domingo, fevereiro 09, 2014

Ac. Viseu FC 1-0 CF União

Estádio do Fontelo, 9 de fevereiro de 2014
29ª Jornada da Liga 2 Cabovisão
Árbitro: Nuno Almeida (Algarve)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tomé, Thiago Pereira, Cláudio e Dalbert; João Alves, João Martins e Bruno Loureiro; Fausto Lourenço (Leonel, 61), Luisinho (Tiago Costa, 72) e Cafú (Zé Rui, 86). Treinador: Ricardo Chéu.

U. Madeira: Trigueira; Carlos Manuel, Roberto, Ginho e Gil Barros; Tony (Calico, 90), Babo e Rúben Andrade (Chixaro, 82); Ferran Tancon (Choco, int), Adilson e Miguel Fidalgo. Treinador: Rui Mâncio.

Golo: João Martins 38 (1-0)


O Académico tinha hoje mais um difícil teste, frente ao União da Madeira do nosso bem conhecido Calico.

Á partida para este jogo as equipas estavam separadas por apenas 2 pontos, sendo que o União ocupava a 10ª posição enquanto o Académico, estava na 13ª posição.

O Académico alinhou com Janota, Tomé, Thiago, Cláudio e o estreante Dalbert, João Alves, João Martins, Bruno Loureiro, Luisinho, Fausto Lourenço e Cafu.

Assim que o jogo começou, e apesar do bom estado do terreno, para a intempérie que se tem abatido sobre Viseu nos últimos dias, logo deu para perceber que a bola não rolava na relva, o que obrigou os jogadores academistas, a jogar mais pelo ar.

O Académico pressionava mais pelo lado direito do ataque, onde Fausto Lourenço esteve em destaque, pelos cruzamentos que fez, com um deles a criar muito perigo uma vez que Cafu, cabeceou ao lado, quando tinha tudo para fazer o golo.

O meio campo academista, ia tentando trocar a bola, e criar espaços para as desmarcações de Luisinho Cafu e Fausto Lourenço.

Na equipa adversária Arthuro e Toni destacavam-se pela qualidade técnica, com o avançado, a dar muito que fazer á defesa academista, e o centro campista a pautar todo o jogo do União.

Aos 35m a grande ocasião para o Académico inaugurar o marcador, João Martins centra da direita, e Fausto, no centro da área, a rematar em “raquete”, mas ao lado da baliza.

Pouco tempo depois, finalmente o golo Academista, Cafu centra da esquerda, Fausto domina no interior da área, sem hipóteses de remate, atrasa para João Martins, que atira para o fundo das redes do União.

Na 2ª parte, as condições climáticas pioraram, o relvado foi ficando cada vez mais pesado, e foi sem grande surpresa, que a qualidade técnica desapareceu.

O União não tinha nada a perder, e foi sem surpresa que se acercou mais vezes da área Academista.  Toni incansável no meio campo, Arthuro e Choco na frente de ataque, fizeram com que Tomé, Cláudio,Thiago e principalmente Dalbert, tivessem de se aplicar e bem.

Dalbert, não pensaria concerteza , uma estreia desta natureza, tal foram as dificuldades, que sentiu em parar Choco. Mas diga-se que foi uma estreia bastante agradável, deu para perceber que tem técnica, e remate fácil.

Ricardo Chéu, foi refrescando a equipa, uma vez que se notava algum défice físico em alguns jogadores, trocando  Fausto por Leonel,  Luisinho por Tiago Costa, e a poucos minutos do fim, fez entrar Zé Rui para o lugar de Cafu.

Destaque no União para a saída do experiente Toni, que fez um grande jogo, e esteve em todo o lado, para a entrada no “nosso” Calico, ex-capitão academista. 

Convém referenciar que os Academistas nunca se esquecem de quem honrou a nossa camisola, e brindaram o jogador com muitos aplausos.

Vitória justa, contra a grande réplica desta equipa do União da Madeira.


Boa arbitragem de Nuno Almeida, com pequenos erros, mas sem nenhuma interferência no decorrer do jogo.

João Nunes, sócio nº 100

15 comentários:

académicomania disse...

Um muito obrigado Académico pelas alegrias que me têm dado! Estão de parabéns! Somos um dos planteis mais fortes da segunda liga e não duvidem disso, vocês jogadores acreditem que são bons e que podem ganhar todos os jogos, continuem a trabalhar e com humildade e vão ver se as coisas acontecem como têm acontecido.. Quando o bom tempo aparecer o fontelo vai se compor para vos agradecer que o académico merece.
Parabéns pela vitoria e continuem assim! Força Académico!!

domingo, 09 fevereiro, 2014
562 disse...

No site de a bola, o jogo deu empate: 0-0. A classificação tambem está adulterada.

domingo, 09 fevereiro, 2014
José Carlos Ferreira disse...

É a habitual falta de respeito, hoje jogam os estarolas. É jogo que não tenciono ver!

domingo, 09 fevereiro, 2014
Paulo Teixeira disse...

Um grande dia para o nosso Académico uma vitória dificil mas muito saborosa a equipa hoje soube dar resposta á altura e agora que difinitivamente mandá-mos o fantasma da descida para outros lados, a partir daqui pés bem assentes no chão estamos no lugar que eu idealizava é necessário continuar esta boa senda de resultados e porque não ganhar em Santa Maria da Feira no próximo domingo e matar outro borrego!
Para terminar enquanto em alguns estádio do país caem bocados da cobertura no Fontelo cai magia!

Paulo Teixeira sócio 752 a sofrer desde 1982 e hoje com um orgulho do tamanho do mundo!

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

Excelente jogo num relvado difícil e perante um bom adversário que deu muita luta e jogou taco a taco.
Hoje o Académico mostrou que está sólido, muito sólido mesmo e pode lançar-se para voos mais altos, com o descanso de já não ter de olhar sempre para trás.
Meus caros, este Académico está bem, muito bem e somos nós que devemos aparecer no Fontelo em grande número para apoiar os atletas.
Uma palavra para o nosso técnico Chéu, que teve hoje uma prova muito dura e saiu-se muito bem. Já não há sobressaltos quando mexe na equipa e acrescenta sempre algo mais. Muito bem! Que diferença para o passado recente!
Repito, só falta encher o Fontelo, dar uma resposta total e mostrar aos directores que podem contar com a cidade para voos maiores, no futuro. Cada um de nós tem de levar um Amigo e é preciso voltar a juntar as famílias no Fontelo.
Hoje o Académico cresceu e muito. Depois deste jogo, podemos esperar tudo.
Académico!

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

Só um reparo, no lance do golo o Fausto remata mesmo, o Trigueira defende para a frente e o João Martins encostou.

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...


Ricardo Janota na Baliza,
Tomé, Pereira, Cláudio, Dalbert (estreia),
Bruno Loureiro, João Martins, João Alves e Fausto;
Luisinho e Cafú.
Entraram na 2ª parte: Leonel, Tiago Costa e Zé Rui para os lugares de, Luisinho, Fausto e Cafú

Marcadores: João Martins (1ª parte)

Treinador: Ricardo Chéu


Jogo no Fontelo perante condições climatéricas adversas, estado do relvado fácil de imaginar, muita água, a bola rolava com dificuldade, ou seja um jogo para guerreiros, mas os jogadores do Académico foram mais do que isso, pois perante condições tão adversas seria de supor que se abdicaria de jogar futebol e se tentaria colocar a bola lá na frente de qualquer jeito, mas não foi isso que aconteceu e o Académico, em especial na 1ª parte criou excelentes jogadas, que mesmo com terreno seco seriam considerados lances de bom futebol.
Durante a 1ª parte o Académico foi claramente a melhor equipa em campo, criou 4 lances de grande perigo, tendo concretizado um deles, já depois de três desperdícios, um deles por Cafú, o 1º que poderia ter dado vantagem ao Académico, mas Cafú, mais uma grande jogo, não conseguiu encaminhar a bola para a baliza, fica para a próxima!
No golo de João Martins há uma jogada de envolvimento de toda a equipa, e na sobra João Martins com grande categoria, pois já vi muito jogadores falharem naquela situação, encostou de forma decidida para o golo.
A 1ª parte chega com o Académico a ganhar por 1, mas se estivesse a ganhar por 2, seria mais justo, pois apesar da boa atitude do União da Madeira (muito bons jogadores que sabem trocar muito bem a bola e que não se limitaram a defender) poucas ou nenhumas ocasiões de perigo criaram durante a 1ª parte.
Na 2ª parte o União da Madeira, a perder arriscou mais, teve mais posse de bola, criou alguns lances de aperto junto da baliza do Académico, sem no entanto criar lances iminentes de golo. O Académico em saídas rápidas, que hoje não saíram tão bem como de costume, ainda assim foi a equipa que mais perigo criou também na 2ª parte.
Em resumo vitória justa do Académico, muito difícil de conseguir, e que nos colca na metade cimeira da tabela. Falta uma vitória para em definitivo se assegurar o 1º objectivo da época. Já ultrapassámos o Beira-Mar na classificação e temos mesmo acima de nós, os nossos rivais da Beira-Alta, Covilhã e Tondela, que agora se constituem como as próximas equipas que queremos alcançar. Já ultrapassámos também os nossos companheiros de subida, Farense e Desportivo de Chaves.
Estamos na melhor fase da época a conseguir bons resultados e boas exibições, sendo a grande diferença relativamente a alguns dos últimos jogos da era Filipe Moreira, os resultados, pois as exibições já eram boas na maioria dos jogos da parte final da era Filipe Moreira. Ricardo Chéu, bem, muito bem, aproveitou o que de bom o Académico tinha, nomeadamente a sua solidez defensiva, deu o seu toque pessoal e com isso a equipa começou a ganhar jogos, que era de facto o que todos queríamos, mais vitórias e mais pontos e esse mérito é todo de Ricardo Chéu, sejamos claros.


(continua)

Carlos Silva

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

(continuação)

O Académico em casa tem o maior número de vitórias juntamente com o Portimonense e fora de casa tem o menor número juntamente com o Atlético. Se conseguirmos resolver, esta época e para futuro, esta situação, então seremos sempre uma equipa e um Clube candidato aos lugares cimeiros.
Vamos fazer uma coisa de cada vez e vamos apenas e só pensar no próximo jogo, em Santa Maria da Feira, onde com atitude demonstrada, hoje, perante um terreno que causa um desgaste difícil de imaginar, estou em crer que vamos dar uma resposta À altura.
Há que resolver rapidamente a situação da cobertura na bancada superior, pois o futebol joga-se essencialmente de inverno, e não é possível querer que as pessoas estejam o jogo todo debaixo de vento e chuva. A própria central coberta tem de ter uma qualquer intervenção que permita que todos os lugares sejam efectivamente cobertos!
Em termos individuais, hoje Janota perante as dificuldades que este terreno e este tempo colocaram, esteve globalmente bem, tendo um ou outro lance em que teve mais dificuldades, mas qualquer um teria. A defesa excelente, como sempre com Cláudio imperial, Pereira, sempre tranquilo, Tomé correu por dois e o estreante Dalbert, vindo do Flamengo um colosso do Brasil, teve uma estreia de alta categoria, perante tamanha adversidade, pois soube adaptar-se ao estado do relvado e parecia que já jogava há meses com o seu colega, mostrou claramente que é um jogador de categoria.
No meio campo trabalhadores incansáveis, e na frente Luisinho e Cafú muito bem, em especial Luisinho que com um terreno nada ao seu jeito faz um jogo de grande qualidade.
O Académico precisa de rapidamente chegar aos 3 mil sócios e isso só se consegue com bons resultados e boas exibições em 1º lugar, estão a acontecer e são o mais difícil de conseguir, mas têm de ser acompanhadas de uma campanha agressiva de angariação de Sócios. Deixo algumas sugestões para a Direção ter em conta se achar por bem:
• Entregar uma proposta de Sócio a todo o adepto que assiste a um jogo no Fontelo, por exemplo no jogo com o Benfica, juntamente com um autocolante do Académico e um calendário, por exemplo. Como falta apenas um terço da época dar a possibilidade de por exemplo 20 ou 25 euros ver todos os jogos até final da época sem mais nada pagar e ficar desde já Sócio do Académico
• Colocar na Loja do Académico no palácio do gelo as mesmas propostas para angariação de sócios e os mesmos calendários e autocolantes
• Colocar publicidade no site que ainda está por concluir e a possibilidade de inscrição on-line de sócio
• Criar o pacote família
Estamos no bom caminho, muito já foi feito, mas temos de ir um pouco mais além e precisamos mesmo de chegar aos 3 mil sócios para dar sustentabilidade a este projecto magnífico e com pés para andar como poucos, pois a paixão pelo Académico é algo difil de igualar e a magia do estádio do Fontelo é algo que depois de se entrar, dificilmente se deixa de o voltar a fazer, isto é válido para jogadores, sócios e adeptos. Há algo de mágico no Fontelo!

Ricardo Chéu 6 jogos, 5 vitórias, 1 empate, os números falam por si

Arbitragem razoável, melhor no aspeto disciplinar do que técnico, e também a sofrer com as condições do relvado, no entanto sem qualquer interferência no resultado.



A Claque do Académico esteve excelente no apoio ao Académico debaixo da intempérie. Devem fazer sempre assim, limitares-mse a apoiar o Académico e NUNCa mas NUNCA envolverem-se em quaisquer situações que possam ser alvo de crítica, e que todos sabem quais são!

(continua 2)

Carlos Silva

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

(Continua 2)

Hoje, repito, muito bem, excelente a forma como estiveram a dar o seu APOIO. Assim é bontito de se ver e vale a pena ter um Claque de Apoio. Nunca se exqueçam, no entanto que se fizeram 10 vezes bem e um mal, todos irão apenas falar dessa vez em que estiveram mal e por isso só há uma forma de evitar que tal aconteça, isto é terem uma atitude sempre exemplar, sem reagir a qualquer tipo de provocação e deste modo todos respeitarão a Claque do Académio.

Nós Somos o Académico!

Sê Sócio e traz um amigo!

Força Académico!
Força Ricardo Chéu

Carlos Silva

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

De referir o regresso de Calico ao Fontelo, muito saudado, pelo público Academista, apesar de naqulea altura todos estarem preocupados com o resultado do jogo, pois o jogo estava dificil, ainda assim Calico foi apaludido, como merecia e imagino o que terá sentido Calico a pisar o Fontelo com umaa camisola que não a do Académico, algo que nunca acnteceu, mas o futebol e a vida são mesmo assim e Calico só tem de estar orgulhoso de tudo o que deu ao Académico e quem sabe ainda poderá vir a dar! O Académico, por sua vez também deu a Calico a possibilidade de ter uma carreira como jogadro profissional de futebol e isso nunca mais se esquece!

Força Calico!

Carlos Silva

domingo, 09 fevereiro, 2014
--FD disse...

Mais um excelente resultado do nosso Académico! Foi um jogo muito difícil, perante uma equipa organizada e com uma elevada correcção dentro das quatro linhas.

O Académico somou hoje três importantes pontos e temos de manter os pés muito bem assentes na terra e não cair na tentação de olhar "lá para cima". O grande objectivo do Académico é a manutenção - que, convém lembrar, está bem encaminhada mas ainda não está conseguida - e não podemos entrar em euforias. É certo que neste momento estamos na primeira metade da tabela - cuidado que o Farense e o Chaves ainda não jogaram - mas o 18º lugar, por exemplo, está a uns míseros quatro pontos - e atenção que o Braga também ainda não jogou. Temos portanto de preparar muito bem todos os jogos, gerir a euforia e respeitar todos os adversários. Obviamente que, tal como qualquer Academista, sonho com a subida mas não tenho pressa. Para que isso aconteça sem sobressaltos o Clube tem de crescer e a cidade tem de apoiar o seu principal Clube. Nesse sentido aplaudo mais uma vez as ideias do Sr. Carlos Silva e faço votos para que a direcção ponha em prática algumas. Assim que conseguirmos o grande objectivo da manutenção temos de começar a preparar já a próxima época e para do planeamento da equipa o Académico de Viseu precisa de sócios, muitos sócios. Neste momento não sei quantos somos mas tenho dúvidas que sejamos mais de 1000. Este número é demasiado baixo para podermos aspirar a outros voos.

Força Académico de Viseu!

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

Falar de Filipe Moreira e comparar este académico com o anterior parece-me no mínimo de mau gosto. Nem sei por onde começar, se pelas péssimas exibições fora de casa e sermos o único clube à 23ª jornada, data em que felizmente foi à sua vida, que não tinha uma vitória; se por jogar de início com 6 defesas, mesmo em jogos em casa e mudar de sistema táctico como quem muda de camisa ou por colocar jogadores em posições para as quais não tinham a mínima aptidão, ora num dia eram médios defensivos, depois ofensivos e mais tarde defesas esquerdos. Tivéssemos nós começado o campeonato com um treinador mais equilibrado e estaríamos numa posição ainda mais confortável. É preciso desfrutar deste momento, agradecer a Ricardo Chéu a mudança de mentalidade e, claro, aos jogadores pelas exibições e resultados, e apoiar mesmo que daqui em diante os resultados não sejam tão positivos, esperar que a chuva dê um descanso e mais academistas possam ir ao estádio. Falou-se aqui há uns tempos sobre uma cobertura para a bancada central e laterais da já bancada coberta, penso que devemos ter um dos estádios com menos lugares cobertos e assim é difícil levar mais gente, compreendo a limitação de orçamento nos tempos que correm, mas devia haver uma análise de viabilidade. Os viseenses e academistas merecem!

Miguel Marques

domingo, 09 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

eu fui ao Fontelo e não assisti ao jogo porque não me deixaram entrar com o g.chuva.em Tondela quando o académico la jogou entrei com g.chuva e não houve problemas.sera´que a liga tem 2 critérios?

segunda-feira, 10 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

Jogo Muito Dificil . Ontem a equipe obteve uma grande vitoria. Foi a determinaçao ,a vontade ,o querer ,a dignidade ,a luta , a perseverança ,a entreajuda de toda a equipe a insistencia de todo mundo futebolistico Academista que nos levou a vitoria e a obtençao dos preciosos 3pts. Parabens aqueles que tem jogado menos . O sacrificio e a uniao e de todos e o futebol e assim .Os campeoes fazem-se e crescem desta maneira ........Bravo a todos!Grupo Fantastico!

segunda-feira, 10 fevereiro, 2014
Anónimo disse...

Apesar do clima adverso da nossa cidade, isso nunca foi factor para que o Fontelo não enchesse. lembro-me dos jogos com o Lusitano de Vildemoinhos e mais tarde quando subimos à primeira divisão, que o estádio enchia mesmo!
Só que nessas alturas entrávamos com guarda-chuvas e ninguém dizia nada. Hoje é terrível ir para a central e levar um banho até aos ossos, sem possibilidade de se resguardar.
Mas o Académico merece-nos tudo e os beirões nunca se renderão a nada e encherão mais aquelas bancadas.
Vamos em frente. Académico!

segunda-feira, 10 fevereiro, 2014