Quantos pontos são necessários?

Foto retirada do site zerozero.pt

Quantos pontos são necessários para subir de divisão? E para a manutenção?

No futebol português, desde a época 90/91, apenas por uma vez a segunda competição do futebol português teve tantas equipas como na presente época, precisamente a de 90/91, altura em que o Académico lutou até à última jornada pela subida.

Nessa época, ainda com a vitória a valer dois pontos, os dois primeiros classificados foram Paços de Ferreira e Estoril. Traduzindo os pontos para a actualidade – 3 pontos a vitória, 1 ponto o empate – temos que o Paços de Ferreira subiu com 72 pontos e o Estoril com 65.

Nos outros campeonatos europeus secundários, apenas em França há a tradição de ter 20 equipas na competição em causa. Comparando os resultados do campeonato francês, desde a época 2007/2008, com o de 90/91 em Portugal temos que sempre que uma equipa fez 70 pontos, subiu de divisão. A manter-se a tradição faltam 36 pontos para o Académico, garantidamente, subir de divisão, mas aí teríamos que fazer mais dois pontos em 18 jogos, do que fizemos em 20.

A este nível refira-se que em 2010/2011, em França, houve uma equipa que subiu com 62 pontos, o Dijon. Em contra partida, na época seguinte, o Nantes fez 69 pontos e «só» terminou na 3ª posição, o que em Portugal não daria subida. 

E a nível de manutenção, quantos pontos faltam ao Académico?


Nesse caso, a manutenção está próxima. Na época 90/91, o Maia foi 16º (o último lugar que esta época garante manutenção), com 44 pontos. Em França, todas as equipas que fizeram 47 pontos, ou mais, asseguraram a manutenção. Neste caso faltariam 13 pontos ao nosso clube.
Ler Texto Completo

Recordar: Pedro Jacques

NOME
Pedro Jacques
POSIÇÃO
Médio
ESTREIA
Leça 2-1 Ac. Viseu (08/09/1968)
JOGOS
12
ÉPOCAS
68/69

Jovem médio proveniente dos juniores do Sporting. Fez uma dúzia do jogos pelo CAF numa época em que o Académico actuou na II Divisão. 
Mais nada se sabe.
Ler Texto Completo

Recordar: Burgos

NOME COMPLETO
Luís Manuel Figueiredo Burgos
NOME
Burgos
DATA DE NASCIMENTO
16/01/1968
POSIÇÃO
Defesa
ÉPOCAS
86/87

Com apenas 18 anos, vindo dos juniores do Repesenses, fez parte do plantel do CAF em 86/87, embora sem jogar (campeonato e Taça de Portugal). Em 87/88 actuou no Viseu e Benfica e passou também pelo Ferreira de Aves (89/92, 94/95) e Repesenses (93/94)
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 7-0 UD Gândara

Estádio Municipal do Fontelo, 16 de Janeiro de 2011
14ª Jornada da III Divisão, Série D
Árbitro: Luís Dionísio (Leiria)

Ac. Viseu: Paulo Freitas; Casal (Cabido, 52), Tiago Gonçalves, Canelas e Marcelo Henrique; Calico (Álvaro, 55), Luís Vouzela e Ricardo Ferreira; Marco Almeida, Luisinho (Pedro Costa, 66) e Zé Bastos. Treinador: Paulo Gomes.

Gândara: Mauro; Maricato, Alemão, Fábio, Iano, Rodrigo, Nelson (Russo, int), Tiago Nunes (Tinga, 56), Ricardo, Nuno (Damien, 70) e Cássio. Treinador: Rui Patrício.

Golos: Zé Bastos 15 gp (1-0), Zé Bastos 19 (2-0), Zé Bastos 33 (3-0), Marco Almeida 40 (4-0), Tiago Gonçalves 52 (5-0), Ricardo Ferreira (6-0), Zé Bastos 82 (7-0)

Ligações:

Crónica do jogo
Melhor em campo
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 0-1 Portimonense SC

Estádio do Fontelo, 16 de janeiro de 2016
25ª Jornada da Segunda Liga
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tomé, Tiago Gonçalves (c), Mathaus (Bura, 14) e Tiago Costa; Romeu Ribeiro, Capela (Gradíssimo, 69) e Clayton; Carlos Eduardo, Tiago Borges (Yuri, 61) e Fábio Martins. Treinador: Ricardo Chéu.

Portimonense: Ricardo Ferreira; Ricardo Pessoa (c), Lucas, Jadson e Lumor; Marcel, André Carvalhas e Ewerton; Theo Ryuki (Ferreira, 75), Fidélis (Zambujo, 78) e Pires (Ferreira, 85). Treinador: José Augusto.

Expulsões: André Carvalhas 66, Fábio Martins 80

Golo: Ferreira 88 (0-1)

Ligações:


Ler Texto Completo

Recordar: CAF - Ac. Viseu 2-1 RD Águeda

Estádio do Fontelo, 15 de Janeiro de 1978
13ª Jornada da II Divisão, Zona Centro
Árbitro: Joaquim Dionísio (Coimbra)

Ac.Viseu: Alexandre; Pelezinho, Braga, Gomes e Pedro Paulo; Chico Santos e Albasini (Basto); Keita, Toyobe (Renato), Rodrigo e Eduardo. Treinador: José Moniz.

Águeda: Manuel Joaquim; Sansas, Hélder, Dema e Almeida; Albano; Vítor Gomes e Cardoso (Lima); Ervaldo, António Jorge (Toja) e Alfredo.

Golos: Toyobe 27 (1-0), Ervaldo 50 (1-1), Albasini 56 (2-1)


Ler Texto Completo

Recordar: Filipe Figueiredo

NOME COMPLETO
Filipe Jorge Silvério Figueiredo
NOME
Filipe Figueiredo
DATA DE NASCIMENTO
15/01/1981
PISIÇÃO
Avançado
JOGOS
71
GOLOS
15
ÉPOCAS
05/09

Foi um jogador muito importante nas quatro primeiras épocas de Académico de Viseu, versão AVFC, sendo um dos heróis que alcançou a subida à III Divisão e mais tarde à II Divisão. 

Outros clubes por onde passou: Canas de Senhorim (00/01, 09/11), Santar (01/02), Nelas (02/06) e Mangualde (13/14).
Ler Texto Completo

Recordar: Mathaus

NOME COMPLETO
Félix Mathaus Lima Santos
NOME
Mathaus
DATA DE NASCIMENTO
15/01/1995
NATURALIDADE
Cabo Verde
POSIÇÃO
Defesa Central
ESTREIA
Santa Clara 0-1 Ac. Viseu (06/09/2015)
PRIMEIRO GOLO
Ac. Viseu 4-2 Varzim (21/10/2015)
JOGOS
26
GOLOS
2
ÉPOCAS
15/16


Foto Global Imagens/Tony Dias retirada do site zerozero.pt

Chegou ao Académico proveniente do “modesto” Tourizense (13/15) e por isso mesmo sem grandes expectativas, mas acabou por convencer os adeptos academistas.

No total da época que por cá esteve fez 26 jogos (24 como titular, 2 como suplente utilizado), foi substituído 2 vezes, tendo ficado 15 jogos sentado no banco de suplentes. Marcou 2 golos, um ao Varzim (4-2) e outro ao Vitória B (2-1).

Nunca foi considerado o melhor academista em campo, no entanto em novembro de 2015, foi eleito “jogador do mês”, num patrocínio da Estação Diária.


Ainda começou a época 16/17 no Académico mas acabaria por sair para o Chaves e hoje em dia é jogador do Oliveirense.
Ler Texto Completo

Recordar: Nam

NOME COMPLETO
Sein Nam
NOME
Nam
DATA DE NASCIMENTO
15/01/1993
NATURALIDADE
Coreia do Sul
POSIÇÃO
Médio
ESTREIA
Penafiel 2-1 Ac. Viseu (23/11/2016)
JOGOS
1
ÉPOCAS
16/17


Nam chegou ao Académico juntamente com os seus compatriotas Jang e Park. Foi três vezes suplente não utilizado, tendo apenas feito um jogo em Penafiel (2-1), substituindo Bruno Loureiro ao minuto 71 da partida em questão.


Entretanto abandonou o Académico e rumou ao Mirandela (16/17), desconhecendo-se em que clube atuará atualmente.
Ler Texto Completo

Recordar: Ac. Viseu FC 2-1 UD Sampedrense

Estádio Municipal do Fontelo, 15 de Janeiro de 2012
14ª Jornada da III Divisão, Série C
Árbitro: Pedro Rocha (Viana do Castelo)

Ac. Viseu: Nuno; Marco Almeida, Calico, Tiago Gonçalves e Casal (João Paulo, int); Filipe (Rui Dolores, 83), Álvaro e Ricardo Ferreira; Luisinho, Rui Santos (Doumbouya, 67) e Bacari. Treinador: António Lima Pereira.

Sampedrense: André Maló; Baixote, Heitor, Gouveia, Beto, Marcos, Luís Costa (Mathieu, 65), Johny (Jusko, 74), André Valente, Sérgio (Guilherme, 78) e Tagui. Treinador: Carlos Sousa.

Golo: Luisinho 68 (1-0), Guilherme 86 (1-1), Bacari 90 (2-1)

Ligações:

Ler Texto Completo

MVP: Avto

Avto - 4 - O grande agitador do ataque academista. Fez um golaço e deu um «golo cantado» à dupla Sandro Lima/Barry. Colocou sempre a defesa de Coimbra em sobressalto. O melhor em campo para os editores do blogue.
Foto de Rogério Ferreira kapta+ retirada do site zerozero.pt

Peçanha - 3 - Sem grande trabalho. Apenas uma defesa, logo a abrir. Seguro e concentrado.

Tomé - 3 - Um exibição agradável do lateral academista. Foi pena o golo surgir no seu raio de ação. 

Bura - 3 - Regresso após lesão dando a estabilidade de que precisávamos.

Fábio Santos - 3 - Muito concentrado na abordagem aos lances.

Kiko - 3 - Atento e assertivo já que pela frente tinha o ex academista Luisinho.

Capela - 4 - Inexcedível na entrega ao jogo. Foi o capitão e fez jus ao estatuto, como sempre.

Fernando Ferreira - 4 - Além da assistência para o golo, fez mais duas, uma para Rui Miguel e outra para Fábio Santos. Fez com Capela e Rui Miguel um tridente muito interessante. Também não lhe ficava mal a distinção como MVP.

Rui Miguel - 3 - Quase fez o golo após uma chapelada com muita classe. Isolou Nsor em mais um lance de magia. No regresso ao onze mostrou que pode e deve ser opção.

João Mário - 3 - Soltou-se com o desenrolar da partida e fez da velocidade a principal arma. A subir de forma.

Nsor - 3 - Lutou e quase marcou.

Barry - 1,5 - Ajudou ao desgaste da defensiva contrária. Podia ter arrumado de vez com as aspirações coimbrãs. 

Sandro Lima - 1,5 - Entrou para o lugar de João Mário. Podia ter arrumado de vez com as aspirações coimbrãs.

Tarcísio - 1,5 - Entrou para o lugar de Rui Miguel para tentar segurar as ambições contrárias.


Ler Texto Completo

Recordar: Zeca

NOME COMPLETO
José Fernandes Tavares do Amaral
NOME
Zeca
DATA DE NASCIMENTO
14/01/1928
NATURALIDADE
Congo Belga
POSIÇÃO
Avançado
JOGOS
43
GOLOS
27
ÉPOCAS
47/50
 "Recorte" do jornal Record de 26/08/1950

Zeca foi o homem golo nas últimas 3 épocas da década de 40 do século passado, sendo proveniente do Vilanovense. Chamou a atenção do Benfica para onde se transferiu na época 50/51 tinha então apenas 22 anos. Zeca salientou-se sempre como “rematador e condutor de ataque”. Em princípio também actuou no União de Coimbra.

Como ainda faltam apurar vários jogos, nomeadamente da época 47/48, temos que referir que é bem provável que o número de golos seja bem superior. Mesmo assim, estes 27 golos tornam-no num dos melhores marcadores da história do Académico de Viseu.

Os golos de Zeca foram assim distribuídos: na época 47/48 marcou 5 golos, em 6 jogos, tendo sagrado-se campeão distrital; em 48/49, a jogar na Segunda Divisão marcou 6 golos em 20 jogos; em 49/50 fez a sua melhor época tendo apontado 16 golos em 17 jogos, foi o melhor marcador da equipa, e tais números valeram-lhe a ida para o Benfica.

Os 27 golos foram apontados a 13 equipas diferentes. O Sampedrense foi a sua vítima perdilecta a quem Zeca apontou 4 golos, Seguiram-se Famalicão, Torreense e Viseu e Benfica com 3 golos, Elvas, União da Guarda, Oriental, União de Coimbra e União de Montemor a quem Zeca marcou 2 golos e, finalmente, com 1 golo o Boavista, Cova da Piedade, Desportivo de Castelo Branco e Lamego.

Apontou 2 hat-trick, ambos em 47/48, ao Sampedrense e ao Torreense e bisou em 6 ocasiões, ao Famalicão e ao Elvas 48/49, e em 49/50 ao Viseu e Benfica (então conhecido como Sport Lisboa e Viseu), União de Coimbra, Oriental e União de Montemor.

Para finalizarmos damos a conhecer-vos uma história. Falamos da época de 47/48, em Coimbra frente à União local, jogo em que o Académico perdeu por 4-1. A dada altura Zeca, provavelmente chateado por o jogo estar a correr mal, pegou numa pedra que por ali estava e atirou-a na direcção de um jogador unionista (Celso). Mas Zeca era melhor com os pés do que com as mãos e a pedra acabou por acertar num polícia abrindo-lhe o sobrolho. Um caso que lhe ia valendo a irradiação.

Recorda-se, ou já ouviu falar, do Zeca?
Ler Texto Completo

Recordar: Lopes

NOME COMPLETO
Tiago Lopes Santos
NOME
Lopes
DATA DE NASCIMENTO
14/01/1985
NATURALIDADE
Viseu
Posição
Médio/Avançado
ESTREIA
Ac. Viseu 1-3 O. Bairro (04/04/2004)
PRIMEIRO GOLO
Ac. Viseu 3-0 São João Ver (16/09/2007)
JOGOS
48
GOLOS
4
ÉPOCAS
03/05, 07/09



Foto: Viseu Flash

Jogador formado no clube e que se pode orgulhar de dizer que actuou na era CAF e na AVFC do Académico.

No regresso ao Académico de Viseu versão AVFC, depois da passagem pelo Penalva do Castelo (05/07) não foi muito utilizado e quando o foi, foi maioritariamente como suplente utilizado. 

Seguiu-se Mangualde (09/10), Oliveira de Frades (09/11 e 14/15), Silgueiros (10/12, 15/17), Sátão (12/14) e Paivense (17/18).
Ler Texto Completo

Recordar. Hélder

NOME COMPLETO
Hélder Fernando Natividade Pereira
NOME
Hélder
DATA DE NASCIMENTO
14/01/1978
NATURALIDADE
Águas Santas
POSIÇÃO
Defesa/Médio
ESTREIA
Ac. Viseu 0-0 Mafra (04/09/2004)
JOGOS
24
ÉPOCAS
04/05

Uma época no nosso clube, a última da existência do clube como CAF. Fez 24 jogos, dois como suplente utilizado.

Outros clubes por onde passou: Pedrouços (96/98, 99/00), São Pedro da Cova (98/99), Vianense (00/01), Lousada (01/02), Dragões Sandinenses (02/03), Vizela (03/04), Pontassolense (05/06), Tondela (06/07),  Lusitânia de Lourosa (06/08), Amarante (08/09), Cesarense (09/11), Leça (11/12), Aliados do Lordelo (12/13) e Rebordosa (05/06, 12/14).

Ler Texto Completo

Recordar: Rui Bento

NOME COMPLETO
Rui Fernandes da Silva Calapaz Pereira Bento
NOME
Rui Bento
DATA DE NASCIMENTO
14/01/1972
NATURALIDADE
Silves
POSIÇÃO
Treinador
ESTREIA
Torreense 2-0 Ac. Viseu (29/08/2004)
ÚLTIMO JOGO
Oliveirense 1-1 Ac. Viseu (28/05/2005)
MAIOR VITÓRIA
Ac. Viseu 4-0 Merelinense (27/10/2004); Oliveira do Hospital 0-4 Ac. Viseu (08/05/2005)
MAIOR DERROTA
Ac. Viseu 1-3 Oliveirense (08/01/2005); Ac. Viseu 1-3 V. Setúbal (12/01/2005)
JOGOS
40
VITÓRIAS
22
EMPATES
7
DERROTAS
11
GOLOS MARCADOS
59
GOLOS SOFRIDOS
38
ÉPOCAS
04/05


 Foto retirada do site Mais Futebol

Rui Bento foi o último treinador da era CAF no Académico de Viseu. Veio para o nosso clube para alcançar a subida, mas acabou por fracassar nesse aspeto, numa época de muitos problemas.

Iniciou a época com apenas um empate nas três primeiras jornadas, e logo aí perdeu 6 pontos para o Mafra e três para o Sporting da Covilhã, os seus principais adversários da época na luta pela subida. No entanto a partir daí, e até à 11ª jornada, com uma série de bons resultados (apenas uma derrota), manteve os seus adversários à vista, lutando pela subida de divisão.

Entre a 12ª e a 19ª jornada o Académico destruiu de vez as hipóteses de subida de divisão (2V, 1E, 4D), ficando a 8 pontos do Covilhã e a 9 do Mafra. Uma boa série final, tendo inclusive vencido no Fontelo o Covilhã, não foi suficiente para alcançar a subida.

Pelo meio fica uma boa campanha na Taça de Portugal, sendo apenas derrotado pelo Vitória de Setúbal que venceu a prova, depois de ter eliminado Portomosense, Sporting da Covilhã e Merelinense.

Apesar de não alcançar os objetivos, diga-se em forma de curiosidade que Rui Bento venceu 55% dos jogos que disputou no Académico, a quinta melhor percentagem em 33 treinadores analisados até ao momento. Mariano Amaro, António Caetano, João Paulo Correia e Jorge Nunes fizeram melhor.

Na sua passagem pelo Académico utilizou 23 jogadores, sendo a sua equipa tipo a seguinte: José Carlos; Rogério, João Armando, Rui Gama e Nélson; Hélder, Paulo Gomes, Carlos Lima e Vítor Lima; Jorginho e Chicabala.

Foram 59 golos assim distribuídos: Jairson (11), Chicabala (10), Caju (9), Nélson (8), Carlos Lima (4), João Armando (3), Bruno Madeira (3), Filipe Cândido (3), Jorginho (2), Vítor Lima (1), Rui Gama (1), Paulo Gomes (1), Artur Alexandre (1), Carlos Alberto (1) e um autogolo (Nuno Batista - Sanjoanense).
Ler Texto Completo