Oliv. do Bairro 2-1 AC. VISEU - O GOLO e imagens

Após 2 vitórias nos 2 jogos fora, chegou a 1ª derrota do Académico.
Aqui ficam algumas imagens e o golo de Zé Bastos, a fazer o 1-1.
As nossas desculpas, mas a qualidade do vídeo não é a melhor:



Canto que quase deu golo:



Fotos do jogo




O treinador Paulo Gomes no seu 1º jogo como técnico principal:





O ataque e pedir a bola:

Académico a prepararem-se para mais um canto:



1ª substituição - Éverson por Fábio:




Luís Vouzela sempre a perseguir a bola. Grande exemplo.


Festejos após o golo do empate:


Ler Texto Completo

Ol. Bairro SC 2-1 Ac. Viseu FC: A Crónica

E aqui vai a crónica de hoje.
Mais uma vez, como em anteriores ocasiões referi, este é a visão de um adepto. Não é de um técnico de futebol nem um jornalista. É de um academista que tem muito orgulho em ver aquelas camisolas a jogar. Portanto, vale o que vale.
Tarde de Sol com algumas nuvens, vento algo forte mas nada mau , comparado com as horas que antecederam o jogo.
O relvado em excelente estado, sem qualquer poça de água visível.
Um estádio novo, com boas condições, em que estariam cerca de 100 pessoas. De Viseu, diria que talvez 15/20 pessoas.

Estádio Municipal de Oliveira do Bairro, 31 de Outubro de 2010
6ª Jornada da III Divisão, Série D

Árbitro: António Alves

Oliveira do Bairro: Pedro Monteiro, Paulo Costa, Allan, Rui Castro, Leandro, Rúben, Hugo Paulo, Dany (Daniel, 89), Pedro Almeida (Miguel Tomás, 78), Luís Barreto (Mário, 87) e Alexis. Treinador: Carlos Miguel.

Ac. Viseu: Augusto; Casal, Jonas, Tiago Gonçalves e Marcelo Henrique; Calico (Álvaro, 81), Luís Vouzela e Ricardo Ferreira (Mauro, 68); Marco Almeida, Zé Bastos e Éverson (Fábio Machado, 55). Treinador: Paulo Gomes.

Golos: Pedro Almeida 40 (1-0), Zé Bastos 71 gp (1-1), Luís Barreto, 76 (2-1)


O Jogo começou equilibrado. Um Académico mais na expectativa, com Calico e Luís Vouzela a formarem um bloco à frente da defesa, que tinha no lado direito Casal e Marco Almeida também próximos. O lado esquerdo do Oliveira do Bairro parecia ser o mais perigoso e o Académico deve ter estudado bem o adversário.

Aos 13 minutos, boa defesa de Augusto.
Aos 15 minutos, Zé Bastos isolado, sem deixar cair a bola no chão, remata ao lado da baliza.
O Oliveira de Bairro começou a ter um ligeiro ascendente no Jogo.
Poucos minutos depois o Oliveira de Bairro esteve perto de marcar. Grande remate, excelente defesa do nosso GR, a bola bate ainda na barra, parece bater na linha de golo e acaba nas mãos de Augusto. Foi por pouco...
O Académico tentou equlibrar mais o jogo, mas a partir do meio campo estava difícil fazer chegar o perigo lá á frente. Ou por passes transviados, ou por perdas de bola, nao saia nada bem para o ataque.

Por volta dos 35 minutos, um centro de Marco Almeida (esteve bem no jogo) e Everson em frente à baliza, perde um pouco de tempo no remate e este é cortado por um defesa. Levava selo de golo. Faltou o killer instinct!!!
Aos 40 minutos, um remate de fora da área, com um arco estranho, embate com estrondo na barra de Augusto ! Começava a ser a sorte agora a proteger-nos.
Aos 43m, Pedro Almeida de cabeça faz o primeiro golo do encontro. Jogada do lado esquerda do ataque, centro para a área academista, Calico não consegue o corte por pouco e o avançado do Oliveira de Bairro marca o 1º do encontro de cabeça.

As rotações de jogadores ente extremos no ataque e a dinâmica de trocas posicionais no mio campo e ataque nao tinha ainda dado efeito.
Ao intervalo, Mauro aqueceu e previa-se alguma alteração para a segunda parte! Mas as equipas voltaram sem mudanças.

O intervalo fez bem já que no reinicio de jogo, entra em campo a pressionar o adversário. Notou-se uma atitude diferente. O querer dar a volta!
Poucos minutos após o reinício, a 1ª alteração: Entra Fábio por troca com Éverson. Foi uma tarde má para o jogador brasileiro, embora na 1ª parte quase toda a equipa esteve uns bons furos abaixo do que pode fazer (mais uma vez, é a opinião de um adepto que apenas viu este jogo esta época)

O Académico começava a pressionar com Fábio e Zé Bastos a lançar ataques venenosos,e a abrir jogo nas alas. Vários cantos consecutivos e num deles uma oportunidade flagrante para o Académico. Calico cabeceia e obriga o guardião adversário a aplicar-se e a fazer a melhor defesa dele, da tarde, para evitar o golo.
Novo canto a seguir, a bola sobrevoa a pequena área, é tocada por um academista, e penso que Tiago nao chega por poucos milímetros. Faltou um bocadinho assim...!
Em relação a bolas paradas e cantos, nota-se trabalho. Bem marcados, com perigo.
Começam a aquecer mais Mauro, Pedro´s e Álvaro.
O Académico começou a carregar no jogo, e já começava a justificar o empate.

Do Oliveira do Bairro pouco se via, o nosso meio campo e defesa tapava bem os caminhos. No entanto, num canto, a bola ressalta e trai Augusto que faz mais uma boa defesa evitando o 2-0.

Voltando à outra área, Bastos, muito incisivo na área, tenta progredir e parece travado por um defesa. o árbitro nada assinala... Ficam dúvidas.
De seguida, entra Mauro e sai Ricardo Ferreira, algo desaparecido nesta 2ª parte.

Mauro começa a ganhar algumas bolas de cabeça.
E aos 26 minutos da 2ª parte, Penalty sobre Luis Vouzela!!
Zé Bastos vai marcar....e .... Gooolloooooo!!

Só que esta alegria durou 5 minutos. Num lance de lançamento lateral, parecido com o golo do Porto ontem contra a Académica, é golo do Oliveira do Bairro. Luis Barreto foi o marcador. 2-1 no marcador.
Nota-se que a equipa vai abaixo e a desilusão volta a estar presente.

Ainda entrou Álvaro, que mexeu no meio campo, com dinamismo e frescura física.
Perto do fim, oportunidade de ouro. Uma boa jogada do Académico. Trocam de bola ao 1º toque no meio campo, Álvaro abre na esquerda para Marcelo. Este centra, Bastos amortece e dá para Fábio que trabalha bem a bola e centra. Aparece Mauro de calcanhar com um toque leve na bola.. que sai a rasar o 2º poste. Seria um excelente golo, mas nao foi desta.

Ha ainda 2 remates por alto de Álvaro, ainda do meio campo. Mauro também tentou a sua sorte. Era o assalto final à baliza do Ol. Bairro.

A acabar Marcelo já algo desgastado, complica e Augusto defende e tira a possibilidade de Daniel marcar o 3º, isolado perante o Guarda Redes.
E ... piiiiiiiiiiii... fim do jogo, após 4 minutos de desconto!

Desilusão dos adeptos academistas. Uma média/boa 2ª parte nao chegou para pontuar, neste campo de um rival na subida. Não podemos esquecer que este Oliveira do Bairro é um histórico da II Divisão, nao é um Gandara ou um Vigor Mocidade.. É um clube de uma região que aposta no futebol, tem bons praticantes e ano após ano tem sido difícil pontuar lá. Nao é por este resultado que perdemos obviamente a corrida aos lugares de subida.
Temos é que ganhar agora os próximos jogos para voltar à moral do início de época.

Nota-se qualidade e nota-se que temos um banco com bons valores. Pedros por exemplo ficou de fora, mas podia ter entrado.
Com Rui Santos, poderia ter sido outra história. O nosso 10 faz falta. Volta rápido!
Ler Texto Completo

CAF 80/81

Ler Texto Completo

Reforço n' A MAGIA DO FUTEBOL

Bem, para entrar nesta "família" é preciso um primeiro acto de praxe. Por isso, vou fazer uma auto apresentação.
Pedro Simões, 29 anos, não pai de filhos, bom rapaz.
Só para perceberem um pouco o meu percurso, nasci em Viseu e vivi lá 9 anos até 1990.
Vim com os meus pais para o Porto, e ainda cá continuo. Mas nunca larguei as raízes. Para mim o Académico de Viseu é o clube do meu coração e será assim até ao fim (o meu, porque o clube nao pode morrer....).
O primeiro jogo que vi do Académico ao vivo, foi quando o meu pai me levou a ver o Ac. Viseu - FC Porto, na época 87/88. Ficou 0-0, o estádio super lotado. Grande ambiente. Na altura nao conhecia ainda jogadores, não me lembro de quase nada.. mas a partir daí nunca mais larguei esta paixão Académico.
Comecei a acompanhar os resultados todos e a ver os Domingos Desportivos na RTP , nessa nossa última época na I Divisão. Queria fazer tudo para estar a par do que se passava à volta do Académico.

Com a vinda para o Porto ficou tudo mais difícil, mas continuei a "sofrer" à distância.
Raramente vejo jogos no Fontelo, mas nao ha domingo que nao ouça na rádio ou na internet o resultado do nosso clube. Tenho até uns caderninhos onde apontei os resultados todos desde 1991 até 2000.
Era uma emoção ligar a Antena 1, para ouvir o quadro de resultados.. com aquela musiquinha de fundo e a voz do Carlos Dolbeth. "Vamos agora aos resultados da II Divisão de Honra.. "
Ficava mesmo ansioso! Era o único meio disponível para quem nao vivia em Viseu e nao havia internets ou telemóveis. Hoje é tudo muito fácil.
Depois, comecei também a fazer coisas que ainda hoje mantenho, como comprar os Cadernos d' Abola no Verão (tenho desde 1988),  ou comprar jornais à 2ª Feira, após as jornadas, para ver como tinha jogado e quais os onzes e golos do Académico. (agora com as internets, compro muito menos, claro. Mas tenho jornais de todas as épocas ainda)

Outros episódios engraçados: Foi com muito orgulho que fui às Antas ver o FC Porto 5-2 Ac. Viseu para a Taça em 1993. Grande exibição do Augusto e do Zé d'Angola. Ver aquela jogada do 2º golo, em que finta o Baía, é inesquecível. Nós a ganhar 2-1 quase a acabar.. os portistas todos nervosos.. alguns ao meu lado a dizer "fogo, o vosso guarda redes é mesmo bom" e eu ali completamente a 100% com o nosso clube, mesmo sendo também adepto do Porto. Mas o Domingos tratou de nos tirar um sonho...

Anos mais tarde, andava a estudar e havia o sorteio da taça de portugal em que ainda estava o Académico e já os grandes. E quando vejo na primeira página do site do Mais Futebol que o resultado tinha sido Ac. Viseu - FC Porto foi a histeria total. Na altura eu era presidente da Associação de Estudantes e comecei aos berros na sala.. o pessoal perguntou o que se passava, tal era o entusiasmo. Tinha meeeeeeeesmo que ir ver esse jogo a Viseu.
E lá fui eu, mas o McCarthy, o Postiga e companhia nao deram hipótese. 0-4 . Gostei mesmo mais de ver o jogo nas Antas..! :)

Jogos do Académico tenho poucos no curriculum, porque quando andávamos a jogar com equipas desta zona , tinha ainda pouca autonomia e era novo. Agora que a consigo ter, andamos sempre nas zonas Centro e Centro / Sul... para pena minha. Mas assim que o Académico está por perto, tento lá ir. Nos últimos anos já conheci os estádios (alguns são campos...) de São João de Ver, Fiães, Arouca...

Em relação à internet, houve um dia que me lembrei de começar a ter um espaço sobre o Académico. E assim criei o http://acadviseu.blogspot.com/ 
Foi aí que conheci o João Nunes, através de uns comentários que ele fez no blog. Rapidamente, se tornou meu "sócio" e daí a criar o Magia do Futebol foi um passo. Vi com muito gosto e admiração o trabalho dele, e depois do restante staff.
A adesão que tem tido, do Pólo Norte ao Pólo Sul tem sido fantástica.

Pelo meu lado, tenho a dizer que é um orgulho fazer parte do grupo e de ter mais um meio para divulgarmos e partilharmos este nosso clube, que apesar de todas as crises se mantém com grandes adeptos como nós.
É preciso continuar a alimentar o futuro do clube com inciativas, com ideias e com coração. Para isso, contem sempre comigo

Espero nao vos ter maçado com esta pequena história.

Grande Abraço deste Academista à distância (no fundo, sou o correspondente estrangeiro do blog.. :))
Pedro Simões
Ler Texto Completo

CAF 84/85

Em cima: Luís, Zé Maria, Silvério, Camões, Tonanha, Armindo, Nelito
Em baixo: Pedro, Cunha, Jocemar, Costa
Ler Texto Completo

Crescemos!

A MAGIA DO FUTEBOL continua a crescer. A partir de hoje passamos a ter mais um elemento na nossa equipa. O Pedro Simões, que tem feito um bom trabalho AQUI, é o novo membro. Fará a sua estreia este domingo pois estará em Oliveira do Bairro a ver o nosso Académico. Pedro, bem-vindo à “família”!
Ler Texto Completo

A "crise" academista no Jornal do Centro

O Jornal do Centro chama hoje à sua capa a demissão de João Paulo Correia e apresenta como título os seguintes dizeres: “Quem tramou João Paulo Correia?”. Lá dentro, na página 18, aparece a foto do ex técnico dos academistas e do actual (Paulo Gomes) e o título, palavras de João Paulo Correia, é “não sou um mercenário”. Deixou, JPC, elogios a Paulo Gomes e Carlos Ferreira pela forma “competente e solidária” com que sempre “estiveram comigo neste projecto”. João Paulo Correia, que afirma amar o Académico de Viseu, não se alonga em muitos mais comentários para “manter a estabilidade na equipa e no clube” mas o certo é que não repete os elogios que havia dito no Diário de Viseu.

Nota: o site Jornal do Centro na sua edição online tem também “digitalizada” a sua versão em papel, passe por lá e leia com os seus olhos
Ler Texto Completo

Antevisão 6ª jornada: O. Bairro SC - Ac. Viseu FC

Depois do afastamento de João Paulo Correia do comando técnico da equipa academista, por motivos que ainda estão por explicar para muitos adeptos do nosso clube, a 6ª jornada dita a deslocação dos viseenses até O. Bairro, para defrontar a equipa local. Um jogo que marcará a estreia do ex. adjunto Paulo Gomes como técnico principal, ele que foi um consagrado futebolista que passou pelo palco nacional, e diga-se, com distinção. Esperemos que o mesmo aconteça, agora como treinador do melhor clube do mundo. Como efeito imediato, deu-se a dispensa de Luís Miguel, que já não faz parte do plantel, um jogador que claramente não se adaptou às exigências do clube, mostrando-se sempre pouco esforçado, apesar de reconhecido talento.
Quanto ao jogo em si, a formação de Oliveira do Bairro, ocupa a 5ª posição com nove pontos, (um a menos que os academistas), resultado de três vitórias (0-1 no terreno do Tocha; 1-0 frente ao Águias de Moradal e 1-2 em Gândara). Recorde-se que esta equipa da AF Aveiro, foi uma das que acompanhou o Académico na descida de divisão da época passada, e será sempre um plantel a ter em conta nesta 3ª Divisão Nacional.

Conheceu-se, ainda, a gravidade da lesão de Rui Santos, vários meses de calvário é o que espera o nosso mágico, muita força Capitão!
Carrega Académico! Boa Sorte mister Paulo Gomes!

Árbitro do encontro: António Alves, AF Porto; Observador: Paulo Aves
Horário: Domingo, dia 31 de Outubro, às 15 horas – Estádio Municipal de O.Bairro
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 3-1 Rio Ave

Estádio Municipal do Fontelo, 29 de Outubro de 1995

10ª Jornada da Liga de Honra 95/96

Árbitro: Vítor Pereira

Ac. Viseu: João, Sérgio, Mirko, Gerson, Marco Abreu, Chalana (João Luís, int), Rui Trigo, Luís Vouzela (Erasmo, 69), Zezinho (Marito, 67), Zé de Angola e Chiquinho Carlos. Treinador: João Cavaleiro.

Rio Ave: Nélson, Mesquita, Carlos Brito, Martins, Resende, Baíca (Omer, int), Camberra, Marcos (Paulo, 83), China (Emanuel, 74), Gama e Gamboa. Treinador: Henrique Calisto.

Suplentes não utilizados: Augusto, Walter (Ac. Viseu), Sérgio, Rifa (Rio Ave)

Golos: Sérgio 45 (1-0), Martins 52 (1-1), Chiquinho Carlos 77 (2-1), Marito 83 (3-1)

Veja o recorte do jornal aqui
Ler Texto Completo

Recordar: Nacional 5-2 Académico de Viseu

Estádio dos Barreiros, 29/10/1988, 3000 espectadores

Árbitro: João Simãozinho

Nacional: Gilmar, Leiz, William, Toninho, Tininho, Heitor, Ladeira, Mário (Vieira, 58), Paulo Sérgio (Mário Tito, 80), Higino e Dino. Treinador: Paulo Autuori.

Académico de Viseu: Paulo Renato, Rui Manuel, Leal, José Alhinho, Kappa, Amaral, Nogueira, Alexandre Alhinho (Quim, 45), Melo, Abel e Amadeu (João Manuel, 82). Treinador: Fernando Cabrita.

Suplentes não utilizados: Madureira, Phil Murphy, Edmilson (Nacional), Nelito, Cruz e Celestino (Académico de Viseu)

Golos: Amaral 22 (0-1), Higino 28 (1-1), Dino 44 (2-1), Mário 47 (3-1), Heitor 63 (4-1), Quim 70 (4-2), Vieira 88 (5-2).
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 2-1 Sp. Lamego

Estádio do Fontelo, 29 de Outubro de 2006
5ª Jornada da Divisão de Honra da AF Viseu 06/07

Golos: Filipe Figueiredo 23 (1-0), Eduardo (2-0), ? (2-1)

Recorde aqui
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 0-1 Guimarães

8ª Jornada do Campeonato Nacional da I Divisão (78/79)

Estádio Municipal do Fontelo

29 De Outubro de 1978

Académico de Viseu 0 Vitória de Guimarães 1

Académico de Viseu: Vaz, Pelezinho, Amadeu, José Freixo, Chico Santos, Ramon, Rachão, Brandão, Albasini, Basto e Orivaldo. Treinador: Mário Morais.

Vitória de Guimarães: Melo, Ramalho, Manaca, Soares, Alfredo, Pedroto, Almiro, Abreu, Romeu, Jeremias e Dinho. Treinador: Mário Wilson

Golos: Romeu (na segunda parte)
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 1-0 Sp. Pombal

Estádio do Fontelo, 28 de Outubro de 2001

Golo: Rui Lage 31 (1-0)


"O ACADÉMICO de Viseu impôs-se ontem, pela diferença mínima, à equipa mais concretizadora da Zona Centro, o Sp. Pombal. O precioso golo de Rui Lage, apontado aos 31 minutos, foi guardado a "sete chaves" pela formação viseense, que soube aguentar o "assalto" dos forasteiros à sua baliza.

As duas equipas apresentaram-se com esquemas semelhantes, povoando o meio- -campo e tentando acercar-se das balizas contrárias com um futebol apoiado. Até aos 20 minutos, foram os academistas que conseguiram esse objectivo e o tento solitário do desafio surgiu já depois de Pedro Fonseca e Sebastian terem desperdiçado boas oportunidades.

Face à reacção dos visitantes, a turma de Luís Almeida respondeu evidenciando cautelas defensivas. A verdade é que logrou tapar os caminhos da baliza: o Sp. Pombal só conseguiu rematar de longe à baliza defendida por Augusto. E nem de livre conseguiu incomodar os locais.

Para a segunda parte, o técnico dos visitantes, João Carlos, reforçou o ataque, substituindo César Júnior por Vítor Hugo. Mesmo assim, foram os donos do terreno que voltaram a surgir mais determinados e com vontade de marcar o mais depressa possível. Pedro Fonseca, na sequência de um pontapé de canto, quase ampliou a vantagem. Mas Pedro Duarte, numa excelente intervenção, negou-lhe o golo.

Depois, a formação pombalense corrigiu as marcações, o que dificultou a manobra atacante do Ac. Viseu. Mesmo assim, a equipa beirã manteve os adversários bem longe da sua baliza, segurando, assim, a vantagem conseguida ainda na primeira parte.

Luís Almeida (treinador do Ac. Viseu): "Foi uma vitória justa, que peca somente por ser escassa, frente a um adversário difícil. A minha equipa continua a falhar no capítulo da finalização."

João Carlos (treinador do Sp. Pombal): "Na primeira parte, não estivemos ao melhor nível. Mas rectificámos as posições e jogámos de forma consentânea com o nosso valor. O resultado mais justo seria o empate."

JOSÉ LUÍS ARAÚJO"

In Record.pt
Ler Texto Completo

Luis Miguel, já não é jogador do Académico.


" Paulo Gomes começou a “arrumar a casa”. Luís Miguel, médio extremo, que jogou na última época no Gondomar, e que foi reforço do Académico de Viseu para esta temporada,segundo apurámos, já deixou o clube.
Luís Miguel chegou a Viseu depois de uma época no Gondomar, onde fez 8 golos. Antes, esteve uma época no Chipre.
Pouco utilizado com João Paulo Correia, agora com Paulo Gomes o jogador perdeu por completo o seu espaço.
Direcção do clube e jogador terão já chegado a acordo para a sua desvinculação definitiva ao Académico de Viseu.
Paulo Gomes, o novo técnico, começa a fazer prevalecer algumas ideias que tem para o plantel academista, sendo possível que mais um ou dois jogadores possam nos próximos dias receber igualmente “guia de marcha” no Académico.
Esta “dispensa”, e outras eventuais, que estarão a ser analisadas pela equipa técnica e pela direcção do clube, poderão abrir espaço à chegada de novos jogadores. Privado de Rui Santos por alguns meses, por lesão no joelho, com Zé Bastos igualmente lesionado, e com a saída de Luís Miguel, o reforço do sector avançado da equipa poderá vir a acontecer, não sendo garantido, no entanto, que possa ser num curto prazo, sabendo-se das dificuldades financeiras do clube. Ao que apurámos, é no sector mais avançado que o novo técnico estará mais interessado em reforçar a equipa."

Foto e texto retirado do site Viseu Flash.
Ler Texto Completo

Recordar: Académico 4-0 Merelinense

Estádio do Fontelo, 27 de Outubro de 2004

4ª Eliminatória da Taça de Portugal

Golos: Chicabala (1-0), Carlos Alberto 15 (2-0), Nélson 46 g.p. (3-0), Filipe Cândido 90 (4-0)


"O Académico de Viseu garantiu o acesso à 5ª eliminatória, sem muitos esforços. A goleada é um resultado justo e não foi mais expressiva porque os viseenses optaram apenas por controlar o jogo quando viram que a vitória estava garantida.

A formação de Rui Bento – o técnico não quis “rodar” jogadores, apenas colocou José Carlos a titular – entrou bem no encontro: aos 15 minutos já vencia por 2-0, com tentos de Chicabala e Carlos Alberto.

Depois, até ao final dos primeiros quarenta e cinco minutos, o jogo ficou mais equilibrado, mas a superioridade dos anfitriões raramente foi colocada em causa pelo Merelinense, que disputa um escalão inferior (Série A da III Divisão).

No segundo tempo, a tendência do encontro manteve-se e os viseenses marcaram mais dois golos, por intermédio de Nélson, na transformação de uma grande penalidade logo no minuto inicial, e de Filipe Cândido, nos últimos instantes da partida."


José Luís Araújo in
Record.pt
Ler Texto Completo

Paulo Gomes é o novo treinador do Ac. Viseu

Segundo o site Viseu Flash, Paulo Gomes é o novo treinador do Ac. Viseu.

"Paulo Gomes é o novo treinador do Académico de Viseu. O ex-adjunto de João Paulo Correia assume a liderança da equipa técnica, onde vai também manter-se Carlos Ferreira. Está assim, de forma interna, encontrada a sucessão para João Paulo Correia, que se havia demitido no final do jogo com o Nogueirense, no passado domingo.
Paulo Gomes tem 35 anos, e deixou de jogar futebol na época passada, acabando na altura por ser convidado por António Albino para integrar a equipa técnica do Académico. Como jogador, tem um longo passado em clubes da I Divisão, de onde se destacam passagens por clubes como Vitória de Guimarães, União de Leiria e Paços de Ferreira."
Ler Texto Completo

Notícia Diário de Viseu

"A três pontos da liderança e com o objectivo de subida intacto, nada levava a crer a saída de João Paulo Correia do comando técnico do Académico de Viseu. Todavia, o empate do último domingo, no Fontelo, diante do líder Nogueirense, parece ter precipitado a decisão do jovem técnico, que apresentou, de imediato, ao presidente do clube, a demissão do comando técnico da equipa.
Em declarações ao Diário de Viseu, o técnico não adiantou os motivos que o levaram a deixar o clube. Apenas diz que a decisão visou “proteger os jogadores e libertá-los para jogar o que sabem”. “Ao contrário do que muitos dizem, nunca fui nem quis ser uma feira de vaidades”, salientou, sem, todavia, especificar quem era o(s) destinatário(s).
João Paulo Correia esclarece que não estavam reunidas as condições mínimas para se manter à frente da equipa. Mas iliba os dirigentes e a equipa das razões que o levaram a solicitar a rescisão do contrato.
“Quero agradecer aos jogadores, equipa técnica e Direcção pela forma como convivemos desde 10 de Maio”, adiantou, deixando ainda vincada “a grande simpatia e paixão pelo Académico, que não só já existia como se acentuou”.
A situação apanhou de surpresa os dirigentes, nomeadamente o presidente António Albino, para quem “o pedido demissão foi uma surpresa”.
“O treinador não quis adiantar as razões da sua decisão, revelando apenas que o fez para o bem do clube, de quem é adepto incondicional”, enfatizou, adiantando que não encontra uma razão concreta para que o treinador se tenha despedido, “até porque a equipa estava a jogar bem e tem condições, que também são mérito dele, para ser campeã da série”.
António Albino não fala, para já, do próximo treinador, uma vez que esta situação o apanhou desprevenido. “Não vai ser fácil arranjar outro treinador”, alertou, mostrando-se, todavia, esperançado de que a situação será resolvida em reunião de Direcção.

‘Dança’ de treinadores
A situação que o Académico tem vivido ao longo do último ano é tudo menos pacífica. No curto espaço de 14 meses, o clube teve três treinadores (Luís Almeida, António Borges e João Paulo Correia) e todos eles deixaram o clube sem grandes resultados - ainda assim, este último técnico estava a cumprir os objectivos traçados pela Direcção.
Essa instabilidade no comando técnico acabou por se repercutir na performance da equipa, que acabaria por descer de divisão.
Os dirigentes têm, assim, um trabalho complexo pela frente, até porque os sócios e adeptos não costumam ter muita paciência para resultados menos positivos."
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 0-2 Caldas

Os maus resultados do Académico de Viseu nos jogos disputados no Estádio do Fontelo continuam a ser reais. Na tarde de ontem, o “efeito” José Morais não resultou e o mínimo que se pode dizer é que os anfitriões só podem queixar-se de si próprios, dividindo a responsabilidade da fraca prestação com um árbitro e dois auxiliares sem categoria.

A “marca” do juiz começou no lance do primeiro golo do Caldas: Pedro Alberto fez falta sobre Sérgio, antes de André Jesus ter inaugurado o marcador. Depois, seguiu-se uma grande penalidade não assinalada, numa situação em que Lemos foi carregado por um defesa. Além disso, foi mal anulado um golo a Bertinho.

O árbitro falhou, também, na análise dos foras-de-jogo, prejudicando as duas equipas. Os viseenses, perturbados com o golo sofrido tão cedo, praticaram um futebol atípico, algo desgarrado e sem profundidade, apesar de terem construído duas ou três jogadas bem delineadas, como aquele lance protagonizado por Bertinho.

A formação de José Morais chegou a dominar o adversário, mas foi infeliz no ataque. Por outro lado, o Caldas fez um jogo inteligente: povoou bem a zona defensiva e a linha média, optando por partir para o ataque sempre com segurança, marcando em dois momentos cruciais. Eric, no final da primeira parte, fez o resultado final.

José Luís Araújo in Record.pt
Ler Texto Completo

Marco o impulsionador

Augusto – 2,5 – Não fez uma única defesa em todo o jogo.

Calico – 2 – Regressou á titularidade e jogou a defesa direito, tal facto vem provar que o Académico não tem um defesa direito no plantel. No golo do Nogueirense “encolheu-se” perante a ameaça de remate do autor do golo e com isso abriu uma auto-estrada.

Jonas - 3 – Mais esclarecido que o seu companheiro de sector.

Tiago Gonçalves -2,5 – Acabou por não comprometer mas cometeu algumas faltas desnecessárias em locais perigosos.

Marcelo Henrique – 2 – Não comprometeu defensivamente mas ofensivamente este muito aquém do que sabemos que pode fazer. Nunca procurou a linha de fundo para fazer cruzamentos preferindo fazê-los antes da área.

Luís Vouzela – 3 – pequenino, careca luzidia e muita classe! Na primeira parte foi vê-lo correr atrás de tudo o que era bola e quando pegava na mesma fazia miséria no meio campo adversário. Na segunda parte este mais posicional e menos visível. Foi dos melhores.

Ricardo Ferreira – 2 – Nota-se que tem um bom pé esquerdo mas não brilhou.

Álvaro – 2 – Foi ele que entregou a bola ao marcador do golo e quando este ameaçou que rematava encolheu-se e facilitou-lhe o trabalho. Não fez o que estamos habituados a ver nele. Fora de forma?

Marco Almeida – 3 – o melhor do Académico de Viseu. Na primeira parte na esquerda do ataque não mostrou nada digno de registo. Na segunda no lado direito do ataque foi ele o grande impulsionador do ataque academista quer a extremo, quer a defesa com a saída de Calico.

Zé Bastos – 2,5 –
Não esteve feliz na hora da finalização como se pode comprovar com um remate de primeira nos primeiros 45 minutos quando tinha muito terreno para progredir e na segunda num remate à meia volta que saiu muito por cima. Quando chegou a grande penalidade, pegou na bola, mostrou discernimento e atirou com classe. É o melhor marcador da equipa: 3 golos em 5 jogos!

Éverson – 2,5 – Foi o ponta de lança e mostrou-se muito participativo. Teve uma cabeçada de excelente nível que fez Rui Vale brilhar!

Mauro – 2 – Entrou e ajudou no pânico que a defesa nogueirense sentiu.

Pedro´s – 1 – Pouco mostrou.
Ler Texto Completo

João Paulo demitiu-se?

Segundo o site Viseu Flash , o treinador Academista demitiu-se no final do jogo frente ao Nogueirense, que acabou com um empate a 1 bola.

Segundo o mesmo site, o Presidente Academista aceitou a demissão.

Aguardamos a confirmação oficial, e mais detalhes acerca desta noticia....
Ler Texto Completo

Ac. Viseu FC 1-1 AD Nogueirense

Estádio do Fontelo, 24 de Outubro de 2010

5ª Jornada da III Divisão, Série D

Árbitro: Ângelo Correia (Castelo Branco)

Ac. Viseu: Augusto; Calico (Mauro, 67), Jonas, Tiago Gonçalves e Marcelo Henrique; Luís Vouzela, Ricardo Ferreira e Álvaro (Pedro´s 77); Zé Bastos, Marco Almeida e Éverson. Treinador: João Paulo Correia.

Nogueirense: Rui Vale, Vado, Luís Jorge, Carlos Santos, Marco, Nuno Ribeiro, Diogo Melo, Edir (Luís Paiva, 68), Xano, Daniel Gonçalves (Pinheiro 68) e Carlo (Miguel Barros, 79). Treinador: Pedro Ilharco.

Expulsões: Diogo Melo 81 (Nogueirense)

Golos: Diogo Melo 41 (0-1), Zé Bastos 82 gp (1-1)

Foto: Diário de Viseu



O Académico de Viseu empatou esta tarde no Fontelo com o líder do campeonato. E chamo-os líderes porque é isso mesmo que a tabela classificativa diz. Porque de líder viu-se pouco. Organizada é o único adjectivo bom que se pode atribuir ao líder. Porque de resto vieram a Viseu pensar pequeno, apanharam-se a ganhar sem saber ler nem escrever e meteram-se lá atrás. Usaram e abusaram do antijogo e isto tudo com a complacência da equipa de arbitragem que deu apenas quatro minutos de compensação. E o Académico só não venceu por causa disso? Claro que não, não venceram porque na primeira parte pouco mais que passear as camisolas fizeram e porque na segunda parte Rui Vale, o guarda-redes forasteiro, foi um verdadeiro herói.
Augusto foi, como habitualmente, o guarda-redes dos academistas, na lateral direita esteve Calico saindo da equipa Casal a dupla de centrais foi a dos “Tiagos”, Jonas e Gonçalves e na lateral esquerda o brasileiro Marcelo Henrique. No meio campo um trio composto por Vouzela, Ricardo e Álvaro que fez a sua estreia a titular esta época. Na frente outro trio, Marco Almeida à esquerda, Zé Bastos à direita e Éverson no meio. Foi uma primeira parte em que o Académico não conseguiu mostrar chama, nem arte e muito menos engenho. Um deserto de ideias que nem a enorme voluntariedade de Luís Vouzela conseguiu disfarçar. Marco Almeida, na esquerda, pareceu sempre longe do jogo e Zé Bastos na única boa oportunidade dos primeiros 45 minutos disparou de longe quando tinha todo o caminho do mundo para seguir em frente e visar a baliza. E o Nogueirense? Disse em cima que chegou ao golo sem saber ler nem escrever, talvez não tenha sido bem assim aproveitou foi a enorme passividade de Álvaro e Calico para chegar ao golo através de um remate cruzado.
A segunda parte não previa grande coisa para o Académico. Se não vejamos: a perder, e supostamente com o ânimo em baixo, o Académico teria que ir em busca do benefício – sim benefício porque o prejuízo já lá estava – abrir buracos na sua defensiva e frente ao líder isso seria fatal. Não foi. Com Marco Almeida no sítio certo – à direita do ataque – o Académico remeteu o Nogueirense à sua defesa e o guarda-redes da equipa forasteira brilhou a grande altura negando o golo por 3 ou 4 vezes aos academistas com destaque para uma extraordinária defesa a cabeceamento de Éverson. Foi já com Mauro em campo – deu maior presença na área contrária – que o Académico chegou ao golo, Marco Almeida meteu a bola na área, Rui Vale não chegou e atirou-se para o chão, desta feita o árbitro não foi na sua cantiga e gerou-se uma grande confusão na pequena área com um atleta nogueirense a meter a mão à bola vendo o correspondente cartão vermelho. Na transformação da grande penalidade Zé Bastos não perdoou. Com dez minutos para jogar e com um a mais o Académico não conseguiu fazer o golo da vitória que merecia – o lado esquerdo do ataque nunca fez o mesmo que o direito – e o Nogueirense foi-se mantendo “ligado à máquina” através de livres laterais alguns com faltas inventadas e outros através de faltas completamente disparatadas para não lhe chamar outra coisa.
Sei que o Nogueirense na época passada estava na distrital. Mas também sei que é o líder da nossa série. E sei que tem despachado com goleadas os seus adversários. Por isso esperava um líder a jogar à líder. E o que se viu foi uma máquina de anti-jogo. Assustou-se com a entrada do Académico na segunda parte e… Rui Vale ficou no chão a contorcer-se com dores por faltas imaginárias, fez duas substituições de uma assentada e os jogadores demoraram eternidades a sair de campo, o senhor que fez as substituições pede-as e só depois lá coloca o número do jogador que sai e não contente com a sua brilhante actuação ainda se sente com forças suficientes para provocar os adeptos da casa. Gente como esta não faz falta ao futebol, mata o futebol. E com tudo isto o que faz o árbitro? Deu 4 minutos de desconto…
Se critico a equipa do Nogueirense tenho que dar os parabéns aos seus adeptos. Vieram a Viseu em bom número e fizeram a festa!
Ler Texto Completo

Antevisão 5ª jornada: Ac. Viseu FC vs AD Nogueirense



Depois duma semana de interregno do campeonato em detrimento da Taça de Portugal, onde infelizmente, já não figuram equipas do distrito de Viseu, a 3ª Divisão Nacional está de volta, e logo com um apetecível Ac. Viseu FC vs AD Nogueirense, no estádio do Fontelo. Um jogo aguardado com muito interesse por todos, dado que dum lado encontra-se a figura da prova até ao momento, o Nogueirense, uma vez que é o líder isolado da série D. Em quatro jogos, somou outras tantas vitórias, e mais que isso, marcou catorze golos (média de 3,5 golos por jogo), e sofreu apenas um. Para nós, magia, é mesmo a surpresa do campeonato, pois é uma formação que se sagrou campeã distrital (Coimbra) na época anterior, o que não deixa de ser impressionante o alcance destes números nas primeiras quatro jornadas.

Por outro lado está o nosso clube, que saiu derrotado pela primeira vez frente ao BC Branco na pretérita jornada (2-3). Contudo, o inicio é prometedor, em quatro desafios tem três vitórias, e reparte a 2ª posição com a equipa do Monsanto, outro forte candidato à subida de divisão. Dez golos marcados (média de 2,5 golos por jogo) e quatro sofridos é o saldo academista até ao momento. Daí que se possa afirmar que este será um jogo com um grau extra de interesse, possivelmente estarão em campo duas das melhores equipas da série D.

O menos positivo desta análise, é mesmo a grave lesão do nosso mágico Rui Santos. O azar bateu à porta do capitão num jogo treino com os juniores na passada 6f. Apesar de ainda não se saber a extensão da lesão, é provável uma paragem longa, que afastará o n.º10 dos relvados por algum tempo.
O grupo academista é muito coeso nestas alturas, e vai querer dedicar, certamente, uma vitória ao seu capitão de equipa. Força Rui Santos!

Árbitro do jogo: Ângelo Correia - AF Castelo Branco; Observador: António Lourenço

Estádio do Fontelo
Horário: Domingo, dia 24 de Outubro, pelas 15 horas
Ler Texto Completo

Recordar: Académico de Viseu 0-1 Chaves

Estádio do Fontelo, 23/10/1988, 4000 espectadores

Árbitro: Fortunato Azevedo

Académico de Viseu: Paulo Renato, Leal, Rui Manuel, José Alhinho, Kappa, João Manuel (Amadeu, 74), Amaral, Alexandre Alhinho, Abel, Quim e Celestino (Melo, 60). Treinador: Fernando Cabrita.

Chaves: Padrão, Cerqueira, Jorginho, Filgueira (David, 64), Rogério, Eurico, Radi, Gilberto, Luís Saura, Diamantino e Erasmo (Celso Maciel, 75). Treinador: Raúl Águas.


Golo: Jorginho 44 (0-1)
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 0-0 Campia

A 23 de Outubro de 2005 o Académico de Viseu empatou no Fontelo com o Campia (0-0).
Ler Texto Completo

Recordar: Tarouquense 1-1 Ac. Viseu

Estádio Municipal de Tarouca, 22 de Outubro de 2006

4ª Jornada da Divisão de Honra da AF Viseu 07/07

Recorde aqui.
Ler Texto Completo

Recordar: Aves 1-1 Ac. Viseu

Estádio do CD Aves, 22 de Outubro de 1995

9ª Jornada da Liga de Honra 95/96

Árbitro: Veiga Trigo (Beja)

Aves: José Carlos; Picão, Sérgio, Vítor Nogueira e Eduardo; Fernandes (Vitinha, 57); Edu (Artur Alexandre, 58) e Quim; Martelinho, Paulo Vida e Túbia (c). Treinador: Eduardo Luís.

Ac. Viseu: João; Valter, Rui Trigo, Gerson, Sérgio e Marco Abreu; João Luís (c) (Chalana, 73); Chiquinho Carlos (Marito, 62), Luís Vouzela e Zezinho (Rui Manuel, 68); Zé de Angola. Treinador: João Cavaleiro.

Suplentes não utilizados: Baptista, Miguel e Marco (Aves), Augusto e Rui Lage (Ac. Viseu)

Golos: Túbia 23 (1-0), Zé de Angola 27 (1-1)

Veja o recorte do jornal aqui
Ler Texto Completo

João Paulo Correia

João Paulo Correia, o treinador do Académico de Viseu, nasceu a 22 de Outubro de 1966 e comemora hoje o seu 44º aniversário. Parabéns Mister!
Ler Texto Completo

Recordar: Sp. Covilhã 1-0 Ac.Viseu

Estádio Municipal José Santos Pinto: 21/10/01

Árbitro: José Figueiredo (Lisboa)Árbitros assistentes: Pedro Ferreira e Mário Pedrouço

Sp. Covilhã: Celso; Rui Morais, Piguita, João Carlos e Marco Abreu; Filipe Avelar (Pombo, 78m), Capelas, Trindade e Sousa (José Carlos, 45m); Hermes (Alexandre, 61m) e Riça. Treinador: João Cavaleiro

Ac. Viseu: Augusto; Rogério, Zé Duarte, Rui Carlos (Gil, 57m) e Bruno Almeida ( Sebastiem, 76m); Fernando, Lage, Adilson (Amorim, 37m) e Pedro Fonseca; Febras e Rui Santos. Treinador: Luís Almeida

Golos: Riça (49m)

Disciplina: cartão amarelo a Pedro Fonseca (46m), Lage (48m), Febras (50m), Bruno Almeida (66m), Fernando (70m) e Amorim (81m). Vermelho directo a Piguita (72m).

Veja a crónica aqui.
Ler Texto Completo

Ac. Viseu "perde" o mágico

"Rui Santos, jogador do Académico de Viseu, sofreu uma lesão grave no joelho esquerdo que o poderá afastar alguns meses da competição. O extremo academista lesionou-se durante um jogo de treino da equipa com os juniores, na passada sexta-feira, havendo suspeitas de lesão ao nível dos ligamentos. A primeira avaliação médica aponta para uma lesão com alguma gravidade, mas só os exames complementares, após 72 horas, darão uma ideia mais exacta da real extensão da lesão, bem como da previsão do tempo de recuperação. A confirmar-se o pior cenário, a paragem poderá ser de alguns meses."

In Jornal do Centro
Ler Texto Completo

CAF - Ac. Viseu 1979/1980

Fila de cima: Ângelo (adjunto), Rodrigo, Basto, Ângelo, Professor José Moniz (treinador), José Manuel, Sobreiro, Ramon
Fila do meio: Carnoto (massagista), Mário Vasconcelos (adjunto), Rui Nery, Penteado, Emanuel, Hélder, Chico Santos, Gerúsio, José Pereira
Fila de baixo: Vinagre, Alberto, Águas, Inaldo, Simões, Arnaldo, Nelito
Época: 79/80
Ler Texto Completo

Recordar: Braga 0-1 Académico de Viseu

Estádio 1º de Maio, 16/10/1988
9ª Jornada da I Divisão
Árbitro: Manuel Dória (Madeir)

Braga: Hélder, Toni, Nelito (Serrinha, 58), Vítor Duarte, Laureta, Santos (Jorge Gomes, int), João Mário, Kiki, Tiano, Fernando Pires e Vinicius. Treinador: Vítor Manuel.

Académico de Viseu: Paulo Renato, Rui, Leal, José Alhinho, Kappa, Amaral, Alexandre Alhinho (Morgado, int), Nogueira, Amadeu (João Manuel, 73), Abel e Quim. Treinador: Fernando Cabrita.

Golo: Abel 57 (0-1)
Ler Texto Completo

Recordar: Lusitano 0-1 Ac. Viseu

A 16 de Outubro de 2005 o Académico de Viseu venceu nos Trambelos o Lusitano de Vildemoinhos (0-1). Este resultado representou a primeira vitória do Académico na sua era AVFC.
Ler Texto Completo

Recordar: Académico 3-2 Feirense

Estádio do Fontelo, 15 de Outubro de 1995

8ª Jornada da Liga de Honra 95/96

Árbitro: Lucílio Baptista (Setúbal)

Académico de Viseu: João; Sérgio, Mirko, Gerson e Marco Abreu; Rui Trigo (Rui Lage, 57), João Luís e Luís Vouzela; Zezinho (Marito, 80), Zé de Angola e Chiquinho Carlos (Rogério, 81). Treinador: João Cavaleiro.

Feirense: Du; Bento do Ó, Armando, Pedro Miguel e Justiniano (Quintas, 63); Monteiro, Artur, Casquilha e Júlio Sérgio (Pedro Santos, int); Zoran e Joy (Luís, 50). Treinador: Henrique Nunes.

Golos: Chiquinho Carlos 26 (1-0), Joy 36 (1-1), Gerson 43 g.p. (2-1), Gerson 45 (3-1), Artur 47 (3-2)
Ler Texto Completo

Recordar: Infesta 4-1 Académico

Campo Moreira Marques, 12 de Outubro de 2003

3ª Eliminatória da Taça de Portugal

Infesta: Isac, Magalhães (Rivaldo, 63), Tiago Jonas, Nuno, Filipe Babo, Torres, Camarinha (Batista, 75), Sérgio, Corina, Vitinha (Ricardo Gomes, 86) e Pedro Nuno. Treinador: Manuel António.

Académico de Viseu: Augusto, José Mário, Sérgio, Fernando, Micas (Bertinho, 78), Bruno Almeida, Rui Lage, Rui Miguel (João Peixe, 73), Rui Santos, Paulo Listra (Zezinho, int) e Lemos. Treinador: José Morais.

Golos: Corina 30 (1-0), Lemos 33 (1-1), Sérgio 71 (2-1), Sérgio 82 (3-1), Corina 90 (4-1)
Ler Texto Completo

Só dá Vouzela !

Augusto - 2,5 - Sofreu 3 golos em apenas meia hora de jogo. Diz quem estava mais perto dos lances que poderia ter feito algo mais nos golos. Quase no fim do jogo fez uma enorme defesa ao sair aos pés do avançado albicastrense evitando o 4º golo forasteiro 

Casal - 1 - Meia hora em campo. Os golos nem sequer foram pelo seu flanco, mas o treinador viseense decidiu lançar Luis Miguel e Marco Almeida foi para defesa direito.  

Tiago Jonas - 2 - Que dizer de um central que teve pouco trabalho, mas a sua equipa sofre 3 golos em 3 ocasiões, em apenas meia hora de jogo? 

Tiago Gonçalves - 2 - Á semelhança do seu colega de sector, pouco trabalho, mas eficácia adversária a 100%. Tarde infeliz. 

Marcelo Henrique - 1,5 - Nada mas mesmo nada lhe saiu bem neste jogo. Há dias assim... Ainda tentou o livre directo, mas só teria êxito se o desporto em causa fosse raguebi.

Luís Vouzela - 4 - Sempre ele a remar contra a maré. É impressionante o seu pulmão e a sua resistência física. Já perto do fim e quando já acusava bastante desgaste físico, ainda foi "obrigado" a fazer um raid do tamanho de meio campo de futebol, atrás do avançado albicastrense, que permitiu a defesa da tarde a Augusto. Nesse lance mereceu a ovação da tarde. Grande Vouzela, aos 36 anos mostra aos colegas mais novos como se deve comportar um jogador dentro de campo, sempre a lutar até á exaustão. 

Ricardo - 2 - Aquele lance aos 5 minutos em que mandou a bola ao poste pode ter sido o momento do jogo. Se aquela bola entra, a história tinha sido outra. Assim foi mais um atleta desinspirado na tarde de domingo.

Éverson - 2 - Para mim o Éverson é avançado e ponto final. Não tem velocidade nem garra, para andar a pisar a linha de meio campo. Não lhe peçam para recuperar bolas porque é mentira.  

Rui Santos - 2,5 - Deu um ar da sua graça. A longa ausência dos relvados, ainda se nota muito. Já ensaiou os remates que o caraterizam, mas sem sucesso. Irrepreensivel na marcação da grande penalidade.

Marco Almeida - 2 - Discreto na ala direita no inicio, discreto como defesa direito e desastrado nos cruzamentos. Também não era o seu dia.

Mauro - 1,5 - Esteve em campo, mas não fosse a sua estatura física e mal se notava a sua presença.

Luís Miguel - 1,5 - Também esteve em campo. A disponibilidade e garra demonstrada fica muito a desejar. Esperam-se melhores dias! 

Fábio - 1,5 - Tem sido muito infeliz... quando entra tráz alegria ao meio campo academista, mas demonstra tamanha disponibilidade e vontade de fazer bem, que por vezes é atraiçoado por lances mais viris. Acabou expulso, mas sem qualquer maldade nas entradas ao adversário. Quando conseguir controlar os ímpetos defensivos será um grande jogador.
Zé Bastos - 3 - Será uma nota exagerada? Se calhar sim, porque nem tudo sai bem ao Bastogol, e a forma física está longe de ser a melhor, mas o ataque ganha muito com a sua presença em campo. Sofreu o penalty que deu o 1º golo, e fez o 2º.
Ler Texto Completo

Ac. Viseu 2-3 BC Branco

O Académico perdeu esta tarde no Fontelo com o Benfica albicastrense por 2-3. Esteve a perder por 0-3 (resultado ao intervalo) com Rui Santos e Zé Bastos a atenuarem o prejuízo. Fábio acabou expulso e o Académico não conseguiu chegar, no mínimo, ao empate.

Estádio Municipal do Fontelo, 10 de Outubro de 2010

4ª Jornada da III Divisão, Série D

Árbitro: Luís Coelho (Coimbra)

Ac. Viseu: Augusto; Casal (Luís Miguel 29), Jonas, Tiago Gonçlves e Marcelo Henrique; Luís Vouzela, Ricardo e Éverson (Fábio, int); Rui Santos, Marco Almeida e Mauro (Zé Bastos, 61). Treinador: João Paulo Correia.

BC Branco: Nuno Morais, Fábio Matos, Aires, João Afonso, Miguel Vaz, Renam (Babá, 88), Camilo (Yuri, 90+3), Tomás (Sordo, 87), Fixe, Carvalhinho e Ricardo António. Treinador: Nuno Fonseca.

Expulsões: Fábio 80 (Académico de Viseu)

Golos: Renam 10 (0-1), Tomás 15 (0-2), Fábio Matos 27 (0-3), Rui Santos 67 gp (1-3), Zé Bastos 70 (1-3)


O Académico começou bem, uma jogada muito bem conseguida por Rui Santos, onde Ricardo aparece no coração da área a rematar ao poste da baliza adversária, era o primeiro sinal de perigo academista (e único na primeira metade!). Isto porque na resposta surge o golo do BCBranco, um rápido contra-ataque, onde a bola é metida nas costas de Marcelo, cruzamento do ala albicastrense para o avançado de primeira encostar para a baliza de Augusto, aproveitando também, alguma, senão muita, apatia dos centrais academistas. Isto logo aos 10minutos, porque volvidos mais 5minutos, e a papel químico do primeiro golo, já estava 0-2 para os Homens de Castelo Branco. Um resultado que espelhava 100% de eficácia dos forasteiros. O técnico academista descontente, retirava do jogo, Casal para o lugar de Luís Miguel. Mas não teve efeitos práticos, até porque o BCBranco chegaria ao 0-3, ainda antes do intervalo, após um livre do lado esquerdo do seu ataque, onde Augusto foi impotente para evitar novo golo alheio.

Na 2ª metade, os academistas foram mais para cima do adversário, já com Fábio em campo para o lugar do apagado Éverson. O golo só surgiria após a entrada de Bastos, à passagem dos 65minutos, o avançado é carregado quando se preparava para rematar à baliza adversária. Rui Santos, com convicção, não desperdiçou. Pouco depois, foi mesmo Zé Bastos a marcar, com um remate cruzado, após ganhar a posição sobre um adversário albicastrense, o academista fazia o 2-3. Estava renascido o jogo, e a alma academista. Contudo o resultado já não se iria alterar. Houve tempo ainda, para a expulsão de Fábio, por acumulação de amarelos, após entradas mais duras. E praticamente no último lance da partida, Jonas quase quase fazia o empate, de cabeça, mas a bola saiu mesmo rente ao poste, após canto de Marcelo.

Em suma, o Académico deu 45minutos de avanço ao adversário, fez uma 2ª parte esforçada, mas que não foi suficiente para, pelo menos, empatar a partida. Pensamos que faltou gente no meio-campo, Vouzela, o bombeiro de serviço, foi pouco na zona central, uma vez que a equipa de Castelo Branco tinha muito espaço para jogar, e idealizar os seus passes mortíferos, tal como fez no primeiro tempo. Contudo, valeu pelo esforço dos viseenses nos segundos 45minutos, numa tarde, sem dúvida, infeliz para os pupilos de João Paulo Correia.
Daqui por 15 dias há mais, e o adversário só é o líder, Nogueirense, que hoje venceu 6-0 o Gândara!!!

Força Académico!

João Monteiro, sócio nº 805
Ler Texto Completo

Antevisão da 4ª jornada: Ac. Viseu FC x BC Branco




A 4ª jornada desta 3ª Divisão Nacional dita a visita do BC Branco até à bela cidade de Viseu, para defrontar o Académico local. A equipa Albicastrense começou o campeonato com uma derrota pesada (0-4 frente ao Monsanto), rectificando em Gândara na 2ªjornada (vitória 0-2); a pretérita jornada culminou com um empate caseiro frente ao A. Riachense (1-1). Três golos marcados e cinco sofridos é o saldo até ao momento da formação de Castelo Branco. Leandro, autor do golo no passado domingo, não defrontará o Académico, uma vez que foi expulso nesse jogo.
O Académico de Viseu regressou a casa com uma gorda e moralizante vitória em Gândara, e quererá, frente aos seus adeptos (entusiasmados perante este inicio fulgurante) fazer uma exibição, se possível, idêntica, tendo sempre como objectivo primordial, a vitória. O regresso de Rui Santos ao Fontelo, será porventura, um ingrediente extra para todos nós.

Árbitro do jogo: Luis Coelho, AF Coimbra (com observador)

Estádio do Fontelo
Horário: Domingo, dia 10/10, às 15 horas

Ler Texto Completo

Recordar: Académico de Viseu 0-0 Beira Mar

Estádio Municipal do Fontelo, 09/10/1988, 10000 espectadores

Árbitro: Miranda de Sousa

Académico de Viseu: Paulo Renato, Rui Manuel, José Alhinho, Leal, Kappa, João Manuel, Alexandre Alhinho, Nogueira, Abel (Quim, 65), Diallo e Amadeu (Amaral, 85). Treinador: Carlos Alhinho.

Beira Mar: Miguel, Costeado, Reydis, Dinis, João Gouveia, Redondo, Dreyffus, Abdel Ghany, Simões, Paquito (Freitas, 85) e Alain (Guilao, 78). Treinador: Jean Thiessen.

Suplentes não utilizados: Nelito, Morgado, Celestino (Académico de Viseu), Peres, Dedé, Jarbas (Beira Mar).
Ler Texto Completo

Luís Miguel - 30

Luís Miguel da Costa Lobo, o Luís Miguel do Académico de Viseu, nasceu a 09/10/1980 e comemora hoje o seu 30º aniversário.
Ler Texto Completo

Recordar: Espinho 1-0 Académico

Estádio Comendador Oliveira Violas, 8 de Outubro de 1995

7ª Jornada da Liga de Honra 95/96

Árbitro: António Marçal (Lisboa)

Espinho: Paulo Freitas; Serginho, Filó (Stefan, 83), Carvalhal e João Paulo; Duca; Carlos Pedro, Besirovic (Nuno Almeida, 67) e Bolinhas; Répasi e Artur Jorge (Zsinka, 89). Treinador: Adelino Teixeira.

Académico de Viseu: João; Marco Abreu, Mirko, Sérgio e Gerson; Rui Trigo; Chalana (Zezinho, 29), Luís Vouzela (Rui Lage, 65), João Luís (Rui Manuel, 75) e Chiquinho Carlos; Zé de Angola. Treinador: João Cavaleiro.

Golo: Répasi 20 (1-0)
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 1-2 Santacombadense

A 8 de Outubro de 2005 o Académico de Viseu perdeu no Fontelo frente ao Santacombadense (1-2).
Ler Texto Completo

Notícia de 7 de Outubro de 2003

"A SAD do Académico de Viseu anunciou hoje que o substituto do treinador José Leal, que abandonou o clube após a derrota do último fim-de-semana, será preferencialmente jovem e capaz de levantar a moral dos jogadores.

A equipa de Viseu ocupa o penúltimo lugar da tabela da II Divisão B, zona centro, depois de no sábado ter averbado a terceira derrota em sete jogos, na recepção ao líder Sanjoanense (1-2).

Depois de ter chegado a acordo amigável com Leal, o conselho de administração da SAD reuniu ontem à noite para definir o perfil do novo treinador.

"Queremos um treinador jovem, com dinamismo, que incuta motivação aos jogadores, porque eles andam com a auto-estima muito em baixo", disse à Agência Lusa Rui Melo, da SAD do Académico. Na opinião do dirigente, apenas esse factor pode justificar que a formação não se encontre nos lugares cimeiros da tabela, como se previa no início da época.

"O tronco principal da equipa é o mesmo do ano passado, em que conseguimos o terceiro lugar. Por outro lado, as duas equipas que estavam à nossa frente (Feirense e Estrela de Portalegre) já não jogam connosco e, em condições normais, devíamos estar nos primeiros lugares", justificou.

A contenção de despesas a que a SAD está obrigada poderá, no entanto, tornar-se uma dificuldade para encontrar o técnico com o perfil pretendido, admitiu.

Rui Melo disse à Lusa que "já houve contactos com alguns treinadores e todos eles se sentiram honrados com o convite", escusando-se, no entanto, a avançar nomes. "Esperamos ter a situação resolvida entre hoje e amanhã", afirmou.

O Académico de Viseu iniciou a temporada com claras aspirações à subida à Liga de Honra, um objectivo que ainda não está colocado de lado. No entanto, Rui Melo frisou que o que interessa actualmente é sair do fundo da tabela.

"Se daqui a quatro ou cinco jogos tivermos algumas vitórias poderemos estar a meio da tabela. Se nos formos aproximando do cimo, quem sabe em Dezembro não poderemos contratar algum reforço. Mas agora o que queremos é estabilidade", acrescentou. "
Ler Texto Completo

Recordar: Fafe 0-0 Académico de Viseu

Estádio Municipal dos Desportos, 05/10/1988

Árbitro: Xavier de Oliveira

Fafe: Quim, Camilo, Figueiredo, Cláudio, Grosso, Guedes (Flávio, 70), Sotil, Gomes, Sérgio (José Albano, 45), Padinha e Rogério. Treinador: José Rachão.

Académico de Viseu: Paulo Renato, Morgado, José Alhinho, Kappa, Rui Manuel, João Manuel, Nogueira (Cruz, 84), Amadeu, Diallo e Amaral (Quim, 74). Treinador: Carlos Alhinho.

Suplentes não utilizados: Lopes, Paulo César, Mário (Fafe), Nelito, Carlos Manuel e Melo (Académico de Viseu)
Ler Texto Completo

Recordar: Fornelos 0-2 Ac. Viseu

A 5 de Outubro de 2006 o Académico de Viseu venceu o Fornelos em jogo a contar para a Taça Sócios de Mérito.
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu 2-1 Oliveira do Bairro

Estádio do Fontelo, 4 de Outubro de 2009
4ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Árbitro: Pedro Vilaça

Académico de Viseu: Augusto, Ruben, Jonas, Freddy, Filipe, Gamarra, Luís Costa (Álvaro, 56), Tomé, Rui Santos, Renato (Guima, int) e Kelvin (Zé Bastos, 53). Treinador: Luís de Almeida.

Oliveira do Bairro: Mário Júlio, Paulo Costa, Xavier, Rui Castro (Allan, 10), Leandro, Éder, Hugo Paulo, Miguel Tomás, Alexis, Luís Barreto (Nélson Rato, 26) e Dany (Jean, 78). Treinador: Amorim Nunes.

Expulsão: Miguel Tomás 80 (Oliveira do Bairro)

Golos: Nélson Rato 60 (0-1), Freddy 67 (1-1), Guima 90 (2-1)
Ler Texto Completo

UD Gândara 0-4 Ac. Viseu FC

Parque Desportivo das Lagoas do Bom Sucesso, 3 de Outubro de 2010
3ª Jornada da III Divisão Série D
Árbitro: Sandro Soares (Leiria)

Gândara: Rafael, Daniel (Russo, 60), Piter, Roxita (David Matias, 69), Tiago Matos, Alexandre, Tinga, Romão, Dragon, Tiago Bosingua e Cássio. Treinador: Ceia Lima.

Ac. Viseu: Augusto; Casal, Jonas, Tiago Gonçalves e Marcelo Henrique; Calico (Rui Santos, int), Luís Vouzela e Éverson (Pedro´s, 85); Marco Almeida, Ricardo Ferreira e Mauro (Álvaro, 68). Treinador: João Paulo Correia.

Golos: Mauro 18 (0-1), Éverson 74 (0-2), Marco Almeida 81 (0-3), Rui Santos 87 (0-4)

"Não sofre a mínima contestação a vitória dos academistas. Numa tarde com muito vento e com a chuva a prometer mas sem chegar a cair, a equipa da casa com um plantel, praticamente, novo e com jogadores que chegaram há pouco tempo tinha uma missão muito difícil pela frente.
A partida começou com os viseenses a tomar conta do jogo. Por seu lado, o Gândara explorava o contra ataque, jogando no erro do adversário.
Aos 18 minutos, numa rápida jogada pelo lado esquerdo, Marco Almeida vai à linha do fundo, cruzou e, oportuno, apareceu Mauro a desviar para fazer o primeiro golo.
A meio da primeira parte, o Gândara podia ter chegado ao empate, por intermédio de Tinga que se isolou, mas 'ofereceu' a bola a Augusto.
Antes de acabarem os primeiros 45 minutos o Académico podia ter ampliado a vantagem, numa boa triangulação. Mauro entra na grande área e na cara de Rafael atira ao lado.
O segundo tempo começa com o Gândara a pressionar mais os visitantes, mas foi sol de pouca dura, já que foi os forasteiros continuaram a criar oportunidades e Rui Santos, que tinha entrado ao intervalo, rematou ao lado.
Passados poucos minutos a equipa do Bom Sucesso teve a melhor ocasião para chegar ao empate. Tinga foge aos defesas contrários e já dentro da área rematou para grande defesa de Augusto que desviou para canto. A partir deste lance o Gândara nunca mais se encontrou. As forças não davam para mais e com isso aproveitou a equipa das terras de Viriato para subir mais no relvado. Passados alguns minutos chega a novo golo, graças a um centro do lado direito para a cabeça de Everson que fez o 0-2.
Aos 81 minutos novo centro, agora do lado esquerdo, com os centrais a não cortarem o lance, e nas costas apareceu Marco Almeida a cabecear para o 0-3.
Antes de terminar a partida ainda houve tempo para mais um bonito golo. Jogada de contra ataque dos viseenses, a dois toques, e Rui Santos a fazer uma obra de arte e a fazer o 0-4 fixando o resultado final.
A equipa de arbitragem esteve excelente."

In Diário de Viseu

Notas aos jogadores:

4 - Mauro,Éverson e Marco Almeida

3,5 - Rui Santos

3 - Augusto, Casal, Jonas, Tiago Gonçalves, Calico, Casal, Marcelo Henrique e Luís Vouzela.

2 - Álvaro

1 - Pedro´s
Ler Texto Completo

Recordar: Leixões 2-0 Académico de Viseu

Estádio do Mar, 2 de Outubro de 1988, 7000 espectadores

Árbitro: Raúl Ribeiro

Leixões: Jesus, Abílio, Amarildo, Mauro, Barreto, Tozé, Ferreirinha, Quinito, Ruben, Penteado e Makukula. Treinador: António Morais.

Académico de Viseu: Paulo Renato, Rui Manuel, Leal, José Alhinho, Kappa, Nogueira, Amaral, João Manuel, Diallo, Quim e Melo (Amadeu, 77). Treinador: Carlos Alhinho.

Suplentes não utilizados: José Carlos, Chico Vieira, Quim, Moreira de Sá e José Augusto (Leixões), Nelito, Carlos Manuel, Cruz, Álvaro (Académico de Viseu).

Golos: Quinito 37 g.p. (1-0), Barreto 67 (2-0)

Fonte: Fora De Jogo
Ler Texto Completo

Fábio Machado - 19

Fábio Miguel Marques Machado, o Fábio Machado do Académico de Viseu, nasceu a 02/10/1991 e comemora hoje o seu 19º aniversário. Parabéns!
Ler Texto Completo

Notícia de 2 de Outubro de 2004

"O Académico de Viseu procura hoje, na visita ao Esmoriz, averbar a primeira vitória fora de portas e dar sequência ao triunfo alcançado, no Fontelo, na última jornada, frente ao Abrantes. Aliás, só mantendo a senda de bons resultados é que o clube pode almejar, num futuro próximo, subir à SuperLiga, como é desejo de Rui Bento.

"Viseu merece uma equipa na SuperLiga, mas para isso é necessário o apoio da massa associativa", salientou o técnico do Académico, desafiando os adeptos para que "continuem a acreditar e que lutem por isso".

Cativar o público, através de bons espectáculos, é outra das ambições de Rui Bento. "Gosto que o meu plantel seja agressivo, domine durante todo o jogo, mas que pratique um futebol de qualidade, com estética e entusiasme as pessoas. Essa é uma luta que me acompanhará sempre."

O treinador destaca a boa prestação na segunda metade do desafio diante do Abrantes, atitude que pretende manter. "Na segunda parte colocámos um jogador nas alas, dando maior profundidade atacante, o que surtiu efeito. Obrigámos Abrantes a desgastar-se, de tal maneira que praticamente não conseguiam sair para o contra-ataque, jogando a meio campo. É isso que pretendo que o Ac. Viseu faça, que pressione, e que tenha oportunidades de golo conseguindo obter a alegria do jogo. Isto porque somos encarados como um grande neste escalão, o que provoca, muitas vezes, que cheguem ao Fontelo e só defendam."

Rui Bento focou ainda o facto de a competição ser difícil. "O campeonato é algo incaracterístico, com alguns resultados inesperados. Há formações que, pelo facto de não terem dois ou três jogadores que façam a diferença, acabam por sofrer com isso."

A concluir, o técnico dos viseenses deu a sua opinião no que concerne aos candidatos à promoção. "É prematuro falar nisso, porque as equipas que vão discutir a subida terão de estar, no último terço da prova, juntas e é aí que tudo se vai definir. Mas há conjuntos que, tal como nós, se assumiram, como é o caso da Sanjoanense. Posso destacar ainda o Torreense, o eterno candidato, o Mafra e o Fátima, que tem feito um bom campeonato."

Jorginho continua em dúvida

O avançado Jorginho está convocado, mas só momentos antes do desafio é que o treinador Rui Bento saberá se pode contar com o seu contributo, uma vez que o jogador ainda não se apresenta totalmente recuperado da lesão que o tem vindo a apoquentar. Quem estará indisponível é Rui Laje, com o braço esquerdo ainda engessado, na sequência de uma luxação com fractura."

José Luís Araújo in Record.pt
Ler Texto Completo

Antevisão 3ª jornada: UD Gândara x Ac. Viseu FC


Depois de duas vitórias nas duas primeiras jornadas do campeonato da 3ª Divisão Nacional, os academistas deslocam-se, este domingo, até Bom Sucesso - Figueira da Foz, para defrontar a equipa local, o UD Gândara. Uma equipa da AF Coimbra que tem tido um trajecto estável nesta 3ª Divisão, como comprova o 4º lugar alcançado em 2008/2009 e o 5º lugar em 2009/2010. Esta temporada, esta formação, soma por derrotas os jogos realizados. (1ª jornada: 3-0 no terreno do Águias de Moradal; na 2ª jornada: derrota caseira frente ao BC Branco, 0-2).

O nosso Académico de Viseu já poderá contar com o n.º10 Rui Santos, que fará assim a sua estreia esta época, depois de cumprido o castigo federativo, sendo uma opção ”mágica” para o mister J.P.Correia.

Árbitro da partida: Sandro Soares, AF Leiria
Local do jogo: Parque Desportivo das Lagoas, Bom Sucesso – Figueira da Foz
Horário: Domingo, dia 03 de Outubro, às 15 horas
Ler Texto Completo