Ac. Viseu FC 1-0 Portimonense SC

Estádio do Fontelo, 23 de abril de 2017
38ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Jorge Ferreira (Braga)

Ac. Viseu: Rodolfo; Carlos Eduardo, Bura, Bruno Miguel e Stéphane; Capela (Zé Paulo, 83), Paná e Rui Miguel (Bruno Loureiro, 66); Tiago Borges (Moses, 77), Luisinho e Sandro Lima. Treinador: Francisco Chaló.

Golo: Tiago Borges 71 (1-0)

O Académico, esta manhã, alcançou um importante triunfo  -1x0- na receção ao líder Portimonense. Um resultado importantíssimo que, permite aos academistas respirarem melhor, isto a 4 desafios do final do campeonato.


O treinador Francisco Chaló procedeu a algumas alterações no onze inicial, relativamente ao desafio anterior na Covilhã, com destaque para a estreia a titular de Rui Miguel. Carlos Eduardo também regressou ao onze, bem como Luisinho e Paná.

O jogo iniciou-se com um Académico fortíssimo, com três pontapés de canto em pouco tempo, a demonstrar a vontade da turma viseense em marcar cedo. Não aconteceu, e o Portimonense, aos poucos, equilibrou a partida. Na primeira parte destacam-se por parte da equipa da casa, um livre direto de Bura que, nos pareceu tirar tinta ao poste da baliza defendida por Ricardo Ferreira, e o um remate de Sandro Lima em boa posição, mas que atirou por cima da baliza, após uma arrancada impressionante de Capela. A equipa forasteira, respondeu com um grande remate de longe, ao qual Rodolfo se opôs com a defesa da manhã.

Na segunda metade, o jogo continuou equilibrado, com algumas ocasiões repartidas. À passagem dos 60min, destaque para mais uma bela defesa de Rodolfo, após investida de Chidera. A primeira aposta do banco foi a entrada Bruno Loureiro. Mais tarde Moses e Zé Paulo deram o seu contributo. O golo da turma academista surgiu por Tiago Borges, após lance de Sandro Lima que, nada egoísta, colocou a bola no colega de equipa. Golo do Académico aos 71 min de jogo!!! Até final, a equipa de Portimão tentou a igualdade, mas a turma viseense com um posicionamento exemplar, não permitiu grandes veleidades.

Resultado final de 1-0 que permite ao Académico esperar, de forma mais tranquila, pelos resultados desta jornada. Parabéns equipa!!!


Para o próximo domingo, 30/04, está marcada mais uma final, em FAFE, pelas 16h00 e o apoio dos adeptos é fundamental para alcançarmos os nossos objetivos. 
Força Académico!!!
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 1-0 Ol. Bairro SC

Estádio do Fontelo, 23 de Abril de 2011
5ª Jornada da Fase de Subida, III Divisão, Série D
Árbitro: Luís Dionísio

Ac. Viseu: Augusto; Casal, Tiago Jonas, Tiago Gonçalves e Marcelo Henrique; Vouzela, Álvaro (Calico, 90), Ricardo Ferreira e Éverson; Luisinho (Luís Miguel, 67) e Zé Bastos (Rui Santos, 76). Treinador: Manuel Matias.

Oliveira do Bairro: Pedro Monteiro, Alexis, Luís Barreto, Paulo Costa, Rui Castro, Rúben, Pedro Almeida (Rui Beato, 76), Leandro, Mário (Miguel Tomás, 64), Hugo Paulo e Dany (Rato, 64). Treinador: Carlos Miguel.

Expulsão: Casal 45

Golo: Zé Bastos 54 (1-0)

Ligações:

Crónica do jogo
Melhor em campo
Ler Texto Completo

Antevisão: Ac. Viseu FC vs Portimonense SC

Autor: Sebastião Capelle

Jogo nº 380 do Académico na Segunda Liga. O saldo é de 121 vitórias, 106 empates, 152 derrotas, 374 golos marcados, 438 sofridos. No Fontelo será o jogo nº 190 - 93 vitórias, 46 empates, 50 derrotas, 224 golos marcados e 145 sofridos.

Este será o jogo nº 26 entre os dois clubes. O saldo academista é inferior aos de Portimão - 9 vitórias, 5 empates, 11 derrotas, 28 golos marcados e 37 sofridos. Em Viseu este será o jogo nº 14 e aí a vantagem é academista - 8 vitórias, 2 empates, 3 derrotas, 17 golos marcados e seis sofridos.

Em confronto vai estar o líder e o 15º classificado, com uma diferença de 28 pontos. O Portimonense tem melhor ataque (60/41) e melhor defesa (31/47).

O Portimonense está a apenas um ponto da subida. Esperemos que consiga subir já amanhã, quando forem a caminho do Algarve a ouvirem os relatos da tarde! 

Os algarvios vem de uma vitória importantíssima frente ao Aves, a única nos últimos 5 jogos (4 derrotas), e são adversos a empates dado que apenas empataram um dos últimos 12 jogos! Fora de casa perderam os últimos 2 jogos e só venceram um dos últimos 8 jogos.

O nosso clube está numa série de duas derrotas consecutivas. Em casa não venceu nenhum dos últimos 2 jogos, depois de empatar com o Leixões e perder com o Penafiel.

O jogo terá transmissão televisiva na SportTv amanhã às 11h15, e a entrada é grátis através da Porta Nº 5 do Estádio do Fontelo, no entanto é necessário levantar bilhete.

O árbitro da partida será Jorge Ferreira, um árbitro de Fafe  (AF Braga) antes da nossa visita a Fafe. Eis a lista de jogos em que nos arbitrou: Anadia 1-0 Ac. Viseu – 08/09; U. Madeira 1-0 Ac. Viseu – 13/14; Ac. Viseu 0-0 Porto B – 14/15; Oriental 1-1 Ac. Viseu – 15/16; Ac. Viseu 2-2 Leixões – 16/17.

Ler Texto Completo

Zé Paulo no top 10 dos marcadores

NOME COMPLETO
José Paulo de Oliveira Pinto
NOME
Zé Paulo
DATA DE NASCIMENTO
26/03/1994
NATURALIDADE
Brasil
POSIÇÃO
Médio/Avançado
ESTREIA
Benfica B 2-1 Ac. Viseu (11/09/2016)
PRIMEIRO GOLO
Aves 3-2 Ac. Viseu (17/09/2016)
JOGOS
30
GOLOS
9
ÉPOCAS
16/17


Foto Global Imagens/Miguel Pereira retirada do site zerozero.pt

Na quarta-feira Zé Paulo fez o golo nº 150 do Académico em jogos fora de casa, no que à Segunda Liga diz respeito, um número redondo, histórico, mas longe de contentar quem quer que fosse dada a derrota academista.

Além disso, Zé Paulo ao fazer o nono golo em 28 jogos, a contar para a Segunda Liga, entrou no top 10 dos melhores marcadores de sempre, academistas, na competição em questão.

Do mencionado top saiu então Clayton, que também fez 9 jogos mas precisou de 69 jogos para alcançar o mesmo número de golos. Zé Paulo é assim, neste momento, o 9º melhor marcador da história academista na segunda mais importante competição do nosso futebol.


A título de curiosidade menciona-se o top 10 de marcadores academistas: 1º Zé de Angola – 19 golos em 78 jogos; 2º Cafú 15-35; 3º Sandro Lima 15-62, 4º Bura 14-70, 5º Alain 13-53, 6º Luisinho 13-112, 7º Chalana 11-106, 8º Marcelo Sofia 9-27, 10º Zé Pedro 9-36.
Ler Texto Completo

Recordar: Tiago Costa

NOME COMPLETO
Tiago José Ribeiro Costa
NOME
Tiago Costa
DATA DE NASCIMENTO
22/04/1985
NATURALIDADE
Lisboa
POSIÇÂO
Defesa/Médio
ESTREIA
Ac. Viseu 1-0 Sp. Covilhã (22/01/2014)
JOGOS
61
ÉPOCAS
13/16


Tiago Costa (TC) chegou ao Académico no mercado de inverno da época 13/14, vindo de Israel onde jogou no Hapoel Telaviv.
Estreou-se na 26ª jornada quando o Académico bateu o Sporting da Covilhã por um-a-zero. Dos 13 jogos que fez nessa época, doze foram na qualidade de titular.

Em 2014/2015 não teve uma época muito feliz, sobretudo devido a lesões.
No total, nessa época, TC fez 19 jogos – 13 como titular, 6 como suplente utilizado, sendo substituído em 6 ocasiões. Seis foram também o número de vezes em que ficou sentado no banco sem de lá sair..
As lesões, tal como referimos em cima, foram um grande entrave à época de TC pois, por exemplo, entre 1 de outubro de 2014 e 18 de janeiro de 2015 – mas de três meses – esteve ausente da equipa.

Na terceira, e última, época no Académico (15/16), começou-a muito bem, tal como a equipa, a titular e a jogar bem tal como comprova o facto de ter sido considerado o melhor academista em campo, frente ao Braga (0-3) para a Taça de Portugal. Em setembro foi eleito por nós como jogador do mês.
No início de dezembro de 2015 começou a ser menos utilizado e no final de março (2016) correu a notícia que uma lesão o poderia afastar para o resto da temporada. Tal não se veio a verificar pois ainda fez os 90 minutos dos dois últimos jogos da temporada.
Na época em causa fez 29 jogos, 27 como titular e dois como suplente utilizado, foi substituído numa ocasião e foi suplente não utilizado em 7 ocasiões. A isso acrescente-se o facto de ter sido duas vezes expulso – em Olhão (2-2) e no terreno no Varzim (2-1).


Outros clubes: Benfica B (03/06), Herts (06/07), V. Setúbal B (06/07), Vihren (07/08), Varzim (08/09), Vizela (09/10), Poli Timisoara (09/10), Estoril (10/11), Rio Ave (11/12), Leixões (11/12), O. Nicosia (12(13), Doxa (13/14) e Mafra (16/17).
Ler Texto Completo

Recordar: Rui Marcos

NOME COMPLETO
Rui Marcos Traqueia Videira Nunes
NOME
Rui Marcos
DATA DE NASCIMENTO
22/04/1975
NATURALIDADE
Estarreja
ESTREIA
Ac. Viseu 0-1 Marinhense (07/02/2010)
JOGOS
12
ÉPOCAS
09/10

Quando em 09/10 chegou ao Académico de Viseu, já nessa época tinha passado por do Beira-Mar e Avanca.


Fez uma dúzia de jogos pelo Académico e estreou-se com uma derrota no Fontelo frente ao Marinhense. Ao quarto jogo como titular, frente ao Monsanto, foi expulso. Regressou à baliza dois jogos depois, substituindo o lesionado Augusto sobre o intervalo, e não voltou a largar a baliza academista. No seu último jogo da época – a derrota em Esmoriz que valeu a descida de divisão – sofreu um golo “inacreditável” mas nada que deslustre a sua passagem pelo nosso clube. Saiu para o Tondela (10/11).


Estrela Azul (93/94), Belmonte (94/95), Beira-Mar (95/96, 09/10), União de Coimbra (96/97), Leixões (97/99, 02/03), Nacional (99/00), Farense (00/02), Gondomar (03/05), Lousada (05/06), União da Madeira (06/07) e Moreirense (07/09) foram os clubes por onde passou.


Ler Texto Completo

Recordar: ACDR Lamelas 1-2 Ac. Viseu FC

Foto: vis fut magazine

Parque Desportivo de Lamelas, 22 de Abril de 2007
26ª Jornada da Divisão de Honra da AF Viseu
Árbitro: Fernando Ananias (Armamar)

Lamelas: David; Márcio, Marco (Teles 52), Luís, Tony, Kulkov (Lopes 79), Gancha, Ventura, Alex, Tiago e Zenga

Académico de Viseu: Manuel Fernandes; Simões (André Barra 76), Negrete, Marcos, Xinoca (Zé Pedro 76), Calico, Álvaro, Santos, João Miguel, Eduardo e Tiago (Bruno 89). Treinador: Idalino Almeida

Golos: Eduardo 7 (0-1), Tiago 10 (1-1), Santos 44 g.p. (1-2)


Ligações:

Crónica do jogo
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 1-1 UD Sampedrense

Estádio do Fontelo, 22 de Abril de 2012
5ª Jornada da Fase de Subida, III Divisão, Série C
Árbitro: Carlos Alexandre (Portalegre)

Ac. Viseu: Nuno; Casal, Calico, Tiago Gonçalves e Ricardo Ferreira; Luís Vouzela (Álvaro, 90), João Paulo e Rui Santos; Hélder Rodrigues, Baio (Marco Almeida, 65) e Doumbouya (Bacari, 70). Treinador: António Lima Pereira.

Sampedrense: Márcio Rodrigues, Baixote, Marcos, João Heitor, Sérgio (Costa, 74), Márcio Anastácio, Beto, André Valente, Johny (Mathieu, 90+4), Jusko e Tagui (Guilherme, 81). Treinador: Carlos Sousa.

Expulsões: Márcio Antastácio 62 (Sampedrense), Ricardo Ferreira 64 (Ac. Viseu)

Golos: Ricardo Ferreira 62 gp (1-0), Guilherme 88 (1-1)

Ligações:

Ler Texto Completo

Recordar. SC São João de Ver 1-1 Ac. Viseu FC

Foto de Rui da Cruz retirado do site zerozero.pt

Estádio de São João de Ver, 21 de abril de 2013
29ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Árbitro: Paulo Barradas (Setúbal)

São João de Ver: Saúl; Márcio, Xavier (Rui Lopes, 65), João Marques e Vítor Hugo; João Pedro, Américo (Ministro), Fred; Rúben Gomes, Chapinha e Ricardo Barros (Amílcar, 63). Treinador: Francisco Baptista.

Ac. Viseu: Nuno Ricardo; Calico, Thiago Pereira, Tiago Gonçalves (Kifuta, 63) e Campinho (Marco Almeida, 81); Ibraima, Bruno Loureiro, Luisinho e Zé Rui; Hélder Rodrigues (Johnny, 69) e Horácio. Treinador: Filipe Moreira.

Golo: Rúben Gomes 45 (1-0), Marco Almeida 83 gp (1-1)

Ligação:

Ler Texto Completo

Notícia de interesse academista

Neste momento o Académico está na 15ª posição, fora dos lugares de descida - que como o próprio nome indica dá descida ao Campeonato de Portugal (CP) - e também fora da zona de play off.
Se no final da época estivermos nos lugares de play off, será necessário jogar com um dos segundos classificados da série norte ou sul do CP. Esses jogos disputar-se-ão nos dias 27 de maio e 3 de junho. O sorteio será a 22 de maio.
Ler Texto Completo

Recordar: Valério

NOME COMPLETO
Anestor Valério Moraes Neto
NOME
Valério
DATA DE NASCIMENTO
21/04/1980
NATURALIDADE
Brasil
POSIÇÃO
Defesa/Médio
ESTREIA
Ac. Viseu 1-2 G. Figueirense (27/08/07)
PRIMEIRO GOLO
Milheiroense 3-3 Ac. Viseu (30/09/2007)
JOGOS
26
GOLOS
4
ÉPOCAS
07/08

Apenas uma época no Académico de Viseu onde acabou por fazer alguns golos. O mais “mediático” valeu uma vitória em Tondela. 


Lusitano de Évora (04/05), Ol. Hospital (05/06), E. Vendas Novas (06/07), Marítimo Graciosa (06/07), Sátão (08/09), Fornos de Algodres (09/10), e Coimbra Esporte Clube (2010) foram outros dos clubes por onde passou. 
Ler Texto Completo

MVP: Zé Paulo

Zé Paulo -2.5- É o escolhido para melhor em campo, não porque tenha feito um grande jogo, mas «só» porque mais um golo, o terceiro nos últimos 3 jogos.

Rodolfo -2.5- Entre os postes é um guarda redes seguro. Não o vemos a sair aos cruzamentos e sofreu o terceiro golo de cabeça nos últimos dois jogos. Coincidência?

Joel -2.5- Alguma ingenuidade fruto da idade, tal como espelha a falta que originou o golo inaugural. 

Bruno Miguel -2- Com a experiência e maturidade que tem esperava dele um papel muito mais ativo.

Bura -2.5- Acabou o jogo a extremo/avançado e a fazer excelentes cruzamentos que não foram aproveitados.

Stéphane -2.5- Tirou uma bola em cima da linha de baliza. Não foi feliz a atacar.

Capela -2.5- Uma boa arrancada, ao minuto 40, com um remate a rasar o poste. Tentou impor-se na luta do meio campo, mas sempre demasiado desamparado.

Bruno Loureiro -2- Esteve pouco inspirado e nem as bolas paradas lhe saíram bem.

Moses -2.5- O único que ia esticando o jogo academista e o primeiro a sair.

Tiago Borges -2- «Quando quer, é o melhor jogador do Académico» li algures e gostei. Não sei bem se é uma questão de «querer», mas pouca coisa lhe saiu bem.

Sandro Lima -2.5- Obrigou Igor Rodrigues à defesa da tarde, mesmo em cima do intervalo. Acabou a médio centro a e fazer bons passes.

Zé Pedro -1.5- Já lá estavam Sandro Lima e Zé Paulo, entrou mais um mas a produção ofensiva não melhorou.

Rui Miguel -1.5- Custa a dar esta nota a alguém que sente o clube como nós, mas entrou para uma posição que não é a «sua praia».

Paná -1.5- Devia ter entrado antes, quiçá de início juntamente com Bruno Loureiro e Capela.


Ler Texto Completo

Recordar: Toni

NOME COMPLETO
António Manuel Pereira Machado
NOME
Toni
DATA DE NASCIMENTO
20/04/1962
NATURALIDADE
Lamego
POSIÇÃO
Defesa
ESTREIA
Ac. Viseu 0-2 Sporting (30/08/1981)
PRIMEIRO GOLO
Ac. Viseu 1-1 Valonguense (22/04/1984)
JOGOS
69
GOLOS
2
ÉPOCAS
81/84

Imagem retirada do cromos da bola da minha infância (facebook)

Na época 80/1 era júnior do Sporting de Lamego e na seguinte fez 16 jogos pelo Académico de Viseu na I Divisão. Ficou até 1984. 


Jogou ainda nos seguintes clubes: Sp. Lamego (80/81, 87/91), Régua (84/87) e Cambres (91/93).
Ler Texto Completo

Recordar: António Borges

NOME COMPLETO
António Manuel Jesus Borges
NOME
António Borges
DATA DE NASCIMENTO
20/04/1955
NATURALIDADE
Chaves
POSIÇÃO
Treinador
ESTREIA
Monsanto 1-0 Ac. Viseu (01/11/2009)
ÚLTIMO JOGO
Esmoriz 4-1 Ac. Viseu (02/05/2010)
JOGOS
23
VITÓRIAS
7
EMPATES
9
DERROTAS
7
GOLOS MARCADOS
23
GOLOS SOFRIDOS
21
ÉPOCAS
09/10

O Académico jogava na II Divisão, o treinador que havia começado a época era Luís Almeida, mas as coisas não estavam a correr bem aos academistas, que tinham sido eliminados da Taça de Portugal, em casa contra uma equipa da III Divisão – o Benfica de Castelo Branco – e que depois de 6 jogos para o campeonato tinha averbado duas vitórias e quatro derrotas ocupando desta forma os derradeiros lugares da tabela classificativa.

António Borges ingressou no Académico após a derrota caseira com o Pampilhosa (um incrível 4-5) e o seu primeiro jogo foi no terreno do Monsanto e não correu bem uma vez que o Académico perdeu por 1-0.

Nos 23 jogos em que orientou o Académico conseguiu 7 vitórias, 9 empates e 7 derrotas, marcou 23 golos e sofreu 21 mas não conseguiu evitar a descida. Pode-se dizer que o AVFC desceu pelos jogos que fez em casa. Fora, por exemplo, conseguiu vitórias verdadeiramente fantásticas – como o 0-3 ao Tondela e o 1-3 ao Eléctrico – mas em casa perdeu jogos com o Operário e Marinhense – equipas perfeitamente ao seu alcance – que lhe poderiam ter valido a salvação.

No final da época o Académico era 12º classificado e desceu por não ter sido o melhor 12º das 3 zonas, numa regra difícil de entender, mas o certo é que as regras eram mesmo essas.

António Borges não deixou saudades nos dirigentes – quem não se lembra das palavras do presidente?! – mas pelo que nos foi dado a perceber, os jogadores estavam com ele.
Ler Texto Completo

Recordar: GD Milheiroense 2-2 Ac. Viseu FC

Complexo Desportivo de Milheirós de Poiares, 20 de Abril de 2008
3ª Jornada da Fase de Subida, III Divisão, Série C
Árbitro: Hernâni Duarte (Braga)

Milheiroense: Artur, Mário Jorge, Wagner, Rui Jorge, Brandão, Wellington, Rui Pinho (Bruno Faria 53), Paulinho II, Quim Pedro, Alex (Rodrigo 62) e Machadinho. Treinador: Carlos Miragaia.

Académico de Viseu: Manuel Fernandes, Feliciano, Negrete, Marcos, João Miguel, Calico, Álvaro (Santos 72), Valério (Zé Teixeira 83), Cardoso, Eduardo e Filipe Figueiredo (Zé Bastos 60). Treinador: Idalino de Almeida. 


Golos: Marcos 41 (0-1), Cardoso 81 (0-2), Quim Pedro 85 (1-1), Quim Pedro 90+6 (2-2)


Ligações:

Crónica do jogo
Ler Texto Completo

SC Covilhã 2-1 Ac. Viseu FC

Estádio José Santos Pinto, 19 de abril de 2017
37ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Nuno Almeida (Algarve)

Ac. Viseu: Rodolfo; Joel (Paná, 80), Bruno Miguel, Bura e Stéphane; Capela (c), Bruno Loureiro (Rui Miguel, 64), Moses (Zé Pedro, 53) e Tiago Borges; Zé Paulo e Sandro Lima. Treinador: Francisco Chaló.

Golos: Zarabi 28 (1-0), Erivelto 57 gp (2-0), Zé Paulo 90+5 (2-1)


Sabia-se de antemão que a equipa que vencesse hoje ficaria a respirar melhor e talvez seja por isso que nos primeiros minutos não se tivesse visto futebol na Covilhã, tal era o medo de errar.

A primeira vez que se viu algo fora da monotonia inicial foi no minuto 20, quando após um mau passe de Bruno Loureiro os homens da Covilhã partiram em contra ataque, tendo aí valido a atenção de Rodolfo que funcionou como líbero. 
A partir daí e até ao minuto 40 só houve lances de perigo para os da Covilhã. Primeiro, ao minuto 25, num cruzamento de Gilberto com Zarabi a atirar por cima, e minutos mais tarde (28), livre lateral marcado por Gilberto, bola para a área e Zarabi a fazer o 1-0. Uma «fotocópia» do que se havia passado frente ao Penafiel.

No parágrafo anterior falei do minuto 40, já que foi aí que Capela, com uma das suas arrancadas tão peculiares, atirou de fora da área com a bola a passar ao lado da baliza de Igor Rodrigues. Ao minuto 42 foi Sandro Lima, também de fora de área, a rematar perto da baliza, mas ao lado. Volvidos três minutos, cruzamento da direita (penso que de Joel, mas também pode ter sido Tiago Borges) com Sandro a atirar de cabeça para a defesa da tarde de Igor Rodrigues. E finalmente ao minuto 45+1 Zé Paulo a rematar ligeiramente por cima.

O Académico demorou 40 minutos a entrar no jogo, mas fez o suficiente para naquele pequeno período de tempo ter empatado. Isto numa primeira parte muito mal jogada de parte a parte.

Se a primeira parte não foi boa, a segunda também não. E logo ao minuto 47 o Covilhã esteve perto do 2-0, mas Erivelto com a baliza à sua mercê atirou ao poste e volvido três minutos uma outra oportunidade, não tão flagrante como a primeira, mas aqui Rodolfo resolveu bem. E, finalmente, ao minuto 50 após livre lateral – outra vez! – é Stéphane que tira a bola sobre a linha de baliza.

O Covilhã ameaçava o segundo golo e ele surgiu. Foi de grande penalidade. Ao que parece por causa de uma bola na mão de um jogador academista, estava do lado contrário e não posso opinar. Ao minuto 57 o Covilhã fazia o 2-0 e colocava o Académico em enormes dificuldades.

No entanto o Académico podia ter diminuído a contagem três minutos depois (60) mas Zé Paulo com a baliza à sua mercê, embora pressionado, acertou em Sandro Lima que ainda por cima estava em fora de jogo e anulou aí a jogada.

O Académico até ao final pouco mais conseguiu fazer. Continuou sempre com o seu futebol direto, sem qualquer tipo de imaginação ou rasgo individual. Regista-se, isto até aos minutos finais, apenas um remate por cima de Rui Miguel.

A tudo isto foi respondendo o Covilhã, ao jeito da Segunda Liga, com anti jogo - e mais uma bola nos ferros - um dos grandes flagelos desta competição. O árbitro viria a dar seis minutos de compensação, mas fica-se sempre com a sensação que o «crime» compensa. Mas já se sabe como é, quando são os nossos a fazer está tudo bem, o pior é quando somos nós as «vítimas».

Mais emoção na partida só mesmo nos últimos minutos, aos 88, quando Sandro Lima foi rasteirado dentro da área covilhanense, bem nas barbas do árbitro que, vá-se lá saber porquê, não viu.

No quinto dos seis minutos de desconto o Académico acabou por marcar. Foi o suspeito do costume, Zé Paulo, que foi ganhando em força, e alguma sorte, a todos os seus adversários até a bola acabar dentro da baliza de Igor Rodrigues.

No final o Académico jogava Tiago Borges a defesa direito, Capela a central, Sandro Lima a médio centro e Bura a extremo/ponta de lança. Demasiado confuso.

O Académico com este resultado mantém a 15ª posição. Tem um ponto de avanço sobre a zona de play off e mantém os quatro de avanço sobre a zona de descida.

Domingo, de manhã, há jogo no Fontelo. As portas estarão abertas. O Portimonense precisa de apenas um ponto para garantir a subida, nós precisamos de três para ajudar nas contas da manutenção.

José Carlos Ferreira. sócio nº 217 do AVFC
Ler Texto Completo