A época de Fernando Ferreira

Nome: Fernando José Almeida Sequeira Ferreira
Data de nascimento: 20/11/1986 em Viseu
Posição: médio
Estreia pelo AVFC: Académico de Viseu 1 União de Lamas 2
Primeiro golo pelo AVFC: Académico de Viseu 1 Vizela 2

Números da época:

Jogos: 20 (1 da Taça de Portugal)
Titular: 12 (1 da Taça de Portugal)
Titular substituído: 9 (1 da Taça de Portugal)
Suplente utilizado: 8
Golos: 3 (1 da Taça de Portugal)


Formado ao lado de grandes nomes do futebol português foi com grande expectativa que os academistas acolheram a chegada de Fernando Ferreira a casa (tal como ele disse na entrevista que nos concedeu). Ao longo da época só por duas vezes completou os 90 minutos. Marcou quatro golos: o primeiro – o primeiro como sénior também – foi para a Taça de Portugal com o Vizela num golo memorável. O segundo foi em casa frente ao São João de Ver na vitória por 3-0. O golo mais importante da época foi em Milheirós de Poaires (Milheiroense) onde foi o autor do golo da reviravolta (1-2). Por último fez também o terceiro golo na vitória academista, em casa, frente ao Avanca. Foi por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, considerado por 3 vezes o melhor academista em campo: Vizela (1-2), Tondela (1-1 no Fontelo) e Avanca (3-0). Terminou o Top Academista, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, com 58 pontos na 14ª posição.

Amanhã: A época de Milford
Ler Texto Completo

A época de Vukcevic

Começou a época de 2008/2009 como terminou a anterior, ou seja, em conflito com Paulo Bento. Quando as posições pareciam cada vez mais extremadas – Vukcevic disse que queria sair em Dezembro de 2008 - as diferenças aparentemente foram resolvidas e Vukecevic tratou de mostrar o talento que tem, até que uma arreliadora lesão o obrigou a terminar a época mais cedo. Em relação à época de 2007/2008 Vukcevic baixou os níveis de produção. Foi por uma vez considerado por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, como o melhor sportinguista em campo na vitória leonina frente ao FC Porto (4-1) para as meias-finais da Taça da Liga. Como curiosidade refira-se que o montenegrino nunca ficou sentado no banco sem de lá sair. No Top Leonino, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, terminou na 17ª posição com 58 pontos.


Sporting 08/09:

Jogos: 22
Titular: 14
Titular substituído: 9
Suplente utilizado: 8
Golos: 6

Liga Sagres 08/09:

Jogos: 13
Titular: 8
Titular substituído: 5
Suplente utilizado: 5
Golos: 4

Liga dos Campeões 08/09:

Jogos: 4
Titular: 2
Titular substituído: 1
Suplente utilizado: 2

Taça da Liga 08/09:

Jogos: 5
Titular: 4
Titular substituído: 3
Suplente utilizado: 1
Golos: 2

Amanhã: A época de Tonel
Ler Texto Completo

A época de Leandro

Nome: Hélder Ricardo Gomes Leandro
Data de nascimento
: 27/01/1987
Posição: defesa esquerdo
Estreia pelo Académico de Viseu: Académico de Viseu 1 União de Lamas 2

Números da época:

Jogos: 23 (1 da Taça de Portugal)
Titular: 19 (1 da Taça de Portugal)
Titular substituído: 2
Suplente utilizado: 3
Suplente não utilizado: 7

Até à 18ª jornada Leandro foi sempre opção sendo apenas substituído por duas vezes: em casa frente ao Anadia e na Tocha. Na 18ª jornada o Académico de Viseu perdeu em Anadia por 3-2, Leandro foi expulso e ele que era um dos indiscutíveis do plantel academista foi votado ao abandono. Ainda se jogaram mais 18 jornadas mas a verdade é que Leandro só fez mais 4 partidas e só uma como titular. Pela esquerda da defesa passaram até médios e o único defesa esquerdo do plantel de raiz pelo menos – perdeu a importância que tinha tido. Terminou o Top Academista elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL na 15ª posição com 57 pontos.

Amanhã: A época de Fernando Ferreira
Ler Texto Completo

A época de Pedro Silva

Depois de em 2007/2008 ter estado praticamente toda a época parado por lesão a época que findou podia ser a época de afirmação de Pedro Silva ao serviço dos leões. Foi-o em parte. Foi a partir de Fevereiro que Pedro Silva começou a ganhar protagonismo e com a continuidade de vezes que foi para Paulo Bento começou a ganhar o protagonismo que muitos não esperariam a ponto de ser um dos jogadores de quem mais se espera em 2009/2010. A época ficou indubitavelmente ligado ao seu gesto no Final da Taça da Liga, um gesto que nenhum pai pode recomendar a um filho mas que no momento foi o sentir de toda a nação leonina perante tal “roubalheira”. Ainda que por um gesto pouco dignificante, Pedro Silva ganhou a admiração e o carinho de muitos sportinguistas. Terminou o Top Leonino elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL na 18ª posição com 54 pontos.



Sporting 08/09:
Jogos: 20
Titular: 14
Titular substituído: 3
Suplente utilizado: 6
Suplente não utilizado: 13

Liga Sagres 08/09:
Jogos: 14
Titular: 9
Titular substituído: 2
Suplente utilizado: 5
Suplente não utilizado: 8

Liga dos Campeões 08/09:
Jogos: 1
Titular: 1
Suplente não utilizado: 5

Taça de Portugal 08/09:
Jogos: 1
Suplente Utilizado: 1

Taça da Liga 08/09:
Jogos: 4
Titular: 4

Amanhã: A época de Simon Vukcevic

Ler Texto Completo

Notícia de interesse academista

Luís Almeida confirmado

Luís Almeida vai manter-se no comando técnico do Académico de Viseu por mais uma temporada. O treinador, um dos rostos principais da subida à II Divisão, chegou a acordo para a renovação de contrato e já prepara a nova temporada com a direcção.
“Sinto-me feliz em Viseu e a aposta é para continuar. A ideia passa por construir um plantel forte que ande pelos primeiros lugares. O Académico tem um nome forte a defender e queremos fazer sempre o melhor”, desejou o treinador, que irá iniciar os trabalhos da nova temporada no próximo dia 23 de Julho.
Quanto a reforços, duas confirmações: o médio Gamarra (Penalva do Castelo) e o central Jonas (Cinfães). O duo assinou por um ano e vai juntar-se ao plantel da equipa de Viseu. Entretanto, tendo assegurado a estretura da útlima época, registam-se oito saídas: Alexandre, Rui Lage, Casal, Sérgio, Leandro, Everson, Milford e Lopes.
Luís Almeida pretende ter o plantel fechado o mais rápido possível, pelo que nos próximos dias poderão surgir novidades: - Ainda faltam chegar mais jogadores. O grupo necessita de ser equilibrado e durante esta semana deverão chegar mais atletas.
Refira-se que o primeiro teste de preparação está marcado para o próximo dia 3 de Agosto, diante do Benfica e Castelo Branco.

Miguel Mendes, in A Bola, página 23 da edição de 29/06/2009
Ler Texto Completo

Há dois anos

A 29 de Junho 2007 A MAGIA DO FUTEBOL dava a conhecer aos seus leitores uma entrevista dada pelo Senhor António Albino ao Jornal do Centro. Como faz forte ficou "enquanto for presidente Idalino de Almeida será treinador". Recorde aqui.
Ler Texto Completo

A época de Alexandre

Nome: Manuel Alexandre da Silva Oliveira Gomes
Data de nascimento: 27/12/1973
Posição: defesa direito
Estreia: Fiães 3 Académico de Viseu 0

Números da época:
Jogos: 14 (inclui 1 da Taça de Portugal)
Titular: 11 (inclui 1 da Taça de Portugal)
Titular substituído: 2
Suplente utilizado: 3
Suplente não utilizado: 14

Escolheu um “mau dia” para se estrear pelo Académico de Viseu. No jogo seguinte frente ao Vizela para a Taça de Portugal foi um dos mais inconformados mas o certo é que entre a 8ª jornada, da 1ª fase, e a 19ª não voltou a pisar os relvados com a camisola negra vestida. Voltou na 20ª jornada quando o Académico venceu em Milheirós de Poiares substituindo Zé Bastos ao minuto 89. Nas 16 jornadas subsequentes jogou em 8 emprestando toda a sua experiência ao grupo. Terminou o Top Academista, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, na 16ª posição com 36 pontos.

Amanhã: A época de Leandro
Ler Texto Completo

A época de Grimi

Chegou a meio da época passada mas mesmo assim conseguiu fazer mais um jogo do que na época que findou há pouco. As expectativas para 2008/2009 eram grandes mas Grimi começou a defraudá-las logo no jogo com o FC Porto na 1ª volta onde um erro tremendo da sua parte deu o golo inaugural aos portistas. Teve problemas extra futebol – falta de profissionalismo ao ser apanhado “embriagado” – e teve ainda uma grave lesão que o retirou dos relvados por muito tempo. Dos 19 jogos em que participou o Sporting venceu 12, empatou 3 e perdeu 4. No Top Leonino elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL terminou na 19ª posição com 45 pontos

Sporting 08/09:
Jogos: 19
Titular: 16
Titular substituído: 4
Suplente utilizado: 3
Suplente não utilizado. 3

Liga Sagres 08/09:
Jogos: 13
Titular: 12
Titular substituído: 4
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 1

Liga dos Campeões 08/09:
Jogos: 4
Titular: 3
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 1

Taça da Liga 08/09:
Jogos: 2
Titular: 2
Titular substituído: 1

Supertaça 2008:
Suplente não utilizado: 1

Amanhã: A época de Pedro Silva
Ler Texto Completo

Mais entrevistas

A MAGIA DO FUTEBOL convidou, o Filipe e o Calico aceitaram. Deixe as perguntas no local destinado aos comentários. Entretanto pode acrescentar o nome destes dois futebolistas ao plantel 2009/20010.
Ler Texto Completo

"Acabei por fazer uma época razoável"

Nome: Tiago Filipe Martins Gonçalves
Data de nascimento: 03/09/1986
Posição: defesa central
Local de nascimento: Viseu
Altura: 1.82
Peso: 77kg
Estreia pelo Académico de Viseu: Académico de Viseu 1 União de Lamas 2
1º golo pelo Académico de Viseu: Sátão 0 Académico de Viseu 2
Ídolo: Rio Ferdinand
Clube de futebol: Sporting Clube de Portugal
Morada: Viseu


Para começar aí vai a pergunta da qual todos os academistas aguardam a resposta: vais continuar no Académico?
Sim já está tudo acertado para continuar, falta só acertar a duração do contrato.

Conta-nos como foi a tua carreira nas camadas jovens e quais os clubes que representaste:
Fiz praticamente toda a formação no CAF. Fui três vezes campeão em diferentes escalões. Foi também ao serviço do CAF que consegui ser internacional pela primeira vez o que para mim teve um significado ainda maior. Depois apareceu o Braga, um desafio que tinha que agarrar para dar continuidade ao bom trabalho que tinha feito no Académico e continuar a ser opção na selecção.

Que recordações guardas da selecção? Sonhas um dia voltar a uma selecção? Com que jogadores actuaste e que agora “dão cartas” no futebol português?
Foi o concretizar de um sonho, que espero um dia repetir. A importância de vestir aquela camisola e ouvir o Hino foram momentos fantásticos e que já mais esquecerei. Tive o prazer de jogar ao lado de agora grandes jogadores como o Moutinho, o Veloso (fomos parceiros na defesa), Saleiro, Paulo Machado, etc.…


Quais as razões que encontras para não teres vingado no Sporting de Braga? Surpreende-te o evoluir deste clube nos últimos anos?
Não gosto muito de falar nesta questão, porque sinto que tudo fiz dentro do campo para ainda hoje poder fazer parte daquele clube, só que por vezes acontecem situações onde não podemos fazer nada e ai também tive culpa, deixei andar com medo de me impor como homem. Sinceramente não me surpreende em nada a evolução do Braga, pela ambição, rigor e exigência de quem comanda o clube, acredito que o clube crescerá ainda mais.


O Académico é já o 4º clube que representas como sénior. Fala-nos um pouco desses clubes:
Sporting de Braga B –
Uma equipa que o principal objectivo era fazer a ponte entre a formação e o futebol profissional e nos preparar para a equipa principal. Aprendi muito e fiz grandes amizades.
Moreirense – Um grande clube que é pena andar nestes escalões. Tive um ano dificil, onde não joguei praticamente, mas onde havia jogadores de 1´liga e me ensinaram muito e agora lhes agradeço por tudo.
Nelas – Depois de um ano difícil o Nelas foi uma aposta pessoal e para começar a jogar novamente. Acabei por ganhar confiança e fazer uma época melhor do que estava à espera. Em termos de clube aprendi que afinal o futebol não e assim tão fácil e quando aparecem problemas como os que apanhei, que nunca tinha apanhado e que depois se agravaram ainda mais este ano. Foi complicado.

No início da época foste algo criticado pelas tuas exibições mas com o decorrer da temporada foste “crescendo”. Concordas? A que se deveu o início menos positivo?
Sim concordo. Foi um início difícil se calhar devido a ansiedade que sentia de ter voltado ao meu clube e a vontade de mostrar que tinha capacidade para vestir esta camisola. E depois daquelas duas expulsões seguidas tive que ser forte para superar e dar a volta por cima, sabia que tinha qualidade e continuando a trabalhar ia voltar a melhor forma, foi o que aconteceu e acabei por fazer uma época razoável.

Qual é a tua opinião sobre mudanças na equipa técnica a meio da temporada? O que mudou no Académico com a “chicotada psicológica”?
São situações complicadas de analisar quando acontece no nosso clube mas nós, jogadores, temos que estar preparados. Faz parte do futebol. Mudaram algumas coisas mas o essencial manteve-se, o grupo de trabalho.

A quem se deveu o sucesso da última época: técnicos, jogadores ou direcção?
Quando se ganha o sucesso reparte-se por aqueles que fazem parte dele. Mas, para mim, muito do sucesso se deveu à união do grupo que foi fantástico e que já mais esquecerei.

Como era o ambiente no balneário no fim do jogo com o Cinfães na segunda fase? Onde é que foram buscar forças para os dois últimos jogos da época?
Era um ambiente difícil porque todos nos sabíamos que podíamos ter dado muito mais e sabíamos que a partir daquele momento já não dependíamos só de nós, mas continuamos acreditar que era possível. E foi!

Estavam à espera de ver o Fontelo tão bem composto no jogo contra o Anadia? Explica-nos o que sentiste quando Rui Santos fez o 2-0.
Sim, já esperávamos devido a importância do jogo. E só tenho que agradecer esse apoio porque sem vocês se calhar não era possível. Foi uma sensação fantástica que vou guardar para sempre e saber que tínhamos conseguido o objectivo e ver o delírio de todo o Estádio são momentos que não dão para descrever.

Foste por nós, A MAGIA DO FUTEBOL, considerado por 3 vezes, ao longo da época, como o melhor academista em campo: Sátão (0-2), São João de Ver (0-0) e Anadia (1-0). Concordas, ou queres destacar outros jogos?
Sim foram jogos em que me destaquei em termos individuais, mas houve outros jogos que acho que estive melhor mas em prol do colectivo.

Em Fevereiro elegemos-te como o melhor jogador do Académico no mês em causa. Teve algum significado para ti essa distinção?
Claro! É sempre bom ver o nosso trabalho reconhecido.

Vamos fazer um teste à tua memória. Recordas-te dos 4 golos que apontaste?
No Sátão abriste o marcador (0-2) – foi num canto em que apareço ao 2º poste e encosto de cabeça. Foi um golo importante devido aos últimos resultados e que nos deu alguma serenidade.
Fizeste o 3-2 final em Anadia – um golo algo confuso. No meio da confusão a bola veio parar aos meus pés e aí só tive que encostar.
Novamente ao Sátão, 3-0, desta vez no Fontelo (4-0) – novamente num canto apareço ao 2º poste sozinho, muito parecido com o primeiro.
Abriste o marcador na Tocha (1-4, 2ª fase) – num canto o Filipe aparece a desviar ao 1º poste e eu acompanho o desvio e encosto de pé esquerdo.

Qual o avançado que mais te custou marcar na época que agora acabou?
Os mais difíceis são aqueles que nos fazem golos, mas não me lembro de nenhum em especial.

Jogaste com vários jogadores ao teu lado no centro da defesa. Fala-nos deles:
Sérgio –
Do Sérgio tinha muito para falar, além do muito que me ajudou destaco o profissionalismo, o querer e a ambição como de um jovem se tratasse e sem duvida o GRANDE CAPITAO E LIDER QUE É.
Calico – É ainda um jovem, como eu, com qualidade e vontade de trabalhar. Jogamos juntos numa altura complicada mas gostei de jogar ao lado dele.
Filipe – um jogador com uma disponibilidade incrível, jogue onde jogar raramente compromete.
Lage – Este ano não joguei com ele a central, mas o ano passado em nelas chegamos a jogar juntos. Com a qualidade que tem torna-se fácil jogar com ele.

Já te explicaram quais são os objectivos para a próxima época? E a nível pessoal quais são?
Os objectivos têm que ser sempre os mesmos ganhar, ganhar e ganhar. Só com esse pensamento se pode jogar no Académico. A nível individual tentar fazer mais e melhor do que esta época.

Ultimamente tem-se falado muito da saída de jogadores experientes como são, por exemplo, o Sérgio e o Rui Lage. Até que ponto eles foram importantes no sucesso da época que agora terminou?
Foram jogadores de extrema importância, foram aqueles que nunca deixaram cair o grupo, verdadeiros líderes que no meu ver vão fazer muita falta. Mas o futebol e assim e tenho que aceitar a decisão de quem manda.

Com a subida de divisão uma boa parte dos adeptos já sonha com a subida à Liga Vitalis. Acreditas que tal seja possível ou é utópico pensar-se nisso? (Carlos Silva)
Tenho que acreditar que e possível e também faz parte dos objectivos do clube. Mas vamos com calma, não podemos dar passos maiores que as pernas.

Tendo em conta a qualidade de jogo que apresentas actualmente no eixo da defesa academista, pensas que o “salto” para um clube da Vitalis/Sagres poderá estar para breve?
Sim faz parte dos meus objectivos num futuro próximo dar o salto para os campeonatos profissionais. Se for ao serviço do Académico tanto melhor.

Achas que devíamos ter mais jogadores da região ou apostar em valores de fora? (Pedro)
É relativo. Quem vier, seja de Viseu ou de fora, tem que ter qualidade para jogar no académico.

Qual o melhor jogador com quem jogaste? Qual a tua referência como defesa central? (Pedro)
Já joguei com alguns jogadores com muita qualidade, mas não tenho nenhum como referencia. O jogador ao qual me identifico e que mais aprecio a jogar e o Ferdinand (Manchester).

De onde vem a alcunha “Óscar”?
Nem sei explicar bem. Acho que também não é bem uma alcunha mas sim mais uma brincadeira da obra do Rui santos e do Lage.

A vocês magia um grande abraço e parabéns pelo bom trabalho que tem feito.
Ler Texto Completo

Há um ano


A 27 de Junho de 2008 A MAGIA DO FUTEBOL apresentava aos seus leitores a entrevista concedida por João Miguel jogador que estava de partida para o Canas de Senhorim. Recorde aqui.
Ler Texto Completo

Jogos inesquecíveis: Sporting 4 Benfica 1

Decorria o dia 27 de Junho de 1971 quando no Estádio Nacional o Sporting bateu o Benfica por 4-1 e conquistou a Taça de Portugal. As equipas jogaram deste modo:

Sporting: Damas, Pedro Gomes, Laranjeira, José Carlos (Caló, 68), Manaca, Gonçalves (Tomé, 58), Nélson, Peres, Marinho, Chico Faria e Dinis. Treinador: Fernando Vaz.

Benfica: José Henrique, Malta da Silva, Humberto Coelho, Zeca, Adolfo, Jaime Graça, Matine (Diamantino, 36), Simões, Nené, Artur Jorge, 70), Eusébio. Treinador: Jimmy Hagan.

Golos: Dinis 5 (1-0), Nélson 23 (2-0), Chico Faria 33 (3-0), Eusébio 59 g.p. (3-1), Tomé 77 (4-1).
Ler Texto Completo

A época de Filipe Figueiredo

Nome: Filipe Jorge Silvério Figueiredo
Data de nascimento: 15/01/1981
Posição: avançado

Números da época:

Jogos: 17
Titular: 5
Titular substituído: 3
Suplente Utilizado: 12
Suplente não utilizado: 3
Golos: 1

Aconteça o que acontecer Filipe Figueiredo ficará para sempre ligado à história do Académico de Viseu por ser um dos que contribui para as duas subidas do AVFC. Jogou muito menos com Luís Almeida do que com José Miguel Borges e as lesões não o largaram. Recorde-se que nem um jogo fez na segunda fase. Fez um golo esta época, foi em casa frente ao Milheiroense, Filipe Figueiredo saltou do banco aos 57 minutos – saiu Milford – e nove minutos mais tarde abriu o marcador. No Top Academista elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL terminou na 18ª posição com 29 pontos.

Amanhã: A época de Alexandre

Ler Texto Completo

A época de Adrien Silva

Apesar de todos os problemas que assolaram Miguel Veloso e da irregularidade futebolística de Rochemback, Adrien Silva não consegui em 08/09 dar o salto de qualidade que os sportinguistas esperavam. Abona a seu favor o facto de nos 19 jogos – mais 5 do que em 07/08 - disputados esta época o Sporting venceu 16 empatou 2 e perdeu 1 (7-1 Bayern Munich). No Top Leonino elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL terminou na 20ª posição com 40 pontos.



Sporting 08/09:
Jogos: 19
Titular: 10
Titular substituído: 4
Suplente utilizado: 9
Suplente não utilizado: 16

Liga Sagres 08/09:
Jogos: 13
Titular: 6
Titular substituído: 2
Suplente utilizado: 7
Suplente não utilizado: 12

Liga dos Campeões 08/09:
Jogos: 2
Titular: 1
Titular substituído: 1
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 2

Taça da Liga 08/09:
Jogos: 4
Titular: 3
Titular substituído: 1
Suplente utilizado: 1

Supertaça 2008:
Suplente não utilizado: 1

Amanhã: A época de Grimi
Ler Texto Completo

Tiago Gonçalves: a entrevista

Amanhã às 14H00 não perca a entrevista a Tiago Gonçalves. Para já fique a saber que ele vai continuar no nosso Académico!
Ler Texto Completo

A época de Lopes

Nome: Tiago Lopes dos Santos
Data de nascimento: 14/01/1985
Posição: médio/avançado

Números da época:

Jogos: 16 (inclui jogo da Taça de Portugal)
Titular: 4
Titular substituído: 2
Suplente Utilizado: 12 (inclui jogo da Taça de Portugal)
Suplente não utilizado: 27
Golos: 1



Há sensivelmente um ano Lopes queixava-se, aqui em A MAGIA DO FUTEBOL, dos poucos jogos que havia disputado e das poucas oportunidades concedidas. Partia para 2008/2009 cheio de vontade de ajudar e o seu desejo era que época corresse melhor que anterior. A nível colectivo correu, é certo, mas já a nível pessoal as coisas não melhoraram. Jogou apenas 4 vezes na condição de titular e só por duas vezes fez os 90 minutos. Até a defesa direito actuou! Marcou um golo na época finda sendo o autor do golo final da goleada imposta ao Sátão. Em 2009/2010 jogará nos nossos vizinhos do Mangualde. Terminou a época na 18ª posição, no Top Academista elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, com 27 pontos.

Amanhã: A época de Filipe Figueiredo
Ler Texto Completo

A época de Tiago

Fez na temporada que terminou mais do dobro dos jogos que efectuou na temporada transacta. Continua a ser segunda opção e a contentar-se com tal. Mal ou bem a verdade é que é desde há muito um símbolo do Sporting. Estreou-se na temporada no jogo caseiro da Liga dos Campeões frente ao Barcelona, entrando como suplente utilizado – saiu Djaló – devido ao facto de Rui Patrício ter sido expulso. Nos 11 jogos em que participou, o Sporting venceu 7 empatou 1 e perdeu 3. Terminou a época com 35 pontos na 21ª posição do Top Leonino elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL.


Sporting 08/09:
Jogos: 11
Titular: 10
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 28

Liga Sagres 08/09:
Jogos: 4
Titular: 4
Suplente não utilizado: 20

Liga dos Campeões 08/09:
Jogos: 3
Titular: 2
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 5

Taça de Portugal 08/09:
Suplente não utilizado: 1

Taça da Liga 08/09:
Jogos: 3
Titular: 3
Suplente não utilizado: 1

Supertaça 2008:
Suplente não utilizado: 1

Amanhã: A época de Adrien Silva
Ler Texto Completo

Jogo da subida

Quem estiver interessado no vídeo do jogo da subida clique aqui.
Ler Texto Completo

"Voltei a casa, voltei ao Académico"

Nome: Fernando José Almeida Sequeira Ferreira
Data de nascimento: 20/1171986
Posição: médio
Estreia pelo Académico de Viseu: Académico de Viseu 1 União de Lamas 2
Local de nascimento: Viseu
Altura: 1.83m
Peso: 78kg
Ídolo: Zinédine Zidane
Clube de futebol: Sporting Clube de Portugal
Morada: Viseu


Sabemos que do CAF foste para o Sporting. Diz-nos quais os clubes que representaste na camadas jovens:
Clube Académico Futebol e Sporting Clube de Portugal, foram os meus únicos clubes nas camadas jovens.

Um dia destes folheando um jornal “Sporting”, já velhinho, deparei com a ficha de um jogo das camadas jovens do Sporting em que actuavas ao lado do João Moutinho. Que outro jogadores fizeram contigo a formação e que hoje dão cartas no futebol?
È verdade, sem dúvida tive o privilégio de conviver, treinar e jogar com vários jogadores que neste momento são grandes referências do nosso futebol, entre quais posso destacar o Moutinho, o Miguel Veloso, o Nani, o Mário Felgueiras, o Saleiro, o Yannick Djaló e também tive o privilégio de treinar algumas vezes com aquele que é considerado o melhor jogador do Mundo, Cristiano Ronaldo.

Quais as razões de não teres vingado no Sporting?
O futebol é o momento, e no meu caso específico acho que tive perto de conseguir vingar no Sporting, mas no momento que podia ser crucial na minha carreira desportiva, tive uma lesão grave no joelho, que aconteceu entre a minha passagem da formação para o futebol sénior, mas mais que isso acho que não consegui por culpa própria, o futebol é mesmo isto, por vezes pensamos que estamos bem e dum momento para outro as coisas invertem – se, essa lesão afectou muito aquilo que poderia ser hoje como jogador de futebol, mas não me lamento por isso, foram momento difíceis, mas foram momentos que também me ajudaram a amadurecer e a crescer, costuma – se dizer o que lá vai, lá vai.


Depois de saíres do Sporting passaste por alguns clubes na condição de emprestado. Fala-nos dessas experiências:
Casa Pia – Encontrei um clube a degradar – se aos poucos, começou a viver momentos que atormentavam muitos clubes nessa altura, ordenados em atraso e jogadores a rescindirem contrato em Dezembro, o treinador também tinha saído, ou seja uma equipa quase toda nova em Dezembro, altura em que cheguei ao clube depois da minha lesão estávamos nos lugares cimeiros, mas acabámos por descer de divisão, foi o meu primeiro ano no futebol sénior e também começava totalmente do zero, aquela lesão fez com que isso acontecesse, guardo amigos, boas e más recordações desse clube histórico no nosso futebol.
Sporting de Espinho – O Espinho foi uma aposta pessoal, no qual não consegui vingar, encontrei um clube com grandes aspirações, que ambicionava a subida de divisão, plantel com muita qualidade e experiência, e prevaleceu a experiência para o facto de não de ter jogado mais, mas como disse não lamento, porque foi uma aposta minha, e por culpa própria também não vinguei. Guardo também grandes amigos.
Real Massamá – Cheguei ao clube em Dezembro, ou seja numa época e meia já tinha no meu currículo 3 clubes, o que não abonava muito a meu favor, mas vinha com a fome de bola e vontade de ajudar este clube que tem umas condições enormes para chegar a patamares superiores, o treinador conhecia – me e apostou em mim comecei a jogar mais regularmente e sentia – me a renascer de novo, a equipa também tinha resultados o que fizeram com que conseguíssemos, ir disputar o Play – Off com o Fátima, mas mais uma vez como tinha acontecido anteriormente não consegui disputar esses jogos e dar o meu contributo dentro de campo pois tinha tido uma recaída da minha lesão no joelho, ainda tentei recuperar em contra – relógio pois tinha também voltado a ser chamado a Selecção, mas não consegui, e fiquei de fora da Selecção e dos 2 jogos mais importantes da época. No 2º ano sentia – me mais confiante e as coisas pareciam voltar de novo, o clube perdeu o treinador, e muitos jogadores, e começou – se do zero, estava bem mas o clube não conseguia resultados o treinador foi despedido, veio outro que não apostou tanto em mim e joguei menos vezes. Este clube marcou – me bastante porque deixei lá grandes amigos e também porque as pessoas foram sempre muito correctas comigo.

Como é que vieste parar ao Académico de Viseu? Tinhas outras soluções para a tua carreira?
Os contactos eram regulares com o Académico, e só não aconteceu mais cedo porque o clube tinha sido extinto, e na altura também ainda estava ligado contratualmente ao Sporting. Depois de acabar contrato, num dos contactos habituais que tinha com o Monteiro, ele perguntou – me se queria ir para o Académico, eu disse – lhe que aguentasse um pouco, pois tinha algumas situações que poderiam ser vantajosas para mim, mas também disse para não se prenderem por mim, mas ele disse sempre que para mim havia sempre espaço, tinha outras soluções mas achei que não valiam a pena e voltei a casa, voltei ao Académico.

Ser filho do Presidente da Associação de Futebol de Viseu facilita ou complica a tua afirmação no futebol?
Não complica nem facilita, é o meu pai e tenho orgulho nele faça ele o que fizer, sendo Presidente da Associação seja ela qual for a sua tarefa, sabe que vou sempre apoiá-lo.

Foste por nós distinguido por 3 vezes como o melhor do Académico em campo: Vizela (Taça de Portugal), Tondela (1-1) e Avanca (3-0). Foram mesmo estes os teus melhores jogos ou queres destacar outros?
Penso que sim, foram mesmo os meus melhores jogos.

E aquele golo ao Vizela! Quem viu – e nós vimos – não o esquece! Ainda és capaz de o descrever?
Podem não estar a par disso, mas foi o primeiro golo como sénior em competições oficiais, e foi um golo realmente muito especial, e de facto lembro – me como se fosse hoje recuperei a bola a meio campo junto à linha, veio um jogador do Vizela ao meu encontro meto – lhe a bola por debaixo das pernas, e no momento que arranco para a bola depois de ter passado, olho para a baliza e vejo o guarda-redes adiantado dois passos, foi nesse momento que não parei mais e chutei para a baliza e quando vejo o guarda-redes a correr para trás vi que não chegaria. Valeu de pouco pois não conseguiríamos passar a eliminatória depois de um grande jogo da nossa parte.

Qual é a tua opinião sobre mudanças na equipa técnica a meio da temporada?
São decisões que não nos cabem a nós, mas sim à direcção.

A quem se deveu o sucesso na última época: técnicos, jogadores ou direcção?
O sucesso deveu – se a todos aqueles que trabalharam em prol dos objectivos, os jogadores, os técnicos, a direcção, o departamento médico, os roupeiros, sócios e simpatizantes, e como se viu juntos somos fortes e isso é que foi decisivo no sucesso. A união de todos em volta de um só objectivo.

Vais continuar no Académico? Porque é que continuas? Já te explicaram quais são os objectivos para a próxima época? E os teus objectivos?
Sim vou continuar no Académico, e continuo neste clube porque me sinto bem onde estou e mais do que tudo que fique bem claro, fico por amor ao clube, pus de parte interesses pessoais e fiz com que os interesses do clube fossem mais importantes. Quanto aos objectivos dum clube com as potencialidades do Académico, os objectivos é entrar, seja onde for, e sair de lá vitorioso. Vai ser um campeonato onde a regularidade vai ser fulcral para podermos aspirar a grandes objectivos, quanto aos meus objectivos é jogar o maior número de jogos possível, depois o resto virá com trabalho e dedicação.

Estavam à espera de ver o Fontelo tão bem composto no jogo contra o Anadia? Dizem que a sofrer por fora se sofre mais: como viveste esse jogo?
Sim esperávamos que o Fontelo tivesse uma boa moldura humana, já que sentíamos uma grande euforia em volta desse jogo, ainda tememos porque a chuva ameaçava, mas até S. Pedro nos ajudou. O jogo foi impróprio para cardíacos, de fora sofre – se muito mais e sinceramente sentia que a união prevalecia no grupo e esse foi o factor mais importante para o sucesso.


No início da época quando se ouviu falar de que um jogador formado no Sporting viria para o Académico toda a gente ficou animada. A qualidade (presente) apareceu apenas a espaços marcada pelas expulsões e no fim pela lesão. A que se deveu esta época irregular? (Rafael)
Deveu – se a isso mesmo, a lesão e castigos. Estando de fora é muito mais difícil as pessoas saberem o que realmente vale o Fernando, mas tenho a certeza que vai ser uma época mais tranquila e com o Fernando a mostrar as suas qualidades em prol da equipa e do clube.

O que podes prometer para a próxima época? (Sprees)
Prometo trabalhar para ajudar o clube a conseguir os seus objectivos.

Em que ponto se encontra a tua lesão?
A lesão está debelada, claro que deixa sempre marcas, mas agora resta – me esperar pela pré época para conseguir restabelecer os níveis de confiança.

És da opinião que os jogadores mais experientes deviam ficar no Académico?
Eu sou da opinião que os interesses do clube devem ser aqueles que têm de ser postos à frente de qualquer outro tipo de interesse. Por isso eu defendo o clube na qualidade de jogador. As outras pessoas com mais responsabilidades são as que têm de tomar as decisões.

Em 2009/2010 vamos ter um Académico a lutar em todos os jogos, em casa e fora, a lutar pela vitória, assumindo desde o início pois temos os níveis que nenhum clube tem nesta divisão. Concordas?
Sim, sem dúvida, aliás o Académico não pode sequer pensar doutra forma senão essa.

Tendo em conta a tua técnica, a meu ver claramente acima da média, achas que podes ser o mágico do meio campo que faltou um pouco ao Académico na época passada?
Eu vou ser tão importante como qualquer outro jogador, não vou ser mais ou menos, acho que no momento em que estiver dentro de campo irei tentar colocar as minhas capacidades ao serviço da equipa.

Na tua opinião o Académico pode estar em 2/3 anos na II Liga novamente ou deve manter a estabilidade e a calma e assegurar experiência e peso na II B? (Pedro)
Todos nós sabemos que este clube merece muito mais que uma 2ª Divisão mas agora estamos nessa divisão, só temos que trabalhar para conseguir chegar ao lugar onde clube merece, este cidade e as pessoas da cidade merecem muito mais, trabalharemos para que isso aconteça o mais rápido possível.

Tu que jogaste nas camadas jovens do Sporting ainda te achas capaz de chegar a um grande do futebol português? (Pedro)
Se me derem essa oportunidade irei a segurar com unhas e dentes, mas para isso terei que trabalhar muito. Resta – me trabalhar, depois as coisas vão tomando o seu rumo natural, se estiveres bem é sempre bom seres reconhecido pelo trabalho que desempenhaste, se assim for ficarei extremamente contente.


Qual o principal problema e a especial virtude do Académico desta época?
Irregularidade exibicional e a união de grupo.

Qual o melhor jogador com quem jogaste? (Pedro)
João Moutinho, sem dúvida alguma. Jogámos lado a lado nas camadas jovens e de facto é um jogador fora de série.
Ler Texto Completo

A época de Márcio

Nome: Márcio Gomes Almeida
Data de nascimento: 22/02/1988
Posição: médio/avançado


Números da época:
Jogos: 12
Titular: 4
Titular substituído: 4
Suplente utilizado: 8
Suplente não utilizado: 4

Ao Márcio todos lhe reconhecemos muito valor para actuar no Académico de Viseu mas a grave lesão que o afastou do início da época complicou-lhe as contas. Fez o seu primeiro jogo da época em Anadia (3-2) substituindo Filipe Figueiredo ao minuto 85. Dos 4 jogos em que foi titular não terminou a partida sendo substituído em todos eles. No Top Academista Márcio terminou na 19ª posição com 26 pontoss

Amanhã: A época de Lopes
Ler Texto Completo

A época de Ronny

Aparentemente, segundo as palavras de Paulo Bento, Ronny tem os dias contados no Sporting. Não estranha. Se em 2007/2008 fez 34 jogos ao serviço dos leões na época que agora terminou apenas fez 8 e 4 deles foram nas derradeiras jornadas da Liga Sagres 08/09 e recordo-me de ter sido muito importante na reviravolta leonina em Guimarães. O empréstimo em 2009/2010 parece-me ser uma boa escolha. Terminou no 22º lugar do Top Leonino, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL, com 17 pontos.


Sporting 08/09:
Jogos: 8

Titular: 4
Titular substituído: 1
Suplente utilizado: 4
Suplente não utilizado: 12

Liga Sagres 08/09:
Jogos: 6
Titular: 2
Suplente utilizado: 4
Suplente não utilizado: 7

Liga dos Campeões 08/09:
Suplente não utilizado: 3

Taça da Liga 08/09:
Jogos: 2
Titular: 2
Titular substituído: 1

Taça de Portugal 08/09:
Suplente não utilizado: 1

Supertaça 2008:
Suplente não utilizado: 1

Amanhã: A época de Tiago
Ler Texto Completo

Palavras dos outros XLIII

“Foi no passado dia 6 de Junho que o povo de Viseu teve o presente que tanto almejava. Povo com tradição no amor ao futebol, e em especial ao clube da terra, viu o seu clube regressar à divisão que abandonou por ganância de outros... O feito foi heroico, o clube chamou e os adeptos compareceram... Sabiamos que precisavamos de ganhar por "2 bolas" ao Anadia (que entrou no Municipal do Fontelo à frente da classificação) sendo que um golo bastaria no caso do Tondela perder... A equipa entrou bem, mas ao intervalo o nulo mantinha-se. Pouco depois do início da segunda parte, Costa, esse mesmo que foi nosso contemporaneo dos tempos de Liceu decidiu brindar a plateia com um chapéu de fora da área digno de golo da jornada para alegria de todos. Entretanto, a poucos Km o Tondela perdia por 2 bolas e tudo parecia encaminhado...não obstante, alguns minutos passados e o mesmo havia já empatado com 2 golos de penálti (Qual José Guímaro em Leça da Palmeira...). O semblante do estádio caiu com o 3.º golo do tondela e a equipa perdeu-se no magnifico gramado do nosso estádio... Felizmente, perto do final Rui Santos lembrou-se que tinha consigo uma arma poderosa: o seu pé direito. Com o génio de um maestro de 10 nas costas, ultrapassou 2 adversários com elegância, encarou a baliza e no ângulo superior esquerdo da baliza do anadia escreveu a "bold" a subida do nosso académico! Parabéns Académico, parabéns Viseu... Foi uma festa bonita... gostei de participar!!!”

In GPS
Ler Texto Completo

Entrevista a Fernando Ferreira

Amanhã às 14H00 não perca a entrevista a Fernando Ferreira. Desde já vos podemos informar quem em 2009/2010 o "Fernandos" - eu depois explico o significado - vai continuar no Académico de Viseu. Aproiveitamos para informar que aguardamos a resposta às perguntas por parte do Zé Bastos e que a entrevista ao Tiago Gonçalves seguirá ainda hoje via mail.
Ler Texto Completo

A época de Parma

Nome: Paulo Jorge Moreira Ferreira “Parma
Data de nascimento: 17/09/1989
Posição: avançado
Estreia: Académico de Viseu 1 Anadia 5

Números da época:

Jogos: 6
Titular: 1
Titular substituído: 1
Suplente Utilizado: 5
Suplente não utilizado: 14
Golos: 1

Estreou-se num jogo de má memória o jogo da pesada derrota caseira com o Anadia entrando para o lugar de Tiago Gonçalves decorria o minuto 68 e já perdia o Académico de Viseu por 1-4. Estreou-se como titular no jogo forasteiro com o Anadia (derrota por 3-2) foi substituído ao minuto 70 por Lopes sendo que minutos depois o Académico sofreu o golo da reviravolta (1-2). Jogou ainda mais 4 jogos vindo do banco de suplentes, já na Segunda Fase, e aí ninguém se esquecerá da magnífica importância que teve o seu golo apontado no terreno do Cinfães para as contas da subida. Basta para tal recordar que o Académico perdia e acabou por vencer. No Top Academista elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL terminou a época no 20º lugar com 14 pontos.

Amanhã: A época de Márcio
Ler Texto Completo

A época de Rodrigo Tiuí

Chegou a Alvalade a meio da época passada mas mesmo assim com menos tempo teve uma temporada bem melhor do que a de 2008/2009. Nunca mais será esquecido depois da final da Taça de Portugal em que entrou para dizimar o FC Porto mas o capital de confiança que adquiriu de nada lhe serviu na época que agora terminou. Conseguiu por uma vez colocar a bola nas redes adversárias: foi no desempate por grandes penalidades frente ao FC Porto para a Taça de Portugal. Terminou a época no 23º lugar do Top Leonino elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL. Em 2007/2008 foi assim.


Sporting 08/09:
Jogos: 7
Titular: 1
Titular Substituído: 1
Suplente utilizado: 6
Suplente não utilizado: 22

Liga Sagres 08/09.
Jogos: 5
Suplente utilizado: 5
Suplente não utilizado: 15

Liga dos Campeões 08/09:
Suplente não utilizado: 4

Supertaça 2008:
Suplente não utilizado: 1

Taça de Portugal:
Jogos: 1
Suplente Utilizado: 1

Taça da Liga 08/09:Jogos: 1
Titular: 1
Titular substituído: 1
Suplente não utilizado: 2

Amanhã: A época de Ronny
Ler Texto Completo

Palavras dos outros XLII

“Ao som do incentivo Académico... Académico.... Académico... os jogadores empenharam-se e e responderam afirmativamente aos muitos adeptos que enchiam o estádio. Aqueles heróis empenharam-se e não se fizeram rogados dando 2 a 0 ao clube que ocupava o primeiro lugar da classificação no play-of da subida, o Anadia, dois golos verdadeiramente espantosos que valeram esta merecida subida de divisão.Mas não pensem que tudo foram rosas já que o golo que valeu a subida só apareceu no tempo de compensação. Um génio, de seu nome Rui Santos, resolveu tirar da cartola um golo só ao alcance de mágicos do futebol. Um remate fantástico que proporcionou a euforia total no estádio do Fontelo. O Académico está de novo na 2ªdivisão nacional”

Continue a ler aqui
Ler Texto Completo

Gamarra em entrevista

Nome: Ricardo José Figueiredo Babo “Gamarra
Data de nascimento: 21/02/1980
Posição: médio defensivo
Local de nascimento: Viseu
Altura: 1,75 cm
Peso: 69 kg
Ídolo: Nenhum em particular, mas gosto das qualidades do Pirlo.
Clube de futebol: Benfica
Morada: Farminhão

A alcunha, Gamarra, vem do facto de ser um central que praticamente não faz faltas e é excelente a defender, ou é por ser do Benfica?

A alcunha Gamarra vem dos tempos do Repesenses, os meus colegas de equipa acharam que eu me identificava com ele, e assim ficou o nome.

Os menos atentos ao que se passou no Penalva – e nós fazemos parte desse grupo – perguntam: como é o Gamarra como jogador? Qual a sua posição preferida? Joga a central? Faz outras posições no terreno?

Não gosto de falar de mim, acima de tudo considero que sou um jogador de equipa, gosto de ser útil mas de passar despercebido dentro de campo. A minha posição preferida e onde acho que exploro todas as minhas capacidades é a de médio defensivo, em relação a fazer outras posições, ao longo da minha carreira também joguei a defesa central, lateral direito e médio centro, mas como disse atrás, a minha posição é a de médio defensivo.

Foste capitão no Penalva do Castelo. És um líder?

Não me considero um líder, procuro acima de tudo dar-me bem com todos.

Nas últimas 5 épocas jogaste no Penalva do Castelo: e antes, onde actuaste?

Actuei no Penalva do Castelo as últimas 7 épocas e não 5. Antes do Penalva do Castelo actuei 3 épocas no Social de Lamas.

Infelizmente o Penalva do Castelo desceu de divisão. Que erros o Académico de Viseu deve evitar para não seguir o mesmo caminho?
Acredito e tenho a certeza de que não vamos seguir o mesmo caminho. Erros acontecem sempre, vamos tentar que aconteçam o menos vezes possível, vamos trabalhar para isso.

Quais as ambições pessoais para esta nova época? Quando assinaste pelo Académico quais foram os objectivos apresentados?

Espero jogar o maior número de jogos possível para ajudar o Académico a ficar nos lugares da frente do campeonato. Os objectivos são exactamente esses, andar nos lugares da frente, junto dos melhores.


Ao longo destes anos em que fizeste parte do plantel do Penalva jogaram contigo vários jogadores que passaram pelo CAF e alguns que também já jogaram no AVFC. Fala-nos um pouco sobre eles:

Bruno Almeida – Jogador polivalente, faz qualquer posição da defesa.

Negrete – Grande profissional. Central de grande classe. Grande amigo fora do futebol.

Megane – Jogador com o melhor pé esquerdo com quem joguei até hoje.

Pedros – Jogador de qualidade, dá tudo em campo.

Paulo Listra – A jogar na posição dele, ponta de lança, é matador.

Ascenso – Muito forte no passe. Excelente na execução de livres.

Rogério – Central muito experiente, de uma regularidade impressionante.

Álvaro, Lopes , Luís Costa – Na altura que joguei com eles, eram eles ainda muito novos, mas os três com muita qualidade e com muita margem de progressão.

Sérgio – Fortíssimo no jogo aéreo, um verdadeiro líder.

Porque é que aceitaste vir para o Académico de Viseu? Tinhas mais propostas?

A principal razão que me levou a aceitar a proposta do Académico foi o facto de poder continuar a jogar na 2ª divisão e também os objectivos ambiciosos do clube. Propostas concretas não tinha, mas o Penalva já me tinha transmitido a vontade que tinham em que eu continuasse.

Por vezes os jogadores criticam os adeptos por só apoiarem nos momentos bons. Como convives com a crítica?

As críticas construtivas, feitas com sentido e com o intuito de melhorarmos, aceito-as e tento evoluir no sentido das mesmas, quantas às críticas feitas só para deitar a baixo e provocar, nem perco tempo com elas.

Falemos de treinadores: qual aquele que mais te marcou? Já trabalhaste com Luís Almeida?

Todos os treinadores que tive até hoje foram importantes na minha evolução como jogador. Vai ser a primeira vez que vou trabalhar com o mister Luís Almeida.

És um jogador caro?

Tenho a certeza que não.

Num clube os adeptos são a coisa mais importante. Queres deixar uma mensagem aos academistas?

A única que posso dizer é que vamos fazer sempre tudo para ganhar em todos os jogos. Com o apoio dos adeptos sentimo-nos ainda mais motivados para ganhar.
Ler Texto Completo

A época de Paulo Freitas

Nome: Paulo Sérgio Freitas
Data de nascimento: 23/05/1972
Posição: guarda-redes

Números da época:

Jogos: 2
Titular: 2
Suplente não utilizado: 35 (inclui jogo da Taça de Portugal)

No primeiro jogo da época, frente ao União de Lamas, fez defesas de grande nível e mostrou que se podia confiar em si para o resto da época. Foi nesse mesmo jogo – em Agosto de 2008 – considerado o melhor academista em campo e como consequência foi eleito por A MAGIA DO FUTEBOL como o jogador do mês. No início de Setembro actuou na derrota por 3-0 em Fiães e no jogo seguinte – em casa com o Vizela para a Taça de Portugal – foi para o banco de suplentes para não voltar a sair dessa situação. Terminou o Top Academista na 21ª posição com 7 pontos.

Amanhã: A época de Parma
Ler Texto Completo

A época de Ricardo Batista

Apenas um jogo na sua época de estreia de leão ao peito e logo num jogo de baixo risco. Normal, não se esperava mais de um guarda-redes que veio para ser o terceiro do plantel. Vai continuar em Alvalade. Não seria melhor ser emprestado? Terminou na 24ª posição do Top Leonino, com 3 pontos, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL.


Estreia pelo Sporting:
Sporting 5 Paços de Ferreira 1 (Taça da Liga em 18/01/2009)

Sporting 08/09:
Total de Jogos: 1
Titular: 1
Suplente não utilizado: 12

Liga Sagres 08/09:
Suplente não utilizado: 9

Liga dos Campeões 08/09:
Suplente não utilizado: 2

Taça da Liga 08/09:
Jogos: 1
Titular: 1
Suplente não utilizado: 1

Amanhã: A época de Rodrigo Tiuí
Ler Texto Completo

Gamarra, a entrevista

Amanhã, às 14H00, não perca a entrevista de Gamarra à A MAGIA DO FUTEBOL!
Ler Texto Completo

A época de Renato Neto

Nome: Renato Cardoso Porto Neto
Data de nascimento: 27/09/1991
Posição: médio
Estreia: Sporting 3 Nacional 1

Números da época:

Jogos: 1
Titular: 0
Suplente utilizado: 1

Este brasileiro, que chegou a Alvalade vindo do Benfica, estreou-se pelo Sporting Clube de Portugal a 24 de Maio de 2009, substituiu Derlei aos 86 minutos, frente ao Nacional “aproveitando-se” do facto de ter havido muitas lesões no plantel leonino. Fica para a história o seu primeiro jogo ao serviço da equipa principal – ele que ainda se pode sagrar campeão júnior – e o 25º lugar no Top Leonino, com um ponto, elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL.

Amanhã: A época de Ricardo Batista
Ler Texto Completo

A época de Cabido

Nome: Vítor Miguel Costa Cabido
Data de nascimento
: 23/03/1988
Posição: defesa

Números da época:
Jogos: 3
Titular: 1
Titular substituído: 1
Suplente utilizado: 2
Suplente não utilizado: 24

Ele que raramente foi utilizado em 2007/2008 também o foi por muitas poucas vezes esta época. Apenas 3 jogos. No Sátão (0-2) entrou para o lugar de Zé Bastos já nos descontos. Uma volta passou e foi frente ao mesmo Sátão que Cabido fez o único jogo a titular em duas épocas de Académico, os viseenses venceram e o defesa foi substituído por Rui Lage ao minuto 60. disse João Monteiro sobre a sua actuação nesse dia – “pequenino e aguerrido , teve um ou outro corte mais imperfeito mas a sua entrega ao jogo agradou aos presentes”. Na Tocha fez o seu terceiro jogo pelo Académico de Viseu ao substituir Zé Bastos ao minuto 89. Esteve 24 vezes sentado no banco de suplentes sem de lá sair (um deles na Taça de Portugal). No Top Academista terminou na 22ª posição com 5 pontos.

Amanhã: A época de Paulo Freitas
Ler Texto Completo

A época de Valdo

Nome: Eugénio Valdomiro Furtado da Veiga “Valdo”
Data de nascimento: 11/08/1984
Posição: avançado
Estreia: Académico de Viseu 0 Valecambrense 1

Números da época:

Jogos: 2
Titular: 0
Suplente utilizado: 2

Chegou para acrescentar qualidade mas ficou tão pouco tempo que dificilmente alguém se lembrará da sua passagem pelo Académico de Viseu. O que se terá passado? Estreou-se na derrota caseira com o Valecambrense substituído Rui Lage. Foi também do banco que saltou para fazer o seu segundo jogo ao serviço dos academistas em São João de Ver (0-0) substituiu Luís Costa. No Top Academista terminou na 23ª posição com 3 pontos.

Amanhã: a época de Cabido
Ler Texto Completo

A época de Zé António

Nome: José António Cardoso Oliveira “Zé António
Data de nascimento: 06/11/1986
Estreia: Académico de Viseu 2 Fiães 1

Números da época:

Jogos: 1
Titular: 0
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 13

Vi-o jogar duas ou três vezes na pré época e gostei do que vi. Ao longo da época só por uma vez jogou, foi no jogo da segunda fase, no Fontelo, frente ao Fiães entrando para o lugar de Casal, ao minuto 84, e mostrou pormenores importantes mas foram apenas 6 minutos em campo. Esteve ainda no banco de suplentes por 13 vezes (uma delas na Taça de Portugal). No Top Academista Zé António terminou na 24ª posição com um ponto.

Amanhã: A época de Valdo.
Ler Texto Completo

Entrevista Fernando Ferreira

A MAGIA DO FUTEBOL convidou e o Fernando Ferreira acaba de aceitar o repto. Deixe as perguntas na caixa de comentários e nós faremos com que elas cheguem ao destinatário.
Ler Texto Completo

Entrevista Tiago Gonçalves

A MAGIA DO FUTEBOL convidou e o Tiago aceitou. Deixe as suas perguntas na caixa de mensagens a esta postagem e nós enviamos as mesmas ao seu destinatário. Aproveitamos para informar em que ponto está as entrevistas já prometidas. Gamarra: já foram enviadas as perguntas aguardamos a resposta. Zé Bastos: a entrevista ainda está a ser preparada.
Ler Texto Completo

A época de Ricardo Gomes

Nome: Ricardo Gomes Deus
Data de nascimento: 12/08/1981
Estreia: Milheiroense 0 Académico de Viseu 2

Números da época:

Jogos: 1
Titular: 0
Suplente utilizado: 1
Suplente não utilizado: 1

Tal como Valdo, a história de Ricardo Gomes está mal contada. Chegou sem quase ninguém dar por isso e partiu “misteriosamente”. Fez um jogo pelo Académico de Viseu, entrou ao minuto 65 do jogo em Milheirós de Poiares, substituindo Luís Costa um pouco depois de Fernando Ferreira ter feito o 1-2 final. Esteve uma vez no banco de suplentes sem ser chamado por Luís Almeida. No Top Academista elaborado por A MAGIA DO FUTEBOL ficou em 25º lugar com 1 ponto.

Amanhã: A época de Zé António
Ler Texto Completo

A época de Rafael

Nome: Rafael Amaral Melo
Data de nascimento: 16/08/1989
Posição: médio

Números da época:

Suplente Não Utilizado: 5

Foi, a par de Parma, um dos jogadores que veio do plantel júnior academista. Não chegou a ser utilizado mas fez parte do plantel que nos deu aquela imensa alegria e merece ser sempre por nós recordado. Não sabemos o seu futuro mas sabemos que nunca será esquecido por A MAGIA DO FUTEBOL. Obrigado Rafael!
Nota: A MAGIA DO FUTEBOL inicia aqui um trabalho de análise ao que foi a época de cada um dos jogadores que fez parte do plantel academista em 2008/2009. Começamos a publicar do jogador menos pontuado para o mais pontuado do Top Academista.
Ler Texto Completo

Palavras dos outros XLI

Foi difícil, já se sabia.
Teve sorte o Académico? Soube procurá-la.
A subida de divisão do Académico de Viseu chegou na última jornada, nos últimos minutos, de um jogo mais disputado que bem jogado, onde os comandados de Luís Almeida acabaram por ser premiados por dois remates fantásticos. O primeiro, um chapéu bem medido de Costa ao guarda-redes do Anadia. O segundo, nos instantes finais da partida, e que deu a tão ansiada vantagem de dois golos, em mais um portentoso remate de Rui Santos. Ele que nos últimos jogos vinha assinando golos de belo efeito.
Teve Rui Santos a sorte que soube procurar. Acreditou que aquela seria a sua tarde, num jogo onde, até então, os remates até nem lhe estavam a sair especialmente acertados.
O dois a zero acabaria por ter um efeito de "panela de pressão" à qual a tampa salta. É que as notícias que chegavam de Tondela, onde os da casa haviam dado a volta a um resultados que chegou a ser bem desfavorável, não eram as que melhor serviam as aspirações da formação de Luís Almeida.
Foi um momento de total euforia, só suplantado pelos que se seguiram ao apito final. A invasão pacífica do relvado, por uns adeptos sedentos de celebrar um momento como aquele, acabou por colorir uma festa que viria a prolongar-se pelas ruas da cidade.
Estava concretizada a subida de divisão.
Um ano que acaba por coroar uma época de alguns contratempos e onde, passada esta euforia da vitória, já se pensa no futuro.
Segunda, dia 15 de Junho, o Académico vai a votos. António Albino volta a candidatar-se e já "sonha" com a Divisão de Honra.
A verdade é que esta subida acaba também por ser fruto do trabalho de uma equipa de técnicos, dirigentes e jogadores que, mesmo nos momentos mais difíceis, e quando muitos já não acreditariam, sempre soube manter a serenidade.
Agora vem o "defeso" e o mercado vai agitar-se. Nas próximas semanas há promessa de novidades no plantel academista.


Gil Peres – Jornal do Centro
Ler Texto Completo

Há dois anos

A 18 de Junho A MAGIA DO FUTEBOL publicava uma entrevista ao capitão, de então, dos juniores academistas. Ainda joga futebol o Tiago Pina? Recorde a entrevista aqui.
Ler Texto Completo

Palavras dos outros XL

As cidades de Tondela e Viseu viveram, no sábado, momentos de fortes emoções e de enorme alegria com as vitórias dos seus clubes. As subidas à 2.ª Divisão Nacional de futebol foram conseguidas depois de muito sofrimento, mas o desporto, o futebol também é isso mesmo.
Depois das descidas de Nelas e Penalva, o Distrito corria o risco de ficar fora desta divisão que, não sendo apelativa em termos económicos e desportivos, é sempre a etapa superior ao nível do futebol semi-profissional/amador.
As expectativas, nestas ocasiões, são sempre as mais animadoras. Viseu correspondeu ao ir a Fontelo apoiar o Académico e mais do que isso, viver intensamente um jogo de futebol. Uma subida de divisão é um feito enorme, conseguido sempre com dificuldades, com muito espírito de vitória, de conquista. Estes são elementos chaves que têm agora de ser transpostos para a nova época. Aproveitar a onda de ânimo existente. A moldura humana presente no Fontelo no sábado foi demonstrativa que os viseenses gostam de futebol, apreciam este espectáculo desportivo e dizem presente se o que lhes for oferecido for de qualidade, emocionante, apaixonante.
Futebol sem público não existe, não interessa. Cabe aos responsáveis desportivos modernizarem cada vez mais os clubes, tornando-os transparentes e aglutinadores.
As subidas são tónicos importantíssimos para todos os que servem e têm responsabilidades nos clubes de forma a continuarem a fazer um trabalho que os motiva.
Acredita-se que os dirigentes de hoje têm os pés bem assentes na terra e não mais vão entrar em loucuras que hipotequem o futuro dos clubes. A manutenção neste escalão do futebol português é o objectivo destes clubes.
Tondela e Viseu têm excelentes estruturas desportivas que oferecem aos seus clubes seniores, cabendo agora a estes fazerem uma gestão realista na área dos recursos humanos.
Uma subida do Académico de Viseu à liga profissional terá de ser feita sempre degrau a degrau, sustentada. Viseu e a região envolvente vão ter de se unir em torno de um Clube que os represente e dignifique, na certeza que todos temos a ganhar.
Uma subida do Académico de Viseu à liga profissional terá de ser feita sempre degrau a degrau, sustentada. Viseu e a região envolvente vão ter de se unir em torno de um Clube que os represente e dignifique, na certeza que todos temos a ganhar.
Vitor Santos in mo(vi)mentos
Ler Texto Completo

Notícia de interesse academista

António da Silva Albino foi reeleito, na noite da última segunda feira, para mais um mandato de 3 anos à frente do Académico de Viseu. Num universo de 502 sócios com direito de voto, votaram 61, todos na lista A, a única a sufrágio. Uma fraca participação lamentada pelo presidente reeleito, que aos 63 anos deseja mais apoio, numa altura em que o emblema viseense garantiu o aceso à 2ª Divisão Nacional.
Para a nova época é objectivo manter a espinha dorsal da equipa, sendo também intenção de António Albino apostar na prata da casa e contratar quatro ou cinco jogadores.
O novo técnico será conhecido nos próximos dias.

In Record
Ler Texto Completo

Recordar o CAF


Recebemos também do Nuno Ramos do Armazém Leonino esta imagem que saiu na revista Record.

O desafio que deixamos é o seguinte:
Quem são os jogadores que ainda fazem parte do plantel do Académico que conseguiu a tão brilhante subida á II Divisão?

Alguém consegue identificar a época futebolistica desta foto?
Ler Texto Completo

Eleições no Académico

"Foi ontem reconduzido, no cargo de Presidente da Direcção do Académico de Viseu Futebol Clube, o actual Presidente, com 61 votos
Realizaram-se na sede do Ac.Viseu, no dia 15 de Junho, as eleições para o próximo biénio, com a participação de 61 sócios. "

Informação retirada do Site Oficial do Académico
Ler Texto Completo

Entrevista Zé Bastos

A MAGIA DO FUTEBOL convidou o Zé Bastos aceitou. Deixe nos comentários as perguntas que gostava de fazer ao Bastogol e nós faremos com que as mesmas cheguem ao Bastogol!
Ler Texto Completo

Gamarra no Académico de Viseu!

Nome: Ricardo José Figueiredo Babo “Gamarra
Data de nascimento: 21/02/1980
Posição: Defesa Central
Antigo clube: Penalva do Castelo

A MAGIA DO FUTEBOL apresenta aos sócios e adeptos do Académico de Viseu o primeiro reforço da época 2009/2010. Trata-se do defesa central Ricardo Babo conhecido no mundo do futebol como Gamarra. Veja aqui parte da carreira de Gamarra. A MAGIA DO FUTEBOL tem ainda a grande honra de anunciar que o novo academista aceitou conceder-nos uma entrevista. Como tem sido habitual pedimos também a vossa contribuição. Deixe na caixa de comentários a este post a pergunta, ou perguntas, que entender e nós entregamos ao destinatário.
Bem-vindo Gamarra! A partir de agora és um dos nossos!

Ler Texto Completo

Campeões do Sporting: Meszaros

Nome: Ferenc Meszaros
Data de nascimento: 11/06/1950 (Budapeste – Hungria)
Épocas no Sporting: 81/83
Jogos: 80
Títulos: 1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Supertaça


Um dos mais renomados guarda – redes húngaro chegou ao Sporting e em apenas duas épocas ganhou tudo o que havia para ganhar ao serviço do Sporting Clube de Portugal. Na época do seu título efectuou pelo Sporting 29 jogos tendo como rivais na baliza leonina Melo e Fidalgo. Fica para sempre no imaginário leonino tal como Carvalho, Damas e Schemeichl.
Comemora hoje 59 anos! Parabéns Campeão!

Imagens retiradas do
excelente Armazém Leonino
Ler Texto Completo

Jogador do ano: Augusto

Com o fim do campeonato termina também o Top Academista. Ao longo de toda a temporada pontuamos os jogadores utilizados – primeiro por José Miguel Borges e depois por Luís Almeida – com as notas de 1 a 5 que duplicava caso fosse considerado o melhor em campo. Augusto foi o jogador mais pontuado da época que agora terminou. O guardião do sonho Academista é por isso, para os editores de A MAGIA DO FUTEBOL, o jogador do ano. Prémio? Não temos. Temos apenas o reconhecimento pela sua magnífica temporada. Parabéns Augusto e muito obrigado por teres concretizado os nossos sonhos!


Foto: Viseu Flash ; retirado do Viseu Mais

1º Augusto 126

2º Sérgio 120

3º Tiago Gonçalves 119

4º Rui Santos 115

5º Zé Bastos 113

6º João Casal 103

7º Álvaro 100

8º Calico 93

9º Éverson 92

10º Luís Costa 86

11º Rui Lage 65

12º Filipe 65

13º Milford 63

14º Fernando Ferreira 58

15º Leandro 57

16º Alexandre 36

17º Filipe Figueiredo 29

18º Lopes 27

19º Márcio 26

20º Parma 14

21º Paulo Freitas 7

22º Cabido 5

23º Valdo 3

24º Zé António 1

25º Ricardo Gomes 1

26º Rafael (não utilizado)
Ler Texto Completo

Jogador do mês: Rui Santos

Sábado, 6 de Junho de 2009, decorria o minuto 89 do jogo entre o Académico de Viseu e o Anadia. Os viseenses venciam por 1-0. Em Tondela a equipa da casa vencia por 4-2. Era mesmo necessário o Académico marcar o segundo. Eis senão quando o mágico academista tira um daqueles truques e enfia uma autêntica “giboiada” na baliza anadiense. Era o delírio no Fontelo! Os invejosos, esses, começavam a inventar tudo e mais alguma coisa. Pobres de espírito! Rui Santos é o jogador do mês de Junho!
Ler Texto Completo

Há dois anos

A 11 de Junho de 2007 A MAGIA DO FUTEBOL publicava uma entrevista a José Pipo treinador academista de juniores que acabava de ser consagrado campeão distrital daquele escalão ao serviço do nosso clube. Recorde aqui.
Ler Texto Completo

Palavras dos outros XXXIX

Lentamente o Académico de Viseu recupera o estatuto que já teve no futebol português. A subida confirmada à 2ª divisão é motivo de orgulho para sócios e simpatizantes. Guardo com grande nostalgia a última presença na 1ª Divisão e das belas partidas que assisti no Fontelo contra Porto, Sporting, Maritimo, Fafe,etc.
A Cidade e a região têm força económica suficiente para, tendo o clube uma gestão responsável, sonharmos com outras andanças.Um passo de cada vez.

In O Beirão Recalcitrante
Ler Texto Completo

A festa da Subida parte II

Já estão na barra lateral as fotos e os videos gentilmente cedidas pelo Rui Carvalho, que fez um excelente trabalho, permitindo aos sócios e adeptos Academistas que não puderam estar presentes, partilhar um pouco da festa.

Mais uma vez fazemos ao apelo a quem tiver fotos ou vídeos, e que queira partilhar com todos os Academistas o favor de as enviar para:

a.magia.do.futebol@gmail.com
Ler Texto Completo

Como jogaram os nossos herois...

Rui Santos 4 - É o nosso mágico, é o nosso Giboia! Mesmo quando não faz jogos memoráveis, mostra sempre que tem qualidade. Foi escolhido para melhor do jogo como poderiam ter sido outros, com a diferença de ter marcado o golo que deixou o estádio em êxtase. E que golo!

Augusto 4 - Soberba e fantástica aquela defesa em que evitou um golo de livre directo ao Anadia. Esteve sempre presente quando foi preciso. Mostrou que está para durar.

Filipe 4 - Teve muito trabalho, mas fez da raça a sua principal arma. É bom ter polivalentes no nosso plantel.

Sérgio 4 - Se eu mandasse alguma coisa, este homem ficaria para sempre ligado ao clube. As ideias que tem do futebol, encaixariam perfeitamente naquilo que o nosso clube precisa. Tirando uma desatenção partilhada com Tiago ainda na 1ª parte, fez um jogo tranquilo. Fica na retina um lance quase no fim do jogo, quando veio à linha lateral fazer um corte em que ofereceu o corpo todo à bola, numa clara demonstração de profissionalismo. Aquela entrevista que deu no fim do jogo à rádio, em que a voz lhe "faltou", demonstra bem o seu sentimento pelo clube.
Tiago Gonçalves 4 - Ganhou confiança ao lado de Sérgio, e foi vê-lo "crescer", de jogo para jogo. Tirando o tal lance ainda na 1ª parte fez um jogo muito certinho.

João Casal 4 -
Outro jogador polivalente, que vai desempenhando bem o seu papel. Sou um dos muitos que acho que rende muito mais no centro do terreno, mas desde que seja para ganhar o treinador pode colocá-lo onde quiser.


Álvaro 4 -
Fez um jogo esforçado. É outro jogador de raça, não fosse um jogador da casa, mas onde nem sempre infelizmente as coisas não lhe saem bem. O importante é que despenhou a sua função e ajudou a puxar a equipa para a frente.


Luís Costa 4 -
Alguém dizia no principio da época que seria a revelação da época. Ainda é jovem e pode vir a ser uma das próximas estrelas a sair de Viseu... Já sabe o que é ter a batuta do meio campo Academista. Aquele golo que marcou, levantou o estádio...


Milford 4 -
Já fez melhor o Mil, mas valeu o esforço... Foi importante na forma como arrastou sempre consigo a defesa adversária.


Éverson 4 -
Éverson, larga a bola rapaz! Temos de pedir ao Mister Luis Almeida, para perguntar ao Fergusson o que fez ao Ronaldo. No dia em que este menino aprender a largar a bola no momento certo, iremos vê-lo nos mais altos patamares do nosso futebol.


Zé Bastos 4 -
Zé já és da casa. A forma como bateste no peito aquando do segundo golo, já não engana. Estás um Viseense feito. E a prova disso é que já vem a caminho um(a) novo Viseense. Peço-te encarecidamente que fiques, e sei que vais ficar, porque a tua "empresária", que felizmente é nossa leitora, já não troca este clube por nada... Olha aceita o nosso repto para uma entrevista!

Parma 4 -
Entrou para dar frescura e velocidade à equipa. Conseguiu ! Mais uma jovem promessa.

Márcio 4 -
Era de velocidade, e rapidez de execução que precisávamos para chegar ao segundo golo. Nada melhor que fazer entrar um jogador rápido, e que cruze bem.


Calico 4 -
Entrou para refrescar o meio campo, mas com a saida de Sérgio, recuou para central. Esteve presente na festa!

Ler Texto Completo