quinta-feira, junho 25, 2009

"Voltei a casa, voltei ao Académico"

Nome: Fernando José Almeida Sequeira Ferreira
Data de nascimento: 20/1171986
Posição: médio
Estreia pelo Académico de Viseu: Académico de Viseu 1 União de Lamas 2
Local de nascimento: Viseu
Altura: 1.83m
Peso: 78kg
Ídolo: Zinédine Zidane
Clube de futebol: Sporting Clube de Portugal
Morada: Viseu


Sabemos que do CAF foste para o Sporting. Diz-nos quais os clubes que representaste na camadas jovens:
Clube Académico Futebol e Sporting Clube de Portugal, foram os meus únicos clubes nas camadas jovens.

Um dia destes folheando um jornal “Sporting”, já velhinho, deparei com a ficha de um jogo das camadas jovens do Sporting em que actuavas ao lado do João Moutinho. Que outro jogadores fizeram contigo a formação e que hoje dão cartas no futebol?
È verdade, sem dúvida tive o privilégio de conviver, treinar e jogar com vários jogadores que neste momento são grandes referências do nosso futebol, entre quais posso destacar o Moutinho, o Miguel Veloso, o Nani, o Mário Felgueiras, o Saleiro, o Yannick Djaló e também tive o privilégio de treinar algumas vezes com aquele que é considerado o melhor jogador do Mundo, Cristiano Ronaldo.

Quais as razões de não teres vingado no Sporting?
O futebol é o momento, e no meu caso específico acho que tive perto de conseguir vingar no Sporting, mas no momento que podia ser crucial na minha carreira desportiva, tive uma lesão grave no joelho, que aconteceu entre a minha passagem da formação para o futebol sénior, mas mais que isso acho que não consegui por culpa própria, o futebol é mesmo isto, por vezes pensamos que estamos bem e dum momento para outro as coisas invertem – se, essa lesão afectou muito aquilo que poderia ser hoje como jogador de futebol, mas não me lamento por isso, foram momento difíceis, mas foram momentos que também me ajudaram a amadurecer e a crescer, costuma – se dizer o que lá vai, lá vai.


Depois de saíres do Sporting passaste por alguns clubes na condição de emprestado. Fala-nos dessas experiências:
Casa Pia – Encontrei um clube a degradar – se aos poucos, começou a viver momentos que atormentavam muitos clubes nessa altura, ordenados em atraso e jogadores a rescindirem contrato em Dezembro, o treinador também tinha saído, ou seja uma equipa quase toda nova em Dezembro, altura em que cheguei ao clube depois da minha lesão estávamos nos lugares cimeiros, mas acabámos por descer de divisão, foi o meu primeiro ano no futebol sénior e também começava totalmente do zero, aquela lesão fez com que isso acontecesse, guardo amigos, boas e más recordações desse clube histórico no nosso futebol.
Sporting de Espinho – O Espinho foi uma aposta pessoal, no qual não consegui vingar, encontrei um clube com grandes aspirações, que ambicionava a subida de divisão, plantel com muita qualidade e experiência, e prevaleceu a experiência para o facto de não de ter jogado mais, mas como disse não lamento, porque foi uma aposta minha, e por culpa própria também não vinguei. Guardo também grandes amigos.
Real Massamá – Cheguei ao clube em Dezembro, ou seja numa época e meia já tinha no meu currículo 3 clubes, o que não abonava muito a meu favor, mas vinha com a fome de bola e vontade de ajudar este clube que tem umas condições enormes para chegar a patamares superiores, o treinador conhecia – me e apostou em mim comecei a jogar mais regularmente e sentia – me a renascer de novo, a equipa também tinha resultados o que fizeram com que conseguíssemos, ir disputar o Play – Off com o Fátima, mas mais uma vez como tinha acontecido anteriormente não consegui disputar esses jogos e dar o meu contributo dentro de campo pois tinha tido uma recaída da minha lesão no joelho, ainda tentei recuperar em contra – relógio pois tinha também voltado a ser chamado a Selecção, mas não consegui, e fiquei de fora da Selecção e dos 2 jogos mais importantes da época. No 2º ano sentia – me mais confiante e as coisas pareciam voltar de novo, o clube perdeu o treinador, e muitos jogadores, e começou – se do zero, estava bem mas o clube não conseguia resultados o treinador foi despedido, veio outro que não apostou tanto em mim e joguei menos vezes. Este clube marcou – me bastante porque deixei lá grandes amigos e também porque as pessoas foram sempre muito correctas comigo.

Como é que vieste parar ao Académico de Viseu? Tinhas outras soluções para a tua carreira?
Os contactos eram regulares com o Académico, e só não aconteceu mais cedo porque o clube tinha sido extinto, e na altura também ainda estava ligado contratualmente ao Sporting. Depois de acabar contrato, num dos contactos habituais que tinha com o Monteiro, ele perguntou – me se queria ir para o Académico, eu disse – lhe que aguentasse um pouco, pois tinha algumas situações que poderiam ser vantajosas para mim, mas também disse para não se prenderem por mim, mas ele disse sempre que para mim havia sempre espaço, tinha outras soluções mas achei que não valiam a pena e voltei a casa, voltei ao Académico.

Ser filho do Presidente da Associação de Futebol de Viseu facilita ou complica a tua afirmação no futebol?
Não complica nem facilita, é o meu pai e tenho orgulho nele faça ele o que fizer, sendo Presidente da Associação seja ela qual for a sua tarefa, sabe que vou sempre apoiá-lo.

Foste por nós distinguido por 3 vezes como o melhor do Académico em campo: Vizela (Taça de Portugal), Tondela (1-1) e Avanca (3-0). Foram mesmo estes os teus melhores jogos ou queres destacar outros?
Penso que sim, foram mesmo os meus melhores jogos.

E aquele golo ao Vizela! Quem viu – e nós vimos – não o esquece! Ainda és capaz de o descrever?
Podem não estar a par disso, mas foi o primeiro golo como sénior em competições oficiais, e foi um golo realmente muito especial, e de facto lembro – me como se fosse hoje recuperei a bola a meio campo junto à linha, veio um jogador do Vizela ao meu encontro meto – lhe a bola por debaixo das pernas, e no momento que arranco para a bola depois de ter passado, olho para a baliza e vejo o guarda-redes adiantado dois passos, foi nesse momento que não parei mais e chutei para a baliza e quando vejo o guarda-redes a correr para trás vi que não chegaria. Valeu de pouco pois não conseguiríamos passar a eliminatória depois de um grande jogo da nossa parte.

Qual é a tua opinião sobre mudanças na equipa técnica a meio da temporada?
São decisões que não nos cabem a nós, mas sim à direcção.

A quem se deveu o sucesso na última época: técnicos, jogadores ou direcção?
O sucesso deveu – se a todos aqueles que trabalharam em prol dos objectivos, os jogadores, os técnicos, a direcção, o departamento médico, os roupeiros, sócios e simpatizantes, e como se viu juntos somos fortes e isso é que foi decisivo no sucesso. A união de todos em volta de um só objectivo.

Vais continuar no Académico? Porque é que continuas? Já te explicaram quais são os objectivos para a próxima época? E os teus objectivos?
Sim vou continuar no Académico, e continuo neste clube porque me sinto bem onde estou e mais do que tudo que fique bem claro, fico por amor ao clube, pus de parte interesses pessoais e fiz com que os interesses do clube fossem mais importantes. Quanto aos objectivos dum clube com as potencialidades do Académico, os objectivos é entrar, seja onde for, e sair de lá vitorioso. Vai ser um campeonato onde a regularidade vai ser fulcral para podermos aspirar a grandes objectivos, quanto aos meus objectivos é jogar o maior número de jogos possível, depois o resto virá com trabalho e dedicação.

Estavam à espera de ver o Fontelo tão bem composto no jogo contra o Anadia? Dizem que a sofrer por fora se sofre mais: como viveste esse jogo?
Sim esperávamos que o Fontelo tivesse uma boa moldura humana, já que sentíamos uma grande euforia em volta desse jogo, ainda tememos porque a chuva ameaçava, mas até S. Pedro nos ajudou. O jogo foi impróprio para cardíacos, de fora sofre – se muito mais e sinceramente sentia que a união prevalecia no grupo e esse foi o factor mais importante para o sucesso.


No início da época quando se ouviu falar de que um jogador formado no Sporting viria para o Académico toda a gente ficou animada. A qualidade (presente) apareceu apenas a espaços marcada pelas expulsões e no fim pela lesão. A que se deveu esta época irregular? (Rafael)
Deveu – se a isso mesmo, a lesão e castigos. Estando de fora é muito mais difícil as pessoas saberem o que realmente vale o Fernando, mas tenho a certeza que vai ser uma época mais tranquila e com o Fernando a mostrar as suas qualidades em prol da equipa e do clube.

O que podes prometer para a próxima época? (Sprees)
Prometo trabalhar para ajudar o clube a conseguir os seus objectivos.

Em que ponto se encontra a tua lesão?
A lesão está debelada, claro que deixa sempre marcas, mas agora resta – me esperar pela pré época para conseguir restabelecer os níveis de confiança.

És da opinião que os jogadores mais experientes deviam ficar no Académico?
Eu sou da opinião que os interesses do clube devem ser aqueles que têm de ser postos à frente de qualquer outro tipo de interesse. Por isso eu defendo o clube na qualidade de jogador. As outras pessoas com mais responsabilidades são as que têm de tomar as decisões.

Em 2009/2010 vamos ter um Académico a lutar em todos os jogos, em casa e fora, a lutar pela vitória, assumindo desde o início pois temos os níveis que nenhum clube tem nesta divisão. Concordas?
Sim, sem dúvida, aliás o Académico não pode sequer pensar doutra forma senão essa.

Tendo em conta a tua técnica, a meu ver claramente acima da média, achas que podes ser o mágico do meio campo que faltou um pouco ao Académico na época passada?
Eu vou ser tão importante como qualquer outro jogador, não vou ser mais ou menos, acho que no momento em que estiver dentro de campo irei tentar colocar as minhas capacidades ao serviço da equipa.

Na tua opinião o Académico pode estar em 2/3 anos na II Liga novamente ou deve manter a estabilidade e a calma e assegurar experiência e peso na II B? (Pedro)
Todos nós sabemos que este clube merece muito mais que uma 2ª Divisão mas agora estamos nessa divisão, só temos que trabalhar para conseguir chegar ao lugar onde clube merece, este cidade e as pessoas da cidade merecem muito mais, trabalharemos para que isso aconteça o mais rápido possível.

Tu que jogaste nas camadas jovens do Sporting ainda te achas capaz de chegar a um grande do futebol português? (Pedro)
Se me derem essa oportunidade irei a segurar com unhas e dentes, mas para isso terei que trabalhar muito. Resta – me trabalhar, depois as coisas vão tomando o seu rumo natural, se estiveres bem é sempre bom seres reconhecido pelo trabalho que desempenhaste, se assim for ficarei extremamente contente.


Qual o principal problema e a especial virtude do Académico desta época?
Irregularidade exibicional e a união de grupo.

Qual o melhor jogador com quem jogaste? (Pedro)
João Moutinho, sem dúvida alguma. Jogámos lado a lado nas camadas jovens e de facto é um jogador fora de série.

4 comentários:

Joao Monteiro disse...

Mais uma excelente noticia para os academistas, a continuidade do F.Ferreira. Vai ser o mágico do meio-campo em 2009/2010. Boa sorte para a nova temporada. Força Fernando.

quinta-feira, 25 junho, 2009
JRA disse...

Grande fernando, se passaste pelo sporting, certamente deves conhecer muitos companheiros que estão "perdidos" noutros clubes...

Achas que existem jogadores da formação do Sporting, como tu, que poderiam interessar ao Académico??

Abraço e boa sorte para este ano,
JRA

quinta-feira, 25 junho, 2009
Anónimo disse...

boa noite .. era só pra dizer k kem estiver interessado no jogo da subida no site da estação diária ja esta disponivel uma ficha de inscrição aos interessados nas imagens e video da festa...
Académico allezzzzzzzzz

quinta-feira, 25 junho, 2009
ogirdoR disse...

Vou vos contar uma história: no dia em que o FF se lesionou (Cinfães) levei pela primeira vez o meu filho (Rodrigo de 4 anos) ao futebol. Ficou muito impressionado por o ver sair lesionado e lá tentei explicar-lhe como funcionavam as coisas. Desde aí que pergunta muitas vezes se o “Fernandos” – é assim que ele diz – já está bom. Nos vídeos que estão na parte lateral direita do blogue quer sempre que eu lhe diga quem é o “Fernandos”. Até quando jogo FM com o Ac. De Viseu ele exige que eu coloque o “Fernandos” a jogar! Já lhe disse que havemos de voltar a ver, juntos, o "Fernandos" no Fontelo!

quinta-feira, 25 junho, 2009