domingo, julho 23, 2017

Leixões SC 2-0 Ac. Viseu FC

Pela segunda época consecutiva o Académico volta a cair na Taça da Liga logo na sua estreia (na época passada caiu na 2ª eliminatória depois de ter ficado isento na primeira). 
Agora seguem-se duas semanas sem competição oficial até à recepção à AAC-Académica. 


Estádio do Mar, 23 de julho de 2017
1ª Fase da Taça CTT
Árbitro: Fábio Piló (Leiria)

Leixões: André Ferreira; Jorge Silva, Jaime, Ricardo Alves e João Lucas; Stephen Eustáquio, Luís Silva e Breitner (Derick, 86); Kukula (Amine, 71), Evandro Brandão e Ricardo Barros (Okitokandjo, 79). Treinador: Daniel Kenedy.

Ac. Viseu: Peçanha; Tomé (Sandro Lima, int), Bura, Bruno Miguel (Rui Migue, 74) e Joel; Fábio Santos e Fernando Ferreira; Yuri, João Mário (Moses, 32) e Paná; Luís Barry. Treinador: Francisco Chaló.

Golos: Kukula 6 (1-0), Breitner 23 (2-0)

«O Leixões apurou-se este domingo para a terceira fase da Taça CTT, após derrotar o Académico de Viseu por 2-0 em jogo da primeira fase, beneficiando de ter ficado isento na segunda. Kukula, ao sexto minuto, abriu o marcador para a equipa da casa, após o que Breitner (23') fixou o resultado da partida.

Numa equipa com nove reforços e apenas Jorge Silva e João Lucas, da época passada, de início, o segundo tornou-se na figura da primeira parte, saindo dos seus pés as assistências para os dois golos dos locais.

Primeiro quando assistiu Kukula, num remate cruzado ao poste mais afastado, e mais tarde fez o cruzamento que a defesa forasteira deixou passar para a conclusão de Breiner, também num pontapé cruzado.

A segunda parte começou com o Académico a meter velocidade no jogo e a pressionar alto, mas foi do Leixões, num remate na passada de Evandro Brandão (56) a que Peçanha correspondeu com um desvio felino, o primeiro lance de perigo.

Bary, em cima do minuto final, perdeu o golo de consolação dos visitantes, enquanto o Leixões, isento na segunda fase, alcançou com este triunfo a fase de grupos da prova.»


In Record

Notas aos jogadores (atribuídas pelo Record e aceites por nós para a eleição de jogador do mês/jogador do ano): 3 - Peçanha, Bruno Miguel, Bura, Joel, Fábio Santos, Fernando Ferreira, Paná, Yuri, Luís Barry; 2 - Tomé, João Mário, Moses e Sandro Lima; 1 - Rui Miguel.

10 comentários:

José Ferreira disse...

Resultado «normal». No ano passado no primeiro jogo só tínhamos um guarda redes, esta época não temos defesas esquerdos disponíveis. Temos, neste momento, um plantel que dá «só» para andarmos pelo meio da tabela. Eu não tenho ilusões.

domingo, 23 julho, 2017
Anónimo disse...

Um plantel destes só para o meio da tabela??? Então para subir temos de ter Bast Dost, Jonas, Wiliam Carvalho, Soares, Iker Casilhas... e sermos treinados por Rui Vitória??? Não me gozem...

domingo, 23 julho, 2017
Paulo Teixeira disse...

Uma derrota deixa sempre alguem que gosta de ver o seu clube ganhar um bocado irritado, esta não foge á regra até porque ganhar significava entrar na fase de grupos e levar com um estarola ou talvez não, podia-nos calhar o Vitória, mas pronto já lá vai a minha opinião relativamente a taças é simples «que se f... a (s) taça (s)» sei que podia ser mais rentavel ir longe nestas competições mas será que é mesmo rentavel? ter mais +, - 3 mil alem do que temos no Fontelo a assitir a um jogo com um estarola onde mais de 80% da assistência está do lado errado, e será que podiamos jogar no Fontelo uma vez que esses jogos são á noite e segundo a ultima informação o Fontelo não tinha condições para um jogo noturno.
Perante isto tudo não me parece que tenha sido muito negativo esta eliminação mas que em termos animicos podia dar alguma alento isso não tenho duvidas pois um bom resultado dá sempre muito confiança.
Agora é centrarmo-nos no próximo jogo esse é que vai ser muito importante, uma vitória pode catapultar-nos para uma boa epoca, temos um bom plantel que nos dá garantias de lutarmos por algo mais que um simples lugar a meio da tabela, e não vai ser a derrota de ontem que me vai mudar de ideias.

Paulo Teixeira

segunda-feira, 24 julho, 2017
Tiago Ferreira disse...

O Fábio Santos jogou a trinco ou jogámos com táctica de 3 centrais? Se jogou a trinco não percebo, pensei que era central.
Também não consigo compreender como é que o Yuri jogou em vez do Moses...

segunda-feira, 24 julho, 2017
Nelson duarte disse...

Se calhar esta na hora de comecarem a tentar perceber quem é o senhor André Castro e as suas ligações, para perceberem algumas contratações que nada acrescentam, e assim perceberem que é dificil subir... O viseu é grande mas este senhor é pequenino mas muito perigoso...

segunda-feira, 24 julho, 2017
pmarq disse...

Este Académico que vi em Matosinhos não é, nem de perto nem de longe, um candidato à subida. Equipa sem ideias, meio-campo muito defensivo, Barry perdido na frente, faltou talento… Mas também acredito que dificilmente será este o Académico que mais veremos no campeonato. Não quero com isto dizer que não tenha boas expectativas para esta época, mas esperava mais perante uma equipa quase nova como é a do Leixões, que no entanto foi uma equipa mais entrosada que a nossa. E os muitos adeptos academistas que se deslocaram ao estádio para ver um jogo da taça da liga mereciam outra exibição.
Não sei os motivos porque jogámos sem um lateral esquerdo de raiz, ou porque Capela estava na bancada. Com esses jogadores, mais Tarcísio e Zé Paulo, ficamos com um bom plantel, mas ainda insuficiente.

Partindo para a análise ao plantel, parece-me que falta um extremo que faça a diferença, não deu muito para ver sobre João Mário e entendo que Yuri ainda precisa de crescer. Moses é uma boa alternativa.
De avançados estamos bem servidos, o polivalente Zé Paulo é o que me enche mais as medidas, tem boa estrutura física, boa técnica e tem golo, mas Barry, Zé Pedro e Sandro Lima também são garantia de qualidade. O mesmo em relação à defesa e baliza.
Quanto ao meio-campo, a magia do futebol, na recente análise ao plantel, colocou no mesmo saco todos os médios. Ora, na minha opinião e “polivalências” à parte, Paná (grande jogador e na minha opinião o melhor contra o leixões, juntamente com Peçanha), Fernando Ferreira e Bruno Loureiro são jogadores para a mesma posição. Jogam melhor como médios centro, de transição ou Nº 8 e não acho que tenham arte para serem médios ofensivos de uma equipa que tem objetivos altos numa 2ª liga. Aí, existe Rui Miguel, em fase de menor fulgor na carreira e que vejo mais como uma boa alternativa, e Saná, que tem valor mas é mais o tempo que tem passado lesionado do que a jogar. Depois há Tarcísio, que não sei se ainda virá ou se já veio… Gonçalo desconheço, mas gosto de ver jovens academistas a aparecer.

Concluindo, não gostei da exibição, estranhei o 11 inicial, para mim é discutível ver Fernando Ferreira ou Paná como jogadores mais próximos do avançado e acho que falta mais 1 ou 2 jogadores. Mas sinceramente acredito que contra a académica no dia 06 de agosto a história será outra e teremos uma boa equipa.

Força Académico!

segunda-feira, 24 julho, 2017
José Ferreira disse...

O motivo por termos jogado sem defesas esquerdos está no meu comentário, ainda não estão inscritos por falta dos passes internacionais (penso que é assim que se diz). Quanto ao Capela vi o jogo com o Feirense, não jogou por estar lesionado assim como não treinou nem na segunda nem na terça-feira, deve ter sido por aí.
Quanto ao André Castro, que não conheço nem sei as suas influências, não há grande coisa a fazer. Os sócios, os poucos que puderam/quiseram aparecer na AG, aceitaram a criação da SAD sabendo que ele, e o Presidente, seriam os donos da SAD.
Amigo Paulo Teixeira, ao contrário de si eu não consigo desvalorizar as taças. Todos os anos sonho com um brilharete nessas competições mas partimos sempre como perdedores. Não gosto.

segunda-feira, 24 julho, 2017
Anónimo disse...

Confesso que tenho espectativas altas para esta época... No entanto não deixo de estranhar a fraca exibição neste jogo e mais uma vez nada de jeito fazemos na taça da liga. Surpreendeu-me Yuri a jogar a titular, quando a época passada quase nem convocado era. Luis Barry sozinho deixado à frente sem apoio. Fábio Santos a trinco, tínhamos o Pana... Bem não vou avaliar só por este jogo, mas parece-me uma trapalhada. E que rico plantel tem este ano o Académico!!! Só é aceitável acima do 4º lugar!!! A Jose

segunda-feira, 24 julho, 2017
Anónimo disse...

O Paná é trinco? É mesmo fácil enganar os academistas...

terça-feira, 25 julho, 2017
pmarq disse...

Caro A José, respeito a sua opinião mas também acho que Paná não é um trinco, só deverá jogar aí à falta de alternativa, e pelo que li o Fábio Santos tanto joga a trinco como a central, não sei onde é melhor...


José Ferreira, agradeço o esclarecimento sobre a indisponibilidade dos laterais esquerdos, mas não tinha ficado claro no seu primeiro comentário, e sobre a lesão de capela (já agora, nunca quis dizer que foi por opção do treinador).

Um apelo apenas, o estádio do fontelo deve ser dos que menos lugares cobertos tem na 2a liga, penso que pelo menos deveriam ser cobertas as laterais da bancada central coberta e perfeito seria também a outra central.

terça-feira, 25 julho, 2017