sábado, abril 02, 2016

FC. Porto B 4 - 0 AC. Viseu FC

( Foto retirada do site oficial do FC. Porto )


Estádio Dr. Jorge Sampaio, 2 de abril de 2016
38ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Hélder Malheiro (Lisboa)

Porto B: José Sá; Víctor Garcia, Diogo Verdasca, Palmer-Brown e Rui Moreira; Tomás Podstawski, Francisco Ramos (Omar Govea, int), João Graça e Cláudio (Leonardo Ruiz, 81); Idrissa Sambú (Gleison, 61) e André Silva. Treinador: Luís Castro.

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Mathaus, Tiago Gonçalves, Lameirão e Ricardo Ferreira; Romeu Ribeiro, Bruno Loureiro (Zé Pedro, int) e Clayton; Yuri, Moses (Steve Ekedi, 77) e Tiago Borges (Carlos Eduardo, 67). Treinador: Jorge Casquilha.


Golos: Cláudio 10 (1-0), Tomás Podstawski 14 (2-0), cláudio 74 (3-0), Leonardo Ruiz 90 (4-0)

Até foi o Académico que começou melhor e o primeiro remate à baliza aconteceu por volta dos 4m de jogo, com Moses a fazer passar a bola perto do poste esquerdo da baliza defendida por José Sá.

O Porto a partir deste lance, toma a iniciativa de jogo e foi logo aos 10m que se adiantou na partida, autogolo de Romeu Ribeiro, parece-nos através da transmissão do Porto canal, que o jogador portista chuta contra o Pé de Romeu, que envia a bola para o fundo da baliza.

Poucos minutos depois do 1º golo, Tomás chuta de fora da área, e faz um grande golo, o segundo da tarde.

Estavam decorridos 14m de jogo, e o Académico já se encontrava em desvantagem de dois golos.

Na jogada seguinte ao 2-0, é a vez, de Moses rematar ao lado do poste esquerdo da baliza portista. Moses era o unico jogador academista capaz de enfrentar os adversários olhos nos olhos.

Durou pouco tempo a reacção academista, o Porto tinha muita facilidade a entrar na área Academista.

O Porto continuava a dominar, e esteve muito perto de marcar o 3º golo.

Em cima do intervalo é novamente Moses que remata forte, com a bola a passar muito perto do poste direito. A melhor oportunidade Academista.

No Inicio da segunda parte, Jorge Casquilha tira Bruno Loureiro, e entra Zé Pedro.

O Académico continuava sem criar jogadas de perigo, e aos 66m de jogo, entra Carlos Eduardo sai Tiago Borges.

A 15m dos 90, acontece o 3º golo portista, lançamento lateral para o interior da área, cruzamento para o lado esquerdo, do ataque, onde aparece Cláudio isolado, a fazer o golo.

O Académico era uma equipa apática e sem reação, e nem as substituições surtiam efeito.

A ultima substituição aconteceu a 13m do fim do jogo,  entrou Ekedi, para o lugar de Moses. Foi aliás este jogador que fez um bom cruzamento para a área, mas onde não apareceu ninguém para finalizar.

Janota ainda conseguiu aos 81m, defender um bom remate de André Silva.

Em cima do apito final, o 4º golo do Porto, cruzamento da direita para o centro da área onde aparece Leonardo, acabado de entrar no jogo, a “fuzilar”, autenticamente Janota.

Foi um péssimo jogo por parte da equipa academista, frente a uma excelente equipa, que comprovou, que se podem construir boas equipas, com jovens jogadores de qualidade.

Felizmente hoje o Porto, não carregou muito no “acelerador”, senão hoje o resultado seria histórico pela negativa.

Nesta altura, e face à classificação, pedia-se muito mais futebol à equipa Academista.

Quarta-Feira, há novo jogo, desta vez é imperioso vencer contra uma equipa praticamente já despromovida, a Oliveirense.

Notas aos jogadores (atribuídas pelo Record e aceites por nós para a eleição de jogador do mês/jogador do ano): 2 - Ricardo Janota, Mathaus, Tiago Gonçalves, Lameirão, Ricardo Ferreira, Romeu Ribeiro, Clayton, Bruno Loureiro, Moses, Tiago Borges, Yuri e Zé Pedro; 1 - Carlos Eduardo, Ekedi.

1 comentários:

Paulo Teixeira disse...

Uma vitoria inequivoca perante um adversario poderoso que hoje foi mesmo muito forte pena nao ser sempre assim...
A luta continua este resultado ja e passado.

Paulo Teixeira socio 433

segunda-feira, 04 abril, 2016