sábado, fevereiro 13, 2016

Ac. Viseu FC 2 - 2 SL Benfica B

Estádio do Fontelo, 13 de fevereiro de 2016
29ª Jornada da Segunda Liga
Árbitro: Pedro Campos (Porto)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tomé (c), Lameirão, Bura e Kiko; João Ricardo, Capela e Bruno Loureiro (Clayton, 89); Carlos Eduardo (Yuri, int), Tiago Borges e Steve Ekedi (Forbes, 63). Treinador: Tony.

Benfica B: Miguel Santos; João Nunes (c), Lystcov, Francisco Ferreira e Yuri Ribeiro (João Carvalho, 81); Dawidowicz, Hildeberto, Pedro Rodrigues e Raphael Guzzo (Sancidino Silva, 89); Olivier Sarkic (Diogo Gonçalves, 71) e Ivan Saponjic. Treinador: Hélder Cristóvão.

Golos: Steve Ekedi 21 (1-0), Ivan Saponjic 36 (1-1), Kiko 54 (2-1), Pedro Rodrigues 56 (2-2)
Com João Eusébio nas bancadas – ainda ninguém o apresentou mas já não restam dúvidas que será o próximo treinador do Académico – e com Lameirão no lugar do capitão, o Académico empatou esta tarde com o Benfica B, e só se pode queixar de si próprio por não ter vencido, isto perante um adversário claramente ao seu alcance.

Começou o melhor o Académico e foi com naturalidade que chegou à vantagem, após excelente combinação entre Carlos Eduardo e Tiago Borges, com Steve Ekedi a estrear-se a marcar com a camisola do melhor clube do mundo.

Se o Académico foi sempre a melhor equipa em campo, não é menos verdade que o seu adversário se mostrou sempre muito mais confortável com o campo cheio de água e bastante pesado, tendo aproveitado uma desatenção de Capela/Kiko para empatar a partida.

O Académico ainda teve mais uma ou outra oportunidade, mas a falta de pontaria, conjugada com a falta de presença na área, ditou o empate ao intervalo.

Na segunda parte o Académico voltou à liderança no marcador, após um livre apontado por Kiko, que fez assim o seu terceiro golo pelo Académico. Mas foi uma vantagem que durou pouco tempo. Volvidos breves minutos os vermelhos empataram em mais um “erro não forçado”, mas terei que ver as imagens para perceber bem o que se passou, já que aconteceu do lado contrário onde me encontrava.

O Académico continuou à procura do golo, nem sempre da melhor forma dada as características do terreno/atmosféricas, e o Benfica B fez o joguinho para o pontinho, com os seus atletas a terem dificuldades em ler os números que se mostravam na placa das substituições (se calhar não sabem os números) e com o seu guarda-redes a atirar-se para o chão. Foi pena que Bura, num penalty em movimento, não lhes tivesse dado o castigo que mereciam.

O árbitro mostrou-se sempre muito permissivo não admoestando os benfiquistas quando o deveria fazer.

Quarta-feira há mais. Força Académico!


José Carlos Ferreira, sócio 325 do Académico de Viseu Futebol Clube

7 comentários:

Anónimo disse...

Inadmíssivel, inaceitável, intolerável, não pode voltar a acontecer, pois assim ninguém, nem Adeptos, nem Presidente, nem Equipa, nem Treinador, Jogo completamente ganho, completamente controlado e 2 entregas ao adversário dão 2 golos e deitam tudo a perder, desmoralizam a equipa, os adetpos, a direção, todos, inacreditável, perder uma vez mais, depois de se fazer o mais difícil e que tanto trabalho deu, chegar à vantagem, num campo encharcado, com um esforço tremendo por parte dos jogadores e depois falta de estatuto de alguns deu origem ao descalabro no resultado, perante o Benfica mais fraco que passou no Fontelo, das 3 últimas épocas, muito, mas muito mais fraco, a jogar deliberadamente par ao empate e a queimar tempo.
Hoje, não ganhar, e da forma como aconteceu não tem desculpa, é inaceitável, pois o jogo e o resultado estavam completamente controlados. E então aquele último lance é inacreditável, a bola tem de acertar na baliza, pois só assim se fazem golos, não basta ter a oportunidade, tem de se ACERTAR, repito, ACERTAR, treinar para isso, repetir o treino, repetir, mas tem de se acertar na BALIZA, a poucos segundo do fim, quando com isso se ganha o jogo.

O Académico fez um esforço enorme em todos os jogos para os ganhar, e faltou estatuto, classe, para segurar o resultado depois de se conseguir o mais difícil no futebol, marcar primeiro, estar em vantagem.

Assim contas rápidas, por nossa culpa, e com os árbitros
à mistura em vários jogos, perdemos os seguintes pontos:

Casa:
Atlético - 3 pontos (equipa fraquíssima, ganhou 1-0, esbanjamos 7 oportunidades claras de golo)
Oriental - 3 pontos (equipa fraquíssima, ganhou 2-0, jogámos mal, ainda assim fomos superiores e falhamos as poucas oportunidades que tivémos, que existiram, embora, repito, jogando muito mal)
Leixões - 2 pontos (árbitro decidiu voltar atrás num penalti assinalado, um minuto depois a mando do 4º árbriteo a Kms do lance
Gil Vicente - 2 pontos - faltou estatuto para segura a vitória, embora o Gil Vicente jogasse mais e melhor em toda a 2ª parte
Chaves - 2 pontos -mais uma vez, no último minuto o árbitro decidiu de forma escandalosa
Portimonense - 3 pontos - Carlos Eduardo depois de lance de génio, não acerta nos 7 metros e quinze que é aí que contam os golos.

Fora:
Braga - 2 pontos - a jogar toda a 2ª parte contra dez, o Académico não faz um remate à baliza, mas, aí a equipa estava carregada de castigos e lesões!
Oriental - 2 pontos - a ganhar perto do fim, falta de estatuto, de personalidade de equipa, para conseguir os 3 pontos
Covilhã- 2 pontos - a ganhar perto do fim, falta de estatuto, de personalidade de equipa, para conseguir os 3 pontos, com 2 golos de vantagem a 5 minutos do fim, intolerável, À imagem do que aconteceu hoje, onde, se entregou de mão beijada aquilo que com tanto sacrifício se tinha conseguido, por exemplo Tomé, faz um jogo, à Casillas, mostrou estatuto de Capitão, perante tamnaha dificuldade que colocava o tempo e o campo. Fez o seu corredor, como se o campo estivesse seco, incrível!
Farense - 3 pontos - equipa muito mais fraca, fomos melhores falhámos penalti, sofremos de penalti, enfim, um filme que quando reptido demasiadas vezes, enerva todos!

A nossa Equipa tem qualidade, mas falta-lhe personalidade, para nos momentos decisivos se impor ao adversário e não dar a mínima hipótese, falta, alguém que imponha "medo" ao adversário, não podemos ser aquele equipa mole, que em casa, depois de estar a GANHAR, tem de ter o jogo ganho, tem de impor o seu ESTATUTO!

O Fontelo era essa fortaleza, sempre foi, e agora, já ninguém, nos teme, em casa, não pode acontecer!


(continua)

Carlos Silva

sábado, 13 fevereiro, 2016
Anónimo disse...

(continuação)

O Fontelo era essa fortaleza, sempre foi, e agora, já ninguém, nos teme, em casa, não pode acontecer!

Estou, ainda de cabeça quente, confesso, pouco tempo do fim do jogo, mas saí muito abalado do Fontelo, pela maneira, como uma vez mais se não GANHA um jogo, que estava tudo a nosso favor, depois, repito, de um trabalho meritório de toda a equipa, que perante, um terreno impossível, fez um ESFORÇO tremendo por jogar e jogar bem, marcar golo, e depois, dar tudo, assim, sem mais, deitando tudo por água abaixo, e por 2 vezes!
Psicologicamente é difícil aguentar reste tipo de situações!

Estarei, SEMPRE, na 1ª linha dos que APOIAM, mas tinha de desabafar, pois, não ficava bem com a minha consciência, se não o fizesse.

Não sei qual o remédio para isto que nos tem acontecido, mas a verdade, é que Experiência, Estatuto, são precisos, para se conseguir ganhar mais vezes, não basta sermos os melhores, temos de ser os primeiros, como dizia um ex-Selecionador Nacional.

Em Freamunde, é preciso ir de cabeça limpa e pensar que zero a zero não leva a lado nenhum, temos de entrar, como, hoje, com determinação, vontade de vencer, e depois a concentração, tem de ser total o jogo todo.

Sempre Académico!

Carlos Silva

sábado, 13 fevereiro, 2016
Paulo Teixeira disse...

Mais dois pontos desperdiçados, não há maneira de encontrar o caminho para segurar vantagens conseguidas, consegue-se o mais difícil que é inaugurar o marcador e depois o adversário consegue os seus intentos, espero que o novo técnico tenha sorte que também tem faltado a esta equipa.

Paulo Teixeira sócio 433

sábado, 13 fevereiro, 2016
Anónimo disse...

Apenas queria dizer que antes de o clube pensar em objectivos mais altos (subida) ha que de uma vez por todas melhorar toda a estrutura de cima a baixo,repito de cima a baixo, aproximar de uma vez por todas a cidade ao clube porque na realidade é precisamente o contrario que tem acontecido... e acima de tudo dar condiçoes aos adeptos para poder ir á bola,porque é inadmissivel um estadio com todo o seu grande potencial como o fontelo continuar a ter apenas umas minimas centenas de cadeiras cobertas sendo que praticamente metade delas levam com a chuva. É triste mas o estadio merecia de uma vez por todas uma grande remodelaçao,de cima a baixo, e umas obras de forma a dar o conforto a toda a gente,todos iriamos sair a ganhar,e aqui nao culpo o clube mas sim a cmv,lamentavel.
Ass joao

domingo, 14 fevereiro, 2016
Luis disse...

Foi realmente uma pena o Académico ter perdido 2 pontos que davam muito jeito! Vamos apoiar muito a equipa e pode ser que a sorte que nos tem faltado na quarta feira possa surgir e possamos ganhar o jogo num terreno muito complicado.
Começo a achar estranho porque ainda o novo treinador não foi apresentado, será que não tem direito a apresentação?

domingo, 14 fevereiro, 2016
--FD disse...

Parece que a apresentação do treinador vai ser agora às 11h.

http://www.record.xl.pt/futebol/futebol-nacional/2--liga/ac-viseu/detalhe/joao-eusebio-apresentado.html

segunda-feira, 15 fevereiro, 2016
--FD disse...

Afinal será Bruno Ribeiro?

http://www.jornaldocentro.pt/bruno-ribeiro-novo-treinador-do-academico-de-viseu-apresentado-esta-tarde/

segunda-feira, 15 fevereiro, 2016