domingo, janeiro 22, 2017

Ac. Viseu FC 2-1 FC Porto B

Estádio do Fontelo, 22 de janeiro de 2017
23ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Rui Oliveira (Porto)

Ac. Viseu: Rodolfo; Carlos Eduardo, Bura, Bruno Miguel e Stephane; Capela (c), Bruno Loureiro (Bruno Madeira, 78) e Tiago Borges (Paná, 70); Luisinho (Tiago Gonçalves, 83), Moses e Sandro Lima. Treinador: Francisco Chaló.

Porto B: João Costa; Fernando, Jorge, Chidozie e Luís Mata; Govea (Ismael, 67), Francisco e Fede Varela (Graça, 75); Galeano (Rúben Macedo, 75), Kayembe e Areias. Treinador: António Folha.

Golos: Moses 52 (1-0), Paná 72 (2-0), Rúben Macedo 78 (2-1)

Foto retirada da página do Facebook do Moses (desconhecemos autor)

Não foi fácil a primeira parte para o Académico. A equipa B do Porto é composta por jogadores de qualidade e causou muitos problemas ao nosso clube, sem bem que os portitas apenas conseguiram uma boa oportunidade – após mau alívio de Stephane.

Na primeira parte o Académico pode-se queixar de duas más decisões da equipa de arbitragem, as duas com Sandro Lima no lance. Em primeiro lugar, quando se ia a isolar, viu o auxiliar marcar um fora de jogo inexistente, e mais tarde foi carregado à entrada da área, quando ia a entrar nesta e de forma isolada, num livre perigoso que ficou por marcar e num cartão “avermelhado” por mostrar.

Se o Porto teve uma boa oportunidade para marcar, também o Académico esteve perto do golo no último lance da partida, após livre de Bruno Loureiro e cabeçada de Bruno Miguel para defesa apertada de João Costa.

O Académico tinha que melhorar muito na segunda parte para conquistar os 3 pontos e depois de um excelente corte de Bura na nossa área, com as imagens televisivas a mostrarem uma eventual mão na bola do central academista, foi mesmo isso que fez.

Ao minuto 52 o golo do Académico. Capela coloca a bola em Bura, que “mascarando-se” de extremo direito entrou na área e consegue colocar a bola em Moses que empurrou para a baliza portista.

Embalado pelo golo o Académico foi à procura do segundo com Stephane, depois de Moses ter ganho a bola ao lateral portista, a cruzar para a cabeça de Luisinho a quem faltou o “killer instict” (54); depois uma bela combinação entre Luisinho e Capela com o capitão a cruzar a bola com esta a passear-se pela área portista sem ninguém lhe tocar (59); e pouco mais tarde uma bola ganha por Tiago Borges que cruzou atrasado para um remate de Moses que acabaria prensado pela defesa do FCP B (61).

Foi já com  Pana em campo, no lugar de Tiago Borges, que o nosso clube chegou ao segundo golo. Sandro Lima disponibiliza a bola em Stephane, este cruza e Pana, acabadinho de entrar, a corresponder de cabeça para o segundo golo da partida.

Era expetável que o Académico fosse sofrer até ao fim e foi isso mesmo que aconteceu. Ao minuto 78 Rúben Macedo, jogador dos azuis, encheu-se de confiança rematou à baliza, a bola tabela em Bruno Miguel e entra na baliza de Rodolfo. O Porto carregou muito, é certo, mas diga-se que apenas no minuto 88 houve perigo verdadeiro na área academista, mas Ismael Diáz de cabeça atirou por cima.

No último lance da partida foi mesmo Sandro Lima que esteve pertíssimo de fazer o 3-1, depois de um passe de Moses, mas João Costa respondeu com grande qualidade.

Com este resultado o Académico sobe à 17ª posição, agora em zona de paly off, mas a apenas 3 pontos do 11º lugar pertença do Famalicão.


 José Carlos Ferreira, sócio nº 217 do Académico de Viseu FC

4 comentários:

Unknown disse...

Vitória que vale 3 pontos, é verdade, valem todas, mas esta tem uma importância de tal ordem, que atrevo-me a dizer que vale mais do que isso, muito mais e passo a explicar:
O Académico em toda a sua história, nunca, até hoje tinha conseguido vencer o Futebol Clube do Porto, nem em A, nem em B, e só em B, já foram até hoje, 7 jogos, nos quais, nunca conseguimos a vitória, hoje, finalmente tal foi conseguido e de forma categórica.
Para além disso com estes 3 pontos, ficámos a apenas 6 pontos, sim, apenas 6 pontos daquele que julgo pode se ro nosso lugar no final do Campeonato, o 8º lugar, sim, acreditem, basta olhar para a classificação, estamos a 6 pontos, do 8º lugar, ou seja do 1º terço da tabela, e com a qualidade do nosso futebol com a consistência que a equipa ganhou, podemos, legitimamente aspirar a ficar no 1º terço da tabela, temos é de TODOS, TODOS mesmo APOIAR o nosso Treinador, os nossos Jogadores, o nosso Presidente, Sr. António Albino e toda a sua equipa na missão muito, mas mesmo muito de manter o Académico, na 2ª Liga, para na próxima podermos com tempo, almejar os lugares cimeiros e quem sabe, a subida à 1ª Liga, o sonho de TODOS os Academistas, sim é esse o nosso sonho, e se todos tivermos essa fé, tal pode acontecer,mesmo, antes dos 5 anos definidos no projeto.
Muito bem a Direção ao colocar entradas gratuitas para todos os estudantes, mas mal os jovens que não corresponderam ao apelo, tem de ser mais bem publicitada a iniciativa e julgo que seria de manter para toda a época, de molde a que os adultos viesses a acompahar os mais jovens.
No Fontelo cabem TODOS! Todos são Bem-vindos!
O Académico entrou muito bem no jogo, podia ter marcado, não o conseguiu, o Porto com jogadores jovens mas com uma excelente capacidade de trocar a bola, não conseguiu entrar com perigo na nossa área. Há um lance que me parece penálti claríssimo a nosso favor, mas o árbitro nada marcou, ainda na 1ª parte.
Na 2ª parte o Académico muito certeiro nas situações de golo criadas e quando Stéphane faz o 2-0, por volta dos 25 minutos da 2ª parte, parecia que o jogo estava ganho, mas alguém dizia que 2-0 é o resultado mais falso do futebol, e de facto assim é , pois o 2-1 do Porto deixou o "coração nas mãos dos Academistas até final, sendo que no último lance da partida Sandro Lima poderia ter feito o 3-1.
O resultado é justo, a exibição do Académico foi muito personalizada, à imagem do seu Treinador, Francisco Chaló, e hoje atingimos metade dos pontos necessários para a manutenção, mas, como disse em cima, a nossa meta é o 8º Lugar, temos qualidade para ter essa ambição, olhar para cima, olhar para o 1º terço da classificação.
Agora, todos têm de estar cientes da missão que temos pela frente, pois nesta 2ª Liga, tudo o que era equipa fraca, desceu de divisão no ano anterior, e este ano, olhem para a Tabela e já não há Atlético, nem Oriental, nem Mafra, nem Oliveirense, com o devido respeito, mas há sim equipas com história no Futebol Português e com um vontade imensa, tal como nós de conseguir a manutenção, pelo que estabilidade emocional de Sócios e Adeptos, para lá, obviamente, de Dirigentes, Jogadores e Treinadores é decisiva para seguirmos rumo ao objetivo, mas o caminho é um caminho de uma tremenda dificuldade que poucos imaginam, mas se fosse fácil, como disse Rui Vitória, não era para nós, Académico, a nossa luta sempre foi muito difícil e estamos preparados para ela.
Carlos Eduardo grande resposta na nova função, excelente.
Moses, a gazela da Zâmbia, excelente jogo , enquanto teve força, onde andava Moses, que tão bem tinha estado numa dada fase da época anterior e que esta não, ainda não tinha aparecido com a qualidade que se lhe reconhece.

Todos ao Fontelo!

Sempre Académico!

domingo, 22 janeiro, 2017
João Almeida disse...

Onde posso ver algumas das imagens televisivas?

domingo, 22 janeiro, 2017
Paulo Teixeira disse...

Exibição personalizada e muito conseguida se bem que na primeira parte sofremos um bocado mas se tivessemos sido mais certeiros e o sr do apito tivesse sido mais competente podiamos ter ido para o intervalo em vantagem.
Na segunda parte conseguimos os merecidos golos e a vitória justissima que começa a levar a equipa para patamares mais tranquilos, com este futebol mais 3, 4 jornadas e estamos numa posição mais longe do abismo.

Paulo Teixeira

segunda-feira, 23 janeiro, 2017
--FD disse...

Notícia (muito incompleta) de interesse academista: http://www.ojogo.pt/futebol/nao-profissional/noticias/interior/v-guimaraes-empresta-lateral-ao-ac-viseu-5625541.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

terça-feira, 24 janeiro, 2017