sexta-feira, maio 19, 2017

"Caso Elísio", parte I

Passaram 26 anos, estávamos a 19 de maio de 1991, decorria a época 90/91, e disputava-se a 37ª jornada da Divisão de Honra, que era como se chamava a Segunda Liga na altura em causa.

O nosso clube, em zona de subida, recebia o Maia, em zona de descida, e tinha uma grande oportunidade para poder subir ou encaminhar a subida.

E o Académico até começou bem com o golo de João Manuel logo ao minuto 16 mas o Maia surpreendeu e ainda na primeira parte virou o resultado. A sorte nada quis com o Académico, Falica atirou à trave, Cândido ao poste e ainda vimos um golo invalidado, mal segundo o técnico José Rachão.


Eis a ficha do jogo:

Estádio do Fontelo, 19 de maio de 1991
37ª Jornada da Divisão de Honra
Árbitro: Mário Leal (Leiria)

Ac. Viseu: José Miguel; Albuquerque (Quim, 57), José Duarte, Perduv e Zé Nando; Falica, João Manuel e Zé da Rocha; Alain, Herbert e João (Cândido, 40). Treinador: José Rachão.

Maia: Pimenta; Celestino, Elísio, Tavares e Cardoso; Sérgio, Careca e Fua (Abel, 68); Jorge, Meireles e Canhoto (Paulo Guilherme, 57). Treinador: Nicolau Vaqueiro.

Golos: João Manuel 16 (1-0), Meireles 21 (1-1), Meireles 23 (1-2)

O pior veio depois do jogo. Elísio, defesa brasileiro do Maia, e Herbert, jogador do Académico envolveram-se em confrontos físicos. Um Agente da PSP em serviço, de seu nome Lopes, tentou sanar o conflito mas acabou por ser agredido por Elísio.

O atleta em questão foi conduzido à Esquadra, mas segundo o jornal Record, em crónica assinada por Agostinho Torres “elementos das duas direções tomaram parte no rápido inquérito e depois de prestarem declarações Elísio saiu sem problemas, já que se chegou à conclusão que não tinha agido intencionalmente”.

Quem presenciou tudo garante que Elísio disse que se vingaria do Académico. E a história teve desenvolvimentos, uma semana depois, a 26 de março na última jornada da Divisão de Honra.

Isso contaremos dentro de uma semana…

1 comentários:

Paulo Teixeira disse...

Estive neste jogo onde perdemos 1-2 com o Maia, o Fontelo estava cheínho como um ovo e engalanado para mais uma subida á primeira, uma vitória chegava para fazer a festa, o pior vinha depois, entramos bem estivemos a ganhar 1-0 já cheirava a primeira e de um momento estávamos a perder, inacreditável!
Andava na Marinha a viagem nocturna de comboio nesse domingo de Nelas para Lisboa foi penosa....

Paulo Teixeira sócio 433

quinta-feira, 19 maio, 2016