Jogador do mês: Augusto

Pela segunda vez na época – já o havia sido em Dezembro – Augusto é eleito pelos editores de A MAGIA DO FUTEBOL como o jogador do mês (Abril 2009). Augusto terminou o mês com 23 pontos e foi destacado como o melhor academista em campo em Tondela (apesar do 3-0) e em Cinfães altura em que recebeu nota 5 pela bela exibição e sobretudo pela grande penalidade defendida que permitiu trazer do norte do nosso distrito 3 pontos que poderão valer ouro. Abril foi também o mês em que o guardião academista passou a ser o jogador academista mais pontuado por A MAGIA DO FUTEBOL superando Sérgio (viva a veterania!). Luís costa com 16 pontos e Casal com 15 ficaram nas posições subsequentes.
Ler Texto Completo

Top academista

1º Augusto 105

2º Sérgio 100

3º Tiago Gonçalves 93

4º Zé Bastos 92

5º Álvaro 85

6º Casal 84

7º Rui Santos 81

8º Calico 78

9º Éverson 73

10º Luís Costa 62

11º Fernando Ferreira 58

12º Rui Lage 56

13º Leandro 56

14º Filipe 46

15º Milford 44

16º Alexandre 33

17º Filipe Figueiredo 29

18º Lopes 18

19º Márcio 16

20º Parma 9

21º Paulo Freitas 7


22º Cabido 4

23º Valdo 3

24º Zé António 1

25º Ricardo Gomes 1

Ler Texto Completo

Abril academista

1ª Jornada da segunda fase
05/04/2009
Académico de Viseu 2 Fiães 1
(Zé Bastos 26, Éverson 51) (Cardoso 71 g.p.)
Melhor em campo: Luís Costa

2ª Jornada da segunda fase
11/04/2009
Tondela 3 Académico de Viseu 0
(Beré 58 g.p., 90, Piojo 83)
Melhor em campo: Augusto

3ª Jornada da segunda fase
19/04/2009
Cinfães 1 Académico de Viseu 2
(Filipe Carvalho 57) (Parma 71, Milford 75)
Melhor em campo: Augusto

4ª Jornada da segunda fase
26/04/2009
Académico de Viseu 1 Tocha 1
(Zé Bastos g.p.) (?)
Melhor em campo: Casal

Jogos: 4
Vitórias: 2
Empates: 1
Derrotas: 1
Golos marcados: 5
Golos sofridos: 6

Marcadores:
Zé Bastos – 2
Éverson – 1
Parma – 1
Milford - 1
Ler Texto Completo

Jogador do mês: Liedson


Pela 3ª vez na época – já o havia sido em Outubro e Janeiro – e pela 4ª vez desde que esta rubrica foi implementada em A MAGIA DO FUTEBOL, Liedson é o jogador do mês (Abril 2009). Liedson terminou o mês com 20 pontos deixando nas segundas e terceiras posições, respectivamente, João Moutinho e Derlei ambos com 14 pontos. É uma “eleição” que não deixa dúvidas em ninguém, 4 dos oito golos leoninos apontados este mês foram de sua autoria e assim de cabeça lembro-me ainda do passe para Derlei no golo que valeu a vitória no Estádio do Mar e ainda o passe para o golo de Postiga em Alvalade frente ao Estrela. Foi ainda considerado pelo editores de A MAGIA DO FUTEBOL como o melhor em campo em duas ocasiões em Abril, no Sporting 3 Naval 1 e no Sporting 2 Estrela 1.
Ler Texto Completo

Top leonino

1º Liedson 136

2º João Moutinho 130

3º Izmailov 116

4º Polga 115

5º Daniel Carriço 94

6º Rui Patrício 92

7º Pereirinha 88

8º Derlei 88

9º Caneira 79

10º Hélder Postiga 79

11º Rochemback 78

12º Miguel Veloso 75

13º Abel 72

14º Romagnoli 60

15º Vukcevic 58

16º Yannick 56

17º Pedro Silva 54

18º Tonel 48

19º Grimi 45

20º Adrien 36

21º Tiago 32

22º Tiui 10

23º Ronny 9

24º Ricardo Batista 3
Ler Texto Completo

Abril leonino

5 De Abril de 2009
23ª Jornada da Liga Sagres


Leixões 0 Sporting 1
(Derlei, 13)

Melhor em campo: João Moutinho

11 De Abril de 2009
24ª Jornada da Liga Sagres


Sporting 3 Naval 1
(Pereirinha, 13, Liedson 27, 90+3) (Marcelinho, 16)
Melhor em campo: Liedson

18 De Abril de 2009
25ª Jornada da Liga Sagres


Vitória de Guimarães 1 Sporting 2
(Roberto 56) (Derlei 81, Liedson 89)
Melhor em campo: Derlei

25 De Abril de 2009
26ª Jornada da Liga Sagres


Sporting 2 Estrela da Amadora 1
(Hélder Postiga 19, Liedson 55) (Goianira 45)
Melhor em campo: Liedson

Jogos: 4
Vitórias: 4
Empates: 0
Derrotas: 0
Golos marcados: 8
Golos sofridos: 3

Marcadores:
Liedson: 4
Derlei: 2
Hélder Postiga: 1
Pereirinha: 1
Ler Texto Completo

Há dois anos

A 29 de Abril de 2007 o Académico de Viseu venceu no Fontelo o Paivense por 1-0. O golo academista foi apontado por Negrete logo aos 15 minutos. O Académico marcou cedo mas sofreu, muito, para vencer. Recorde aqui e aqui.
Ler Texto Completo

Estrelas do passado: Mascarenhas

Nome: Domingos António da Silva “Mascarenhas
Data de nascimento: 28/04/1937
Posição: avançado
Épocas no Sporting: 62/65
Títulos: 1 taça das taças, 1 taça de Portugal



Já não há pérolas destas saídas da “África portuguesa” ou então ainda há mas os responsáveis andam distraídos. Rezam as crónicas que tanto era de fazer magníficas exibições como logo de seguida era uma sombra de si próprio. Está na história das taças europeias pois é o recordista de golos marcados num só jogo – seis – na vitória leonina frente ao APOEL (16-1). Comemora hoje 72 anos. Parabéns!
Ler Texto Completo

Faltou um comandante ao meio campo !

Casal - 3 - Deve ter sido dos jogadores que teve mais trabalho. O nº 10 da equipa da Tocha era um autêntico quebra cabeças. Casal lá se foi aguentando, uma vez ganhando noutras perdendo os lances.
Não foi fácil a decisão acerca do melhor em campo, porque neste jogo, não houve nenhum jogador que se tivesse destacado.
A escolha caiu sobre este jogador, porque foi o que teve o "osso mais duro de roer".

Augusto - 3 - Jogo Seguro. Embora a equipa da Tocha seja boa tecnicamente, nunca incomodaram com perigo a sua baliza.

Alexandre - 3 - A qualidade e o sentido posicional continua bem patente, mas já tem de fazer da experiência a sua principal arma para parar os adversários. Apareceu bem na segunda parte a fazer cruzamentos para a área.

Tiago - 3 - Disse mais que uma vez no inicio da época que este jogador para internacional Português me estava a desiludir um pouco. Cresceu muito ao lado de Sérgio, e agora sim posso afirmar ser um jogador bem dotado tecnicamente.

Sérgio - 3 - Foi mais uma vez um jogador importante, o nosso capitão. Teve a infelicidade de ter falhado apenas uma vez e logo no golo da equipa adversária. Mais uma vez e em missão de sacrifício, lá foi para a frente de ataque na tentativa de empurrar a sua equipa para o golo da vitória.

Álvaro - 2 - Não fez um bom jogo, esteve muito discreto. Na 2º parte houve um livre directo bem a seu jeito, mas acabou por ser o Alexandre a atirar contra a barreira.

Lage - 2 - Saiu ainda na 1ª parte, para dar lugar a Parma. O treinador academista entendeu provavelmente que Lage não estaria nos seus dias.

Costa - 3 - Teve uma oportunidade daquelas que caiem do céu de facturar logo no inicio do jogo, quando isolado do lado esquerdo do ataque, rematou para defesa do guardião contrário. Exibição discreta tal como todo o meio campo academista.

Márcio - 2 - Saiu na 1ª parte, tal como aconteceu com Lage. Estranha decisão esta do treinador fazer 2 substituições antes da meia hora de jogo, mas ao mesmo tempo compreensivel, pela forma de actuar dos intervenientes em causa.

Éverson - 3 - Toques e mais toques, fintas e mais fintas, brilha, e depois o mais fácil que é entregar a bola, borra a escritura. Éverson, o futebol é um jogo de equipa, e mesmo o CR7, para ser o melhor teve de aprender a jogar com os colegas. Passa a bola rapaz!

Zé Bastos - 3 - Para mim este é sempre candidato a ser o melhor em campo.Na segunda parte, e já em desespero, os adeptos perguntavam porque não era substituído. Só poderia vir de quem não percebe nada de futebol. O Zé até a mancar é útil na equipa, de um momento para o outro "pode resolver".
Marcou o penalty, e ainda teve 2 ou três grandes oportunidades de brilhar, mas não era o seu dia. Tem um lance em que dentro da área, finta o defesa, senta o guarda-redes e quando já todos nos levantávamos para festejar, atira ao lado. Mas recordo que não é motivo para se tratar mal este homem.
Para mim foi dos melhores que passaram na frente do ataque Academista nos últimos anos, e passou cá tanta gente.

Parma - 2 - Não é em jogos como este que podemos ver a capacidade de Parma. A ansiedade de marcar o golo era muita por parte da equipa, e essa ansiedade tirou discernimento ao jogador. Era um jogo em que este jovem não podia falhar, para não ficar "marcado".

Milford - 2 - Não entrou bem nem foi a arma secreta. Atrapalhou-se muito, quando entrou precisamente para colocar alguma calma e inteligência no ataque academista.

Calico- 2 - Entrou na ultima tentativa de organizar o meio campo. Toda a gente estranhou a substituição, mas Luis Almeida, quis colocar algum discernimento no meio campo, e avançou Sérgio para o ataque. Infelizmente não deu os resultados desejados.
Ler Texto Completo

Ac.Viseu FC 1- 1 UDTocha

Académico de Viseu: Augusto, Alexandre, Sérgio, Tiago Gonçalves, Casal, Rui Lage (Parma, 27), Álvaro, Luís Costa (Calico, 85), Márcio (Milford, 70), Éverson e Zé Bastos. Treinador: Luís Almeida.

Tocha: Vitor Nogueira, Mauro, Portulez, Telmo, David Costa (Bertier, 38), Maricato (Rafael Duarte, 73), George, João Morais, Nicolas, Baldé (Xirola, 79) e Gonçalo Estanqueiro. Treinador: José Viterbo

Cartões amarelos: Tiago Gonçalves 35, Casal 81, Álvaro 90, Luís Costa 56, Éverson 65, Vítor Nogueira 89, Mauro 83, João Morais 26, Nicolas 9 e 32, Bertier 90

Cartões vermelhos: Nicola 32 acumulação amarelos.

Golos: Baldé 10 (0-1), Zé Bastos 32 g.p. (1-1)
Foto: Jornal do Centro


O Ac. Viseu desperdiçou esta tarde uma excelente oportunidade de se isolar no comando da classificação. Mas a falta de eficácia verificada pelos viseenses, foram cruciais para tal não acontecer. O técnico Luís Almeida não alterou o onze academista, relativamente ao jogo de Cinfães: Augusto; Alex, Tiago, Sérgio e Casal; Álvaro, Lage (Parma), Costa (Calico) e Márcio (Milford); Éverson e Zé Bastos.

O jogo iniciou-se praticamente com uma boa oportunidade de golo para a equipa da casa, mas o remate de Costa não levou a força suficiente para bater o guarda-redes da formação do Tocha. Parecia que o Académico iria tomar conta do jogo desde o seu apito inicial, mas o que se verificou depois de tal ocasião, foi uma formação do Tocha, com trocas de bola constantes e de grande categoria, onde Gonçalo Estanqueiro (nº21) e o (nº10)(?) iam brilhando, com recortes técnicos, claramente, acima da média. Perto do minuto 13, chegava o golo do Tocha, um cruzamento de Estanqueiro, e o ponta-de-lança da formação forasteira, após Sérgio não conseguir fazer o corte, sozinho frente a Augusto, não desperdiça. Posteriormente ao golo, os academistas não conseguiam reagir da melhor maneira, e o jogo entrava numa toada mais morna. Luís Almeida, naturalmente insatisfeito, troca Márcio por Milford, e Lage por Parma. Perto da meia de jogo, Zé Bastos, após um cruzamento na direita marca para o Académico. Contudo, o fiscal de linha, mal, anula o golo. E mal, porque no enfiamento da jogada, foi possível verificar que Milford, este sim, estava em posição irregular, mas Bastos vinha de trás, e teria de ser um golo válido. Pouco depois, penalty para o Ac. Viseu, aos 34min. Costa no meio de três adversários foi tocado e o árbitro não hesitou. Penalty que levou a muitos protestos no banco forasteiro. Na sequência do lance, o defesa forasteiro foi expulso por acumulação de amarelos, e Zé Bastos não falhou, e igualou a partida. Mesmo antes do árbitro dar por encerrada a primeira parte, Zé Bastos isolado, desperdiça hipótese de colocar os viseenses a vencer, esta que foi a primeira de três excelentes oportunidades, que o ponta-de-lança teve, para garantir os três pontos.

A segunda metade, teve praticamente sentido único. Os comandados de Luís Almeida, atacaram muito, embora sem concentração, algo fundamental neste tipo de jogos. Zé Bastos aos 51 e 60 min. teve nos pés duas possibilidades de ouro, já que se encontrava novamente isolado, para bater o guardião adversário. O Académico, não conseguia chegar com a bola controlada à área contrária, cometendo o erro de tentar bombear a bola desesperadamente, à espera de um milagre, que até poderia ter surgido, mas tal não se verificou.

Resultado merecido, pela forma inteligente como o Tocha abordou este jogo, e que castiga, a inoperância ofensiva dos academistas, que não conseguiram materializar as várias oportunidades de golos, que não se podem falhar, para quem quer a subida de divisão.

4ªjornada (resultados):

CD Tondela 0 - 0 Anadia FC
Ac. Viseu FC 1 - 1 UD Tocha
CD Cinfães 2 – 2 Fiães SC

Classificação:

1º Tondela – 29 pontos
2º Anadia – 29 pontos
3º Ac. Viseu - 29 pontos
4º Cinfães - 29 pontos
5º Fiães - 27 pontos
6º Tocha – 26 pontos
Ler Texto Completo

Sporting 2-1 Estrela


Continua de vento em pompa o Sporting dos fins de época - já nas anteriores tem sido assim - conquistando mais três pontos perante um simpático Estrela da Amadora. O Sporting ruma calmamente em direcção ao seu objectivo - sejamos claros - que é o segundo lugar mas sem deixar fugir em demasia os "mestres da desbunda". Não foi brilhante longe disso mas com um meio campo em remodelações não penso ser justo pedir mais. Adrien continua muito verde, Veloso tarda em aparecer, Pereirinha esteve ausente e Romagnoli parece não estar cá vá-se lá perceber porquê. Polga viu amarelo ridículo e depois de já estar afastado de Coimbra o árbitro perdoa-lhe o amarelo - seria o segundo. Já estava feito o frete? Pena não se ter visto em acção Diogo Rosado.


Liedson -4- O 31 resolveu! Outra vez! Passe para o golo inaugural e assinatura pessoal no segundo. O melhor do Sporting.


Rui Patrício - 3

Pedro Silva - 4

Caneira - 3

Polga - 3

Carriço - 3

Adrien - 2

Veloso - 2

Pereirinha - 2

Romagnoli - 2

Postiga - 3

Yannick - 1

Abel - 1


Ler Texto Completo

Antevisão: Ac.Viseu FC - UDTocha

Depois de terem alcançado uma importante vitória no terreno do difícil Cinfães, os academistas defrontam, este domingo, no Fontelo, a UD Tocha. Uma formação, que recorde-se, já criou um dissabor bastante grande, quando se deslocou até Viseu, e bateu o Académico por 1-4. É lógico que, agora os ingredientes são outros, e os aspectos motivacionais são estímulos importantíssimos, e aí os pupilos de Luís Almeida, terão de provar que estão em alta. Estamos convictos que, se mantivermos o nível de concentração do último encontro, estes três importantes pontos estarão mais perto. Por outro lado, a equipa da AF Coimbra, muito bem orientada, pelo conhecido José Viterbo, nesta fase alcançou uma vitória, um empate e uma derrota. É um grupo constituído por bons jogadores, que podem criar a surpresa em qualquer campo, como aconteceu no Fontelo na 1ªfase. Será necessária então, toda atenção por parte do onze do viseense.
O técnico forasteiro não poderá contar com Gonçalo e Custódio, que foram expulsos frente ao Tondela.
Já no Ac. Viseu, o regresso de Calico, após cumprir um jogo de castigo, é a nota dominante. Dado que, por lesão, continuam indisponíveis: Rui Santos, F.Figueiredo, Filipe e F.Ferreira.


Árbitro do encontro: Sr. José Coelho da A.F. Porto. Desafio que não terá a presença de observador.

4ªjornada (jogos):

CD Tondela - Anadia FC
Ac. Viseu FC - UD Tocha
CD Cinfães – Fiães SC

Classificação:

1º Tondela – 28 pontos
2º Anadia– 28 pontos
3º Ac. Viseu - 28 pontos
4º Cinfães - 28 pontos
5º Fiães - 26 pontos
6º Tocha – 25 pontos
Ler Texto Completo

À procura do passado

Navegando na internet sempre à procura de informação do passado do nosso Académico de Viseu deparei-me com uma entrevista efectuada a João Luís em Junho de 2001. Leia tudo aqui.
Ler Texto Completo

Fiães muda de treinador...

Segundo o jornal 'A Bola', o Fiães SC (equipa que, tal como o Académico, está a lutar para a subida de divisão), mudou de treinador. Assim sendo, Joaquim Cardoso foi substituído por Carlos Miragaia, que tinha começado a época na Sanjoanense.
Ler Texto Completo

Parabéns Rui Miguel!


Rui Miguel, jogador formado no Académico de Viseu, que nos seniores do CAF apontou 19 golos em 43 jogos foi autor de um dos golos com que o Paços de Ferreira derrotou (2-3) o Nacional da Madeira e atingiu assim a final da Taça de Portugal. A MAGIA DO FUTEBOL congratula-se, obviamente, com o feito do ex jogador do Clube Académico de Futebol.
Parabéns Rui!

p.s. fica o desafio: quantos jogadores, e quais, formados no CAF atingiram a final da prova rainha? Será o Rui Miguel o primeiro?
Ler Texto Completo

Luto

A MAGIA DO FUTEBOL apresenta as mais sentidas condolências ao médico do Académico de Viseu, Dr. Fernando Pereira Santos, pelo falecimento da sua mãe.
Ler Texto Completo

Há dois anos

A 22 de Abril de 2007 o Académico de Viseu venceu no terreno do Lamelas por 2 a 1. Eduardo aos 7 minutos adiantou os academistas no marcador mas os homens de Lamelas empataram 3 minutos depois. Carlos Santos, de grande penalidade, marcou aos 44 minutos e deu 3 importantes pontos ao Académico de Viseu. Recorde aqui.
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Yordanov

Nome: Ivaylo Stoimenov Yordanov
Data de nascimento: 22/04/1968
Posição: avançado
Épocas: 91/01
Títulos: 1 campeonato nacional (99/00), 1 taça de Portugal, 1 supertaça

Yordanov! Só o nome dá saudade! Esteve dez épocas de leão ao peito, jogou a avançado e até a central e foi um dos capitães mais carismáticos de sempre do Sporting Clube de Portugal.
Chegou vindo do Lokomotiv de Gorna. Na época de 94/95 foi o herói da conquista da Taça de Portugal por parte do Sporting que levou ao fim do jejum de 13 anos sem nenhuma conquista. A final foi a 10 de Junho mas, já antes, na 5ª eliminatória, havia marcado dois golos no épico 5-0 ao Boavista um dos melhores jogos de sempre que vi fazer ao Sporting. Na final de 10 de Junho de 1995 o Sporting bateu o Marítimo por 2-0 e os golos foram apontados por Yordanov facto que o elevou à categoria de herói do Sporting.
Em 98/99 com a saída de Oceano tornou-se no primeiro capitão estrangeiro do Sporting. Em 99/00 já com alguns problemas de saúde a afectá-lo sagrou-se Campeão Nacional actuando em 11 jogos – só uma vez titular – e marcando um golo ao Braga em Alvalade – comigo no Estádio - na vitória leonina por 2-0. Para sempre ficará na memória de todos os sportinguistas quando em Maio de 2000, em pleno festejo do título nacional, içado por uma grua, colocou um cachecol do Sporting no pescoço da estátua do Marquês de Pombal.
Festeja hoje 41 anos. Todos sabemos que ele sabe que os sportinguistas estão com ele. Parabéns campeão!

Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Horvath

Nome: Pavel Horvath
Data de nascimento: 22/04/1975
Posição: médio
Estreia: FC Porto 1 Sporting 1 em 13/08/2000
Épocas: 2000/2002
Títulos: 1 campeonato nacional (01/02), 1 supertaça


Chegou em 2000 vindo do Slávia de Praga. Foi campeão na sua segunda época de leão ao peito que não viria a completar. Fez o estágio de pré época e parecia ser solução a ter em conta para a estrutura do meio campo que Boloni idealizava. Era um jogador tecnicamente evoluído e com boa capacidade ofensiva. Foi utilizado nas três primeiras jornadas (01/02) mas depois foi incluído no negócio Jardel e rumou ao Galatasary. Comemora hoje 34 anos. Parabéns campeão!

Mais sobre Horvath:

Craques e flops leoninos (foto)

Carreira do jogador

Ler Texto Completo

Académico de Viseu na imprensa

Um dos muitos amigos que A MAGIA DO FUTEBOL se orgulha de ter enviou-nos, via mail, recortes de jornais sobre as nossas camadas jovens. Para ampliar basta “clicar” nas imagens.


Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Saber

Nome: Abdeliah SaberData de nascimento: 21-04-1974
Posição: defesa direito
Épocas no Sporting: 96/00
Títulos: 1 campeonato nacional (99/00)



Internacional pela selecção de Marrocos Saber chegou ao Sporting em 1996 vindo do WAC de Casablanca. em Alvalade teve como primeiro rival para o lugar de defesa direito o muito criticado Gil Baiano sendo que Quim Berto foi o rival que se seguiu. Na época em que se sagrou campeão nacional (99/00) fez 18 jogos sendo que em 17 dessas ocasiões foi titular. Perdeu a titularidade com a chegada de César Prates mas voltou a ser titular nas três últimas jornadas da caminhada triunfal. Na época seguinte seguiu emprestado para o Nápoles e não mais voltou ao Sporting. Terminou no Torino em 2004 aos 30 anos. Quem não se lembra das suas grandes correrias pelo seu flanco e dos seus cruzamentos, quase sempre, mal guiados?
Comemora hoje 35 anos. Parabéns campeão!
Ler Texto Completo

Estrelas do passado: Filipe

Nome: Filipe Manuel Esteves Ramos
Data de nascimento: 21-04-1970
Posição: médio
Estreia pelo Sporting: Feirense 1 Sporting 2 em 03/12/1989
Épocas: 89/96
Títulos: 1 Taça de Portugal


Quando se estreou no Sporting tinha apenas 19 anos mas não foi formado no Sporting. Chegou vindo do Torreense e tinha acabado de ser campeão mundial em Riad. Pelo Sporting ficou 7 épocas e sempre foi dos meus jogadores preferidos na equipa leonina, pela garra e pela vontade extrema em ajudar o Sporting Clube de Portugal. Com apenas 26 anos saiu do Sporting e jogou no Marítimo, no Guimarães e no Chaves. A partir daí passou por clubes de menor expressão como Naval (não estava na I Divisão), Atlético e Mafra terminado neste clube a sua carreira, como jogador, em 2004/2005, e iniciando a de treinador. Faz hoje 39 anos. Parabéns!
Ler Texto Completo

Parma! Quem é?

Nome: Paulo Jorge Moreira Ferreira “Parma
Data de nascimento: 17/09/1989
Posição: avançado
Épocas no Académico: desde 2007/2008 (juniores)
Estreia: Académico de Viseu 1 Anadia 5 em 05/10/2008
Número de jogos: 3
Golos: 1
Primeiro golo pelo Académico: Cinfães 1 Académico de Viseu 2 19/04/2009


Apercebi-me que há muita gente que não sabe quem é o Parma autor do golo do empate em Cinfães e participante activo no golo da reviravolta academista. Vamos então dá-lo a conhecer (corrijam os meus erros se faz favor).
Parma é nome de goleador. O mano mais velho do jogador academista brilha no Moimenta da Beira. Também é Parma mas quando passou pelos nossos juniores era conhecido por Jardel. Foi ele, o mano, um dos autores dos golos com que o Paivense nos derrotou, em Vila Nova de Paiva, a 17 de Dezembro de 2006.
O nosso Parma, o novo herói academista, chegou ao Académico de Viseu na época passada, actuou nos juniores, vindo do Paivense. Em boa hora alguém – o antigo técnico academista – se lembrou de o chamar para os seniores. E em boa hora Luís Almeida se lembrou de o chamar a jogo. Que seja o primeiro de muitos golos com a camisola academista
Ler Texto Completo

Há um ano

A 20 de Abril de 2008 o Académico deslocou-se a Milheirós de Poiares e empatou com o Milheiroense (2-2). Marcos aos 41 minutos marcou para o Académico de Viseu e quando aos 82 Cardoso fez o segundo pensou-se que a vitória não fugiria. Mas fugiu mesmo, Quim Pedro marcou por duas vezes e o jogo ficou empatado. Recorde aqui.
Ler Texto Completo

A Magia do guardião...

Augusto – 5 – Fantástico. Defender um penalty numa altura tão importante, foi magnífico, vibrei com o feito. Teve ainda várias intervenções, nomeadamente abrir a segunda metade, que foram cruciais para o desenrolar desta importante vitória.

Alexandre – 3 – O lugar de defesa direito na minha opinião, é dele. A sua experiência é uma mais-valia para a equipa, nomeadamente em jogos como este.

Sérgio e Tiago – 4 – Pelo relato dos comentadores, a dupla de centrais esteve muito bem, excepto um ou outro lance no inicio do segundo tempo.

Casal – 3 – Cumpriu bastante bem a tarefa de defesa esquerdo.

Lage – 3 – O regresso saudado de Lage. E parece que foi imperial no modo como leu o jogo do adversário.

Álvaro – 3 – Um dos guerreiros da equipa.

Márcio – 3 – Saiu depois do golo do Cinfães, mas teve uma primeira parte positiva.

Costa – 3 – Outro lutador incansável da formação academista.

Éverson – 3 – Teve espírito de sacrifício. Perto do fim, veio por várias vezes à zona defensiva ajudar os companheiros.

Zé Bastos – 3 – Podia ter feito o gosto ao pé na primeira parte, não o fez, mas lutou o jogo todo, e ‘ofereceu de bandeja’ o golo da vitória a Milford.

Milford – 4 – Cada vez que entra, há esperança nas hostes viseenses. Um jogador, que desequilibra, e que parece, cada vez mais, a arma secreta da equipa. Marcou o golo da vitória.

Parma – 4 – Fez o seu primeiro golo ao serviço dos seniores. E que estreia, logo com um tento importantíssimo. Colaborou ainda no golo da vitória.

Leandro – 2 – Entrou para tentar pausar o jogo, sendo colocado na ala esquerda do meio-campo, e pelos comentários, até conseguiu cumprir nos 13 minutos que esteve em campo.


Nota: Análise individual ao jogo, com base no relato da estação diária, 96.8
Ler Texto Completo

Cinfães 1-2 Ac. Viseu

Cinfães: Miguel Matos, Maia, Luís, Jonas, Sidon, Rogério (Pinto 77), Filipe Carvalho, Rui Gonçalves (Nogueira 79), Nakata (Mauro 73), Sérgio Silva e Miki. Treinador: Vítor Moreira
Suplentes não utilizados: Padeiro, Domingos, Zelito e Kipulo.

Ac. Viseu: Augusto, Alexandre, Sérgio, Tiago Gonçalves, Casal, Rui Lage, Álvaro, Costa (Parma 67), Márcio (Milford 60), Everson e Zé Bastos (Leandro 83). Treinador: Luís Almeida. Suplentes não utilizados: Paulo Feitas, Lopes, Cabido e Rafael

Golos: Filipe Carvalho 57 (1-0), Parma 71 (1-1), Milford 75 (1-2)

Jogo no Estádio Municipal Cerveira Pinto, em Cinfães
Assistência: Cerca de 1000 espectadores
Árbitro: Rui Gonçalves, do CA de Viana do Castelo
Auxiliares: Euclides Cerveira e Carlos Rodrigues
Acção disciplinar: Cartão amarelo para Everson (74m) e Augusto (90m)
Foto e ficha do jogo: Diário de Viseu


O técnico Luís Almeida escalou para este jogo: Augusto; Alexandre, Sérgio, Tiago e Casal; Lage, Álvaro, Márcio (Milford aos 60min.) e Costa (Parma aos 67min.); Éverson e Zé Bastos (Leandro aos 83min.).

Jogo muito repartido nos minutos iniciais, com as equipas a estudarem-se uma a outra. Poucas ou nenhumas oportunidades de golo. Entretanto o jogo ficou mais vivo, mais aberto, com o Académico a tentar fazer pela vida. A primeira grande oportunidade do desafio foi para os academistas aos 31min. Zé Bastos ultrapassa o guarda-redes, mas não fica enquadrado para rematar, e depois a jogada perde-se. Excelente ocasião de golo desperdiçada. Depois disso, e já perto do intervalo, três boas jogadas de algum perigo, uma para a equipa da casa e duas para o Ac. Viseu. A segunda metade começou com um Cinfães mais acutilante. Dois livres perigosos, que Augusto respondeu com categoria. Augusto mais uma vez, corajoso, foi de encontro a um adversário que ficava isolado, evitando, mais uma vez, o golo da equipa da casa. No entanto o golo da equipa do Cinfães iria surgir pouco depois, aos 57min. Luís Almeida responde ao golo da equipa da casa, fazendo entrar Milford, para o lugar de Márcio, aos 60min. E fez a segunda alteração pouco depois, Costa dava lugar a Parma, aos 67min. Assistiu-se então, a uma boa reacção ao golo da equipa da casa, por parte dos academistas, tentando chegar a todo custo ao empate, que surgiria aos 71min. Foi Parma, que tinha acabado de entrar em campo. Um golo de oportunidade. Excelente entrada deste jovem jogador. A cambalhota no marcador surgiria através de Milford. Excelente contra-ataque. Parma coloca a bola em Bastos, que não foi egoísta, e colocou a bola em Milford, que não teve dificuldade em fazer o segundo golo academista. Contudo pouco depois, surge um penalty a favor do Cinfães, mas ao qual Augusto responde com defesa fantástica. Estava na altura de segurar estes importantes três pontos, e o técnico academista, fez entrar Leandro para o lugar de Zé Bastos aos 83min. O Cinfães estava uma equipa nervosa, e não conseguiu mais ‘incomodar’ o guardião Augusto. De realçar as apostas ganhas por parte de Luís Almeida, que não teve medo em meter um jovem como Parma, numa final desta importância. Também Milford foi uma jogada triunfal.

Uma vitória muito importante para as aspirações do Ac. Viseu. Claro, nada está ganho, até porque ainda falta muito campeonato, mas foi mais uma batalha que tinha de ser ganha. Parabéns ao grupo de trabalho academista. Assim sendo:

3ªjornada (Resultados):

Anadia FC 2 – 0 Fiães SC
UD Tocha 0 – 1 CD Tondela
CD Cinfães 1 – 2 Ac Viseu FC

Classificação:

1º Tondela – 28 pontos
2º Anadia – 28 pontos
3º Ac. Viseu - 28 pontos
4º Cinfães - 28 pontos
5º Fiães - 26 pontos
6º Tocha – 25 pontos

Nota: Comentário ao jogo, com base no relato da estação diária, 96.8
Ler Texto Completo

Guimarães 1-2 Sporting

Foto: REUTERS/Miguel Vidal (PORTUGAL SPORT SOCCER)

Sportinguistas, levantai o braço aqueles que acreditaram que, a partir do golo vimaranense, o Sporting hoje triunfava em Guimarães? Como acredito que nem um braço se ergueu – o meu também ficou em baixo – digo-vos que esta equipa, que é a mesma que perdeu 12-1 com o Bayern de Munique, nos deu uma linda lição de sportinguismo! Foi uma grande vitória, seja aqui ou na Cochinchina, alicerçada numa grande entrega, num grande espírito de grupo e com alma, muita alma.
Posto isto pouco interessa discutir a paixão que os árbitros têm em anular golos aos leões. Interessa isso sim realçar mais uma vez que Paulo Bento defende o clube como poucos. Dizem que ele não é adepto do Sporting. Que interessa isso se ele nos defende com tanta paixão? O que interessa depois deste jogo é que uns ainda têm que “suar as estopinhas” para serem campeões e outros têm que mudar de estratégia porque esta não os leva a lado nenhum

Melhor do Sporting: Derlei
Ler Texto Completo

Derlei: tanta garra!


Foto: Miguel Vidal (Reuters)

Derlei -4 – a garra é algo que não se perde, mesmo com o andar da idade, e o “Ninja” tem-na para dar e vender. Um golo, uma assistência e uma bola na barra. O melhor em campo!

Rui Patrício -4- sem culpas no golo defendeu tudo o que havia para defender.

Pedro Silva -3- remates perigosos. Culpas no golo sofrido.

Daniel Carriço -3- deu espaço no golo caseiro. Não o suficiente para beliscar uma nota positiva.

Polga -3- deu o exemplo.

Caneira -2- faltou-lhe o que Ronny trouxe ao jogo.

Adrien Silva -2- tem pouco ritmo competitivo.

Miguel Veloso -3- merecia que aquele remate ao poste tivesse entrado.

Bruno Pereirinha -2- pouco em jogo.

João Moutinho -3- exibição q.b.

Liedson -3- golo muito importante.

Ronny -3- uma assistência para golo e subiu pelo seu flanco coisa que Caneira nunca fez (pelo menos tão bem).

Hélder Postiga -2- participou no 3º golo.

Tonel -1- para ganhar tempo.
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Carvalho

Nome: Joaquim da Silva Carvalho
Data de nascimento: 18/04/1937
Posição: guarda-redes
Épocas no Sporting: 58/70
Títulos: 3 campeonatos nacionais, 1 taça das taças, 1 taça de Portugal


Carvalho defendeu a baliza do Sporting ao longo de toda a caminhada que conduziu à vitória na Taça das Taças. Poderoso e corajoso, foi seguidor digno da chamada “escola do Barreiro” que já produzira guarda-redes como Azevedo e Carlos Gomes. Esteve 12 anos no Sporting, durante os quais participou em 466 jogos. Para sempre ligado ao feito histórico da Taça das Taças, a sua actuação na finalíssima de Antuérpia (1-0) fez com que um jornalista belga escrevesse em título: “o guarda-redes das luvas pretas tinha mãos compridas (texto in Enciclopédia Fundamental do Sporting).
Comemora hoje 72 anos. Parabéns campeão!

Mais sobre Carvalho:

Sporting.pt

Sporting Vintage
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Freire

Nome: Carlos Manuel da Silva Freire
Data de nascimento: 18/04/1959
Posição: avançado
Épocas no Sporting: 76/83
Títulos: 2 campeonatos nacionais, 2 taças de Portugal, 1 supertaça
Com 18 anos – a 13/03/1977 – estreou-se na principal equipa do Sporting num jogo em Alvalade no qual o Sporting bateu o Benfica por 3-0. A época de 77/78 marcou a sua entrada definitiva na equipa principal do Sporting tendo como “rivais” na linha avançada leonina nomes como Manuel Fernandes, Jordão, Manoel e Keita. Nas seis épocas de leão ao peito foi campeão mas épocas de 79/80 e 81/82.
Comemora hoje 50 anos. Parabéns campeão!
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Artur Correia

Nome: Artur Manuel Soares Correia
Data de nascimento: 18/04/1950
Posição: defesa
Estreia pelo Sporting: Sporting 1 Benfica 1 em 03/09/1977
Épocas no Sporting: 77/80
Títulos: 1 campeonato nacional, 1 taça de Portugal


Saiu do Benfica para o Sporting em 1977 porque o seu clube do coração não lhe queria dar o dinheiro que ele sentia merecer. No Sporting, no seu primeiro ano, teve como treinador o brasileiro Paulo Emílio e reza a história que um belo dia quando o Sporting defrontava no norte o Riopele, o treinador de então não apareceu ao jogo pois tinha ido passear com a esposa (!) e foi Artur Correia que orientou a equipa - vitória por 1-3. Na época de despedida do Sporting foi campeão pelo clube – 79/80 – numa disputa acérrima com o FC Porto. Reza a história que nessa época num jogo nas Antas o árbitro da partida – António Garrido – anulou um golo ao Sporting aos 15 segundos por um fora de jogo quando o jogador – Freire – ainda se encontrava no seu meio campo e que Botelho – o guarda redes do Sporting – defendeu duas grandes penalidades mas o árbitro mandou repetir sempre até que deu golo!
Artur Correia – o russo – era um jogador “raçudo” e duro de roer tipo “passa a bola mas não passa o jogador” e nunca escondeu o seu benfiquismo mesmo quando estava no Sporting se bem que tenha sempre vestido a camisola leonina com muita garra e empenho.
Comemora hoje 59 anos. Parabéns campeão!
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Pérides

Nome: José Pérides
Data de nascimento: 18/04/1935
Posição: médio
Épocas no Sporting: 56/60 e 61/64
Títulos: 1 taça das taças, 2 campeonatos nacionais, 1 taça de Portugal


Foi campeão nacional de juniores pela Académica de Coimbra. Jogou também no Benfica e no Sporting da Covilhã. Faz hoje 74 anos!
Ler Texto Completo

Golo do Zé Bastos frente ao Fiães

Golo do Zé Bastos frente ao Fiães, um vídeo fornecido por um grande academista, José Antunes, mas que só agora foi possível estar disponível:

Ler Texto Completo

Antevisão: CD Cinfães – Ac. Viseu FC

Depois do resultado menos conseguido no terreno do vizinho Tondela, os academistas vão para mais uma final, desta vez no terreno do líder Cinfães. Um jogo em que, garra e concentração, terão de ser as principais armas dos comandados de Luís Almeida.
Depois de todas as provas dadas do que é capaz, a equipa do CD Cinfães, encontra-se na liderança desta 2ªfase, com uma vitória (Tondela: 5-4) e uma derrota na derradeira jornada (Anadia: 2-0), somando 28 pontos, mais três que os academistas.
O Ac. Viseu não poderá contar com o castigado Calico, expulso na passada jornada, e com F.Figueiredo, que se encontra lesionado.
Estamos convictos, que todo o plantel do Académico, está a encarar este desafio com muita personalidade e carácter, para levar de vencida esta difícil formação do Cinfães, dado ser um jogo crucial para as aspirações dos viseenses.


Árbitro do encontro: Rui Fernandes – AF Viana do Castelo

3ªjornada:

Anadia FC – Fiães SC
UD Tocha – CD Tondela
CD Cinfães – Ac Viseu FC

Classificação:

1º Cinfães – 28 pontos
2º Fiães – 26 pontos
3º Tondela - 25 pontos
4º Anadia - 25 pontos
5º Tocha - 25 pontos
6º Ac. Viseu – 25 pontos
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Dé

Nome: Domingos Elias Alves Pedra “
Data de nascimento: 16/04/1948
Posição: avançado
Épocas no Sporting: 73/75
Títulos: 1 campeonato nacional, 1 taça de Portugal

O atacante Domingos Elias Alves Pedra nasceu em Paraíba do Sul (RJ) no dia 16 de Abril de 1948 e ficou mais conhecido por seu apelido: Dé, o Aranha. Ex-atacante do Bangu, Botafogo e Vasco da Gama, virou treinador, trabalhou no América(RJ), nos Emirados Árabes, nas categorias de base do Botafogo e hoje trabalha como comentarista. Dé é pai de uma filha que é Procuradora de Justiça e mora na Barra da Tijuca (RJ). Como jogador, teve passagens por times do exterior, como Sporting (Portugal) - campeão em 74 - e Al Helal, da Arábia Saudita. Figura bem-humorada, Dé foi artilheiro por onde passou e sempre tem histórias engraçadas para contar. "Em 1969, quando estava no Bangu, peguei uma pedra de gelo e atirei na bola. O Reyes, zagueiro do Flamengo, ficou feito barata tonta. Então, invadi a área, driblei o goleiro e fiz o gol", conta Dé, que também era um mestre em cavar pênaltis. "O ex-árbitro José Roberto Wright, fala até hoje que eu era o rei em cavar pênaltis", comenta o ex-atacante.

Texto e foto retirados daqui
Ler Texto Completo

Jogos inesquecíveis: Sporting 5 Benfica 3

Este jogo seria sempre inesquecível porque uma vitória sobre o Benfica nunca se esquece. Mas foi mais que uma vitória – valeu o acesso à final da Taça de Portugal e foi obtida por números épicos, depois de uma recuperação não menos épica. Decorria o dia 16 de Abril de 2008 – foi há um ano.
Rui Costa aos 19 minutos colocou o Benfica em vantagem e aos 31 minutos Nuno Gomes fazia o 0-2 e a machadada parecia fatal. Não foi. Yannick Djaló aos 68 minutos reduzia para o Sporting a passe de Vukcevic. Aos 76 minutos João Moutinho solicita Liedson e este empata. Três minutos depois a passe de Izmailov o regressado Derlei fazia o 3-2. O Benfica parecia acabado. Não estava. Rodriguez aos 82 minutos empatava tudo (3-3). O jogo parecia caminhar para o prolongamento. Não iria. Yannick bisou aos 84 e Vukcevic aos 90+3 fez o quinto! Inesquecível!

SPORTING: Rui Patrício; Abel, Grimi, Tonel e Miguel Veloso; Adrien Silva (Izmailov 35), Vukcevic, João Moutinho e Romagnoli (Derlei 61); Yannick Djaló (Gladstone 86) e Liedson. Treinador: Paulo Bento.

Benfica: Quim, Luisão, Leo, Nélson, Petit (Cardozo 85), Katsouranis, Rui Costa, Maxi Pereira, Rodriguez, Di Maria (Sepsi 66) e Nuno Gomes. Treinador: Chalana
Ler Texto Completo

Há dois anos

A 15 de Abril de 2007 o Académico de Viseu bateu no Fontelo o Moimenta da Beira por 8-1 em jogo a contar para a Divisão de Honra da AF de Viseu. Tiago Leal foi o marcador de serviço já que apontou 4 golos. Os restantes golos foram apontados por Filipe Figueiredo, Santos, Eduardo e André Barra. Recorde aqui.
Ler Texto Completo

O repasto dos craques

Antes da viagem até Tondela o plantel do Académico almoçou "em casa" de um amigo de A MAGIA DO FUTEBOL. Veja as fotos aqui.
Ler Texto Completo

Jogos inesquecíveis: Sporting 4 Newcastle 1

Este jogo inesquecível – valeu a passagem às meias-finais da Taça UEFA – decorreu no dia 14 de Abril de 2005 – faz hoje 4 anos. De Inglaterra – Newcastle – o Sporting trazia uma desvantagem de 1-0.Quando Dyer aos 19 minutos colocou os forasteiros em vantagem tudo se complicou pois o Sporting precisava de marcar 3 golos para passar a eliminatória. 3 Golos?! Sendo assim marcaram-se 4: aos 40 minutos, a passe de João Moutinho, Marius Niculae de cabeça empatou a contenda; aos 70 minutos Sá Pinto encosta para a baliza do Newcastele uma bola que Given largara a remate de Pedro Barbosa – faltava 1 golo; aos 77 minutos na sequência de um pontapé de canto Beto elevava de cabeça para 3-1 – o Sporting estava na frente da eliminatória; aos 89 minutos Rochemback marcou o golo da confirmação. Inesquecível!

Sporting: Ricardo; Rogério, Beto (c), Polga e Rui Jorge; Rochembak; João Moutinho, Sá Pinto (Custódio 88) e Carlos Martins (Pedro Barbosa 66); Douala e Niculae (Pinilla 74). Treinador: José Peseiro.

Newcastle: Given; Carr, Taylor, Bramble (O´Brien 56), Babayaro, Jenas (Milner 45), Bowyer, Faye, N´Zgobia, Dyer (Kluivert 59) e Shearer (c). Treinador: Graeme Souness
Ler Texto Completo

Há um ano

A 13 de Abril de 2008 o Académico de Viseu deslocou-se a Vale de Cambra e venceu o Valecambrense por 1-2. Começou melhor a equipa da casa que marcou aos 17 minutos por Marquitos. João Miguel aos 20 minutos e Valério aos 40 viraram o resultado a favor do Académico de Viseu. Recorde aqui.
Ler Texto Completo

Augusto: o erro final não foi o fatal

Augusto -3- Três defesas na primeira parte foi o suficiente para o considerar o melhor do Académico. O terceiro golo do Tondela a culpa é de Augusto mas compreende-se: queria que o Académico saísse com a bola jogável. Correu mal.

Alexandre -3- Muitas dificuldades no início do encontro altura em que acumulou faltas. Melhorou com o passar do tempo. Foi o primeiro a sair.

Filipe -3- Teve duas falhas durante o encontro que acabaram por não influenciar o jogo.

Tiago Gonçalves -3- Muito bem nas tarefas defensivas. Teve perto do golo mas quando se lhe pedia uma entrada vigorosa pareceu encolher-se.

Sérgio -3- Ele e Augusto foram os melhores. Culpas no segundo golo sofrido.

Calico -3- Isolou Zé Bastos para este desperdiçar. Viu amarelo por uma falta desnecessária e acabou expulso por uma grande penalidade que não cometeu. Inglório.

Casal -2- Na semana passada foi parar ao hospital e hoje surpreendeu ao obter a titularidade. Dele espera-se mais do que mostrou.

Álvaro -3- Dois remates de longe que deram a sensação de golo. Bem nas bolas paradas.

Luís Costa -2- sofreu uma grande penalidade não assinalada. Não assumiu o jogo academista e a equipa ressentiu-se.

Éverson -1- Apenas por uma vez apareceu em zona de finalização e de cabeça atirou muito por cima.

Zé Bastos -1- Não dá para dar mais. Apareceu duas vezes na cara do guarda-redes e falhou ambas as ocasiões. As coisas teimam em não lhe sair bem.

Rui Santos, Milford e Márcio -1 – Entraram para tentar empatar a partida mas não conseguiram. Com 10 era mais difícil.
Ler Texto Completo

Erros ditam derrota gorda


Tondela - Académico Viseu 3:0

Golo Tondela: Beré (57 e 94 min), Barca (84 min)

Tondela: Rui Vale, Chico, Abadito, João Paulo, Tarzan, Espanhol (Josivan, intervalo), Seninho (Schwartz, 84 min), Gomes (Barca, 65 min), Piojo, Beré e Ricardo.

Suplentes: Micael, Schwartz.

Treinador: António Jesus.

Académico Viseu: Augusto, Alexandre (Rui Santos, 58 min), Filipe, Sérgio, Calico, Luis Costa, Everson, Casal, Álvaro (Milford, 64 min), Zé Bastos (Márcio, 78 min) e Tiago.

Treinador: Luis Almeida.

Este era um jogo que colocava em confronto duas equipas que cedo se assumiram como candidatas a uma subida de divisão. Era duas equipas que vinham de resultados antagónicos, onde se por um lado a turma tondelense vinha de uma derrota num jogo electrizante com o Cinfães, por 5-4, os academistas estavam mais moralizados com uma vitória importante frente ao Fiães, o ex-lider, por 2-1.

Começou mais acutilante e pressionante a turma local e aos 6 minutos Tarzan, consegue ganhar o lance a Filipe e com um bom remate, obriga Augusto a defesa apertada. A resposta por parte dos viseenses dá-se aos 7 minutos quando Calico no meio campo pontapeia para a frente e a bola fica nas costas da defensiva contrária onde aparece Zé Bastos que remate um pouco ao lado baliza defendida por Rui Vale.

O Tondela carregava e no seu melhor momento tem duas boas ocasiões para o golo primeiro por Beré que num livre em boa posição remate forte mas à barreira academista. Sobre o minuto 15 Piojo aparece ao primeiro poste que descobre João Paulo ao 2º poste cabeceia com muito perigo à baliza de Augusto.

Após os primeiros quinze minutos o Académico equilibra a contenda e aos 23 minutos após um passe teleguiado rematA bem para boa defesa de Rui Vale. A resposta dá-se aos 31 minutos com Augusto com grande defesa a remate de Beré que sem marcação consegue rematar forte e cheio de intenção. Seis minutos a depois livre com muito perigo para Álvaro que leva a bola a embater na barreira e quase surpreende o guarda-redes tondelense.

Chegava-se ao intervalo com um resultado que se ajustava ao que se assistiu nos primeiros 45 minutos e onde as equipas se equilibraram tanto em posse de bola como em número de ocasiões de golo.

Ao contrário da primeira parte o Académico entrou melhor a conseguir alguns lances de perigo, com Álvaro, à baliza local. Mas seria a turma local que numa das suas primeiras investidas à área contrária que ia ter a grande ocasião de golo embora que deixe muitas dúvidas se haveria ou não posição irregular.

É quando Beré aparece sobre a ala e remata à queima roupa sobre Calico levando a bola a embater nas costas do defesa academista. Mais perto o árbitro assinala erradamente grande penalidade a castigar uma mão de Calico. Chamado a marcar Beré marca a mesma e abre o marcador. Um erro que se transforma num castigo duplo para os academistas que viram-se no mesmo lance perder Calico por dupla amostragem de cartões amarelos.

O Académico tenta reagir e aos 63 minutos Everson com um remate de longe leva o perigo à baliza contrária. No minuto seguinte boa ocasião para a turma tondelense quando Josivan ganha uma bola a Filipe e remata com perigo à baliza de Augusto.

A partida entrava numa toada mais morna e jogada a baixo ritmo sem grande momentos de interesse motivado pelas inúmeras faltas e interrupções. Só aos 72 minutos é que voltaria a acontecer algum lance de perigo numa das balizas com Rui Santos a ter um cruzamento traiçoeiro que quase surpreende Rui Vale. Aos 79 minutos Seninho após perca de bola da defensiva academista tem nos pés uma boa ocasião para ampliar o marcador mas falha.

Quem não falha é o seu colega Barca que em nova desatenção da defensiva academista remata cruzado sem hipotéses para o desamparado Augusto.

O resultado final viria a ser carimbado num novo erro defensivo com Augusto após um atraso tenta picar a bola e leva a bola a embater na cabeça de Beré e caprichosamente se anicha nas redes academistas.

Resultado exagerado, fruto de erros defensivos que foram aproveitados de forma exímia pelos tondelenses. Contudo nasceu com um erro duplo do trio de arbitragem que condicionou o desenrolar da partida. Marcar grande penalidade num lance à queima roupa e onde o jogador se vira de costas para a bola diz tudo.

Outros resultados:

Fiães - U. Tocha 0:1

Anadia - Cinfães 2:0


1 º Cinfães – 28 pontos

2 º Fiães – 26 pontos

3 º Académico Viseu – 25 pontos

4 º Tondela – 25 pontos

5 º Anadia – 25 pontos

6 º Tocha – 25 pontos
Ler Texto Completo

Sempre o Liedson a puxar para a frente !

Sporting 3 Naval 1


Ontem o Sporting cumpriu mais uma vez a sua missão: Ganhar.
Não interessa de que maneira, desde que saia uma vitoria.
Têm sido assim os últimos anos do nosso campeonato. A certa altura o comentador da SportTv, dizia que os jogadores não sentem grande motivação para jogar.
Apeteceu-me responder-lhe: Não têm motivação? então estão na profissão errada, pois nós pagamos é para vere darem o máximo em campo.
Relativamente ao jogo, nada de novo... Liedson e mais 10. De vez em quando Veloso lá se lembra de fazer grandes passes ao adversário, e estes aproveitam para marcar. Depois não quer o menino que os adeptos critiquem.
Logo aos 13 minutos Liedson no lado direito do ataque leonino, insiste numa jogada em que só ele acredita, domina a bola, e dá de "mão beijada", para Pereirinha facturar.
Depois vem o lance de que já falei, em que a Naval, aproveitou um deslize de Veloso, e acabou por empatar aos 16m por Marcelinho.
Liedson aos 27m aproveita um cruzamento remate de Moutinho na conversão de um livre, e mais uma vez contribui para a alegria dos adeptos leoninos.
A segunda parte não teve grande história, a não ser a alegria que a Académica nos ia dando do outro lado da 2ª circular.
Para acabar o excelente folar que Liedson nos deu..., mesmo no fim do jogo, quando isolado aproveitou a recarga de um excelente remate de Izmailov, que o guarda redes da Naval sacudiu para a frente.

Ouvi alguém afirmar que tirando o desaire da eliminatoria com o Bayern, o Sporting apesar de tudo tem levado a água ao seu moinho. Paulo Bento tem sido pau para toda a obra, orçamento mais baixo dos três grandes, tem dado sempre a cara nos momentos dificeis, quando não seria essa a sua missão. Quanto aos adversários não há que esconder que o modelo do Porto é eficaz a 100%, e não nos podemos esquecer que seria sempre melhor, se no comando estivesse por exemplo um Paulo Bento.
Do Benfica, acaba por ficar o nosso consolo... há quem diga e com razão que o nosso campeonato é ficar á frente deles. Vejam bem o seu orçamento para ficar em 3ª lugar.

De resto vamos assistindo a uma gerra de palavras que só têm denegrindo o nome do grande Sporting Clube de Portugal.
Ler Texto Completo

Liedshow !

Foto: Site oficial Sporting.

Liedson (4) Este jogador não sabe jogar mal. Nunca desiste dos lances, e foi por isso que nasceu o primeiro golo leonino. Nem quero imaginar outra coisa que não seja a renovação de contrato... Há jogadores que merecem grandes esforços financeiros...

Rui Patricio (3)

Pedro Silva (3)

Daniel Carriço (3)

Polga (3)

Caneira (3)

Veloso (2)

Pereirinha (3)

João Moutinho (3)

Romagnoli (2)

Derlei (3)

Izmailov (3)

Adrien
(2)

Ler Texto Completo

Há dois anos

A 10 de Abril de 2007 A MAGIA DO FUTEBOL publicava uma entrevista com Fábio Santiago jogador do Académico de Viseu. A opção pelos estudos foi mais forte do que o futebol e ele abandonou o AVFC mas pode recordar a sua entrevista aqui.
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Afonso Martins

Nome: Afonso Paulo Martins da Agra
Data de nascimento: 08/04/1973
Posição: médio
Épocas no Sporting: 95/02
Títulos: 1 campeonato nacional, 1 taça de Portugal, 1 supertaça

Terá sido um dos primeiros jogadores portugueses a fazer um percurso inverso àquele que, normalmente, fazem os jovens futebolistas nacionais. Afonso Martins fez a formação e destacou-se como futebolista, muito jovem, jogando no exterior e, só posteriormente, veio jogar para Portugal.No primeiro escalão do futebol português representou o Sporting CP, o Moreirense FC e o Vitoria SC, e nos escalões secundários teve uma curta passagem, em final de carreira, FC Lixa, além de ter actuando pela equipa “B” sportinguista na 2ª Divisão “B”.Afonso Paulo Martins de Agra, nasceu na cidade da Povoa de Varzim, no dia 11 de Abril de 1973. Ainda criança emigrou com a família para França e nesse país começou a jogar futebol..
Começou a ganhar destaque na equipa do AS Nancy, clube onde se estreou na 1ª Divisão francesa na temporada de 1991/92, com apenas 18 anos de idade, num desafio disputado no dia 17 Agosto de 1991, frente ao Rennes FC. Nesta época, no primeiro escalão do futebol francês, realizou somente 2 jogos, sem ter apontado qualquer golo.
Esta equipa gaulesa acabou por ser relegada à 2ª Divisão francesa precisamente nesta temporada, contudo, mesmo jogando no segundo escalão do futebol francês, Afonso Martins conseguiu evidenciar-se e despertar o interesse dos clubes portugueses.Todavia, antes de ingressar no Sporting CP no início da época de 1995/96, Afonso Martins jogou mais 3 temporadas na equipa principal do AS Nancy, sempre na 2ª Divisão francesa.
Em 1992/93 jogou somente duas partidas da competição nacional, mas a partir da época de 1993/94 passou a jogar com maior regularidade, afirmando-se mesmo como titular na formação do AS Nancy. Na temporada de 1993/94 actuou em 30 partidas do Campeonato Nacional da 2ª Divisão e na época de 1994/95 realizou 21 jogos, tendo marcado 2 golos..
Nesta ultima temporada ao serviço do AS Nancy destaca-se ainda o facto do treinador de Afonso Martins ter sido o romeno Laszlo Boloni, técnico que época depois viria a ser seu treinador também no Sporting CP.

Um facto importante e que acabou por ditar o interesse de vários clubes portugueses na sua contratação foi a chamada aos trabalhos da Selecção Nacional de Esperanças. Na verdade, Nelo Vingada, o seleccionador português daquele escalão, estava bem atento às exibições do jovem luso-descendente Afonso Martins.Tornou-se, então, um dos mais promissores jogadores portugueses, até porque, fixou-se como peça importante na equipa de esperanças nacionais e, posteriormente, na Selecção Olímpica de Portugal.Carlos Queirós, o treinador do Sporting CP no início da temporada de 1995/96, apercebendo-se das qualidades do jovem Afonso Martins e da grande margem de progressão, aconselhou vivamente a sua contratação.É assim que Afonso Martins é um dos principais reforços da equipa sportinguista para a nova época de 1995/96. Apesar da época conturbada que se vive em Alvalade, com constantes mudanças na equipa técnica, Afonso Martins acaba por realizar uma temporada bastante boa, fixando-se, regularmente, como titular na equipa do Sporting CP.

No Campeonato Nacional da 1ª Divisão, a equipa leonina não vai alem da 3ª posição na tabela classificativa da competição. Afonso Martins realiza 21 jogos na prova, marcando 2 golos.A sua estreia oficial com a camisola do Sporting CP dá-se no dia 27 de Agosto de 1995, no encontro da 2ª jornada da principal competição nacional, na partida que opunha a equipa de Alvalade ao Boavista FC e que terminaria empatada a 0-0.

O primeiro golo marcado ao serviço do Sporting CP, na 1ª Divisão Nacional, foi apontado apenas à 22ª jornada, no dia 10 de Fevereiro de 1996, num encontro que a equipa sportinguista venceu o SC Farense por 5-0. Afonso Martins marcou aquele que seria o 2-0, logo aos 8 minutos, batendo Rufai, o guardião do clube algarvio.Se no Campeonato Nacional da 1ª Divisão a prestação da equipa leonina não foi nada famosa, também na Taça de Portugal, apesar de jogar a final da competição, a equipa do Sporting CP acabou por ser derrotada pelo grande rival SL Benfica, por 1-3, num encontro onde Afonso Martins foi titular.

Contudo, a chegada do Sporting CP à grande decisão frente ao SL Benfica, no Estádio Jamor, ficou a dever-se, em grande medida, à prestação individual de Afonso Martins, o autor dos dois golos com que a equipa leonina eliminou o FC Porto nas meias finais da competição, vencendo por 2-0.Na época de 1995/96 o único êxito do Sporting CP seria mesmo a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, vencendo esta competição ao derrotar o FC Porto, no jogo desempate disputado no Parque dos Príncipes, em Paris, por 3-0. Afonso Martins foi titular e realizou uma excelente exibição neste encontro que decidiu a atribuição daquele conceituado troféu.

Entretanto, arranca a nova época de 1996/97. Ao Sporting CP chega um novo treinador, o belga Robert Waseige. Todavia, o grande objectivo do Sporting CP é o saneamento financeiro, deixando de lado a vertente desportiva e o reforço da equipa de futebol.Mesmo assim a equipa leonina obtém um 2º lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão e assegura uma presença na Liga dos Campeões, classificação que muito fica a dever ao momento ascensional que o Sporting CP passa após a saída do técnico belga e a passagem de Octávio Machado para o cargo de treinador principal. Afonso Martins joga 23 encontros do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1996/97, marcando 3 golos ao longo desta competição.

Apesar de tudo a verdade é que Afonso Martins não convence definitivamente os adeptos e responsáveis sportinguistas. A concorrência é forte, é certo, contudo, as oportunidades sucedem-se mas o jogador não agarra a titularidade. Esta situação agrava-se na época seguinte de 1997/98 e de forma definitiva ficará arredado da titularidade da equipa principal nas temporadas seguintes.No início da época de 1997/98, com a contratação milionária do brasileiro Carlos Miguel, esperava-se poucas oportunidades para Afonso Martins. Chega a aventar-se a saída do jogador para reforçar os quadros do Vitoria SC, envolvido no negócio da transferência de Quim Berto para Alvalade, mas o treinador leonino Octávio Machado não abre mão do atleta.

Afonso Martins acaba por permanecer no plantel do Sporting CP, numa temporada verdadeiramente horrível para os leões de Alvalade que terminam no 4º lugar do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, atrás do Vitoria SC, e numa época viram passar pelo comando técnico da equipa 4 treinadores diferentes.O mau desempenho do Sporting CP ao longo da temporada de 1997/98 legitimou uma verdadeira renovação do plantel leonino, registando-se a saída e entrada de vários jogadores. Com a chegada do novo técnico, Mirko Jozic, um dos jogadores a integrar a lista de dispensas do Sporting CP é precisamente Afonso Martins.
Contudo, o jogador torna-se intransigente nas negociações para uma rescisão contratual ou uma cedência temporária a outro clube, não aceitando sair sem ser devidamente compensado por isso.Abrigado por um longo contrato com o Sporting CP e auferindo, alegadamente, um elevado salário, poucos são os clubes que tem capacidade para contratar Afonso Martins.Dispensado da equipa principal, Afonso Martins permanece vinculado ao Sporting CP, mas a treinar à parte do grupo. Durante uma temporada inteira, a época de 1998/99, Afonso Martins limita-se a treinar sem competir oficialmente.Na época seguinte a situação matem-se inalterada, com Afonso Martins votado a um ostracismo atroz, mesmo com a entrada de um novo treinador para o Sporting CP em 1999/00, o técnico italiano Giuseppe Materazzi. Nesta altura, vive-se um verdadeiro braço de ferro entre a Direcção do Sporting CP e o jogador.Só com a chegada de Augusto Inácio no decurso da época de 1999/00, substituindo o técnico italiano, é que Afonso Martins volta a ter uma oportunidade na equipa principal do Sporting CP.

.
Inácio chama o jogador para o plantel principal e dá-lhe uma oportunidade para jogar, fazendo-o regressar à equipa num jogo da Taça de Portugal frente ao GD Peniche, mais de um ano e meio depois de ser afastado.Esta nova oportunidade em Alvalade deu-lhe o primeiro título de campeão nacional pelo Sporting CP. Dezanove anos depois, pela mão de Augusto Inácio, o Sporting CP voltava a conquistar o Campeonato Nacional da 1ª Divisão, com o médio Afonso Martins a actuar em 2 partidas da competição.É, porém, curta esta passagem pela equipa principal. Logo na época seguinte de 2000/01 Afonso Martins vai para a equipa “B” do Sporting CP, na temporada de arranque da segunda equipa leonina.É nessa formação de retaguarda à equipa principal que Afonso Martins permanece durante mais duas épocas no Sporting CP. Desde a temporada de 1999/00 que Afonso Martins não realiza mais qualquer jogo pela equipa leonina na principal competição portuguesa.Naturalmente, com muita experiência, Afonso Martins torna-se no jogador mais importante na equipa “B” do Sporting CP. Na época de 2001/02, enquanto a equipa principal do Sporting CP voltava a sagrar-se campeã nacional, pela mão do romeno Laszlo Boloni, antigo treinador de Afonso Martins no AS Nancy, este jogador deslumbrava, com excelentes exibições e muitos golos, no Campeonato Nacional da 2ª Divisão “B”.No final de sete anos de ligação ao Sporting CP, Afonso Martins rumou à Moreirense FC, treinador por Manuel Machado, no início da época de 2002/03, reforçando assim a modesta equipa minhota que subia à 1ª Divisão Nacional. Afonso Martins é mesmo considerado como a principal e mais mediática aquisição da equipa de Moreira de Cónegos.


Texto e foto in Glórias do Passado
Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Lourenço

Nome: João de Matos Moura Lourenço
Data de nascimento: 08/04/1942 em Alcobaça
Posição: avançado
Estreia: Lusitano de Évora 1 Sporting 1 em 06/12/1964
Épocas no Sporting: 64/72
Títulos: 2 campeonatos nacionais, 1 Taça de Portugal

Imagem retirada do Futebol Inesquecível


Em 8 épocas ao serviço do Sporting foi campeão por duas vezes, em 65/66 com mais um ponto que o Benfica e em 69/70 com mais 8 pontos que os rivais lisboetas. Com Figueiredo – o “Alatafini de Cernache" – formou uma dupla terrível. Era um avançado letal e com um grande sentido de oportunidade. Veio da Académica para o Sporting e na época em que se sagrou campeão pela primeira vez tornou-se inesquecível por ter marcado 4 golos ao Benfica em pleno Estádio da Luz levando a que o Sporting vencesse por 2-4 – uma vitória importantíssima para o título alcançado. Foi até há bem pouco tempo o melhor marcador leonino de sempre – a par de Manuel Fernandes – do Sporting nas competições europeias, um feito entretanto batido por Liedson.
Comemora hoje 67 anos. Parabéns Campeão!
Ler Texto Completo

Leixões 0 Sporting 1


O Sporting sabia que não podia perder mais pontos e empregou a atitude certa no encontro com o Leixões, que lhe permitiu sair vitorioso do Estádio do Mar. O único tento da partida aconteceu ao minuto 12, por intermédio de Derlei.A pressão alta sobre a bola, o espírito solidário da equipa e a agressividade na forma como encararam a partida, fez com que os pupilos de Paulo Bento dominassem a partida, muito seguros em termos defensivos e menos eficazes no ataque, pois os «leões» desperdiçaram algumas ocasiões claras de golo. Passavam apenas 12 minutos, quando o Sporting conseguiu abrir caminho para a vitória. O golo dos «leões» teve como protagonistas os dois avançados, sendo que Liedson desmarcou Derlei e este último rematou de forma certeira para o fundo das malhas de Beto.Mas, se em termos de resultado os «leões» cumpriram mais um objectivo, no que diz respeito ao grupo, Paulo Bento ficou com mais dois problemas para resolver. Para além de Vukcevic e Izmailov lesionados, o treinador viu-se obrigado a fazer duas substituições que não estavam nos seus planos, uma vez que Romagnoli e Rochemback se lesionaram ainda na primeira parte do encontro. No banco o técnico tinha Veloso e Adrien Silva, que acabaram por colmatar as saídas precoces dos dois jogadores.No segundo tempo e com as condicionantes acima referidas, o Sporting continuou a controlar o jogo, sendo mais rápido nas transições, enquanto que o Leixões optou por jogar no erro dos «leões», mas sem que isso tivesse efeitos práticos. Na etapa complementar, Rui Patrício mais não foi do que um mero espectador. A entreajuda dos jogadores «verdes e brancos» e o espírito de sacrifício foram decisivos para que o Sporting saísse do Estádio do Mar com mais três pontos, continuando assim na luta pela conquista do título.


In Sporting.pt


João Moutinho -4- Esteve na jogada do golo. Jogou sempre em alta rotação. Provavelmente e melhor exibição da época. O melhor do Sporting.


Rui Patrício - 3

Abel - 3

Daniel Carriço - 3

Polga - 3

Caneira - 3

Rochemback - 2

Pereirinha - 4

Romagnoli - 1

Derlei - 4

Liedson - 3

Miguel Veloso - 2

Adrien - 2

Yannick - 1

Ler Texto Completo

Outro mágico: Luís Costa!

Luís Costa -4- o melhor do Académico. O primeiro remate do jogo foi da sua autoria. Ambos os golos nasceram dos seus pés. Quando a bola lhe chega aos pés há sempre magia. Seguramente a sua melhor exibição da época.
Augusto -4- também não lhe ficava mal o “título” de melhor em campo. Viu amarelo numa saída mal medida mas com o Académico em vantagem (1-0) negou dois golos “cantados” aos jogadores do Fiães. Só não defendeu a grande penalidade!

Alexandre -3- tentou sempre que possível subir pelo seu flanco. Teve apenas uma falha clamorosa mas Augusto safou-o e o Alex agradeceu-lhe.

Filipe -3- teve imensas dificuldades a fechar a lateral esquerda da defensiva academista. A actuar a central – com a saída de Sérgio – cometeu (?) a falta para grande penalidade. Nota 2,5: 2 pela exibição mais 0,5 pela entrega e pela disponibilidade demonstrada.

Sérgio -3- saiu logo no início da segunda parte –lesionado – e confesso-vos que fiquei em pânico pois o Académico apenas vencia por 1-0. Até sair esteve irrepreensível.

Tiago Gonçalves -4- que diferença para o central que iniciou a época! Esteve sempre bem e quando Sérgio saiu gritou, com atitude e classe, “o patrão agora sou eu!”

Calico -3- novamente na posição de trinco demonstrou ser, nesta altura, a melhor opção para o lugar.

Álvaro -3- entrou muito bem em jogo, com muita garra e com uma ou duas “aberturas” dignas de realce. Na segunda parte quase marcava com um remate de longe que saiu rente ao poste.

Casal -4- enquanto o deixaram estar em campo – não foi por querer mas o jogador do Fiães devia ter vindo para a rua, e o árbitro nem falta assinalou – pareceu omnipresente. Fantástico! Força Casal!

Éverson -3- diga-se que o seu estilo – brinca na areia – não agrada muito á maioria dos adeptos. Mas voltou a marcar. Quando todos lhe pediam um remate de primeira ele adornou o lance, e… marcou!

Zé Bastos -3- isto das novas tecnologias tem o seu quê de engraçado. Durante a semana soube que o Zé irá ser pai – Parabéns Zé, Parabéns Raquel! – e logo fiquei convicto que o Bastogol iria facturar. Que grande golo! Saiu extenuado.

Leandro -3- com a lesão de Sérgio entrou em campo para a sua posição – lateral esquerdo. Cumpriu.

Rui Santos -1- regressou à equipa mas ainda sem o ritmo adequado, o que se compreende.

Zé António -1- a estreia. Na pré época gostei muito de o ver. Ontem em poucos minutos mostrou coisas interessantes.
Ler Texto Completo