domingo, novembro 29, 2009

Ac.Viseu FC 0-1 COD Operário

O Académico de Viseu perdeu esta tarde em casa por 0-1 frente ao Operário. O golo da equipa açoriana surgiu praticamente no único remate à baliza de Augusto, e após uma desatenção, fatal, da defensiva academista.

Académico de Viseu: Augusto, Ruben, Tiago Jonas, Tiago Gonçalves, Marcelo Henrique, Álvaro, Fernando Ferreira (Zé Bastos, 63), Rui Santos, Marco Almeida, Hugo Seco e Guima. Treinador: António Borges.

Operário: Nuno Ricardo (Armindo, 69), Luís Soares, Hugo Grilo, Bruno Melo, Jorginho, Ruizinho, Amaral (Rodrigo Borges, 78), Marco Aurélio (Costinha, 57), Paulo Letras, Leonel e Hugo Santos. Treinador: Francisco Agatão.

Expulsão: Ruizinho 47

Golo: Costinha 60 (0-1)

Se é verdade que os viseenses assumiram o jogo desde o apito inicial, com visíveis melhorias em relação aos últimos desafios, não é menos verdade, que novamente um erro de marcação no coração da área ditou a derrota da equipa, e consequentemente a perda de mais três preciosos pontos. O Académico tentou desde cedo chegar ao golo, mas o capítulo da finalização continua a não funcionar da melhor forma. Vários remates ao longo do jogo, e alguns com “faro de golo” não foram suficientes para bater os guardiões contrários (uma vez que o titular saiu lesionado a meio do segundo tempo). No primeiro tempo, registo para as arrancadas de Hugo Seco, bastante interventivo no jogo, tal como o habitual Rui Santos, e para os remates perigosos do nº 10 e de Álvaro, este último rasou a barra da baliza de Nuno Ricardo.

O golo do Operário surgiu contra a corrente do jogo, por volta dos 60min. Costinha, que tinha acabado de entrar foi o marcador, aproveitando uma desatenção academista, para à entrada da área bater Augusto.
O Académico tentava reagir. Guima que se fartou de trabalhar para os “extremos” da equipa, tentou o golo em várias as ocasiões. Numa deles o guardião forasteiro, fez uma defesa absolutamente fantástica, num remate não menos vistoso. Já perto do fim, o avançado academista poderia ter feito melhor, mas o cabeceamento saiu sem perigo. Também o central Tiago tentou a sua sorte de longe, mas o guarda-redes defendeu a punhos.

Em termos genéricos, a equipa está mais compacta, com mais frescura física, mas continua com alguma falta de sorte e concentração. Não podemos sofrer golos como aconteceu hoje, pois nesta IIªdivisão nacional, paga-se caro.
Estamos convictos que com muito trabalho, o grupo alcançará vitórias em breve.
Força Académico!

18 comentários:

Anónimo disse...

10 jogos, 7 derrotas, a época está perdida. O Académico, numa série em que tudo o que fosse diferente de tentar a subida, era uma má época, vai acabar por lutar para se manter na 2ª Divisão! Impensável com a pré-temporada realizada, a melhor dos últimos anos!

Agora que as coisas estão como estão, há que remediar o mal já feito e tentar perceber o que correu tão mal.

Todos temos culpas: Direcção, Treinadores, Jogadores, Sócios e Adeptos, e Comunicação Social local, Rádio e Jornais, pelo que tudo o que disser não é no sentido de culpar ningúem, mas apenas constatar o que correu mal e procurar soluções para o futuro.

Desta forma, esta época, interessa assegurar a manutenção, o quanto antes, e começar desde já a pensar em soluções para o futuro, onde todos temos que ter outras ambições: Direcção, Treinadores, Jogadores, Sócios e Adeptos e Comunicação Social.

Compete à Direcção, encetar iniciativas que promovam o Clube junto da população, algo que não acontece, e aí julgo ser o ponto mais fraco desta administração.
Várias ideias já fora lançadas, nomeadamente neste espaço e repito algumas delas:

Promover o Clube junto das Escolas, entregando convites para ir ver o Académico.
Criar o cartão de Sócio Junior do género:
Até aos 10 anos - 5 Euros Anual;
dos 10 aos 18 Anos - 15 Euros Anual.

Criar o Kit Sócio do Académcio, em parceria com o palácio do Gelo, ou um Hipermercado, ou qualquer outra instituição, em que por por exemplo 10 Euros, se comprava o KIT, com algo incluido e desde logo 3 meses de quotas pagas, por exemplo.

Baixar drasticamente o preço dos Bilhetes e colocar o preço máximo, nos 5 Euros. A receita não iria diminuir certamente, pois mais gente, iria certamente ao Fontelo.

Dinamizar o Site do Clube na Internet, que está parado , demasiado parado, há demasiado tempo. Aqui poderia ser interessante uma pareceria com o IPV - Escola Superior de Tecnologia e com a Viseu Digital.
Ou seja, o site estar permanentemente actualizado com notícias, imagens, vídeos, etc.

Vamos Apoiar o Académico e vamos puxar todos para o mesmo lado!

O Académico já esteve na 1ª Divisão e quando por lá andou, em nada era inferior aos outros clubes, nem no Futebol jogado, nem no número de espectadores no estádio. Houve na altura, isso sim, falhas claras na gestão do Clube, que acabaram por levar a tudo aquilo que nós sabemos!

Há que aprender com esses erros e rapidamente colocar o clube na Rota da ambição da Subida de Divisão, com paragem na 1ª Liga!

Não podem é pedir aos sócios e adeptos do Académico, que numa série em que as restantes equipas apenas andaram sempre e em todo o seu historial, pela 2ª, 3ª e distritais, o Académico, não seja candidato à Subida. Ninguém compreenderia uma coisa dessas.

Quanto ao jogo de hoje, de facto tudo saiu mal ao Académico, pois acaba por ter 5 a 6 oportunidades claras de golo e acaba por sofrer um golo, na quase única oportunidade da equipa Açoriana.
Na frente, o Académcio nos últimos 4 jogos, marcou apenas 1 golo, o que independentemente de tudo o que possa ser dito, é mau, muito mau.

Em Mafra precisa, entrar em campo com a vontade, muita vontade de ganhar o JOGO, e desde o início, para acabar com este ciclo de 10 jogos, em que 7 foram derrotas!

Quanto ao treinador do Académico, entrou já com a época avançada, não teve tempo para treinar as suas ideias, está a mudar jogadores a meio da época, tenta por a equipa a jogar de pé para pé, mas os resultados não aparecem e quando assim é, a tolerância, começa a faltar. Uma vitória, em Mafra, e a confiança vai regressar, apesar de como disse, logo no início, a época estar perdida e nestemomento, apenas lutarmos por garantir a permanência o mais rapidamente possível!

Foi demasiado mau, o Académico, nem sequer ter chegado ao NAtal, em condições de Lutar pela Subida, algo que acontecia com o Sporting, durante, anos e anos a fio!

Força Académico!

Carlos Silva

domingo, 29 novembro, 2009
José Pacheco disse...

Bom, eu vi o jogo. Este Académico não melhorou em relação ao que fez Luis Almeida. Se está uma equipa mais compacta, não mostra capacidade a atacar, a criar desiquilibrios.
Hoje, o Operario mostrou no Fontelo o que é concentração, capacidade de sacrificio, o que é uma equipa solidária, perante um Académico intranquilo, com alguns jogadores sem competencia e sem qualidade. Falemos claro e não escondamos a realidade.

domingo, 29 novembro, 2009
Anónimo disse...

Eu não tenho culpa. Será dos ordenados em atraso?

RAÚL

domingo, 29 novembro, 2009
Anónimo disse...

Subscrevo completamente o que o Sr. Carlos Silva disse. Excelente comentário.

Força Académico!

domingo, 29 novembro, 2009
Petição disse...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

domingo, 29 novembro, 2009
Anónimo disse...

Carlos Silva é pena só agora vir com este tipo de discurso, porque o nosso Academico esta pior com este treinador do que o anterior, mandaram embora um treinador desactualizado e ultrapassado,mas foram buscar outro com ideias e pricipios ultapassados, o futebol de hoje quer gente com energia e dinamica, treinadores com ambiçao e bontade em mostrar trabalho no futebol, estes 2 treinadores são treinadores que não sabem potenciar os atletas e ja nao tem paciencia para os ensinar e tirar rendimento dos atletas.

segunda-feira, 30 novembro, 2009
Anónimo disse...

As ideias de Carlos Silva, são globalmente subscritas por mim, excepção feita "às desculpas" que se dão ao novo treinador, pois quem desde o dia que chegou teve tudo o que queria, jogadores só profissionais e até beneficou de uma interrupção do campenato e o que consegue fazer é uma equipa a jogar para o lado e sem objectividade... uma nulidade!
Sobre os ordenados em atraso, parece que já nem esconde, até existem situações de despensados que não receberam e o presidente dá a atender que não pagará QUE VERGONHA.

segunda-feira, 30 novembro, 2009
Anónimo disse...

Fui ver o jogo não como academista mas como viseense e adepto do futebol, sempre que tenho oportunidade vou vendo jogos. Esta época tinha visto 2 jogos do académico na altura ainda com o luis almeida e perguntava-me como era possivel um clube como o académico jogar tão mal quando no inicio de época se criaram tantas expectativas.Hoje apesar da equipa ter perdido, notei que foram muitas as alterações, gostei da equipa, bem posicionada a tentar jogar a bola de pe para pe num terreno impraticavel. Algumas perdidas por parte do académico que 1/3 aprovetadas dava para ganhar tranquilamente. Acabaram por perder o jogo mas se a classificação não fosse tão má os jogadores puderiam ter saído com a satisfação de terem feito uma boa partida, perder desta forma acontece a qualquer equipa, que o diga o benfica que é a equipa do momento e foi supreendido pelo guimarães.~
Quanto ao Operário para uma equipa com grande orçamento e candidato assumido ha varias epocas sem o conseguir mostrou-se uma equipa que ficaria muito satisfeito com 1 pontinho aqui em viseu mas acabou poe lhe sair a sorte grande.
Creio tambem que deveria ter sido marcado tambem um penalti a favor do viseu, o arbitro de se não marcou deveria ter expulso o jogador com 2º amarelo mas penso ter sido mesmo penalti.
Para acabar so dizer que as pessoas querem tudo de uma vez e acabam sempre por fazer asneiras.
Subir de divisão tem que ser com muito trabalho e dedicação não é dizer o academico tem que subir! e o resto, subir como?

segunda-feira, 30 novembro, 2009
Anónimo disse...

Subir? Cuidado para não descer, contrataram um coveiro em vez de salvador.

Raúl

segunda-feira, 30 novembro, 2009
Diário de Viseu disse...

O Académico de Viseu disse adeus a mais três pontos no Fontelo. Na recepção ao Operário dos Açores, que já se aguardava difícil, o resultado foi tudo menos positivo para os academistas que assim agravaram a sua posição na classificação. O conjunto de António Borges não consegue acertar com os bons resultados e a ansiedade aumenta à medida que as derrotas se acumulam. Neste capítulo, aliás, o Académico comprovou este domingo a estatística que lhe atribui (embora com mais 1 jogo) o título de pior equipa a jogar em casa. Ninguém como o Académico já leva 3 derrotas em casa e nenhum empate obtido. A pressão de jogar no Fontelo nota-se, mas não serve de desculpa, e nem os pedidos de Guima, na passada quinta-feira, fizeram os adeptos e sócios do clube puxar pela equipa. Aliás, nem por uma só vez apenas se ouviram os adeptos unir-se no apoio aos jogadores.

terça-feira, 01 dezembro, 2009
Diário Viseu disse...

Expulsão 'abençoada'
A segunda parte começou, praticamente, com a expulsão de Ruizinho. O 'trinco' açoriano, que já tinha amarelo, fez falta por trás sobre Rui Santos e acabou expulso após o 2.º amarelo. Da expulsão nada a dizer embora esta pareça ter tido o efeito inverso no Académico que, daí para a frente, e apesar de manter o domínio do encontro, atacou quase sempre de forma despropositada e aproveitando pouco ou nada a vantagem numérica.
Aos 51 minutos, ainda assim, um bom lance para os academistas. Rui Santos de canto e novamente Guima de cabeça a proporcionar a Nuno Ricardo defesa segura. Pouco depois Guima entrou novamente em acção com um remate forte à figura do guardião que já representou o S.L. Nelas. E como quem dá 2 dá 3, o avançado de Santa Maria da Feira tentou aos 56' o remate colocado com o pé esquerdo mas Nuno Ricardo voou para a defesa da tarde.
A partir daqui as coisas mudavam já que, aos 60', numa jogada rápida pela direita do ataque, o Operário, por intermédio de Hugo Santos, rematou cruzado para boa defesa de Augusto só que o esférico não saiu da zona de perigo e Amaral serviu o recém-entrado Costinha que rematou rasteiro para facturar, com Augusto a ver o lance impotente.
Caía o 'carmo e a trindade' sobre o Académico que, a jogar com mais um, sofria o golo e passava a ficar ainda mais pressionado psicologicamente. A falta de pontaria, essa, mantinha-se. Aos 64', Rui Santos tirou bem Luís Soares do caminho mas atirou em arco para muito longe.
Com o resultado de feição ao Operário, os açorianos começaram a fazer o jogo que mais lhes convinha e até tiveram uma pequena ajuda para 'matar' à nascença a reacção do Académico ao golo sofrido. Aos 69', Nuno Ricardo teve de sair lesionado mas o árbitro não fez questão de lhe recomendar a saída pela linha final, permitindo que este 'coxeasse' até ao banco de suplentes onde se assistiu ao cúmulo do guarda-redes suplente ter de 'roubar' a camisola de Nuno Ricardo. Momento crucial do jogo que poderá ter cortado aos academistas o ritmo que estes tentavam impor para dar a volta ao 'placard'.
Pior só mesmo um lance aos 71 minutos com queixas legítimas dos academistas. Hugo Seco passou por três contrários e foi derrubado na área. Para nós não ficam dúvidas mas para o árbitro houve. Augusto Costa hesitou e esperou pelo auxiliar até que assinalou pontapé de baliza. Primeira ideia: penálti claro. Segunda ideia: a não ser penálti o árbitro deveria ter admoestado Hugo Seco com cartão amarelo (seria o 2.º já que tinha visto o primeiro por simular, curiosamente, uma grande penalidade). Conclusão: o árbitro errou e expôs as dúvidas que teve no lance.
Os últimos minutos foram jogados mais com o 'coração' do que com a cabeça. Aos 82', de livre, Marcelo ainda atirou às malhas laterais e aos 83', Armindo aos 'papéis' quase comprometia. Ao minuto 95 (árbitro deu 7 de compensação), o Académico teve a última oportunidade de chegar ao empate. Tiago subiu no relvado para rematar potente à figura de Armindo. Este socou mal a bola e Zé Bastos na emenda falhou redondamente. Ainda assim o lance já estava anulado por fora-de-jogo.
No final, a conclusão a que se chega, mais uma vez, é que o futebol nem sempre é aquilo que parece e o Académico, apesar de dominar o encontro, acabou vergado a uma derrota que se considera injusta mas que premeia um Operário que, não jogando um futebol vistoso, foi mais pragmático e, sobretudo, mais prático, na hora de atingir a baliza de Augusto.
A sorte e os erros do árbitro acabaram também por beneficiar mais os açorianos

terça-feira, 01 dezembro, 2009
Diário de Viseu disse...

Desacerto na finalização
António Borges profetizou um bom jogo, muito táctico, e de resultado "apertado". Confirmou-se. Mas não como, certamente, o treinador academista pretendia. O Académico entrou bem no jogo, foi 'rei e senhor' da 1.ª parte mas não conseguiu bater Nuno Ricardo, atirando, na maior parte das vezes, ao lado da baliza açoriana.
Foi assim aos 12', com Fernando a rematar de livre ao lado, aos 18', com Rui Santos a cruzar de livre para novamente Fernando atirar de cabeça por cima do travessão, aos 30', com Álvaro a rematar forte e colocado mas uns centímetros ao lado do ângulo superior direito da baliza do Operário e aos 31' com Rui Santos a rematar de primeira ao lado apesar de ter colegas a desmarcarem-se pela esquerda. Muitas oportunidades falhadas que faziam antever o pior para os viseenses. Aos 39', o Operário deu o aviso mas Marco Aurélio, depois de deixar Tiago pelo caminho, acabou por ver o próprio número 5 academista a evitar o cruzamento perigoso para a área.
Em cima do intervalo, Rui Santos através de um pontapé de canto colocou o esférico na cabeça de Guima mas este executou mal o movimento nas alturas, atirando muito desviado.
Em tempo de descanso, o 'nulo' aceitava-se pelo desacerto ofensivo dos academistas que, ainda dominando o jogo e detendo mais tempo a bola, não usaram isso da maneira mais eficiente. O Operário, que cedo mostrou querer 'trabalhar' com o relógio, espreitou a 'espaços' a baliza de Augusto mas sem grande perigo.

terça-feira, 01 dezembro, 2009
Anónimo disse...

Vamos acabar de uma vez por todas com a desculpa dos árbitros.
As pessoas que gostam do ACADEMICO o que queram é resultados e em cada jogo conquistar os 3 pontos o resto é conversa de café.A verdade é que mudamos de treinador e nosso ACADEMICO EM TERMOS DE CLASSIFICAÇAO ESTA PIOR, COM AGRAVAMTE DE TER UM JOGO A MAIS.
É preciso nao ter a memoria curta, em 4 meses o ACADEMICO ja teve mais de 30 jogadores e pelo que se fala nao vamos ficar por aqui.
Sr Albino é preciso com urgencia encontrar uma pessoa competente e que perceba de futebol para estar a frente do departamento de futebol do nosso clube.

terça-feira, 01 dezembro, 2009
Anónimo disse...

O futebol é paixão e alegria.
Quando se muda de treinador é porque alguma coisa esta mal,e em geral com a entrada de um novo treinador com ideias novas com discurso diferente os resultados aparecem.Para azar do nosso ACADEMICO o chicote nao esta a resultar antes pelo contrario.
Na minha opinião a mensagem do treinador e as ideias novas nao teveram impacto nos jogadores e no grupo de trabalho, nao teve essa competencia e essa enteligencia, e nao é preciso perceber muito de futebol (caso do Paulo Sergio do Guimaraes.Paços Ferreira,academica). Tenho este comentário porque conheço bem as qualidades dos nossos atletas e do do grupo de trabalho.Só posso dizer que a materia prima e potencial para potenciar e trabalhar com qualidade.
Força Academico !!!!!!

terça-feira, 01 dezembro, 2009
Anónimo disse...

é muito facil falar, mas fazer é que é dificil, este anonimo fala muito mas devia acertar pouco.Tanto o paulo sergio o ulisses e o andre villas boas não ganharam os primeiros jogos, vá ao calendário e veja se não é verdade?!
Se voces dessem o vosso apoio em vez de andarem a criticar e a incendiarem a bancada faziam melhor!
Voces querem é poleiro, nunca estão satisfeitos com nada.
Se este treinador tivesse pegado na equipa no inicio o académico não estava onde esta, mas infelizmente isso não aconteceu e por azar chegou num ciclo de jogos dificeis pegando numa equipa toda em brazas.
Mas a equipa precisa é do apoio porque para criticar existem muitos.

terça-feira, 01 dezembro, 2009
Anónimo disse...

De facto o Académico está a jogar melhor, isso é evidente, e qualquer análise objectiva leva a essa conclusão, mas o termo de comparação, também não é o melhor, pois os últimos jogos do Académico, anteriores ao jogo com o Praiense, foram demasiado maus.

A Equipa está mais sólida, muito melhor em termos defensivos ( o regresso do Tiago trouxe outra segurança e qualidade neste sector), cria algumas oportunidades de golo, não tantas como seria desejável, mas infelizmente a concretização tem sido muito diminuta e assim as vitórias teimam em não parecer.

Vamos apoiar quem está, pois está a trabalhar bem e tem que ter a tranquilidade necessária para desenvolver o seu trabalho, muito embora, todos saibemos que em Futebol, isso não existe, Tranquilidade.

Força Académico!

Carlos Silva

quarta-feira, 02 dezembro, 2009
Anónimo disse...

Não é falar muito.
Não é criticar é a realidade da situaçao do nosso clube neste momento.
Este treinador veio para melhorar os resultados e até este momento não conseguio inverter a situaçao será que a responsabilidade é dos sócios ou das pessoas que gostam do academico.
ACADEMICO SEMPRE !!!!

quarta-feira, 02 dezembro, 2009
Carlos Ramos disse...

è verdade. de futebol, o departamento de futebol sénior precebe pouco... é preciso ser humilde, basta olhar pros nossos vizinhos de tondela e... aprender.

quinta-feira, 03 dezembro, 2009