segunda-feira, dezembro 05, 2016

Apresentação do treinador: Francisco Chaló

NOME COMPLETO
Francisco Alexandre Lacerda Chaló
NOME
Francisco Chaló
DATA DE NASCIMENTO
10/02/1964
NATURALIDADE
Ermesinde
POSIÇÃO
Treinador
Foto retirada da página oficial do Académico no Facebook

Como futebolista

 Francisco Chaló teve passagem pela formação do FC Porto, ao subir a sénior esteve no Feirense, na II Divisão mas apenas uma época, seguindo-se passagens por Castêlo da Maia, Candal e Formiga sempre nas distritais.

Como treinador

Alfenenense (95/96)

Começou nos sub 14. A partir de fevereiro passou para os seniores da II Divisão da AF Porto

Pedras Rubras (97/03)

Fez no clube de Moreira da Maia um excelente trabalho. Começou nas distritais e na segunda época alcançou o título distrital da AF Porto, subindo desta forma à III Divisão.

Na primeira época (99/00), terminou na 7ª posição, longe dos lugares de subida, é certo, mas com uma época muito tranquila andando também longe dos lugares de descida.

Tal como tinha acontecido quando era o treinador do Pedras Rubras na distrital, no segundo ano na III Divisão conseguiu subir o clube à II Divisão ao terminar a série B no segundo lugar, a 7 pontos do líder – o Vila Real – e com mais 10 pontos que o terceiro classificado. Deste plantel fazia parte o ex academista Hélder Ferreira.

Em 2001/2002, na IIB Zona Norte, o Pedras Rubras terminou num seguro 12º lugar (em 20 clubes), onde juntou ao Hélder Ferreira mais um nome conhecido dos academistas – João Peixe!

Terminou a sua ligação ao Pedras Rubras na época 02/03, novamente na IIB zona norte e o seu clube repetiu a 12ª posição.

Feirense (03/06)

O trabalho meritório no Pedras Rubras levou Chaló à Segunda Liga. Para Santa Maria da Feira levou consigo novamente o Hélder Ferreira e na primeira época terminou na 11ª posição (18 clubes).
Para a época 04/05 juntou ao seu plantel o ex academista Hélder Godinho e conseguiu melhorar a posição do clube, terminando na oitava posição.
Ainda com os referidos ex academistas na equipa, Francisco Chaló iniciou a época seguinte no Feirense, mas acabaria despedido após a 21ª jornada, depois de ter perdido com o Santa Clara, isto após um período de 9 jogos em que apenas conseguiu uma vitória. Deixou a equipa na 15ª posição, com 20 pontos, todavia a chicotada funcionou e o Feirense subiu até à 10ª posição.

Naval (07/08)

Foi muito curta a passagem de Chaló pela equipa da Figueira da Foz. Os navalistas estavam então na I Divisão. Foram eliminados da taça da liga ao perderam nas grandes penalidades com o Portimonense. No campeonato depois de empatarem em casa com o Belenenses (1-1) e V. Setúbal (0-0) e de perderam fora com o E. Amadora (3-1) e Benfica (3-0), Chaló foi despedido.

Feirense (08/10)

De regresso à equipa de Santa Maria da Feira, ainda pela Segunda Liga. Por lá reencontrou Hélder Godinho, num plantel que contava também com Gabi, e terminou a época no 5º lugar a 12 pontos do U. Leiria equipa que subiu de divisão juntamente com o Olhanense. O Feirense esteve na luta pela subida até há 23ª jornada, no entanto nos últimos 7 jogos apenas alcançaram uma vitória e dois empates e viram a hipótese de subida esfumar-se.

Na época seguinte, 09/10, e sem nenhum jogador com ligações ao Académico, acabou por não a terminar. Após ter sido eliminado da taça da liga (pelo Portimonense) e da Taça de Portugal (pelo vitória minhoto) e depois de uma derrota com o Portimonense (1-0) na 13ª jornada da Segunda Liga Chaló foi despedido. O clube estava na luta pela subida, era 4º a apenas dois pontos dos lugares de subida, mas a decisão de despedimento foi tomada. O Feirense acabaria por terminar a época no 3º lugar a dois pontos de Portimonense e Beira Mar que subiram de divisão.

Penafiel (10/12)

Chegou a Penafiel na 21ª jornada da Segunda Liga, numa equipa onde jogavam Stephane, onde substituiu José Garrido com o clube a lutar arduamente para se manter na divisão já que era 13º classificado (16 equipas). Após 10 jogos (4V, 2E, 4D) o Penafiel manteve-se (12º lugar).

Em 11/12 com o futuro academista Thiago Pereira na equipa, o Penafiel terminou no 8º lugar (em 16 equipas), não lutando pela subida porque nos últimos jogos teve apenas 2 vitórias a que se juntaram 8 derrotas.

Sp. Covilhã (12/16)

A época 12/13 nos serranos começou com Filipe Moreira, que após ser despedido veio para o Académico, seguiu-se Fernando Pires e Francisco Chaló chegou na 30ª jornada. Os covilhanenses eram 20º classificados, em zona de descida. Com Chaló o Covilhã venceu 2 jogos, empatou 7 e perdeu 4, só se salvando da descida graças à “desistência” da Naval.

Na época seguinte, com Forbes no plantel, terminou a época no 16º lugar, abaixo do Académico, vencendo os academistas em casa (1-0), perdendo no Fontelo (1-0) com um golo de Cafú. Levou a sua equipa à fase de grupos final da Taça da Liga.

Em 2014/2015 lutou pela subida à I Divisão terminando na 4ª posição com os mesmos pontos do U. Madeira (2º) e apenas um ponto do campeão Tondela. Frente ao Académico empatou em casa (1-1) com o golo academista a ser apontado por Sandro Lima e venceu no Fontelo (0-1). Na taça da liga levou novamente a sua equipa à fase de grupos.

Na época passada lutou, tal como o Académico, pela permanência, tendo terminado na 14ª posição. Perdeu no Fontelo (2-0) no tal jogo que valeu a permanência ao Académico, e empatou na Covilhã (2-2) empatando nos últimos minutos depois de ter estado a perder por 0-2.

Chega agora ao melhor clube do mundo. Bem-vindo!

3 comentários:

Hélder Albuquerque disse...

Boa sorte, mister!
Espero que o chicote tenha estalado forte e que surta efeito.

A equipa precisa de alma e precisa de acreditar que é possível navegar em águas mais calmas.

O novo treinador tem, pelo menos, e experiência que está tarefa exige!

Boa sorte.

FORÇA ACADÉMICO!

segunda-feira, 05 dezembro, 2016
Unknown disse...

Vamos dar a serenidade e tranquilidade necessárias a Francisco Chaló para poder desenvolver o seu trabalho. Já basta a pressão do pouco tempo que tem para preparar o próximo jogo e para os jogadores assimilarem os seus princípios de jogo, por isso, é bom que todos nos lembremos que a tarefa não é fácil, nada fácil, mas é possível, totalmente possível e para isso todos temos de AJUDAR, repito AJUDAR, pois quem chega de novo, não sabe tudo, não conhece tudo, e quase não tem tempo para se inteirar do urgente e obrigatório, por isso, para complicar já temos os nossos adversários e por vezes os árbitros, por isso, TODOS, repito, TODOS, Sòcios, Adeptos, Direção, tudo, tudo mesmo temos de FAZER para AJUDAR o nosso Treinador e os nossos jogadores a fazerem bem o seu trabalho e com o nosso APOIO obterem as vitórias necessárias para os 52 preciosos pontos!
Obviamente que ningúem está impedido de criticar quando for oportuno fazê-lo, mas há que ver a oportunicade da crítica, e ver se nos ajuda ou se ajuda o nosso adversário, repito, a crítica, sendo construtiva é salutar e ajuda no crescimento da Equipa, dos Jogadores e do Treinadore todos nós temos o direito de a fazer, mas também devemos elogiar quando for de o FAZER, na justa medida.
Bem-vindo à Beira-Alta, Bem-vindo ao Académico!

Nós Somos o Académico!

Carlos Silva

segunda-feira, 05 dezembro, 2016
Paulo Teixeira disse...

Há muito que gostava de ver este homem á frente dos destinos do nosso Académico, como já disse agora vamos ganhar mais vezes isso tenho a certeza o resto com o tempo lá vamos chegar, agora que tem pela frente uma tarefa complicada lá isso tem e os resultados desta jornada não ajudaram nada, estamos a 4 pontos da salvação (mas não esqueçamos que temos um jogo a mais) e o clube que tem mais 4 pontos do que nós é precisamente o nosso adversário de sábado por isso tudo o que não seja vitória vai-nos deixar em muito maus lençois, bom mas o importante é pensar na vitória mas para isso acontecer há um conjunto de vários factores que podem e devem contribuir, marcar pelo menos mais um golo que o adversário é o mais primordial depois ter a sorte do nosso lado e por ultimo os adeptos tambem podem contribuir desde que acorram em massa ao Fontelo mostrando estarem com a equipa!
Não estou é espera para já de grandes alterações na equipa, «Roma e Pavia não se fizeram num dia» mas estou á espera de uma atitude diferente isso tenho a certeza que vai acontecer por esse motivo acredito na vitória.

FORÇA ACADÉMICO, FORÇA VISEU!

Paulo Teixeira

segunda-feira, 05 dezembro, 2016