segunda-feira, maio 01, 2017

Recordar: Fernando Cabrita

NOME COMPLETO
Fernando da Silva Cabrita
NOME
Fernando Cabrita
DATA DE NASCIMENTO
01/05/1923
NATURALIDADE
Lagos
POSIÇÃO
Treinador
ESTREIA
Rio Ave 1-1 Ac. Viseu (23/08/1981)
ÚLTIMO JOGO
Ac. Viseu 1-5 Sp. Braga (05/03/1989)
JOGOS
47
VITÓRIAS
15
EMPATES
6
DERROTAS
26
GOLOS MARCADOS
40
GOLOS SOFRIDOS
85
ÉPOCAS
81/82, 88/89



Fernando Cabrita é um dos grandes nomes do futebol português que em Viseu não foi feliz, a nível desportivo, uma vez que esteve ligado a duas descidas de divisão do CAF.

Em 81/82 foi o treinador academista em toda a época. Apesar do Académico de Viseu não ter tido uma época calma a verdade é que ninguém esperava que acontecesse o que aconteceu, a descida.

 À 27ª jornada – a três jornadas do fim do campeonato – o Académico venceu o União de Leiria, no Campo dos Trambelos, por 2-1 e ficava com três pontos de vantagem sobre a linha de água (Amora). Na altura uma vitória valia dois pontos pelo que já não se esperava a descida de divisão.

Na 28ª jornada o Académico deslocou-se a Guimarães e perdeu por esclarecedores 3-0. Os 3 pontos de avanço ficaram reduzidos a um, uma vez que o Amora venceu o Belenenses por 2-1. Nada de alarmante até porque na 29ª jornada o Amora teria que se deslocar a Viseu.

Na 29ª jornada, infelizmente, o Académico foi incapaz de bater o Amora (0-0). A confusão na tabela era muita. A União de Leira, com 18 pontos, já estava despromovida mas os restantes estavam envolvidos num grande combate. Penafiel e Académico com 23 pontos, Estoril e Amora com 22 pontos e Belenenses com 20 eram os protagonistas da luta pela permanência.

Até que chegou a 30ª jornada. O Académico perdeu no terreno do Estoril (1-0) e precisava assim que o Amora não vencesse. No entanto na Medideira, o terreno do Amora, a equipa da casa despachou o Sporting de Braga com um espetacular 5-0 e o Académico desceu mesmo de divisão. Desceu com 23 pontos os mesmos do Penafiel. No confronto direto estavam empatados (1-0 em Penafiel para os da casa, 1-0 no Fontelo para o CAF) mas na diferença de golos os durienses foram melhores (20-37, contra 24-52).

O curioso nesta descida é que ela não aconteceria se na altura a vitória valesse, como agora, três pontos. Nesse caso desceria o Amora.

Em 88/89 voltou a ser o treinador do CAF, novamente na 1ª Divisão. Chegou na 17ª jornada para substituir Carlos Alhinho. O Académico era 18º classificado (antepenúltimo) com 10 pontos correspondentes a 2 vitórias, 6 empates e 8 derrotas. No primeiro jogo em Espinho o Académico perdeu por 1-0. Quatro vitórias, um empate e 8 derrotas depois, com o Académico na última posição – a 5 pontos da salvação – Fernando Cabrita deixou o comando técnico da equipa. Foi substituído por Basto – depois seguiu-se Álvaro Carolino – mas o Académico desceu mesmo. 

Na sua passagem pelo Académico as vitórias mais folgadas que conseguiu foram um 3-0 ao Portimonense, em 81/82, golos de Rodrigo, Emanuel e Flávio, e o mesmo resultado, na mesma época, com o Estoril com os golos academistas a serem apontados por Flávio e Joel (2).
No reverso da medalha, o destaque negativo vai para uma derrota frente ao Sporting de Braga por 5-0, em 81/82 e um 6-1 frente ao Boavista na mesma época. Em 88/89 também perdeu por 5-0 nas Antas.

A sua pior sequência, ao comando do Académico, ocorreu entre 7 de março de 1982 e 25 de abril de 1982 (4 derrotas e uma vitória). 
A melhor sequência deu-se entre 6 de dezembro de 1981 e 27 de dezembro de 1981, com um empate e três vitórias. Esse ciclo iniciou-se com uma vitória frente ao Portimonense por 3-0, ao que se seguiu um empate a um golo em Leiria, golo de Serginho. Ao terceiro jogo o Académico vistou o terreno do Lusitano de Évora e, em jogo a contar para a Taça de Portugal, o Académico venceu por 3-1 com golos de Joel, Inaldo e Herédia. A sequência terminou com a vitória frente ao Guimarães, por 2-0, com os golos academistas a serem apontados por Serginho e Flávio.

0 comentários: