sexta-feira, maio 26, 2017

"Caso Elísio", parte II

Estádio Comendador Manuel Violas, 26 de Maio de 1991
38ª Jornada da Divisão de Honra
Árbitro: José Silvano (Vila Real)

Sp. Espinho: Pudar; Nene; Filó e Sousa; Vitinha, Zinho, Nelo (c), Ado (Vitoriano, 32) e Flávio; Ivan e Fernando Cruz (Bessa, 69). Treinador: Manuel José.

Ac. Viseu: José Miguel; Perduv; José Duarte e Faria; Albuquerque (c), Zé da Rocha, Falica, João Manuel e Zé Nando; Alain e Herbert (Cândido, 88). Treinador: José Rachão.
Foto retirada do Facebook (página dos antigos jogadores e amigos do Académico)

Se ganhasse o Académico subia. Se empatasse também podia subir desde que o Torreense não ganhasse no terreno do Maia.

Em Espinho o Académico não saiu do empate, um teimoso zero-a-zero. Daí teria que esperar pelo outro resultado, na Maia. Aí começaram melhor os maiatos que chegaram ao 1-0 através de Sérgio Lavos. O Torreense, no entanto, deu a volta com golos de Rosário e Baltasar, mas o golo de Abel (esse mesmo) para a equipa da casa, ao minuto 80 “colocava” de novo o Académico na I Divisão.

Entretanto o jogo terminava em Espinho. Começou-se a festejar a subida mas eis que… golo do Torreense! Seria apenas um infortúnio não se desse o caso do golo dos torrejanos ter sido apontado por Elísio, jogador do Maia, que uma semana antes tinha sido detido em Viseu (ver história aqui).

O Engenheiro José Manuel Oliveira, então Presidente do Clube Académico de Futebol, pediu que a competição não fosse homologada, que se investigasse a fundo o que se passara, mas nada se passou.

Entretanto António Rola, árbitro da partida do Maia 2-3 Torreense, dizia o seguinte sobre o referido lance: “Aquilo era uma jogada inofensiva. O Rosário cruzou para dentro da área e o Elísio, sem nenhum jogador junto a ele, meteu o pé ao pretender aliviar – julgo eu -, de tal maneira que levou a bola a embater no poste e entrar na própria baliza! Deduzo que quisesse ceder canto, embora repita, a jogada era claramente inofensiva. Aliás o Maia quando fez o 2-2 poderia logo a seguir ter feito o 3-2 e até o 4-2.”.

Por sua vez Elísio clamava inocência. Dizia que só quando estava a tomar banho é que soube que o Académico não tinha subido por causa do seu autogolo, que não sabia como estava o resultado em Espinho. Nicolau Vaqueiro, treinador do Maia, defendeu o seu jogador mas adiantando que Jorge e Careca (jogadores do Maia) é que estiveram abaixo do que era esperado…


O Torreense subiu, o Académico manteve-se… assim como se mantém a suspeição, 26 anos depois!

3 comentários:

Paulo Teixeira disse...

Um dos dias mais tristes para a família academista, se uma semana antes tinha sido muito complicado este domingo foi cruel, muito cruel, fui a Espinho e lembro-mo como se fosse hoje, o Académico fez um jogo muito bom só faltou mesmo os golos que não quiseram entrar devido a uma exibição fantástica de Ivan Pudar o gr do Espinho defendeu tudo, terminados os 90 minutos e convencidos que na Maia tinha terminado 2-2 chegámos mesmo a fazer a festa da subida o pior estava para vir com o terceiro golo do Torreense de Elisio na p.b. ainda hoje vem muitas vezes á memória este domingo foi mais que cruel, foi pena que ninguém tivesse pegado neste caso mais a profundo pois existia muita matéria para uma investigação.
Não esquecer também o que aconteceu em Leiria também neste domingo onde havia um U.Leiria-Estoril que acabou empatado a 2 com o segundo golo do Estoril a ser marcado através de uma grande penalidade muito duvidosa já perto do fim da partida, uma derrota do Estoril também dava para subir o Académico pois acabavam Torreense, Académico e Estoril empatados com 45 pontos com a vantagem para os dois primeiros.
Foi muito vergonhoso tudo que aconteceu neste campeonato nas ultimas jornadas que o diga também o Benfica de Castelo Branco outra das equipas que disputava a subida mas nas ultimas jornadas viu-se fustigada com arbitragens encomendadas para os prejudicar e afastar de qualquer subida, Estrela da Amadora e Belenenses tinham descido da primeira e aqui tinham de subir duas equipas de Lisboa, o ano da transparência do futebol português...
Abaixo deixo o link deste vergonhoso campeonato.
http://www.foradejogo.net/championship.php?championship=19911540011

Paulo Teixeira sócio 433

quinta-feira, 26 maio, 2016
Vtitor Ferreira disse...

ola , sou de torres vedras e lembro-me mui bem das ultimas duas jornadas , ainda hoje se fala nisso aqui em torres , o corte do Elisio é de facto mui suspeito , atendendo o q se tinha passado em viseu , problemas com agressoes . Uma coisa é certa o viseu teve tudo para subir , perder em casa com uma equipa q ja tinha descido de divisao , aonde podia fazer a festa . nao lembra o diabo

sábado, 26 novembro, 2016
pmarq disse...

Também estive em espinho e foi da facto devastador, cheguei inclusive a invadir o campo como outros academistas após os parabéns dados através do altifalante do estádio.

Como estive em todos os jogos no fontelo, não podia deixar de ver esse contra o maia, que fez o jogo do ano, nomeadamente alguns atacantes que penso que no ano seguinte foram jogar para o torreense...

É claro que tínhamos a obrigação de vencer esse jogo, mas lembro-me bem que​ o maia lutou e comeu a relva como se fosse o jogo da vida deles.

É evidente que houve marosca nestes 2 jogos mas, enfim, já lá vai...

sexta-feira, 26 maio, 2017