domingo, abril 17, 2016

Ac. Viseu FC 3-2 CD Aves


Estádio do Fontelo, 17 de abril de 2016
42ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tomé, Tiago Gonçalves (c), Bura e Ricardo Ferreira; Romeu Ribeiro (Carlos Eduardo, 63), Capela e Bruno Loureiro; Moses (Forbes, 76), Tiago Borges (Yuri, 73) e Zé Pedro. Treinador: Jorge Casquilha.

Aves: Quim; Chico Gomes, Emanuel, Marcos Valente e Nélson Pedroso; Tarcísio, Pedró (Sergyi Syzyl, 84) e Jander (Romaric, 79); Theodoro Mendy, Fernando Silva (Renato Reis, 73) e Guedes. Treinador: Ulisses Morais.

Golos: Capela 9 (1-0), Emanuel 17 (1-1), Zé Pedro 20 (2-1), Guedes 40 (2-2), Bura 90+5 (3-2)

O Académico entrou com muita vontade de vencer, e foi logo aos 9 minutos de jogo, que numa excelente arrancada de Capela chegou ao golo. Capela fintou vários adversários, entrou na área e rematou para o primeiro da partida.

A equipa jogava bem, e faltou pouco a Zé Pedro para chegar á vantagem por duas bolas de diferença.

O Aves, mostrou que estava no Fontelo para discutir o jogo, e chegou ao empate aos 15m, por IboK Edet. O defesa do Aves saltou mais alto que os defesas academistas e cabeceou no centro da área, para a baliza de Janota.

O Académico não baixou os braços, e logo a seguir, Ricardo Ferreira bate um livre ainda dentro do seu meio campo, para dentro da área forasteira, onde aparece Zé Pedro a dominar bem a bola e a empurrar para o fundo das redes. Os defesas do Aves foram enganados pelo avançado academista, e confiaram no fora de jogo.

A equipa academista estava na frente do marcador, e mais uma vez o Aves a mostrar inconformismo, a assumir o jogo, e num cruzamento para a área, aparece Guedes a cabecear com a bola caprichosamente a entra na baliza defendida por Janota. 
O Cabeceamento foi tão inesperado que Janota, apenas acompanhou o lance, sem qualquer tipo de reação.

Contrariamente ao que é habitual a segunda parte começou sem qualquer mexida por parte de Casquilha, sinal que o treinador estava agradado com a postura e desempenho dos seus atletas.

O ritmo de jogo caiu muito na segunda parte, e a equipa academista ressentiu-se e muito da quebra física, do seu elemento nuclear na 1ª parte, Capela.

O Académico contudo era a equipa que fazia mais por atacar, e aos 52m de jogo teve uma excelente ocasião para se colocar novamente em vantagem. Numa jogada sem grande perigo, Zé Pedro é derrubado á na área por dois defesas contrários.

O Sr. Fábio Verissimo, não teve duvidas e apontou para a marca de grande penalidade.

A marcação da grande penalidade, dava uma novela mexicana. O Sr. Quim, guarda redes experiente de 40 anos, que saiu do Fontelo, com a alcunha “deita-deita”, enrolou, andou para trás e para a frente, agarrou a perna, fez de conta que nem estava ali, e obrigou o árbitro a mostrar-lhe o cartão amarelo, tardio, porque já o merecia desde os minutos iniciais. 
Certo é que Bruno bateu bem o penalti, mas o Sr. “deita-deita”, conseguiu adivinhar o lado, e defendeu.

A equipa de Viseu, sentiu muito a infelicidade de não chegar á vantagem no marcador, e Casquilha teve de mexer na equipa.

A primeira substituição, foi a entrada de Carlos Eduardo para o lugar Romeu Ribeiro, que era por esta altura um jogador desgastado fisicamente e a falhar alguns passes.

A equipa continuou a atacar, pelo lado direito, mas desta vez com a dupla Tomé, Carlos Eduardo, passando Moses para o lado esquerdo.

Ulisses Morais, apercebeu-se da quebra física viseense, e o Aves carregou no acelerador, e por pouco não deu resultado, com o avançado do Aves a aparecer á frente de Janota e a rematar por cima do travessão.

A 15 minutos do fim, sai Tiago Borges e entra Yuri, e pouco depois é a vez de Moses dar o seu lugar a Forbes.

O jogo caminhava para o fim, e já não se podia exigir mais aos homens de Viseu, tinham feito um bom jogo, mas a frescura física há muito tinha acabado. Das bancadas vinham muitos incentivos, com o publico a olhar para os telemóveis, e a ver os resultados dos nossos adversário, a correr de feição, faltando apenas o nosso golo.

Aos 95 minutos de jogo, talvez o lance mais emocionante que o Fontelo conheceu esta época. Tomé arranca pela direita e é travado a poucos metros da grande área. Ultimo lance do encontro, dali só uma “bomba de Bura”, poderia derrubar o “deita-deita”, e dar os três pontos á equipa de Viseu. Bura corre para a bola, e “explosão” no Fontelo, grande golo, sem defesa possível.

Estava feito o golo da vitória, o golo da raça, o golo do maior clube do Mundo, o Académico de Viseu.

O Sr. Fábio Veríssimo, fez um jogo imaculado, a melhor arbitragem a que assistimos este ano no Fontelo.

Vamos Académico, lutem por nós.

João Nunes

13 comentários:

Luis disse...

Parabéns Académico de Viseu pela vitoria, vamos acreditar que é possível ficarmos na segunda liga! Vamos lutar como uns guerreiros! Próximo jogo é possível trazer pontos de Barcelos, acreditem! Obrigado pela vitória!

domingo, 17 abril, 2016
Anónimo disse...

Grande vitória do nosso Académico!
Com garra, com alma, com fome de vitória, sobre uma boa equipa, muito melhor que o Sporting B com que perdemos há dias.
A esperança está viva e tem continuação no jogo com o Gil Vicente, que tem de ser encarado como para ganhar! Quem fez um excelente jogo em Chaves, onde não merecia perder, tem de entrar no próximo jogo com ganas de vencer!
Furamos a barreira dos 50 pontos, que esta época não vão chegar.
Malta academista, vamos a Barcelos! Vamos oferecer ao Gil Vicente um grande galo e trazer os três pontos!
Vamos em frente, Académico! Não podemos deitar fora todo o esforço que fizemos desde a destruição do nosso CAF até agora! A direcção, sobretudo o sr Albino, os sócios, os adeptos, os viseenses e beirões, não merecem isso!
ACADÉMICO!

domingo, 17 abril, 2016
Anónimo disse...

e ao minuto 90+5, Bura abriu o livro, tal como Moisés abriu as águas do mar, ou seja Bura remata com uma força tal, que nem Barreira, nem Quim, (mais uma exibição notável de Quim, no Fontelo, um Sr. na Baliza), nem uma tábua, apararia aquele remate, tal a convicção com que é feito, tal a potência e direção que é colocada, um golo a fazer levantar o Fontelo, pois foi, mesmo, mesmo no fim, a fazer lembrar o golo de Rui Santos, tb, mesmo no fim na subida do Académico da 3ª à 2ª Divisão.
Este golo pode ter significado algo muito simples, a diferença, entre na próxima época estarmos a uma divisão de estar nos distritais, ou na divisão onde a 1ª Liga está logo ali, acima. Golo importantíssimo, mas que nada decidiu, é verdade, mas que deu uma alma a todos, isso, é indiscutível. Foi o último jogo de uma série de domigo, 4ªf, sábado, 4ªf, etc., e foi o melhor jogo, no Fontelo, com os jogadores a irem buscar forças para lá dos seus limites, incrível a forma como aguentaram um jogo de um desgate físico e psicológico tremendo. Começamos bem, 3735 jogos depois, ou seja começamos a ganhar, algo que já ninguém, no Fontelo, se lembrar, da última vez que tinha acontecido. MAs, a malapata continuava e memso começando a ganhar, logo a seguir o 2-0 esteve iminente, mas na 1ª ida à nossa baliza o Aves empata. Mas hoje, era o nosso dia, e foi mesmo no fim, mas foi e isso é o que interessa. Quim, no Fontelo sofre sempre 3 golos, evita sempre mais 3 ou 4 em cada jogo, repito, grande exibição de Quim, o melhor homem em campo do Desportivo das Aves. O Académico joga sempre bem contra o Aves, e se na vila da Aves, tivemos sorte ao conseguir a vitória, hoje, ela é totalmente justa merecida, e peca apenas por ttardia, pois ao intervalo o Académico merecia estar a ganhar folgado e com o jogo decidido.
Estes Aves, se não tem perdido jogos inacreditáveis, estava nesta altura a lutar pela subida, e nós se temos sempre jogado assim, com esta alma, esta crença, esta qualidade, estávamos tb, em posição semelhante, mas isso, agora, de nada interessa, e o que interessa, unicamente é o jogo de Barcelos que tem de ser encarado como se fosse a nossa final da Taça de Portugal, e vamos fazer um jogo muito positivo, com uma entrada forte, marcar cedo e procurar o objetivo, fazer 12 pontos nos 4 jogos e chegar à pontuação da época anterior e ao lugar da época anterior, ainda possível, vamos pensar positivo, manter a atitude, APOIAR, APOIAR, APOIAR, o ACadémico, a sua Direção, o seu Treinador, os seus Jogadores.

Sê Academista, vem e traz um AMIGO!

No Fontelo cabem todos!

Juntos Somos mais Fortes!

Carlos Silva

domingo, 17 abril, 2016
Unknown disse...

Sofrendo pelo Académico aqui no Brasil. Força Académico, não vamos cair.

domingo, 17 abril, 2016
Paulo Teixeira disse...

Parece que o Aves esta época foi o cliente do Académico que mais momentos épicos deu, na primeira volta aquele 2-1 aos 90+3 e hoje o gigante Bura aos 90+5 transbordou a nossa alegria.
Bravo equipa, parabéns já merecíamos um momento assim há muito tempo, fomos felizes mas fizemos por isso e finalmente os outros resultados dos outros ajudaram, mas continuo a afirmar que não necessitamos disso, necessitamos sim é de ganhar os nossos jogos e podemos ganha-los todos até final da época só temos de ser iguais ao que fomos hoje, mostramos um grande coração uma grande atitude, uma atitude de campeão, continuem por nós que nós estaremos sempre convosco, OBRIGADO EQUIPA POR ESTE MOMENTO DE FELICIDADE!

FORÇA ACADÉMICO, SEMPRE ACADÉMICO.

Paulo Teixeira sócio 433



domingo, 17 abril, 2016
--FD disse...

Parabéns Académico!

Uma boa exibição, apesar dos erros defensivos, que nos permite respirar um pouco melhor. O golaço do Bura foi claramente o golo mais festejo dos últimos três anos.

Nada está ganho, longe disso, e temos de lutar pelos doze pontos que ainda estão em jogo.

Força Académico!

domingo, 17 abril, 2016
marco disse...

Grande académico, grandes jogadores, grandes adeptos e grande equipa técnica com grande pragmatismo. Eu acredito

segunda-feira, 18 abril, 2016
--FD disse...

Já repararam que segundo a Liga "Profissional" o golo foi creditado ao Ricardo Ferreira?

http://www.ligaportugal.pt/oou/jogo/20152016/ledmanligapro/42/3

segunda-feira, 18 abril, 2016
José Ferreira disse...

Tiago Gonçalves chegou ao jogo 254 pelo Académico e passa a ser o 6º jogador com mais jogos, ultrapassou Chalana.

Capela marcou o primeiro golo pelo Académico na Segunda Liga. Curiosamente este é o terceiro golo com a nossa camisola, os dois primeiros foram apontados na Taça da Liga, logo nos dois primeiros jogos ao serviço do nosso clube.

Bura não marcava pelo Académico desde a 18ª jornada (Sporting B 4-2 Ac. Viseu) fez o 5º golo na Segunda Liga, sendo o segundo melhor marcador da equipa, a par de Yuri, só menos um que Forbes.

É o segundo jogo que Bura resolve para o Académico já depois dos 90 minutos, tinha acontecido o mesmo na 4ª jornada (Santa Clara 0-1 Ac. Viseu).

Quarta vitória consecutiva do Académico sobre o Aves, a quinta nos últimos 6 jogos com os avenses. No Fontelo nas últimas 3 visitas o Aves sofreu sempre 3 golos.

segunda-feira, 18 abril, 2016
Anónimo disse...

Já agora, aquelas obras na bancada lateral são para quê? vão meter bancos naquela também?

segunda-feira, 18 abril, 2016
Anónimo disse...

Como quem pode ver as obras são apenas o pintar dos "bancos" no chão, nada mais...

terça-feira, 19 abril, 2016
--FD disse...

Posso estar enganado mas diria que as obras são para dotar o sector visitante de algumas cadeiras. Também me pareceu que aquele topo vai ser dividido em dois sectores (as obras estão a ser realizadas apenas no sector mais pequeno). Pena não haver hipóte$e de colocar uma pala na superior central.

terça-feira, 19 abril, 2016
--FD disse...

Notícia de interesse academista: http://www.jornaldocentro.pt/municipio-de-viseu-celebra-hoje-a-tarde-contratos-programa-com-academico-e-lusitano/

terça-feira, 19 abril, 2016