quarta-feira, janeiro 22, 2014

Ac.Viseu FC 1-0 SC Covilhã

Estádio do Fontelo, 22 de janeiro de 2014
26ª Jornada da Liga 2 Cabovisão
Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa)

Ac. Viseu: Ricardo Janota; Tiago Costa, Paulo Monteiro, Cláudio e Ricardo Ferreira; Capela e João Alves (Ibraima, 80); João Martins (Fausto Lourenço, 68), Luisinho (Zé Rui, 88) e Bruno Loureiro; Cafú. Treinador: Ricardo Chéu.

Sp. Covilhã: Igor; Massaia (Soares, 62), Edgar, Joel e Alex Kakuba; Gilberto, Tiago Martins e Carlos Manuel; Gui, Kizito e Bata (Amian, int). Treinador: Francisco Chaló.


Golo: Cafú 41 (1-0)
Foto de Rui da Cruz retirada do site zerozero.pt

Mais um jogo, mais uma vitória, começa a ser a rotina do Académico. A equipa respira confiança e quando assim é, as coisas acabam por correr bem.

Vitória muito saborosa, são todas, dirão vocês, mas esta tem um significado especial, pois foi obtida contra um dos nossos rivais de sempre, e contra uma das equipas em melhor momento de forma, nesta altura do campeonato.

Entrou bem, o Académico, como tem acontecido nos últimos jogos, mas o Covilhã foi dando conta do recado, equilibrando a partida. O sinal mais era no entanto do Académico e até ao intervalo 3 oportunidades para o Académico, uma das quais deu golo e apenas uma flagrante para o Covilhã, num grande pormenor do seu avançado, era um golo à Madjer, mas em superior. 

O Académico sempre em busca do golo acaba por falhar de baliza aberta por Cafú num centro magnífico de Luisinho, um perdida incrível de Cafú que pouco depois viria a corrigir, marcando o decisivo golo da partida. Não marcou nesse lance o Académico, mas viria a fazê-lo pouco tempo depois. 

Após um espantoso remate de João Alves de fora da área, parecia que a bola ia dar 3 pontos para o País de Gales, como see diz na gíria do futebol, mas eis que, repentinamente, baixa e acaba por embater com estrondo na barra. Na recarga, o super-sónico Cafú atira para golo. Era mais do que justo o golo do Académico e até ao intervalo ainda dispôs de nova situação, mas a margem mínima ao intervalo era correta e premiava a melhor qualidade de jogo do Académico e o maior número de oportunidades conseguidas.

2ª parte, o Covilhã entra com disposição de inverter o resultado, e, substituição após substituição foi reforçando o seu sector atacante. No meu-campo impunha-se Carlos Manuel, um Viseense, grande qualidade de passe, grande trabalhador naquele meio-campo, excelente jogador. Na frente, com tantos avançados o Covilhã ia criando imensas dificuldades à defesa Academista. O Académico em saídas rápidas acabou por criar 2 a 3 ocasiões de golo claras e a desperdiçar outras jogadas de contra-ataque que poderiam dar muito perigo, mas que não foram bem aproveitas, por alguma precipitação.

Retomando o que estava a dizer, na 2ª parte muito mais posse de bola por parte do Covilhã, domínio do jogo, mais oportunidades de golo, duas delas muito flagrantes, embora no contra-pé o Académico também tenha tido 2 claríssimas, uma anulada por pretenso fora de jogo (não tenho a certeza) e outra desperdiçada por Luisinho, ou melhor muito bem defendida pelo Guarda-redes do Covilhã.

O 2-0 nunca surgiu para todos tranquilizar e até final foi um daqueles jogos em que sofremos muito, muito mesmo, pois repito o Covilhã jogou muito bem, a melhor equipa que passou no Fontelo a jogar, isto da forma como o fez na 2ª parte.

Sou adepto do Académico, como todos sabeis, mas sei ver futebol e se na 1ª volta escrevi que o Covilhã não jogava nada de nada, pois foi o que vi nesse jogo, hoje tenho que dizer que daí para cá, a mudança foi radical e hoje, o Covilhã fez uma excelente 2ª parte e se nesse período tivesse empatado o jogo, numa das claras oportunidades de golo que criou, teríamos de aceitar. Agora, o que aconteceu perto do final do jogo, é que me custa a entender e muito mais a aceitar e passo a descrever: volto a repetir, o Académico foi um justo vencedor, mas o Covilhã poderia ter chegado ao empate na 2ª parte, com as oportunidades que criou e o resultado teria  de ser considerado igualmente justo. 

O que não foi justo foi o que aconteceu, nos últimos 15 minutos e que nada de nada tem a ver com a equipa do Covilhã, os seus jogadores ou o seu Treinador, o que aconteceu foi o seguinte: A arbitragem que até aí tinha sido excelente, começa a fraquejar nos últimos 15 minutos, com o poupar de um 2ª amarelo a um jogador do Covilhã, de imediato substituído pelo seu treinador, o golo anulado ao Académico, que me deixa dúvidas, mas admito que tenha sido uma decisão acertada. Mas o pior estava para vir e o que foi? 5 minutos de descontos, quando não houve praticamente interrupções em todo o 2º tempo. 2, no máximo 3 minutos seria, em meu entender o tempo correto. Mas esses 5 minutos parecerem ter razão de ser pelo que aconteceu ao 6º (isso mesmo, já depois dos 5) minuto de descontos, e o que foi? 

O Covilhã pressionava, o Académico defendia e quando todos esperavam o apito final (o tempo já se tinha escoado), num lance em que nada de nada se vê, o árbitro, apita, e bem, ninguém percebeu o que teria apitado, mas houve quem pensasse que fosse penalti contra o Académico, falta atacante, mas não, o que aconteceu foi um livre indirecto dentro da área, ou seja pé em riste?, terá sido?, mas tenho de ver as imagens, pois no campo a sensação que ficou e digo, apenas a sensação, pois nada mais tenho contra o árbitro que repito, fez uma excelente arbitragem até ao minuto 75, foi a de que estava a ser “arranjado” algo para prejudicar o Académico. Repito, foi a sensação com que fiquei, mas como estou a ver o jogo como adepto, admito que possa ter visto algo que efectivamente não se passou, mas que foi a sensação com que fiquei, bem lá isso foi e que me revoltou bastante, tb, é verdade, revoltou, mas houve justiça e o Covilhã que fez uma excelente 2ª parte, não merecia empatar o jogo com um lance destes, pois merecia, sim tê-lo feito, mas nos lances justos e corretos que criou ao longo da 2ª parte.

O Académico pela forma como soube sofrer na 2ª parte mereceu esta vitória, muito, muito importante, que nos dá 30 pontos na tabela classificativa e nos põe a olhar para cima e a sonhar com lugares bem mais consentâneos com  o valor da nossa equipa.

Destaques individuais

Ricardo Ferreira, em grande forma, depois do excelente jogo contra o Tondela, hoje, de novo, jogo magnífico, mas o meu destaque principal, perdoem-me todos os outros vai para Tiago Costa, em estreia de sonho, um jogador que corre por 3, tem atitude e raça semelhante a Maxi Pereira, evitou em cima da linha de golo 2 claras oportunidades do Covilhã, ou seja foi o homem do jogo. A isto chama-se chegar, jogar, convencer e não mais largar o lugar. Espantosa exibição de Tiago Costa.

Cafú, trabalha por 4, cansa ver Cafú a disputar cada lance como se fosse o último da sua carreira, e a forma como recupera o fólego e logo de seguida faz outro arranque, espantoso. Cafú, um exemplo para toda a equipa. Para além de todo esse trabalho, marcou o golo decisivo.

Toda a equipa trabalhou muito e bem, aguentou a 2ª parte o pressing do Covilhã e saber defender e saber sofrer é também uma qualidade que tem de ser relevada no futebol, pois não se ganham jogos, atacando sempre do 1º ao último minuto.

Ricardo Chéu, hoje, com alguma fortuna, temos de reconhecer, sem quaisquer problemas, ao contrário do que aconteceu em Tondela, onde com um pingo de sorte ganhávamos o jogo, hoje essa sorte esteve do nosso lado, efectivamente Mas dizia eu, em 3 jogos, 2 vitórias, um empate, 7 pontos, e a meta dos 30 pontos atingida. Faltam 4 vitórias para assegurar em definitivo a continuidade nesta Liga, mas vamos olhar mais para cima e tudo fazer, jogo, a jogo, ou seja pensar, apenas e só no jogo seguinte e na possibilidade de obter os 3 pontos.
Este é um campeonato especial, muito, muito competitivo e dentro dele há vários campeonatos, um deles, é o mini-campeonato Académico, Tondela, Beira-Mar, Covilhã, Para já estamos a conseguir pontuar bem nesses jogos e vamos na classificação aproximando-nos do Beira-Mar, o 1º adversário que queremos ultrapassar em termos pontuais. O equilíbrio é enorme e se vos perguntar quem acham ser o mais candidato, o Portimonense, o Moreirense, o Tondela, ou o Covilhã, eu diria que destas 4 equipas, por exemplo, pelo jogo da 1ª volta diria que o Covilhã seria último classificado, mas pelo jogo de hoje, digo que é a equipa, talvez, em melhor forma desta 2ª Liga, nesta altura.
O equilíbrio é espantoso, e há bons jogos nesta Liga 2, pena a hora a que acontecem, jogos, como o de hoje, pois se fosse a um domingo, certamente estaria o Fontelo com muito, mas mesmo muito mais gente, obviamente.


Nós Somos o Académico!
Sê Sócio e traz um amigo!

Força Académico!
Força Ricardo Chéu


Carlos Silva

Notas aos jogadores (atribuídas pelo jornal Record): Ricardo Janota (3), Tiago Costa (3), Paulo Monteiro (3), Cláudio (3), Ricardo Ferreira (3), Capela (3), João Alves (4), João Martins (4), Luisinho (3), Cafú (4), Fausto Lourenço (2), Ibraima (2), Zé Rui (2)

15 comentários:

Luis disse...

Que grande reforço o Tiago Costa!! fez uma grande estreia.. Jogou muito bem mesmo.
Incrível o Cafu na sua entrega ao jogo e no que aquele "miúdo" corre..
Um jogo um pouco partido,mas com algumas jogadas interessantes, sofreu-se um bocado porque não se conseguiu matar o jogo mas são 3 pontos muito bons e merecidos.
Força Académico!

quarta-feira, 22 janeiro, 2014
José Carlos Ferreira disse...

Estou muito feliz com esta vitória, sendo eu um viseense que criou raízes na Covilhã (Tortosendo), “ainda para mais” no dia em que a minha covilhanense mais pequenina faz 4 anos. Obrigado equipa por esta alegria!
Parece que o jogo foi difícil, nada que me surpreenda. Vi várias vezes o Sporting da Covilhã na presente época e sei bem da qualidade da sua equipa. Não temos uma equipa superior, bem pelo contrário, e este resultado é excelente. Ganhamos a uma equipa que, quando obtiver os pontos para se manter na atual divisão, vai seguramente apostar em subir. Aliás é isso que em surdina se vai ouvindo entre os adeptos do grande SCC.

quarta-feira, 22 janeiro, 2014
Paulo Teixeira disse...

Vitória magnifica, e só não foi mais porque o Atlético tambem ganhou senão a esta hora teríamos 10 ou 11 pontos de diferença para com o ultimo lugar.
Não há adjectivos para qualificar esta vitória, este Covilhã é mesmo uma grande equipa, tem dois avançados do melhor que há neste campeonato, Forbs e Bata, e como diz o amigo José Carlos mais tarde ou mais cedo vão limpar a concorrência.
Agora o Académico, no jogo com o Tondela escrevi que oito ponto é bom mas num apice podem desaparecer, o que aconteceu hoje foi muito positivo para o nosso clube pois mais uma jornada passa e a diferença continua, bravo equipa, se não der para alargar ao menos mantem-se, estou de facto muito orgulhoso de vocês, ainda hoje dizia para um colega de trabalho que questionava o que fazer depois do assalto á lavandaria, e eu respondi, se não houver equipamentos jogamos de cuecas e descalços isto é o melhor clube do mundo!
O próximo jogo com o Farense espero mais uma vitória, mais vai ser dificil lá isso vai!

Paulo Teixeira sócio 752 a sofrer com o Académico desde 1982.

quarta-feira, 22 janeiro, 2014
Anónimo disse...

Magia do futebol, só é pena verificar a pouca adesão das pessoas ao estádio. A direção deve rever os seus principios! vi muitos estudantes da cidade e mesmo até da covilha que queriam ver o jogo e foram impedidos alegadamente por nao haverem mais bilhetes para estudantes.

quarta-feira, 22 janeiro, 2014
Anónimo disse...

é verdade, deixe que os bilhetes gratuitos para mulheres e crianças até 16 anos.
convidar escolas e todas as associações.
tornar os preços razoáveis ​​para as pessoas com dificuldades financeiras.
Eu acho que haveria mais pessoas para o estádio.
senhores do clube, da direção, alguns umanisme.

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
Anónimo disse...

A adesão penso que até nem esteve má para um jogo à 4ª feira. Agora não haja duvida que a direção deve rever mesmo os seus princípios, pois se tivesse pedido ao Tondela os bilhetes a que tinha direito para a claque, entrariam sem qualquer problema, seria escusado aquilo que eles fizeram com o exagero de preços (6,00€). Peço o favor à direção que se recorde do jogo Tondela-Académico, amigável, com a receita a reverter para os Bombeiros, aquilo que a claque do Tondela chamou ao Académico. Eles é que começaram a incendiar, saibam defender os Academistas p.f., porque a haver pedido de desculpas, esse seria da parte do Tondela.

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
Anónimo disse...

Vi Um Grande Jogo No Fontelo ontem a Tarde. Com 2 Grandes Equipes E uma Terceira que ia Estragando tudo ........A equipe de arbitragem deu 5 min de tempo complememtar e nesses 5 minutos ,enfim equivocou-se a grande e a « Portuguesa». Mas Enfim tudo acabou em bem para o N/ Lado ( Academico.). A equipe do Academico melhorou bastante animicamente ( os resultados ) ajudam ,sem duvida .....Mas O objetivo e continuar na senda das Vitorias. Lutar Sempre ate a Exaustao. Sinceramente nao sei o que se passa com o Diogo Alves. Poderia ser uma mais valia ao lado do Cafu ,mas pelo que tenho observado nao era opçao com o FM e agora parece que tambem nao com RC. So Eles saberao o que se passa .......Acho que o Cafu precisa de uma ajuda valida, competitiva ao seu lado ........O ataque seria sem margem de duvida mais produtivo. Acho .......Opiniao pessoal. Gostei do estreante Tiago ......assim como gostei dos outros todos.Foram Guerreiros!

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
Anónimo disse...

Pessoal, o preço dos bilhetes não é desculpa para ninguem.
Por 7€ por mês podem ver os jogos do academico em casa todos.

Isso chama-se fazer SóCIO!!

É natural que o preço seja mais alto para os jogos. QUem não é socio do academico, ou é da equipa adversária, que pague e bem!!

Uma unica sugestão:
Cota de sócio Sub-23 5€ por mês
Cota de sócio para mulheres 5€ também.

O resto do valor é adequado para todos os escalões.

Nova sugestão: Oferta de bilhetes nas escolas (primarias e Ensino básico) para os miudos obrigarem os pais a irem à bola e pagarem :)

Os verdadeiros academistas são sócios. o preço dos bilhetes não os afecta.

Sócio nº 912

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
562 disse...

Boa vitória do Académico contra uma equipa tradicionalmente difícil e incómoda.O Académico começa a ter a estrelinha da sorte, sobretudo porque começa a saber procurá-la.

Quanto ao preço dos bilhetes e à quantidade, alguma coisa a direcção terá de fazer e foram dadas algumas sugestões que, se fossem seguidas, o clube só teria a ganhar com isso.

Foi também falada a eventual companhia para Cafu e questionada a condição do Diogo Alves. Gostava de ver o Académico a jogar, de vez em quando, com dois avançados, mas de uma forma estruturada, e não à procura de prejuízos. E o que é que se passa com o Diogo Alves? Creio que estará sem o factor essencial para um jogador de futebol: confiança. Sem isso, nem milagres ajudam. E há um exemplo muito concreto: O hélder Rodrigues, que por acaso até está lesionado, quase não jogou nesta época. E porquê? Será que não tem talento nem capacidade? Claro que tem, e nós, Academistas, sabemos bem disso.

Mas o que interessa é que a equipa está a jogar com mais confiança e garra. Falta, agora, para consolidar a posição na tabela e, provavelmente, afastar a descida, duas vitórias seguidas, perfazendo 13 pontos em 5 jogos. O Académico estaria praticamente safo da descida e, eventualmente, poderia começar a programar a próxima época com calma..

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
Anónimo disse...

Tanto quanto sei, o Hélder Rodrigues não esta com falta de confiança. Começou a fazer treino de campo há poucos dias, esteve lesionado mais de 3 meses, a segunda lesão da época.

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
Anónimo disse...

Ganho fora é necessário. Terão de ir à bruxa?

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
562 disse...

No início da época, o HR estava apto e jogava pouco, ou nem sequer jogava.. Principalmente para um avançado, é preciso jogar e marcar golos. O Cafu nem sempre terá tido épocas com este fulgor. Mas aqui ele é acarinhado, motivado e sente-se bem. Jogando e marcando, a época de um avançado só tem como melhorar.

Repare-se no Rodrigo, do Benfica; de 3ª opção passou a peça-chave; de um jogador sobre brasas, desmotivado, a quem tudo saía mal, passou a ser reular e certeiro.

Jogam 11 jogadores e o plantel tem vinte e tal jogadores.. Se pudessem jogar todos, o problema estava resolvido; como só podem jogar 11, tem de haver muito engenho da parte dos treinadores para gerir. Ao fim e ao cabo, é de gestão emocional que o treinador tem de se ocupar, principalmente.

quinta-feira, 23 janeiro, 2014
Anónimo disse...

o academico de Viseu tem uma grande équipa de futebol,todos estes grandes jogadores estão motivados em todos os jogos.
Que grande tristesa ter começado mal neste campeonato.
agora estaríamos no grupo da frente e jogar a subida.
Que PENA .................

sexta-feira, 24 janeiro, 2014
Anónimo disse...

As camisolas e os calções novos continuam a ter o emblema do nosso cliube impresso em negativo.
Ninguém tem olhos abertos?

sexta-feira, 24 janeiro, 2014
Anónimo disse...

Duarte Gomes já pediu desculpa ao SC Covilhã por não ter marcado um penálti contra o Académico. O vídeo é demais.

segunda-feira, 27 janeiro, 2014