domingo, abril 27, 2014

Portimonense SC 4-0 Ac. Viseu FC

Estádio Municipal de Portimão, 27 de abril de 2014
40ª Jornada da Liga 2 Cabovisão
Árbitro: João Capela (Lisboa)

Portimonense: Márcio Ramos; Ricardo Pessoa, Moreno, Rui Correia e Nelsinho; Wakaso, Diogo Melo (Semedo, 63) e Mica (Fabrício, 61); Kanazaki, Zambujo (Theo, 73) e Dyego Sousa. Treinador: José Augusto.

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tiago Costa, Cláudio, Paulo Monteiro e Ricardo Ferreira; João Alves (Tiago Gonçalves, int) e Bruno Loureiro; João Martins, Luisinho e Fausto Lourenço (Bruno Grou, 81); Cafú (Leonel, 73). Treinador: Ricardo Chéu.

Expulsão: Cláudio 39


Golos: Wakaso 36 (1-0), Ricardo Pessoa 41 gp (2-0), Zambujo 55 (3-0), Mica 56 (4-0)


O Portimonense voltou este domingo às vitórias, com um resultado expressivo diante do Académico de Viseu, por 4-0, em jogo da 40.ª jornada da Segunda Liga portuguesa, mantendo-se na disputa pela subida de escalão. A equipa de Portimão, que vinha de uma derrota na jornada anterior frente ao União da Madeira (3-0), chegou ao intervalo em vantagem, com golos de Wacaso, aos 37 minutos, e de Ricardo Pessoa (41). Na segunda parte, Zambujo (54) dilatou o marcador, tendo Mica (55) marcado o tento que fixou o resultado.


O Portimonense, que ainda mantém a ambição de subir de escalão, dominou a partida diante de um Académico de Viseu já sem ambições na classificação, e que jogou metade do encontro reduzido a dez elementos, por expulsão de Cláudio perto do intervalo. Os algarvios colocaram-se em vantagem, aos 37 minutos, por intermédio de Wacaso, depois de várias oportunidades de golo falhadas, as melhores protagonizadas por Mica (14 e 20) e Kanazaki (30). Ricardo Pessoa dilatou a vantagem para os algarvios, aos 41 minutos, ao converter uma grande penalidade, na sequência de uma falta de Cláudio sobre Kanazaki, lance que esteve na origem do vermelho direto mostrado ao jogador do Académico. No segundo tempo, o Portimonense manteve o ritmo de jogo e a pressão atacante, resultou em mais dois golos: Zambujo (54), assistido por Kanazaki, aumentou o marcador e, um minuto depois, Mica isolou-se e marcou o quarto golo, resultado que se manteve até ao final.


A partir do quarto golo, os algarvios baixaram o ritmo de jogo, dando a iniciativa de jogo ao Académico de Viseu, que até ao final da partida apenas por duas vezes conseguiu incomodar, sem perigo, o guarda-redes Márcio Ramos, que foi um mero espectador durante a partida.


In Record

Notas aos jogadores (atribuídas pelo Record): Ricardo Janota (3), Tiago Costa (2), Cláudio (0,5 - na verdade o jornal atribuiu a nota zero, para nós não há notas zero), Paulo Monteiro (2), Ricardo Ferreira (2), João Alves (1), João Martins (3), Bruno Loureiro (2), Fausto Lourenço (2), Cafú (2), Luisinho (3), Tiago Gonçalves (2), Leonel (1), Bruno Grou (1).

14 comentários:

Anónimo disse...

Esta época fica claramente dividida em 3 partes:

- a primeira, correspondente à era do Filipe Moreira, em que jogávamos para o pontinho. Repare-se que a média de 1 ponto por jogo, que na altura vínhamos fazendo, seria agora claramente curta para a manutenção (o Atlético tem agora 40 pontos);

- a segunda, começa com a entrada do Ricardo Chéu, em que a equipa finalmente começa a jogar de acordo com a valia do plantel. Aí garantimos a manutenção e com o acumular dos pontos foi inevitável olhar para os lugares de subida;

- a terceira: quando se instalava uma contida esperança de podermos subir, surge o caso do belenenses, e estranhamente a equipa cai a pique. Depois, as 2 derrotas com os 2 últimos ficaram um pouco atravessadas, porque com esses 6 pontos tínhamos entrado claramente na luta.

O foco, está agora na próxima época, em que espero que o clube, possa construir uma equipa que ataque a subida desde a 1ª jornada.

Quanto ao treinador, gostava que o Chéu pudesse ficar. Ainda assim, não entro em endeusamentos, nem em comparações precipitadas, como quando se afirmava estar descoberto o novo Mourinho.

Antes do Académico, ele nada tem a apresentar de relevo. No entanto, gosto do seu discurso e da sua ambição durante os jogos. È uma aposta com algum risco, mas prefiro isso que ir buscar um cinquentão instalado e que pouco possa progredir.


Concluindo, o assunto Chéu, a minha maior dúvida, está na segunda fase que indiquei:
será aquele Académico que deslumbrou com grandes jogos, fruto exclusivo das capacidades do Chéu, ou resultou acima de tudo de um processo de libertação dos jogadores, que pareciam claramente de braços caídos com a antiga equipa técnica?

Miguel

domingo, 27 abril, 2014
marco disse...

Boa questao.... Nao sei quem podera responder, mas confesso que Concordo com a analise na sua totalidade... O caso belenenses causou mossa

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

Agora Depois ver isto tudo etc......
Fico na duvida:
O Ricardo Cheu trouxe algo de novo a equipe ??
Ou foram os Jagodores que ja nao podiam ver o FM ???
Ou melhor :Sera algum merito do R Cheu em todo este processo ou Demerito do FM com os seus discursos cansativos e chatos etc.......
Tambem julgo que se Pos o R.Cheu um pouco nas Nuvens . Ele tem que voltar a Terra rapidamente.

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

Nao quero nem vou falar negativamente do Treinador e jogadores.

Mas penso que os Academistas de Viseu fizeram claramente um passeio a Portimao neste Domingo ultimo. ( Passeio de Pre veraneio.) So pode.......Nao ha outra conclusao possivel. Depois de ler os Desportivos. ( ABola ainda diz que podia ter sido bem pior ) Foi um Tsunami que passou pelo Estadio Do Portimonense ?? Fugimos Todos .......???Aonde estao os Homens De Luta e Confronto desportivo....???
VERGONHA!

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

PASSEI UM LONGO FIM DE SEMANA NO ALGARVE ,FIZ DE PROPOSITO PARA QUE PUDESSE ASSISTIR AO MEU ACADEMICO .PORTANTO VI O JOGO E SO LAMENTO O QUE ACONTECEU POR UMA PESSOA. ( RICARDO JANOTA ) O MENOS CULPADO DE TODO AQUELE VENDAVAL E DEZACERTO COLETIVO DA SUA EQUIPE .( CLARAMENTE NAO MERECIA ).E NO PRINCIPIO ERA UM ACERRIMO CRITICO DELE.........SIMPLESMENTE NAO O CONHECIA. SEM SER UM GUARDA REDES EXUBERANTE . PRIMA PELO PROFISSIONALISMO , COMPETENCIA E REGULARIDADE.

segunda-feira, 28 abril, 2014
Paulo Teixeira disse...

Mais uma deslocação mais uma goleada, descompressão sim desatenção total é que não, não se consegue perceber bem o que vai nesta equipa, sei que no final ficar em 4º ou em 21º o prémio é o mesmo, mas depois de tudo o que disseram de bem de nós na comunicação social acho que era de bom tom acabar com mais dignidade este campeonato, também sei que do outro lado estava uma grande equipa, mas esta equipa foi a mesma que levou 3 no Fontelo na primeira volta.
De facto desde a noticia da saída do Cheu para o Belém que a equipa caiu a pique, pode ser coincidência ou talvez não!
Sou de opinião que se deve manter o treinador para a próxima época assim como a maioria do plantel, isto se o conseguirmos segurar, pois de certeza absoluta que deve haver gente ilustre interessada em alguns academistas!
decididamente não estou a gostar deste final de época, mas não vou ficar contra a equipa isso nunca, não gostei daquilo que se passou em Portimão mas já lá vai, domingo temos um jogo no Fontelo decididamente para ganhar!

Paulo Teixeira sócio 752 com o mesmo orgulho na equipa e na cidade!

segunda-feira, 28 abril, 2014
--FD disse...

No meu entender a equipa melhorou bastante com a entrada do Ricardo Chéu. Não acredito que tenha sido uma mera coincidência e que os excelentes resultados tenham acontecido apenas pela "libertação" dos jogadores. Houve claramente uma mudança de ambição e de discurso e, por exemplo, a primeira vitória fora de portas aconteceu apenas na era Ricardo Chéu.

Agora há claramente uma altura em que a equipa perde embalo. Esse momento coincidiu com o "assédio" por parte do Belenenses mas também é verdade que foi uma altura com muitos castigos e lesões. Não nos podemos esquecer que o João Martins - um jogador bastante regular e que vinha a fazer grandes jogos - esteve muito tempo sem poder competir devido a uma lesão. O mesmo se aplica, por exemplo, ao Paulo Monteiro. Contra o Beira-Mar ganhámos nos últimos instantes do jogo mas quem foi ao Estádio do Fontelo viu que a equipa esteve uns furos abaixo dos jogos anteriores. A equipa perdeu na Tapadinha contra o Atlético - na altura último classificado - e esse resultado negativo parece ter deixado marcas. A pressão aumentou, até porque a ideia de subida de divisão já pairava em muitas cabeças e eis que recebemos o Trofense em casa (na altura penúltimo classificado). Já se falou muito sobre o jogo, para mim a atitude do Trofense foi vergonhosa, mas a verdade é que perdemos seis pontos contra as duas últimas equipas e o jogo contra o Penafiel veio confirmar o fim do ciclo. A partir daí o Académico começou claramente a jogar sem chama e já a pensar no (merecido) descanso. Há também mais um dado que aponta para a dificuldade da equipa em lidar com a pressão: já passaram 39 jornadas e ainda não foi possível ver o Académico pontuar depois de sofrer o primeiro golo. E, de repente - posso estar enganado, apenas me lembro de marcamos golos contra o Benfica no Seixal e contra o FC Porto igualmente fora de portas.

Faltam ainda mais dois jogos e eu gostava que o Académico lutasse pela vitória até porque neste momento tem o décimo lugar em risco.

Pena os sobressaltos das últimas jornadas, caso contrário iríamos todos terminar a época mais contentes mas podemos afirmar que no cômputo geral os objectivos foram superados. Para além de termos conseguido a manutenção, chegámos à 39ª jornada ainda com possibilidades (ainda que meramente matemáticas) de subir de divisão.

Resta desejar que os dois últimos jogos corram bem, sem lesões e sem casos e que se comece a preparar a próxima época tentando renovar com o maior número possível das pedras basilares do plantel. Quanto à equipa técnica, gostava que houvesse igualmente renovação mas que acima de tudo (e isto aplica-se a todos) houvesse ambição. Ambição para melhorar o que de mal correu nesta época de estreia na Segunda Liga e, quem sabe e com os pés muito bem assentes no chão, tentar lutar por um lugar de subida se houver condições para tal. Os adeptos têm também um papel muito importante. Há que apoiar o Clube (nos bons e nos maus momentos) e ajudá-lo a crescer.

Força Académico de Viseu!

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

Boa tarde,
Penso que se o A.de Viseu ficar com este treinador para a proxima época vai continuar esta vergonha de resultados, o que é que este treinador fez?
Nada simplesmente foi o valor da equipa que funcionou, quando foi necessário o treinador intervir na equipa por castigos ou lesões foi este desastre, não percebe nada!!
Dizer que quer ganhar qualquer um diz é preciso é colocar a equipa a jogar e isso este treinador não sabe!!!!!!

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

4/0 vergonhoso a culpa foi de quem? O árbito?claro que não, já não á nada para ganhar mas; há uma imagem para defender

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

COM ESTA GOLEADA MOSTROU QUE NÃO É MELHOR QUE O FM SO É DIFERENTE, SINCERAMENTE N SEI SE DÁ.

segunda-feira, 28 abril, 2014
Anónimo disse...

Com a derrota aparecem os comentários...dos falsos academistas e dos destabilizadores(ou pelo menos tentam!) enfim, o normal!!!! Tenham vergonha (falsos academistas!!!)!!!!

terça-feira, 29 abril, 2014
Anónimo disse...

Se a equipa esta mal tem que se falar, se o treinador n esta a fazer boas opçoes tem que se falar, profissional tem que saber lidar com a pressão

terça-feira, 29 abril, 2014
Anónimo disse...

Mas por acaso põem-se em causa o trabalho de uma equipa (treinadores e jogadores), assim como a planificação da próxima época, por causa de dois ou três maus resultados???? Tem que se avaliar muito mais do que isso!!!! O saldo nesta altura é mais do que positivo!!!! No inicio do ano andávamos a fazer contas para não descer!!!!! Não podemos ter memória curta!! E criticar por criticar...não vejo nada de positivo nisso... Mas como há tantos treinadores de bancada, filósofos de futebol e afins, por aí...

quarta-feira, 30 abril, 2014
--FD disse...

Notícia de interesse academista.

Terminou a época para o Paulo Monteiro: http://www.ligaportugal.pt/media/27258/comunicado-oficial-363.pdf

Após quase meio ano eis que surge o processo disciplinar dos acontecimentos no jogo contra o Trofense.

quarta-feira, 30 abril, 2014