho 2-2 Ac. Viseu (Kifuta, Campinho), Ac. Viseu 3-0 Espinho (Luisinho, Hélder Rodrigues, Horácio).


 Imagem do jogo de 90/91 em que o Académico podia ter subido à I Divisão

Plantel

Guarda Redes

Tiago Pereira – 17 anos, ainda júnior;
Victor Braga – 26 anos, brasileiro e SC Freamunde. Teve contrato com o Moreirense FC. Em 16/17, ao serviço do Famalicão defrontou o Académico (1-1 no Fontelo «Bura»);
Rui Nibra – 24 anos, ex AD Fafe. Jogou no nosso distrito (CD Cinfães), mas nunca defrontou o nosso clube;


Defesas:

Ricardo Boaventura – 19 anos, natural de cabo Verde, ex júnior;
Ferreira – 19 anos, ex júnior;
Vítor Tavares (DD/DE) – 19 anos, ex júnior do FC Paços de Ferreira;
Rafa (DD/DE) – 19 anos, ex júnior;
Gonçalo Cardoso (DE/ME) – 27 anos, ex GD Gafanha. Já jogou na primeira divisão ao serviço do Vitória SC. Nunca defrontou o Académico;
João Ricardo (DD/MDC) – 27 anos, terceira época no clube. Tem 48 jogos como atleta do Académico. Na época 13/14 defrontou o Académico ao serviço do Feirense (1-1 no Fontelo golo de Cafú);
José Santos (DC) – 25 anos, 2ª época no clube. É sobrinho do antigo treinador do Académico António Lima pereira. Tem feito carreira no CPP pelo que nunca defrontou o Académico;
Gil Dias (DC) – 25 anos, ex GD Gafanha. Terminou a formação no FC Porto. Carreira da distrital e no CPP e nunca defrontou o Académico;
João Pinto (DC/MDC) – 32 anos, terceira época no clube. Carreira na distrital e no CPP. Nunca defrontou o nosso clube;


Médios

Zé Nando (MDC/DC) – 22 anos, ex Atlético dos Arcos. Nunca defrontou o Académico;
Edgar Abreu (MC) – 24 anos, ex CD Nacional. Já actuou na primeira divisão ao serviço do Nacional. Ao serviço do Olhanense perdeu com o Académico na época 16/17 ao serviço do Olhanense (1-2, Bura e Zé Paulo);
André Luiz (MO) – 29 anos, brasileiro, ex Aliança de Gandra. Quase sempre na distritsal. Nunca defrontou o Académico>;
Leo Cordeiro (MO) – 23 anos, brasileiro, 2ª época no clube. Antes jogou no Brasil, pelo que nunca defrontou o Académico;
Luka Oliveira (MO/EE) – 20 anos, segunda época no clube. Formado no Boavista FC e FC Porto. Nunca defrontou o Académico;
Wilson Rodrigues (EE/DE) – 25 anos, ex Figueirense (AF Guarda). Tem jogado na distrital e nunca defrontou o Académico;


Avançados

Van Zeller (A) – 28 anos, quarta época no clube. Nunca defrontou o Académico;
Clemer (A) – 21 anos, brasileiro, ex Ferroviário (Brasil).
Carlitos (ED) – 33 anos, formado no Espinho onde tem 5 épocas de sénior. Já defrontou várias vezes o Académico. Em 09/10, ao serviço do Monsanto venceu em casa (1-0). Em 13/14 ao serviço da Oliveirense perdeu em casa (1-2, João Alves e Cafú). Em 14/15 pela Oliveirense empatou em casa (3-3, Luisinho, autogolo e Tiago Almeida), sendo o marcador de um golo e perdeu no Fontelo (1-0). Em 15/16 e ainda na oliveirense perdeu em casa (0-2, Bura e Yuri)
Kenny Neves (EE) – 19 anos, natural de Cabo Verde, ex júnior. Nunca defrontou o Académico;
Ivan Santos (ED/EE) – 30 anos, ex Gondomar SC. Tem experiência de primeira liga e Segunda Liga (125 jogos e 8 golos). Já defrontou o Académico: Em 11/12, ao serviço da UD Oliveirense eliminou o Académico da Taça e marcou-nos um golo (5-2, Marco Almeida, Hélder Rodrigues); Em 13/14 pelo FC Penafiel perdeu em Viseu (1-0, Bruno Loureiro). Em 15/16 pela UD Oliveirense empatou em casa (3-3) e perdeu no Fontelo (1-0, João Amorim);
Paulinho (EE/ED) – 21 anos, brasileiro, 2ª época no clube. Nunca defrontou o Académico;
Cooper (PL) – 21 anos, ex FC Arouca. Nunca defrontou o Académico;
Gustavo Souza (PL) – 22 anos, brasileiro, ex Volta redonda (Brasil);
Jaime Poulson (PL) – 29 anos, ex FC Famalicão. Tem uma dezena de jogos na primeira divisão ao serviço do FC Paços de Ferreira. Já defrontou o Académico. Em 13/14 ao serviço do CD Aves jogou contra o Académico (3-0 no Fontelo). No ano passado ao serviço do Famalicão perdeu em casa contra nói (0-1, Avto), vencendo depois no Fontelo (0-);


Jogadores que atuaram em ambos os clubes:

Amorim – Académico (01/02), Espinho (02/03, 07/10);
Bertinho – Académico (03/04), Espinho (06/07);
Besirovic – Académico (92/94), Espinho (95/97);
Bispo – Académico (99/01), Espinho (02/03);
Cardoso – Académico (07/08), Espinho (91/96);
Delgado – Académico (87/89), Espinho (96/97);
Faustino – Académico (76/77), Espinho (74/76);
Fernando Ferreira – Académico (08/10, 17/19), Espinho (06/07);
Gerson – Académico (91/97), Espinho (99/00);
Horácio – Académico (12/13), Espinho (08/11);
Ido – Académico (97/98), Espinho (00/01);
Jacinto – Académico (83/84), Espinho (80/82);
João Ricardo – Académico (14/16), Espinho (10/11, 17/19);
José Fernandes – Académico (81/82), Espinho (84/85);
José Freixo – Académico (78/79), Espinho (79/81);
José Manuel – Académico (79/81), Espinho (84/85);
Júlio – Académico (66/67), Espinho (70/75);
Kappa – Académico (87/89, 91/93), Espinho (94/95);
Luís Póvoa – Académico (89/91, 00/01), Espinho (98/99);
Manú – Académico (96/97), Espinho (95/96);
Marco Abreu – Académico (94/98), Espinho (07/10);
Micas – Académico (02/04), Espinho (05/06);
Momade – Académico (73/75), Espinho (67/68, 72/73);
Murraças – Académico (66/67), Espinho (67/68);
N’Habola – Académico (79/80), Espinho (84/85);
Paulo Freitas – Académico (99/00, 08/11), Espinho (91/94, 95/96);
Paulo Gomes – Académico (04/05), Espinho (06/07);
Paulo Monteiro – Académico (13/14), Espinho (11/12);
Ramos – Académico (66/67), Espinho (65/66);
Santos - Académico (77/78), Espinho (79/81);

Jogadores academistas que mais marcaram ao SC Espinho: Basto – 6 golos;

Jogador academista que mais vezes defrontou o SC Espinho – Basto (16);

Onze tipo academista: Pais; Vítor, António Alfredo, Costa Fernandes e Mário; Rui Lage, Chalana e João Manuel; Jorge Gomes, Rodrigo e Basto.

Ler Texto Completo