quarta-feira, abril 13, 2016

Ac. Viseu FC 1-2 Sporting CP B

Quando o jogo terminou o Académico estava abaixo da linha de água. No entanto o Santa Clara, que luta tal como nós para não descer, venceu o Freamunde nos últimos minutos da partida e chegou aos 48 pontos. Assim nós, os açorianos, o Leixões e o Benfica B temos o mesmo número de pontos. O desempate faz-se num campeonato a quatro e aí temos Leixões e Académico com 9 pontos, Santa Clara com 8 e Benfica B com 5 pontos o que faz com que sejam os dois últimos a estarem abaixo da linha de água juntamente com Farense, Oriental e Oliveirense.
Resta-nos continuar a acreditar que a manutenção é possível...


Estádio do Fontelo, 13 de abril de 2016
41ª Jornada da Ledman LigaPro
Árbitro: Cosme Machado (Braga)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Mathaus, Tiago Gonçalves (c), Bura e Yuri; Romeu Ribeiro (Bruno Loureiro, 65), Capela e Clayton (Moses, int); Carlos Eduardo, Tiago Borges e Zé Pedro (Forbes, 58). Treinador: Jorge Casquilha.

Sporting B: Stojkovic; Mama Baldé, Rukas, Domingos Duarte e Rúben Ribeiro; Kikas, Gauld e Francisco Geraldes (Fokobo, 82); Fábio Martins (Zezinho, 67), Cristian (Betinho, 78) e Podence. Treinador: João de Deus.


Golos: Fábio Martins 17 (0-1), Zé Pedro 31 (1-1), Fábio Martins 45+1 (1-2)


"Um bis de Fábio Martins deu, esta quarta-feira, a vitória ao Sporting B por 2-1 em casa do Académico de Viseu, deixando a equipa viseense na zona de descida da 2ª Liga.


Fábio Martins adiantou os jovens leões, aos 17 minutos, Zé Pedro igualou para o Académico de Viseu, aos 31, mas Fábio Martins bisou aos 45 e estabeleceu o que viria a ser o resultado final. 

Um jogo repartido, mas no qual o Sporting B foi mais eficaz, numa partida sem grandes oportunidades de golo, com os viseenses a revelarem muita ansiedade na forma como procuravam chegar à área leonina, sabendo que, nesta reta final do campeonato da 2ª Liga, precisam de pontos para escapar à despromoção.




Os comandados de João de Deus estiveram sempre mais serenos no jogo e foram eficazes na hora de rematar à baliza de Janota.


O primeiro golo surgiu com Fábio Martins a aparecer em boa posição, ao segundo poste, e a não perdoar. 


Reagiu o Académico de Viseu e viria a empatar, aos 31 minutos, com Zé Pedro, de cabeça, a responder a um bom cruzamento da direita de Tiago Borges.


Cresceu o Académico no jogo, à procura do segundo golo, mas seria o Sporting B a voltar a marcar, numa jogada muito semelhante ao do primeiro tento. Jogada de envolvimento pela direita e a bola a sobrar para Fábio Martins, que voltou a não perdoar frente a Janota.


Na segunda parte, Jorge Casquilha colocou mais gente na frente, mas Stojkovic, com algumas boas defesas, evitou que os viseenses chegassem à igualdade. Seria mesmo o Sporting B a ficar perto do terceiro golo, já nos minutos finais, mas Francisco Geraldes, isolado, não conseguiu bater Janota, que respondeu com grande defesa."

Crónica Lusa in Record

Notas aos jogadores (atribuídas pelo Record e aceites por nós para a eleição de jogador do mês/jogador do ano): 4 - Capela, Zé Pedro; 3 - Ricardo Janota, Tiago Gonçalves, Yuri, Romeu Ribeiro, Clayton, Carlos Eduardo, Tiago Borges e Moses; 2- Mathaus, Bura, Forbes, Bruno Loureiro.

5 comentários:

Unknown disse...

O Futebol é um jogo, é verdade, mas não é roleta, e para nós, Académico, há algo que temos de analisar, reanalisar, voltar a analisar, ver outra vez, e depois decidir como deve ser, veja-se, por exemplo: O Académico fez nestas 3 épocas 18 jogos contra as equipas B dos 3 grandes, pois nos 9 jogos fora, 8 derrotas e e empate, e nos 9 jogos em casa, apenas 2 vitórias, ou seja em 18 jogos o Académico não ganha 16 contra as equipas B dos chamados 3 grandes. Perguntar-se-á, mas tal aconteceu porque as equipas B dos 3 grandes forma muito melhores nesses jogos, pois mas nada disso aconteceu, e veja-se o caso do jogo de hoje, o Académico melhor, muito melhor do que este Sporting B, mais oportunidades de golo, o Sporting tem 2 oportunidades e meia e faz 2 golos, o 1º, na 1ª vez que vai À nossa Baliza. O Académico, embora sem fazer um jogo brilhante, longe disso, muito longe disso, não jogou mal, criou situações suficientes para ganhar, isto desde, obviamente, algumas, vá lá, metade das ocasiões dessem golo, e aí, a vitória seria, certamente, nossa, mas no FUTEBOL, que é um jogo, repito, mas não é roleta, só contam as que entram, e aquelas que o árbitro valida, em Chaves, por exemplo, Bura faz golo, mas o árbitro disse que não valeu, não vi as imagens e do sítio onde estava não vi qualquer falta, mas admito que possa ter existido, pois repito, estava muito longe.
Hoje, no Estádio, atingi o nível de desespero, pois, vi ao tempo a correr, a nossa equipa a fazer um esforço tremendo, com um desgate enorme acumulado dos jogos anteriores, o tempo corria, paragens sucessivas por lesões, em particular dos nossos jogadores, e o resultado adverso. Na 1ª parte depois de chegarmos ao empate, é inadmissível, inadmissível, impensável, inacreditável, intolerável, não pode voltar a acontecer, não vai voltar a acontecer, a forma como se sofrer o 2º golo, e na altura em que acontece, e da maneira que acontece, estava a placa do 1 minuto levantada, o Sporting trocava a bola calma e serenamente e nós não saímos na pressão para impedir aquelas trocas sucessivas, que deram azo a um abertura nas costas pela direita e ao 2º golo, do Sporting, na altura que não PODIA acontecer, e pela 379º sofremos um golo 1º, no jogo e vamos para o intervalo a perder:
Estou com a Equipa, estou com os Jogadores, estou com a Direção, mas nós os Sócios ADEPTOS do Académico não chegamos para a missão que temos pela frente, e temos de tudo fazer para que mais venham connosco, já Domingo, para TUDO, TUDO, fazermos para APOIAR, pois é a única coisa que temos a obrigação de fazer. Estes Sporting, Atlético e Oriental foram das 3 equipas mais fracas que passaram no Fontelo, mas todas elas ganharam, inacreditavelmente, inacreditavelmente, inacreditavelmente, inacreditavelmente, Domingo, o Aves, é um adversário muito, mas muito mais forte, repito joga muito, mas muito mais, muito mesmo muito, por isso tem de ser o melhor Académico, com sorte, precisamos de ter sorte para conseguir ganhar o jogo, repito, o Aves é muito, mesmo muito melhor.

(Continua)
Carlos Silva

quarta-feira, 13 abril, 2016
Unknown disse...

(continuação)

Esta é a nossa hora, esta é a nossa subida de Divisão, esta é altura de todos perceberam que o Académico faz FALTA, o Académico está vivo, e veja o que aconteceu em Aveiro, o Beira-Mar colapsou tinha 300 pessoas no Estádio de Aveiro a ver os jogos, e agora na 2ª distrital, tem jogos em que mete 6 mil pessoas, sim, repito e volto a repetir, 6 mil pessoas, aconteceu, por exemplo, no último jogo em casa, contra o colosso Vista Alegre, de Ílhavo, e perdeu, e está em sérios riscos de não conseguir subir da 2ª Distrital, espantoso.
Nós fizemos o caminho mais difícil depois do nosso Colapso que foi regressar aos Campeonatos profissionais, foi uma tarefa ciclópica, não vamos deixar de TUDO, TUDO, mesmo TUDO fazer para nos mantermos no LUGAR que é nosso por direito, o Académico, é de longe, e mostrou em quase todos os jogos, melhor do que o adversário que defrontava, encarou todos os jogos pela positiva, e merece é de toda a JUSTIÇA, jogar na próxima época na 2ª LIGA, mas ninguém nos vai garantir esse direito, se nós não fizermos, e BEM, a nossa parte, temos de perceber a importância do momento, TODOS!, TODOS!, TODOS!

É Agora a hora da UNIÃO da família Academista, hoje os adeptos estiveram bem, ao APOIAR a equipa, no fim do jogo, e deste modo pode ter começado, aqui a vitória do próximo, mas temos de APOIAr mais durante todo o tempo de jogo, temos de carregar a equipa Às costas para sermos os primeiros a marcar, temos de sofre, temos de saber sofrer, mas temos de impor o nosso jogo ao Adversário, de modo a que o adversário não se sinta à vontade e tenha "medo" de jogar no Fontelo, como sempre aconteceu, ou seja, como dizia o nosso Treinador Jorge Casquilha, no Fontelo, no tempo dele de jogador, mandava o Académico ,isto quando ele vistaiva o Fontelo como jogador da equipa adversária, tal tem de voltar acontecer e o FONTELO tem de ser a nossa fortaleza, nos 3 jogos que faltam, em casa. Fora, lá estarei, também, obviamente, para dar o meu APOIO e fazer a equipa sentir-se, em CASA!

Repito, como comecei, saí do Fontelo, desesperado, mas com uma fé tremenda e uma vontade enorme de ver chegar rapidamente domingo, mas isso sou eu como adepto, pois para os jogadores, desejo um bom período de descanso, 24 horas, pois não dá mais, e depois um querer enorme e voltar com forças vindas de onde as for possível ir buscar, pois percebo o cansaço com que todos os jogadores acabaram o jogo de hoje, foi física e mentalmente extenuante, mas a hora exige, um esforço adicional da parte de TODOS.

Excelente recuperação e Força Académico!

Carlos Silva

quarta-feira, 13 abril, 2016
Paulo Teixeira disse...

Realmente tudo nos acontece, coragem equipa, forca e acreditem porque ha mais gente que acredita!

Paulo Teixeira socio 433

quinta-feira, 14 abril, 2016
Pedro A,aral disse...

Boa note,

Ontem desloquei-me ao municipal do Fontelo para assistir ao Ac. Viseu – Sporting B.
Na entrada para o estádio, não me foi permitido levar chapéu… disseram-me que eram as regras, e eu aceitei…
Em pleno estádio, deparo com uma bandeira da claque do Sporting com mais de 3 metros. Pergunto eu, que regras são estas. Não entendo….
Já agora, se o académico quiser levar mais gente ao estádio, tem que fazer mais uma bancada coberta. Pois vi algumas pessoas a ir embora por causa do mau tempo…
Quanto ao jogo, foi pena o resultados…

Cumprimentos a todos e desculpem este desabafo
Pedro

quinta-feira, 14 abril, 2016
--FD disse...

Concordo com a análise do mister relativamente ao último jogo e com o apelo que o mesmo fez: https://www.youtube.com/watch?v=dr9Kw-csZMk . O Académico precisa de nós, há que levar mais gente ao estádio.

Força Académico!

quinta-feira, 14 abril, 2016