domingo, agosto 26, 2018

Ac. Viseu FC 3-2 FC Arouca


O jogo disputado hoje entre o Académico e o Arouca teve duas partes distintas, com Manuel Cajuda, face á ausência de Fábio Santos, a fazer alinhar de inicio, Tomé.

O Académico não entrou bem na partida, e teve muita dificuldade em chegar á baliza de Rui Vieira.

O Arouca aproveitava a passividade atacante academista, e aos 39m de jogo chegava á vantagem por Toni Correia.

A equipa academista tentou reagir, mas 3 minutos depois Bukia, em contra ataque, viu Jonas a sair da sua baliza e colocou-lhe a bola por cima fazendo o segundo da partida.

No incio da segunda parte alteração dupla na equipa viseense, saiem Tomé e Ryan, e entram Luisinho e Gabriel.

Manuel Cajuda é expulso logo aos 2m da segunda parte, por Hélder Malheiro, que embora não tenha tido influencia no resultado, demonstrou mais uma vez que a arbitragem portuguesa é muito fraca. 

O Arouca entra bem na segunda parte e por duas vezes teve oportunidade de marcar o terceiro e talvez sentenciar o jogo, mas Jonas, fez duas monumentais defesas, a evitar o golo.

Este lance serviu de condão para uma exibição de querer e garra por parte do Académico.

Luisinho e Gabriel, trouxeram qualidade ao jogo do Académico, e foi sem surpresa que aos 58m, depois de uma jogada de entendimento entre Tiago Almeida e Gabriel, este entra na área passa por 2 adversários, cruza e Deyvison ao tentar aliviar, desvia a bola para a própria baliza.

Nasceu uma alma nova ao Académico, sintonia perfeita entre adeptos e equipa, com o "mágico" Luisinho a empolgar as bancadas.

Aos 64m de jogo, o golo da tarde, o nosso "mágico", cruza para a área, e Nsor de cabeça, restabelece a igualdade. O Fontelo ficou ao rubro.
O jogadores encaminharam-se para a bancada onde estava Cajuda, e dedicaram-lhe o golo.

Aos 71m, a remontada... Canto do lado direito do ataque, Luisinho cobrou, e Nsor bisou. Loucura no Fontelo!

Aos 85m de jogo, Gabriel sai lesionado, dando o seu lugar a Kokorovic.

Excelente vitória, excelente atitude, 3 golos em 29m de jogo.

Uma palavra final para o nosso treinador. Apesar da morte da sua mãe no dia de ontem, Cajuda manteve-se junto da equipa, e  ainda foi expulso pelo Sr. Hélder Malheiro.

Obrigado mister, pelo seu profissionalismo, obrigado aos atletas por tão surpreendente vitória.


7 comentários:

Anónimo disse...

O nosso Académico e o Mister Cajuda deram uma demonstração cabal da qualidade do nosso plantel e das soluções que temos. Nada nos verga, nada nos deita por terra. Claro que a defesa tem de melhorar e muito, são erros após erros, muitos deles sem qualquer sentido, mas a equipa no seu todo não abana, mostra que está com tudo e quer vencer!
Uma grande vitória! O mister ia furioso para o balneário, via-se bem e imagino o que não terá dito aos nossos jogadores. Viu-se bem na segunda parte!
Bravo para eles todos! Mas não há nece3ssidsade de andar a distribuir brindes aos adversários!
Bravo! Vamos em frente! Temos o direito total de estar na I Liga, como havemos de ver quando a Justiça punir as desonestidades dos açorianos, mas entretanto vamos demonstrar que somos os melhores da II Liga!

domingo, 26 agosto, 2018
Anónimo disse...

Manuel Cajuda está no Académico há pouco tempo, mas a verdade é que já deixou a sua marca no Académico que perdurará no tempo. Hoje, assumiu o comando da equipa, perante condições extremas, nenhum de nós consegue imaginar o que sentiu Manuel Cajuda ao ter de suportar a dor da perda da sua mãe e, ainda, assim liderar a Equipa. Ser profissional por vezes obriga a algo de para lá do suportável.

Quanto ao jogo, vitória épica do Académico, apetece dizer que vai ficar na memória de todos os Academistas ao nível de outros momentos épicos do Futebol Português, assim passamos a ter:

Portugal - 5; Coreia - 3 (reviravolta no Mundial de 66)
Portugal - 3; Inglaterra -2 (reviravolta no Euro 2000)
Portugal - 1; França - 0 (Golo de Éder na final do Euro 2016)
Académico - 3: Arouca - 2 (reviravolta na 3ª Jornada da 2ª LIGA 2017/18)

Trata-se de facto de um jogo memorável, sendo que na Bancada, ainda no 2-2, havia quem dissesse, já valeu o dinheiro do bilhete, e de facto Futebol é isto, emoção, incerteza no resultado, bom futebol, velocidade, etc.

1ª parte de algum equilíbrio com um resultado profundamente enganador, pois não houve praticamente situações de golo, quer de um, quer de outro lado, no entanto em 2 lances estranhos o Arouca faz 2 golos em menos de 5 minutos e chega ao intervalo com uma vantagem confortável, e depois do que tinha acontecido no ano anterior, temia-se resultado idêntico.

Ao intervalo, Manuel Cajuda faz entrar Luisinho e Gabriel e o Académico muda completamente, com logo nos primeiros minutos a dupla a quase fazer golo, mas não foi nesse lance foi quase de seguida, com Luisinho a fazer cruzamento teleguiados, com Rei N'Sor a corresponder com grande classe. Gabriel, sai lesionado, mas enquanto esteve foi decisivo na reviravolta.

Regresso de sonho de Luisinho, à sua, nossa casa, de onde nunca deveria ter saído, com uma exibição nota 5.

Medina muito, especialmente a atacar, decisivo no 1º golo. Jonas excelente na baliza, sem hipóteses em ambos os golos e decisivo a segurar a vitória já perto do fim, numa defesa de grande categoria na sequência de um cabeceamento após pontapé de canto.

Foi uma reviravolta épica, vai ficar na memória de todos, uma boa casa, perante um calor difícil de suportar, uma vez mais, mas o público esteve com a Equipa, puxou pela Equipa, a Equipa puxou pelo público e quando o 2-1 acontece, percebeu-se que algo de bom nos poderia acontecer e de facto aconteceu.

Arbitragem sem influência direta no resultado, parece-me, mas sem a fluidez que se exige num jogo de um Campeonato Profissional, muitas paragens e algum falta de sensibilidade no julgamento de algumas situações, nomeadamente na expulsão de Manuel Cajuda, logo ao 1º minuto da 2ª parte, parece algo que facilmente seria evitável, bastaria uma palavra de homem do futebol para homem do futebol e certamente tudo ficaria por aí, mas assim não quis o árbitro e foi pena.

Sempre Académico!

Carlos Silva

domingo, 26 agosto, 2018
Anónimo disse...

Foi bem difícil, mas já está!
Sábado é em Gaia contra o Porto, que anda de mal a pior. Precisamos da atitude desta segunda parte para trazermos os 3 pontos! Força Académico!

segunda-feira, 27 agosto, 2018
Paulo Teixeira disse...

Não há palavras para descrever aquilo que aconteceu hoje no Fontelo, parabens equipa, parabens mister, parabens publico quero deixar ainda uma grande abraço ao Manuel Cajuda e endereçar-lhe os meus sentidos pesames, força mister.
Quanto á expulsão do nosso mister, mais uma vez este monte de m.... ( Helder Malheiro) mostra do que é feito, este e Tiago Martins, Fabio Verissimo, Nuno Almeida, Hugo Miguel etc disciplos de um fdp mor que se chama Pedro Proença, cuidado Académico, muito cuidado, não tenho a mania da perseguição mas cuidado que a partir daqui vamos assistir a coisas muito esqusitas!!!
FORÇA ACADÉMICO!!!

Paulo Teixeira

segunda-feira, 27 agosto, 2018
academista disse...

Grande jogo e grande apoio do publico, já não via assim o publico a puxar pela equipa à muito tempo, podia ser sempre assim, pois assim é que dá gosto e ha paixão no jogo. É bom sair do estadio do Fontelo rouco, quer seja por festejar ou a chamar de novos ao fdp do arbitro.. Parabéns Académico

segunda-feira, 27 agosto, 2018
Anónimo disse...

Paulo Teixeira, o Académico está habituado a todas essas agressões de incompetentes. Ontem deu uma lição e mesmo depois do que andam a fazer com os açorianos aldrabões, os academistas e o mister Cajuda estão a dar a resposta certa. No ano passado, apesar de muitas baldas, chegámos ao fim na frente, sem aldrabices. Esta época vamos mostrar que não há nenguém que nos possa derrubar, ninguém daqueles que não jogam à bola mas que apitam. Os outros, os que entram em campo para jogar LIMPO, alguns vão ser superiores a nós e vão ganhar-nos, mas apenas quando forem mesmo superiores! Em garra, em força anímica, aí ninguém nos pode vencer!
Académico!

segunda-feira, 27 agosto, 2018
--FD disse...

Uma vitória de garra que me encheu de orgulho! Manuel Cajuda deu um exemplo de profissionalismo e a equipa foi solidária e jogou com uma alma que eu há muito não via.

Força Académico!

segunda-feira, 27 agosto, 2018